Num país quase sem internet, uma jovem blogueira assusta Fidel e Raul. Sai do país, montam esquema gigantesco para desmoralizá-la. O embaixador de Cuba ameaça e intimida o Brasil, o governo em silêncio.

Helio Fernandes

Yoani Sánchez é a grande sensação da comunicação no mundo. E principalmente no Brasil, onde está no momento. Ela é um produto do equívoco da repressão. Seu blog não era visto por quase ninguém em Cuba.

 Fala, Yoani

A partir da perseguição, das prisões e da impossibilidade de sair de Cuba, virou atração nos mais diversos lugares. Seu blog foi republicado em blogues importantes, transformado em artigos e publicado em jornais de grande tiragem, mostrado em televisões, visto com interesse pelas mais diversas platéias.

Esses países não eram a favor dela nem obrigatoriamente contra Cuba ou Fidel. A comunicação, sejam quais forem as mídias, as tradicionais ou as revolucionárias, vive de audiência. E a projeção de Yoani e do seu blog, disputada nos mais diversos auditórios.

Depois de 6 anos pedindo passaporte, sempre negado, foi surpreendida com a concessão ou autorização para sair. Saiu. Nem ela nem ninguém percebeu que era uma armadilha. Persegui-la ainda mais internamente, não tinha sentido. Era conhecida apenas por alguns participantes e contestadores. Poucos, a maioria está presa.

Era preciso destruí-la de fora para dentro, desmoralizá-la, e divulgar essa desmoralização dentro de Cuba. Assim, quando e se voltasse, não teria nenhuma repercussão. Montaram o plano, prepararam tudo desde que ela pisou pela primeira vez no Brasil.

Começou pelo Recife, a perseguição continuou na Bahia, atingiu o apogeu no Rio e em Brasília, de acordo com o que fora planejado. Tudo orquestrado, as palavras de ordem, “traidora”, “mercenária”, e o gesto (o mesmo em todas as cidades) de jogar moeda e notas pequenas em cima dela.

Por que traidora? Ignorância deliberada. Ela lutava pela independência do seu país, combatia os que estavam no Poder há mais de 50 anos, e só vão deixá-lo pela morte.

Por que mercenária? Os países que republicavam seu blog, fosse onde fosse, passaram a remunerá-la, a coisa mais normal que pode haver. Ninguém trabalha de graça. Além de ditadores, perseguidores e torturadores, também defendem o trabalho escravo? Se isso se transformar em realidade, então voltaremos à escravidão, Cuba foi a última a se libertar.

PERSEGUIÇÃO DITATORIAL E OFICIAL

Podemos até admitir que fossem comunistas individuais, revoltados (?) com a resistência da jovem blogueira. Mas se forem comunistas cubanos, por que não estão no seu país, gozando o maravilhoso sistema do desemprego, da remuneração de 2 dólares por dia, sem direito a protesto ou a reivindicação?

Toda essa suposição acabou, quando o próprio embaixador de Cuba no Brasil mostrou sua participação, determinou a elaboração de um vídeo sobre o passado da blogueira. E audaciosamente mandou entregar a Gilberto Carvalho, Ministro Secretário Geral da Presidência, no Planalto.

Ninguém sabe o que esse vídeo continha, mas é de imaginar. Vindo de um regime autoritário, atrabiliário, é fácil perceber. Não deve conter nada perto da realidade, pela idade ela nem tem passado. Mas teve a coragem de enfrentar ditadores, o preço é o de não ter mais vida, nem profissional, nem pública, nem particular.

CUMPLICIDADE SILENCIOSA DO BRASIL

Gilberto Carvalho, pelo cargo que ocupa, não deveria ter recebido o vídeo. Mas recebeu, um equívoco, deveria ter corrigido, depois de falar com Dona Dilma. O que deveria ter feito? Protestar duramente, principalmente no momento em que o PT “comemora” 10 anos no Poder.

Não fizeram nada, nem sei (não consegui apurar) se Gilberto falou com Dona Dilma. Certamente falou com Lula. Nesses 10 anos de Poder do PT, Gilberto participou de todos. Vai continuar mais 2, e pode continuar mais 4, com ele ou com ela.

E O CHANCELER, PATRIOTA DESDE QUE NASCEU?

Não disse nada, nem uma palavra. Por quê? Essa intervenção de um embaixador estrangeiro não é da alçada do Chanceler? Acontece que o embaixador é Patriota desde que nasceu, mas não goza de nenhum respeito ou consideração do Planalto.

###

PS – O grande vencedor do episódio foi o regime ditatorialista. O Brasil manterá o silêncio, “os amigos são para essas horas”.

PS2 – Raul não tem nem relógio, pessoal ou histórico. Fidel perdeu a contagem do tempo, para ele acabou por volta de 1980. Uma pena, apesar de tudo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *