Novo ministro Barroso leva jeito de pizzaiolo…

Carlos Newton

Quando o cheiro da pizza já começava a se espalhar, eis que o novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, se apressa em afirmar que não está indo para o Supremo para julgar o mensalão. Disse que “se pudesse escolher, entraria no STF depois do mensalão”, mas vai participar dos julgamentos dos recursos dos condenados no processo.

Diz o velho ditado que “quem fala demais dá bom-dia a cavalo”. É o caso de Barroso, cuja espantosa verborragia o leva por caminhos tortuosos. Questionado se teria feito uma crítica ao STF,  durante sua sabatina no Senado, ao afirmar que o julgamento do caso foi “um ponto fora da curva” do Supremo, Barroso tentou desfazer o cheiro de pizza:

“Não foi um comentário crítico, foi um comentário descritivo que, a meu ver, é observável a olho nu. E essa opinião também é a de outros ministros”, destacou, sem citar o nome dos futuros colegas que concordam com ele.

O mais inacreditável foi ter afirmado que existem no Tribunal processos mais importantes do que a ação 470, do mensalão. “Gostaria que o país virasse rapidamente esta página”, disse, acrescentando: “O Supremo discute inúmeras questões que são mais importantes para a vida do país e das pessoas do que o mensalão”.

Caramba, processos mais importantes do que o mensalão? Será alguma coisa relacionada à Copa do Mundo ou à Olimpíada? Infelizmente, o ministro não detalhou. Mas como diz Roberto Carlos, detalhes são coisas tão difíceis de esquecer…

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

17 thoughts on “Novo ministro Barroso leva jeito de pizzaiolo…

  1. SAÚDE, SEGURANÇA e EDUCAÇÃO. Quanta fétida e putrefata insensatez política!
    .
    Meu Estado, Sergipe, está apodrecido. Estado do qual sou mais filho do que os que, sem opção, nele nasceram. Antigas greves pipocas no serviço público destroem os escombros do que restou de antigas politicas autoritárias que não são privilégio deste estado federado, porém, do Brasil.
    O que é e para que serve o Estado?
    Ainda hoje deixei em um site local esta opinião leal e sincera. Não tenho certezas, tenho dúvidas.
    “Ponto crítico que interessa a todos.
    O Estado é o que seus servidores são. A situação da saúde e educação (segurança foi minorada faltando aporte de recursos materiais) no Estado é grave e antiga e atinge toda a sociedade de modo direito ou reflexo. Os governantes embalados entre a ética da responsabilidade e da convicção que move a política empurram para o futuro o problema com a mentira do progresso via progresso da mentira. Com isto, também as gerações futuras.
    Não existem homens livres no seio de um povo escravo.
    A ética da responsabilidade é inerente à cidadania, a todos; não é privilégio de uns poucos governantes que se consideram iluminados e cometem toda sorte de descalabros que beiram crimes em nome da lei. Mesma lei que, autoritariamente, produzem e aplicam ao seu inteiro alvedrio.
    Penso que é chegada a hora de um basta, de um ponto final na questão remunerativa com um plano de longo prazo que implante a isonomia salarial no setor público. O expresso dever constitucional, portanto fundamental do Estado, que se constitui também em primeiro, é para com a saúde, segurança e educação. Agir de modo contrário é trair a consciência republicana e democrática de um Estado que se diz de Direito.
    Mormente se como ação de um grupo que tomou o poder com promessa igualitária, típica das esquerdas. A promoção da saúde, segurança e educação públicas e universais, além de requisitos necessários à condição civilizada são a única via para a igualdade de oportunidade; de acesso ao mercado num regime que – quer se queira ou não – é do capital. É preciso repensar, ou, pensar o Direito, o Estado de Direito”

  2. Prezado Editor:
    Sua análise nua e crua atinge os fatos como eles realmente são. Além da máxima pontuada por você sobre quem fala demais dá bom dia a cavalo, tem aquela também de que: “para um bom entendedor, um pingo é letra” e o seu arrazoado brilhante assevera o seu faro de jornalista, que percebe o andor da carruagem a quilômetros de distância.
    Vamos aguardar os próximos capítulos dessa novela instigante chamada Brasil, onde cada dia é um prenúncio de um amanhã assustador.

  3. Caro Newton, li aqui no Blog, elogios ao novo ministro, e ele, com sua “verborragia”, vem colocando suas futuras ações no STF, em forma pendular( que nem o pendulo de relógios) causando apreensões de futuros julgamentos, para que a Justiça faça JUSTIÇA.
    Só nos resta, pedir à DEUS, que ilumine suas ações, extensivas aos demais Ministros, pois, o STF, é o último baluarte de uma NAÇÃO.
    Para uma Nação, a “CANETA” dos 3 PODERES, pode ser benéfica, ou pior que a “caneta- metralhadora” do bandido, está alcança dezenas e aterroriza centenas, a outra, alcança milhares, criando e mantendo a angustia de NÃO VIVER COM DIGNIDADE DE SER HUMANO.
    Tá difícil!!

  4. Às vezes, os “grandes” são tecnicamente brilhantes em suas atividades profissionais, mas claramente pequenos diante de valores norteadores da coletividade. O Direito baliza as linhas mestras regentes da sociedade mas não é dado a todos os estudiosos assimilarem a essência de seus princípios. Talvez o novo ministro esteja entre estes. Ele foi profundamente infeliz ao observar que o Supremo discute questões mais importantes para o país e para as pessoas do que o mensalão.Poderia eu afirmar que “assim caminha a humanidade” nestes tempos em que a turbulência de valores lança-nos no turbilhão das incertezas?

  5. Está mais do que claro que estão armando o circo para livrar os mensaleiros da cadeia.
    Com a palavra, os trouxas que acharam que o brasil havia mudado…
    Êta povinho otário…

  6. “Não foi um cometário crítico, foi um comentário descritivo…???!!!” Já fiquei apreensiva, assim como centenas (quiçá milhares) de colegas operadores do Direito! Um constitucionalista respeitado, mal chega ao STF e já começa a confundir (ou tentar nos confundir!!!) conceitos básicos?! FOI EMITIDO UM JUÍZO DE VALOR, SIM SENHOR! Como não? É FHC requentado? “Esqueçam tudo o que eu escrevi(disse, falei) antes (de subir a rampa!).” Assim não dá! Sempre a política(lha) atrapalhando a vida do cidadão, nesse país de faz-de-conta! Como é possível isso? Entre o notável saber jurídico e a política esta sempre sobrepuja aquele?! Quando poderemos enfim, abaixar os braços?!Que todos os deuses do olimpo, nirvana, walhalla, africanos nos ajudem!!!!!

  7. É muito preocupante. Os lulistas explícitos Zé Antônio Dias e Ricardo Levandowiski acabam de ganhar um companheiro falastrão. Está mais para comentarista de futebol no show do intervalo. Vai falar assim lá na …. óóóhhh!!! O governo do crime organizado está tentando formatar a Corte Suprema de modo a facilitar-lhe as coisas. O sujeito já chega dizendo que o STF tem assunto mais importante a tratar do que o mensalão. Está completamente desorientado. Já chega querendo impor. Nem começou a comer melado, e já se lambuzou todo.

  8. Não há como refutar uma linha do que Carlos Newton escreveu sobre esse tal Barroso.
    O tal, foi só abrir a boca e já mostrou a que veio.
    Todo mundo sabe, ou deveria saber, que em boca fechada não entra mosca. E, nem sai, como saiu da boca de Barroso.

  9. Este jornalista não tem preparo para questões o Min. Roberto Barroso, então vamos s esquecer também o processo desta TRIBUNA UDENISTA! Não teria sido bom se este jornalista comparassem o processo da indenização desta Tribuna com a rápidez do Mensalão-Mentirão? Os jornalistas que não são de esquerda são manipuladores da opinião publica, com rarissimas excessões.

  10. A “teoria” daqueles que têm medo de pensar e entabolar um raciocínio é tanta, que eles mesmos confessam que, assim, vão errar menos, irão proferir menos idiotices.
    Pelo lado da mediocridade, da cabeça oca, indiscutível. No entanto, pobres filósofos, romancistas, escritores, jornalistas, que teriam as suas obras notáveis jogadas ao lixo por esta turma que não lê e nem escreve porque existe o receio de não compreender e de não saber interpretar adequadamente a mensagem contida no texto.
    Portanto, a questão se resume a determinações e normas, frases curtas, que mediante confissão de extrema estupidez, declaram que os Dez Mandamentos e a Constituição Americana bastam como exemplos de síntese!
    Credo!
    Os Mandamentos propiciaram milhões de páginas a respeito e, a Constituição dos Estados Unidos, teria eliminado os Códigos Civil e Penal, a eleição para presidente, os comandantes militares, o Congresso, a Constituição dos Estados, bastando a Corte Suprema a comandar os americanos!
    Na razão inversamente proporcional às frases lacônicas como pressupostos à inteligência (!?), muitas vezes em curto espaço ou em poucas palavras a estultícia é imensurável!

  11. Estou levando fé no novo ministro. Realmente o mensalão só interessa aos meios de comunicação. O povo só sabe pronunciar a palavra, e se perguntado do que se trata, vai simplificar repetindo o que a imprensa inventou. O novo ministro, deve já ter lido que a Visanet, NÃO é do BB, por exemplo. Será por isto que ele vai se transformar em pizzaiolo?

  12. A militância do partido que abriga os bandidos do mensalão não desiste de afirmar que o mensalão não existiu.
    O medo de perder a boca rica é o motivo que alimenta os cúmplices dos mensaleiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *