Novo presidente da Câmara está sendo convencido a anular o impeachment 

Costa pressiona Maranhão a anular os atos de Cunha

Diniz Alexandre Pereira

Em comentário anterior, eu já havia previsto. E agora foi noticiado pelo site de O Globo: o deputado Silvio Costa (PTdoB-Pe), após reunião com Waldir Maranhão nesta sexta-feira, informou que o novo presidente da Câmara dará prosseguimento ao pedido de impeachment de Michel Temer e que analisará também o parecer do ministro José Eduardo Cardozo, da Advocacia-Geral da União, que pede anulação da sessão de 17 de abril, quando foi aprovado o pedido de processo para impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Pelo visto, o deputado Waldir Maranhão parece que sabe muito bem o que quer, não foi à toa que votou contra o impeachment, depois de se reunir com Lula no hotel Royal Tulip. De bobo esse sujeito não tem nada não. Temer que se cuide.

###
PEDIDO DE IMPEACHMENT DE TEMER PODE SER ACEITO

Maria Lima
O Globo

Um dos líderes da tropa de choque contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, na Câmara, o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) anunciou nesta sexta-feira que o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (MA), “jurou de pé junto” em uma conversa com ele honrar a Constituição, dar prosseguimento ao pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer e analisar um parecer do advogado geral da União, José Eduardo Cardozo, no qual lista inconstitucionalidades e pede a anulação da sessão do dia 17 de abril em que foi aprovada a admissibilidade do impeachment da petista.

Maranhão votou contra o impeachment e, segundo Costa, o liberou para comunicar essas decisões à imprensa, o que ele fez em seguida a conversa. O presidente interino não deve aparecer na Câmara nos próximos dias. O líder do PTdoB disse que ele está despachando em casa, “mergulhado”.

— O Waldir Maranhão vai ter que optar se vai ficar com a gente ou com a oposição — disse Costa ao acrescentar: — Depois da nossa conversa eu disse a ele que ia para a imprensa anunciar suas decisões e ele me respondeu: pode ir, não vou afinar.

FORMAR A COMISSÃO

Depois da decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinando que Eduardo Cunha desse prosseguimento ao pedido de impeachment de Temer, o presidente afastado pediu que os líderes fizessem as indicações para a instalação da comissão processante, mas apenas os partidos da base o fizeram. Até agora foram indicados 14 deputados, mas para a comissão ser instalada é necessário pelo menos 33, metade dos 65 titulares.

— Se os líderes não indicarem, Waldir tem a prerrogativa de indicar. Mas lá atrás o Supremo deu uma decisão que não é muito favorável a isso. Cabe a nós recorrer ao Supremo contra essa decisão — disse Silvio Costa.

Ele também criticou a oposição por defender novas eleições para a presidência da Câmara.

— Se Eduardo Cunha não renunciar, e ele já disse que não renuncia, Waldir Maranhão será o presidente da Câmara até fevereiro de 2017 . É um homem correto que vai fazer valer o seu mandato, diferente de Eduardo Cunha. Eu acredito na firmeza de Waldir — disse Silvio Costa.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Silvio Costa é uma das figuras mais deletérias e folclóricas da política nacional. Boquirroto, prepotente e ameaçador, não se pode levar a sério nada do que ele diz. Se o novo presidente da Câmara for na onda dele, não vai ter vida longa no cargo. (C.N.)

9 thoughts on “Novo presidente da Câmara está sendo convencido a anular o impeachment 

  1. Na Época
    —————————————————
    Presidente interino da Câmara é investigado também por desvio em fundo de previdência
    Delator da Operação Miquéias detalhou pagamento de propina em conta bancária da esposa do deputado federal Waldir Maranhão (PP-MA)
    DANIEL HAIDAR

    O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), é acusado por um delator da Operação Miquéias de ter recebido pagamentos de propina para que a Prefeitura de Santa Luzia, no Maranhão, investisse em um fundo de investimento controlado por uma quadrilha de doleiros. O delator chegou a indicar a conta bancária onde foram feitos os pagamentos.

    De acordo com depoimento de Almir Fonseca Bento, que fechou acordo de delação premiada e captava investimentos para a empresa da quadrilha, Maranhão foi a ponte de contato, em 2012, com o então prefeito de Santa Luzia (MA), Márcio Leandro Antezana Rodrigues.

    O delator revelou que estava com o deputado quando conversou com o prefeito de Santa Luzia sobre o investimento feito, um total de R$ 6 milhões, em fundos geridos pela empresa dos doleiros, a Invista Investimentos Inteligentes. “O deputado Waldir Maranhão recebeu R$ 60 mil por esta operação. Que deste total R$ 10 mil foi pago através de transferência bancária da sua conta no banco Itaú“, dia Almir Bento.

    O dinheiro foi depositado na conta da esposa de Maranhão, de acordo com o documento. A transferência bancária foi feita entre dezembro de 2012 e janeiro de 2013. No depoimento, o delator disse que o deputado cobrou o dinheiro para que pudesse pagar uma viagem para passar a virada do ano no Rio de Janeiro.

    As provas contra Maranhão foram enviadas ao Supremo Tribunal Federal em 8 de outubro de 2013 para que ele fosse investigado e acusado por participação no esquema. Em abril, a Procuradoria-Geral da República determinou diligências para apurar a participação dele no caso.

    A Operação Miqueias combateu uma quadrilha chefiada pelo doleiro Fayed Treboulsi, que corrompia prefeitos e gestores de fundos de previdência municipais para que invetissem recursos – guardados para pagar aposentadorias de servidores públicos – em fundos de investimentos geridos pela organização criminosa. Esses investimentos geravam lucros para a quadrilha e prejuízos para os fundos de pensão – e, consequentemente, para os servidores. O deputado Waldir Maranhão mantinha contatos frequentes com o doleiro Fayed pelo telefone.

    Waldir Maranhão também é investigado pela Operação Lava Jato. Segundo o doleiro Alberto Youssef, ele era um dos parlamentares do PP que recebiam pagamento de propina por contratos fechados entre empresas fornecedoras e a Petrobras.

  2. Pois eu já acho que diante dos fatos e acontecimentos, nada mais surpreende, até mesmo este Waldir Maranhão,
    tomar uma medida destas(anular os atos do Cunha), o que pode não surtir o efeito desejado, mas vai dar
    munição para o governo tentar melar o jogo.
    O governo só precisa de um motivo e o presidente interino da câmara pode proporcionar a deixa.
    Esta parecendo que a situação já ha muito saiu dos trilhos, os governista é que são os verdadeiros apostadores no quanto pior, melhor. Não sei como isso vai terminar, porém boa coisa não deve sair destas manobras.
    Se este “maranhão” derrubar todos os atos do Cunha, que Deus tenha piedade de nós, porque
    a situação vai feder a chifre queimado, como o diabo gosta.

  3. Duvido.
    A Casa Grande jamais deixará anular o impitiz , depois de ter gasto milhões, talvez bilhões pelo afastamento da governanta.
    Algumas baixas em seu próprio quintal como o Ratão da Suiça (cunha)., outros mais feridos, mas nada de grave.
    E o impitiz vai correr normalmente………..junto com a corrupção…
    eh!eh!eh.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *