O balcão de trocas políticas

Gaudêncio Torquato

Um sentimento de mesmice invade a alma nacional. A luta política que se trava na arena do processo sucessório muito antecipado é a teatralização de uma velha guerra que exibe perfis já conhecidos. Para se ter uma ideia, o slogan central das principais pré-candidaturas está centrado na “fazeção”: fazer mais e melhor. Tanto a presidente Dilma Rousseff quanto o governador Eduardo Campos trabalham nessa direção.

O repertório de denúncias começa a ser reaberto, a lembrar, com mais de ano de antecedência, as conhecidas querelas entre o principal partido da situação, o PT, e o principal partido da oposição, o PSDB. Mensalão contra “trensalão”. Ao contrário do que seria de esperar, a sociedade parece esgotada. Não se anima com essa bateria de denúncias recíprocas. Há uma razão para tanto: a repetição cansativa de escândalos embrutece a sensibilidade.

O governo federal enfrenta contrariedade em sua própria base. É reativo, perdeu o comando da ação. A presidente ainda não se convenceu da necessidade de mudar o time que faz articulação política. Os governadores mais se assemelham a dândis na escuridão. Aguardam, com expectativa, as pesquisas para saber se deverão continuar a surfar na onda governista ou preparar o barco para novas travessias.

Já os parlamentares esperam que a presidente mude seu comportamento. Hora de cobrar as emendas para as bases. É bem verdade que o balcão das trocas foi aberto, mas talvez a moeda sonante ainda seja escassa para enfrentar uma semana decisiva: a que vai decidir sobre a derrubada dos vetos presidenciais. Há quatro vetos que podem ser derrubados, o que significaria, neste momento, mais um tsunami de dissabores para a presidente Dilma.

SUCESSÃO

A disputa sucessória antecipada dá o tom. Pré-candidatos correm atrás de apoio dos partidos, inclusive o tucano José Serra, que começa a pôr obstáculos no caminho do correligionário Aécio Neves. Fala-se de tudo e com todos. Mas conceitos e programas ficam a desejar.

As oposições não encontraram rumo. Dilma, apesar da ojeriza que parece conservar sobre a classe política, continua como franca favorita, apesar de se saber que os opositores, hoje, somariam mais de 50% das intenções de voto. Ela teria algo como 40%. Segundo turno na certa. Claro, se a disputa contar com Dilma, Aécio, Serra, Marina e Eduardo Campos. O que será difícil, levando-se em consideração que Lula ainda tem poder de influência sobre o governador pernambucano e Serra poderá recuar e vir a se candidatar a senador pelo PSDB. E não a presidente da República pelo PPS.

Procura-se um bode expiatório para a crise. Tucanos estão sob a mira do PT. Tudo vai depender dos resultados das investigações sobre o “affaire” dos trens. Que se espraia por algumas capitais do país, não se restringindo a São Paulo. Mas o governo federal também é foco das pressões. O fato é que é refém de três ameaças que podem influenciar o processo eleitoral: o baixo crescimento do país, a volta da inflação e o cofre apertado. (transcrito de O Tempo)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

5 thoughts on “O balcão de trocas políticas

  1. Prezado,
    Artigo muito bom.
    O Serra deve colocar na caixola que o tempo dele passou.Teve duas oportunidades para conquistar o Planalto e as desperdiçou. Concorreu para prefeito de SP ,e perdeu para um poste.
    Ele está, isto sim,prejudicando o PSDB.Se quer concorrer mais uma vez à presidência, que vá para outro partido.
    Aliás, se PSDB tiver coragem , lança o Senador Álvaro Dias ao Planalto, pois além de ser competente – comprovou, quando foi Governador do Paraná -,e não existe nada, até agora, que macule sua conduta como político e pessoal.
    Um grande abraço

    PS:.Não tenho partido político, apenas tenho convicção que o Serra desagrega dentro do partido.

  2. Projeto Novo e Alternativo de Nação e de Política-partidária-eleitoral que é bom,e que é o que o povo pede nas ruas,nada (Serra) e nada (Aécio).Neste aspecto, aliás,essa disputa entre Serra e Aécio,é a do nada X nada.Ao que parece,a próxima eleição presidencial está procurando desesperadamente o Fato Novo de Verdade ( HMM-RPL-PNBC-ME),por mais que alguns setores midiáticos estejam fazendo de tudo,até das tripas coração,para tentar enganá-la,cabresteá-la e levá-la para outro lado,porém sem lograr êxito à medida em que a dita cuja,por ora,resiste ao cerco dos mesmos parecendo dizer-lhes:CHEGA DOS MESMOS. E o que difere o HoMeM do Mapa da Mina dos mesmos ? O HoMeM tem o café no bule que o povo está pedindo nas ruas:a RPL-PNBC-ME, ao passo que os mesmos continuam queredo se impor à base do velho palanquismo vazio, do mata-mata eleitoral, do denuncismo e do quanto pior melhor, que perfazem o velho continuismo da mesmice, raso e seco,que é golpe,como disse o Dr. Ayres Brito, ex-presidente do STF.

  3. O CAMINHO DOS RIOS PARA A MORTE

    A MORTE continua fazendo vitimas de RIOS E IGARAPÉS no SUDESTE e em especial em MINAS GERAIS, NORDESTE E SUL do PAÍS. O preço a pagar por incompetência dos falsos entendedores dos problemas AMBIENTAIS DO BRASIL.
    O descaso em efeito dominó é absurdo. O MINEIRO vê os seus RIOS E IGARAPÉS, secando um a um, e sem solução PARA OS GOVERNANTES que não sabem o que é NATUREZA, isso é abuso de poder, mais para aqueles que dependem desse ou aquele RIO para sobreviver tirando deste bem o seu sustento e o de outros BRASILEIROS. AGORA ficou muito difícil, se já era difícil cultivar com águas poluídas, imagine agora sem essa água a quem recorrer.
    SE vocês observarem com paciência, e sem nojo de vê a poluição engrossando aquilo que os mineiros chamavam de água. OS MINEIROS esperam pacientemente por um dos milagres que os políticos falam que vão fazer de dois em dois ANOS, já está se aproximando!
    PARA QUE A TERRA CONTINUE PRODUZINDO VIDAS, para que o CO2 seja retirado da atmosfera e daí a regulamentação dos termos naturais do PLANETA TERRA.
    AOS JOVENS E VELHOS CIENTITAS: O que vocês irão fazer para resfriar o PLANETA, como tornar as águas de RIOS e IGARAPÉS do seu PAÍS, e tornar as FLORESTAS no NORDESTE SERRADO CAATINGA e em todo BRASIL?
    DILMA ROUSSEFF: O seu grupo de sábios está fazendo o que para o MEIO AMBIENTE? SE a necessidade no momento é RIOS E IGARAPÉS FLORESTAS e a ilustre guardiã do nosso rico e suado dinheirinho no valor de 1.6 BILHÕES foi destinado a recuperar CASARÕES e não a maior necessidade do PLANETA.
    DILMA ficou público e notório a sua despedida da política, até por que o seu Governo está contratando trabalho escravo junto ao Governo de Cuba e o Mundo confirma esse ato de bravura do seu Governo para atender o povo PARAENSE, queremos lhes adiantar que a saúde no ESTADO DO PARÁ, é o pior deste PAÍS ESTÁ BOM ASSIM.
    É publico e notório a falta de AGUA EM BELÉM e em todo ESTADO falta AGUÁ em cinco ou dez Bairros todo santo dia, falta dinheiro ou GOVERNO com três mandatos não descobriram essa deficiência a sociedade reclama do LIXÃO DO AURÁ E EM TODO BELEM, as imagens falam por se JATENE OS FONCIONARIOS ESTÃO PREPARANDO UMA NOVA VAIA RECHEADA COM OVOS PODRES.
    RAIO atinge a Basílica de Pedro no dia que o Papa anúncio a renúncia, esse foi um marco DIVINO DO PODER DO PAI, CAI SOBRE ESSE INFERNO QUE É A IGREJA CATÓLICA, O PAPA BENTO XVI MENTIU MAIS UMA VEZ PARA SER VISTO PELOS HOMENS, entre o Catolicismo e a IGREJA DO PODEROSO DEUS DE ABRAÃO existe um abismo muito grande que impede esse grupo de vir para o nosso lado, os falsos profetas ou religioso estão contaminados por diversos malefícios, como gays, lésbicas, pederastas e pedófilos, e o forte desse grupo é pegar as suas filhas e filhos para sexos, e além do mais eles são os maiores distribuidores de ( DST’S ) DO PLANETA.

    O PODEROSO DEUS DE ABRAÃO ESTÁ REUNINDO A SUA IGREJA.
    JOÃO DE DEUS FERREIRA

  4. Pingback: O balcão de trocas políticas | Debates Culturais – Liberdade de Idéias e Opiniões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *