Novo delator da Lava Jato confirma as propinas para o PT

Deu no iG

Na mais nova delação premiada da Operação Lava Jato, o lobista Fernando Moura admitiu ter mantido ligações com o PT (Partido dos Trabalhadores) e disse que o partido recebia propinas ligadas a contratos da Petrobras.

Na colaboração premiada autorizada pela Justiça Federal no Paraná na segunda-feira (21), Moura aponta a atuação decisiva do ex-secretário do PT Silvio Pereira na aprovação da indicação do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, acusado de intermediar o repasse de suborno para a legenda.

O mais novo delator da Lava Jato relatou que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT-SP) recomendou a ele que deixasse o país após o surgimento do escândalo do mensalão, em, 2005, e então ele foi morar em Miami (EUA), onde continuou a receber propinas de fornecedoras da estatal de petróleo.

 

INDICAÇÃO DE DUQUE

Na delação homologada nesta segunda, Moura deu sua versão sobre a indicação de Duque para a diretoria de Serviços da Petrobras.

Segundo os relatos da delação, a partir da década de 1980 Moura passou a se aproximar de Dirceu ao colaborar nas campanhas do petista.

Moura contou que em 2002, quando o petista Luiz Inácio Lula da Silva venceu as eleições presidenciais, as indicações políticas para os cargos na administração federal deveriam ficar sob a responsabilidade do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e do então secretário-geral da legenda, Silvio Pereira.

Porém, Delúbio não aceitou a tarefa, em represália por não ter sido atendido em um pedido feito a Lula para que ocupasse a presidência do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), de acordo com o delator.

SILVIO PEREIRA

Moura disse que então aproveitou o espaço deixado por Delúbio e conseguiu se aproximar de Silvio Pereira para atuar na indicação de cargos.

O delator disse que a sugestão do nome de Duque partiu do presidente da empreiteira Etesco, Licínio de Oliveira Machado Filho. Mora disse que levou o nome de Duque para Silvio Pereira, que então fez uma entrevista com o indicado e aprovou a ida dele para o cargo na diretoria de Serviços da Petrobras.

De acordo com Moura, a partir da indicação de Duque, a Etesco passou a ter uma participação maior em contratos da Petrobras, e passou a pagar ao lobista um propina de US$ 30 mil por trimestre.

O delator também disse que no esquema de corrupção na Petrobras as fornecedoras da estatal pagavam uma propina de 3% sobre o valor dos contratos, e parte desse valor era repassado ao PT.

NA BOLSA SUECA

O lobista também relatou um caso que pode levar ao início de uma colaboração jurídica internacional da Lava Jato com autoridades da Noruega. Segundo Moura, o sistema financeiro do país europeu foi lesado em razão de uma informação privilegiada fornecida por funcionários da Petrobras a investidores.

De acordo com o delator, os operadores financeiros ficaram sabendo antecipadamente sobre a assinatura de contratos da empresa norueguesa Sevan Marine com a Petrobras, e compraram ações da companhia europeia.

Posteriormente, com a divulgação da assinatura dos contratos, as ações da Sevan Marine tiveram grande valorização e os operadores financeiros beneficiados com a informação privilegiada tiveram um ganho significativo com os papéis.

4 thoughts on “Novo delator da Lava Jato confirma as propinas para o PT

  1. O delator da UTC também disse por várias vezes que deu propinas para o Partido da Ética, entre alguns milhares e milhões de reais……
    Um pouquinho para o Aético e mais um poquinho para o gerardo efeagacê.
    Inclusive sobrou algumas quirelas até para o Guardião da Ètica, O HOMEM QUE VAI ACABAR COM A CORRUPÇÂO NO MUNDO, e no BRASIL. (eh.eeh.eh)
    A propósito, até agora nem uma noticia sobre seu pai colocado na Prefeitura de Valinhos recebendo a pequena quantia de 12 mil reaus por M~es, sem ir lá……
    Cadê o carlos sampaio?????

  2. Quem defende os amigos corruptos/corruptores passando suas culpas a terceiros, não tem consciência.
    A corrupção da alma é bem maior do que a financeira.

  3. Todos os partidos receberam dinheiro para financiamentos de campanha, seria
    comprometedor se só o PT e base aliada recebessem. A grande diferença foi
    o esquema de corrupção para exigir propina e isso só quem está no poder poderia
    fazer. Quem está no poder é o PT.
    O que mais me chama a atenção é uma parte da cúpula do PT dizer que não sabia dessa mega corrupção.

  4. Dillma e os petistas, para esconder suas sujeiras, dizem que, “nunca antes neste país”, as instituições, apoiadas pelo seu governo, investigaram tanto.
    Por que será que o governo Dillma não investiga os governos anteriores aos seus?
    Só elles podem responder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *