O beijo, num doce momento de amor, na visão poética de Ana Cristina Cesar

Resultado de imagem para ana cristina cesarPaulo Peres
Site Poemas & Canções

A professora, tradutora e poeta carioca Ana Cristina Cruz Cesar (1952-1983) é considerada um dos principais nomes da geração mimeógrafo (ou poesia marginal) da década de 1970. Para ela “Nada Disfarça o Apuro do Amor”.

NADA DISFARÇA O APURO DO AMOR
Ana Cristina Cesar

Um carro em ré. Memória de água em movimento. Beijo.
Gosto particular da tua boca. Último trem subindo ao céu.
Aguço o ouvido.
Os aparelhos que só fazem som ocupam o lugar
clandestino da felicidade.
Preciso me atar ao velame com as próprias mãos.
Singrar.
Daqui ao fundo do horto florestal ouço coisas que
nunca ouvi, pássaros que gemem.

One thought on “O beijo, num doce momento de amor, na visão poética de Ana Cristina Cesar

  1. TRIBUTO – Marcelo Yuka – Marcelo Fontes do Nascimento Viana de Santa Ana
    (Rio de Janeiro, 31 de dezembro de 1965 — Rio de Janeiro, 18 de janeiro de 2019)

    “A minha alma tá armada
    E apontada para a cara
    Do sossego
    Pois paz sem voz
    Paz sem voz
    Não é paz é medo

    As vezes eu falo com a vida
    As vezes é ela quem diz
    Qual a paz que eu não quero
    Conservar para tentar ser feliz

    As grades do condomínio
    São para trazer proteção
    Mas também trazem a dúvida
    Se é você que está nessa prisão
    Me abrace e me dê um beijo
    Faça um filho comigo
    Mas não me deixe sentar
    Na poltrona no dia de domingo, domingo

    Procurando novas drogas
    De aluguel nesse vídeo
    Coagido é pela paz
    Que eu não quero
    Seguir admitindo

    É pela paz que eu não quero, seguir
    É pela paz que eu não quero, seguir
    É pela paz que eu não quero, seguir
    Admitindo”

    O RAPPA

Deixe uma resposta para AndreBR Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *