Novo julgamento do Mensalão pode virar Barbosa presidente

Carlos Chagas

Imagine-se a maioria dos onze ministros do Supremo Tribunal Federal, tanto faz se por 8 a 3, 7 a 4 ou mesmo 6 a 5, decidindo amanhã pela apreciação dos embargos infringentes de pelo menos onze mensaleiros. Não apenas o julgamento se estenderá pelo ano que vem, pois todos os processos serão revistos.

Poderá haver outra consequência: a renúncia do presidente Joaquim Barbosa, não apenas da direção dos trabalhos da mais alta corte nacional de Justiça, mas de sua própria cadeira de juiz.

Será o escândalo dos escândalos, com a transformação de Barbosa em mártir da impunidade e patrono da ética, sem dúvidas passando a forte candidato à Presidência da República no ano que vem. Além, é claro, da desmoralização do Supremo. Indaga-se como ficarão os ministros Celso de Mello, Gilmar Mendes e talvez Marco Aurélio Mello, votos prováveis contra os embargos infringentes. É claro que são apenas conjecturas, já que a ninguém será dado afirmar com certeza como se pronunciarão os demais ministros. À exceção de Teori Zavascki e Luis Roberto barroso, que não participaram do julgamento por chegarem recentemente ao Supremo, apenas Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli tem deixado clara sua tendência em aceitar os novos recursos. Os demais são uma incógnita.

A conclusão a tirar é de que amanhã tudo pode acontece. Mas se vencer a corrente da protelação, seguirá o Judiciário no rumo do Legislativo, ou seja, da frustração por parte da opinião pública. Importam menos possíveis argumentos jurídicos em favor do novo julgamento ou até do princípio de que os tribunais devem julgar com a lei, jamais pressionados pela voz das ruas.

Porque as ruas fazem parte do processo político. Nenhuma instituição judiciária é uma ilha, blindada contra o que se passa ao seu redor, na sociedade. Nem na primeira, nem na última instância. Imagem negativa registrada no fim de semana de manifestações foi a estátua da Justiça aparecer cercada de grades, no pátio fronteiriço ao Supremo. Teve-se a impressão de que ao invés dos mensaleiros, era ela a condenada à cadeia.

Apesar de tudo, resta aguardar algumas horas. Ou esperar o próximo movimento popular capaz de chegar à Praça dos Três Poderes.

Como garantir o pré-sal

Comprovada a espionagem dos Estados Unidos sobre o mundo, segue-se do geral para o particular. A Petrobras era, e continua sendo, objeto da arapongagem da agência Nacional de Informações americana, com ênfase para o pré-sal. Cada passo da empresa brasileira nos trabalhos de extração de petróleo em águas profundas é monitorado pelos gringos. Junte-se a essa cobiça a presença, já se vão dois anos, de uma nova frota da maior potência bélica do planeta singrando o Atlântico Cul.

Com porta-aviões, caças e bombardeiros de última geração, mísseis, submarinos nucleares e montes de destróiers e navios auxiliares. Claro que não é para vigiar as costas africanas. Qualquer tentativa deles se apoderarem da nova riqueza descoberta próximo do nosso litoral será sustentada por toda essa parafernália naval.

E nós, como defenderemos o que é nosso? A Marinha de Guerra nacional carece de meios. O submarino nuclear brasileiro levará vinte anos para ficar pronto, mesmo assim na dependência de tecnologia francesa. A Força Aérea voa com aeronaves na maior parte sucateadas. Fica difícil imaginar quinze minutos de resistência.

Enxugamento

Tem gente achando que o número de ministérios será reduzido quando a presidente Dilma dispensar os ministros que serão candidatos às eleições do próximo ano, provavelmente lá para dezembro ou janeiro. Seria boa oportunidade para o governo livrar-se de penduricalhos incômodos, desnecessário e fisiológicos, criados apenas para satisfazer o apetite de partidos da base oficial.

Uma administração enxuta e preparada para o segundo mandato significaria mais do que economia de recursos. Ensejaria a agilização de planos e programas de desenvolvimento nos diversos setores de ação governamental. A perspectiva é do aproveitamento de pessoal mais técnico do que político, dada a disputa para o Congresso e os governos estaduais.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

9 thoughts on “Novo julgamento do Mensalão pode virar Barbosa presidente

  1. Caro Jornalista,

    Barbosa presidente?
    Jesus Cristo presidente?
    ET de Varginha presidente?

    Ora, qualquer um desses, caso eleito, terá que negociar com o Congresso Nacional e pagar à vista, como fez o FHC, ou a prazo, como fez o Lula… se quiser governar!!!

  2. Voce está pensando alto demais. É preciso perguntar por qual partido? Sem o apoio de um grande partido, e sendo afro dificilmento teria votos nos Sul e Suldeste para ser um forte candidato.

  3. Prezado Jornalista Carlos chagas,infelizmente,você induz as pessoas, no seu comentário que a decisão a ser tomada pode não ser a correta.Então pergunto? então que estão fazendo la, aquelas que na sua concepção estão na contramão da justiça.Eu acho que não devemos criar clima em que a decisão correta é essa ou aquela.O mal deste país é que as pessoas querem ser pitonisas,criando um quadro de ansiedade.É fácil para um jornalista tecer comentários,porém o mesmo tem que saber que tem uma responsabilidade muito grande,pois é um formador de opinião.

  4. Carlos Chagas, saudações
    Não devemos esquecer a frase recente do vice Joe Biden, estampada na capa da The Economist:
    “Brazil is nobody’s back yard” (“O Brasil é uma Terra de Ninguém”. Em verdade back yard quer dizer “quintal”, mas preferi traduzir assim)
    E … o Al Gore faz palestras pelo mundo com o mapa do Brasil SEM a Amazônia, que para ele pertence a todos, tipo “é de quem chegar primeiro”.
    Se eles vierem para tomar posse física do Brasil, me encontrarão, certamente. Fisicamente.
    Sobre Joaquim Barbosa. Se ele renunciar, estará deflagrando um Movimento cujos desdobramentos serão fortíssimos (assim creio). Morreremos, mas nasceremos.

  5. E lá vamos nós , dando gargalhadas com as “adivinhações jornalisticas” do nosso
    prezado Carlos Chagas, que nos últimos tempos anda “navegando” ..nos mares da maionese.

    A que ponto Carlos Chagas chegou…”fazendo força” para que o nome do ” prevaricador
    falastrão , soberbo e inútil” ( que só faz o que lhe mandam…sim as forças ocultas
    disseram para que ele “sentasse” em cima processo do nosso amigo HELIO FERNANDES ) PARA
    PRESIDENTE DO BRASIL …HA..HA..HA..HA…HA….É ..CARLÃO ..A COUSA TÁ BRABA…NÉ ??

    YAWHE SEJA LOUVADO….

    Carlos de Jesus – Salvador – Bahia

  6. NÃO É DIFÍCIL IMAGINAR, O QUE ACONTECERA EM 2014, É SÓ VER S OPÇÕES, POUCAS OU NENHUMA,CERTAMENTE A DISPUTA SERIA MAIS ACERADA, COM UM ELEMENTO SURPRESA, E QUE SURPRESA, POLEMICO TALVEZ, MAS LOUVÁVEL. CERTAMENTE MUDARA O PERFIL QUE JÁ ESTA TRAÇADO E PRE DETERMINADO PRA 2014, É MEU AMIGO PODEMOS NOS SURPREENDER, E ALGUMA COISA REALMENTE GRANDE ACONTECER…

  7. Em vista dos que são candidatos a Presidente: Dilma ou Lula, Aécio Neves, Marina Silva e
    Eduardo Campos, todos farinha do mesmo saco, O Ministro Joaquim Barbosa, seria a melhor opção.
    ele teria o meu voto. Um bom Presidente, pode mudar sim os rumos de uma nação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *