O Brasil precisa lembrar que deve muito a um homem chamado Sérgio Moro

Um novo capítulo da VazaJato: Moro mandava buscar e apreender sem ...

Charge do Paixão (Gazeta do Povo)

José Antonio Perez Jr.

A meu ver, a Procuradoria do Tribunal de Contas da União está criando tempestade em copo d’água com o ex-ministro Sérgio Moro. Para começar, ele poderia ser colaborador e nada receber por tais artigos no site O Antagonista. Caso esteja recebendo, duvido que seja valor relevante, já que ninguém está ganhando muita grana para escrever hoje em dia. Ninguém mais assina nada e ninguém mais anuncia hoje em dia por diversos motivos. Os jornais e revistas estão quebrando! Vivem de contratos com governos ou megaempresas.

O principal, para mim, é que, para servir ao país, Moro abriu mão de um salário de juiz federal (teto da remuneração) que receberia até o último dia da vida e ainda passaria a pensão para mulher, e foi ludibriado por um lunático que o colocou nessa situação.

DEVEMOS MUITO A ELE – O país deve muito a Sérgio Moro. Muito, mesmo! Deveríamos nos solidarizar com ele e não atacá-lo por tão pouco. Moro teve que se humilhar perante os marginais do Centrão para tentar aprovar o pacote anticorrupção, que foi desfigurado por canalhas inimigos do povo.

Fizeram chacota dele! Para tentar diminuí-lo, o “Botafogo” da lista de propinas da Odebrecht teve a ousadia de declarar à imprensa que, se quisesse conversar sobre o tal pacote, iria procurar o chefe dele…

Quanto mais batem em Moro, mais ele se agiganta! Defeitos todos temos. Ninguém é perfeito, nem o Moro. Mas é reconhecido mundialmente que ele tem muitas qualidades. Peitou o corrupto Lula, que tinha 86% de popularidade. Foi até o final e o canalha não está preso até hoje por conta do despreparado Toffoli e daqueles determinados ministros que compõem a maioria do Supremo.

SERÁ SEMPRE VITORIOSO – Moro poderia ter sido eleito o que quisesse em 2018. Qualquer cargo, inclusive presidente da República. Seria o antiLula ideal.

Será vitorioso também quando estiver advogando, ganhará milhões, se quiser. Estudou, dedicou-se. Tem competência, é famoso, tem nome e um parecer dele valerá muito dinheiro. Sobre qualquer assunto jurídico!

Se receber algo para escrever artigos, certamente é “dinheiro de pinga” para um sujeito do nível dele, que faz parte da lista da revista Time como um dos 100 maiores líderes do planeta.

###
É PRECISO DISTINGUIR O CERTO DO ERRADO
Antonio Fallavena

Só uma sociedade canalha, pessoas de má fé e/ou sem nexo algum, podem deduzir sobre Moro o que alguns têm dito: traidor, bandido e outras coisinhas. Os da esquerda que o criticam, vá lá. Foi ele que mandou Luladrão para a cadeia. Mas aqueles que o amavam, ou diziam respeitá-lo, e nos dois últimos meses o tratam como se traidor fosse, esses não merecem respeito mas somente desprezo – são pessoas que não raciocinam, não conseguem distinguir o certo do errado.

Se existe um traidor, certamente é Bolsonaro! E não traiu apenas Moro, quando “revogou” a própria palavra dada. No mesmo momento, ele também traiu uma grande parcela dos que o elegeram!

Assim, aqueles que desejam idolatrar e bajular Bolsonaro, fiquem a vontade. No entanto, garanto-lhes, por tudo que tenho visto e ouvido: muitos, mas muitos mesmos só votarão em Bolsonaro se for contra o PT…

EXISTEM ALTERNATIVAS – A parcela de brasileiros que deseja construir um país de verdade já está trabalhando com alguns nomes para levar nosso país ao futuro que merece.

Atingido o primeiro e fundamental objetivo – tirar o PT e os esquerdópolos do governo, agora precisamos nos preparar para a segunda fase: a escolha de um presidente/administrador que defenderá as propostas que a maioria do povo também defende.

Tomara estejamos aqui para assistir e viver os próximos anos.

31 thoughts on “O Brasil precisa lembrar que deve muito a um homem chamado Sérgio Moro

  1. Não foi o Moro que criou o refrão “faça o certo sempre”? Não é ele que coloca a biografia em primeiro lugar? Então não importa se ele pode ganhar muito dinheiro escrevendo para a Globo ou em outras atividades. A questão, segundo ele mesmo é: receber o salário de ministro sem ser ministro é certo ou não?

    • Ricardo Araujo
      Torcer e retorcer a verdade só é possível não entendendo ou por interesses escudos!
      Ele, por dever de vida, lembrou que abriu mão da caminhada de trabalho para ajudar. Por que isto? Para lembrar os “”sem memória.
      Biografia só dá valor quem a tem! A maioria não tem nada ou tem de escondê-la!
      Eu no lugar dele, teria ido muito mais fundo, muito mais amplo e muito mais na veia! Bolsonaro mereceu o que ele fez!
      O Brasil deveria agradecer quem fala a verdade! Mas quem não a cultiva e não a conhece, não poda enxergá-la!
      Fallavena

  2. “A quarentena pode ser mitigada pela Comissão de Ética Pública, que pode autorizar determinadas atividades. Segundo o MP, Moro foi autorizado pela Comissão de Ética da Presidência da República a exercer atividades docentes e a escrever artigos em veículos de comunicação.” (Conjur)

    Sérgio Moro pediu autorização ao Conselho e este concedeu.

    Fez a coisa certa, ou seja, se fosse negado o pedido e mesmo assim ele escrevesse para jornais ou desse aula, aí sim, estaria fazendo a coisa errada.

    Forcem menos a barra.

    • Sebastião Barros
      A verdade é inconfundível!
      Ou por não saberem ler, por interesses escusos e próprios ou por ignorância, muitos continuam fugindo dela!
      Quem anda, não perde a razão!
      Fallavena

      • Georg e Sebastião
        Já atiramos muito, já erramos muito e nosso país está perdendo tempo, enquanto o povo brasileiro perde o presente e o fututor!
        Se for Moro ou outro, terá de fazer o que projetarmos como objectivos.
        Nada de “líder”. O Brasil precisa de administração!
        ABraço
        Fallavena

  3. O texto mostra dois grandes males brasileiros a assombração de lado e espectros de salvadores da Pátria. Não será, de novo, esse o caminho.

    • Correto!
      Se for Moro ou outro, terá de fazer o que projetarmos como objectivos.
      Nada de “líder”. O Brasil precisa de administração!
      Abraço
      Fallavena

  4. Se ele tivesse saído aplaudindo o governo seria um Silvério dos Reis, mas como saiu dando pedrada virou o Tiradentes.
    Haja pirueta gramatical para dourar ou sujar a pílula.
    Se for amigo ganha um jantar de lagosta ao termidor, se for um inimigo um rato* morto dentro da sopa.
    * O rato poder substituído por um morcego chines.

  5. Ter ou não ter opinião… ou “opiniães”, para lembrar JGR.

    Ter opinião e externá-la, à despeito de quem intenta calar quem pense por si, mas principalmente, pense diferente.

    Creio que quem elege alguém como modelo de virtude está a um passo de abdicar da isenção de análise crítica.

    Homens e mulheres são pessoas. Pessoas são portadoras de Luz e sombras. Se porém se deixam conduzir pelas sombras existentes em si mesmas…

    Com exceções de praxe, não acredito em “almas puras” nesse plano de existência. Na política então?!, de modo algum.

    Isso posto para reafirmar o que qualquer pessoa medianamente esclarecida sempre soube:

    o atual presidente não se tornou essa figura execrável da noite para o dia. Há mais de 30 anos É COITEIRO DE MILICIANOS. Todo miliciano – pelas leis brasileiras e maioria do ordenamento jurídico internacional -, todo miliciano É CRIMINOSO!

    Excetuados os ignorantes no sentido de “não saber”, quem votou ou hipotecou ou hipoteca apóio ao atual presidente tinha/tem consciência de ter votado num criminoso. Levando-se em conta a perversidade dos criminosos milicianos cariocas, notadamente os ligados ao Escritório do Crime, ante-sala dos gabinetes da familícia bolsonarista, seus votantes, talvez bem mais que a desculpa alegada da falta de “melhor” opção – votaram por IDENTIFICAÇÃO.

    Por tudo que elenquei, à exemplo dos que até ontem eram “Cunha, acima de tudo”, ao se aproxinarem política ou ideologicamente desse desgoverno – representam tudo que há de mais trevoso ao longo da caminhada da Humanidade.

    Todo e qualquer integrante de primeiro escalão de um governo encabeçado pela estatura (a)moral do pigmeu coiteiro de milicianos, moralmente é menor ainda que seu chefe ou ex-chefe. É o caso do ex-juiz Moro: ex-lacaio do presidente-miliciano.

    Batista Filho

  6. O Brasil teve muitas manchetes e a grande mídia lucrou muito com os vazamentos seletivos – nunca investigados e punidos seus agentes. Na contramão de princípios como da eficiência.
    A superexposição resultou em penas que transcenderam a pessoa (que responde) atingindo a família e os trabalhadores. Empresas entraram em recuperação judicial e faliram (quando não faliram de uma vez) mudando completamente o desenho dos mercado.
    Ainda assim, Delatores saíram dos processos preservando parte do patrimônio.
    Aqueles que devolveram recursos desviados, não representava em valores corrigidos nem receberam multas milionárias (alguns puderam parcelar por 10, 20 anos as multas), e assim mantiveram a boa vida.

    Portanto, ao contrário do que se vê no instituto delação premiada norte-americano – onde Delatores chegam a perder todo patrimônio, voltam para bairros de classe média, quando não voltam morar com os pais – no Brasil, é um bom negócio participar que esquemas de corrupção e desvios de recursos.
    Tanto que esquemas de corrupção continuam aos montes.

    • Leão da Montanha
      Quando vamos parar de comparações sem nexo?
      Os americanos tem um país, pelo menos, a 200 anos! O nosso ainda está tentando gatinhar!
      As instituições, a sociedade, o cidadão, os políticos americanos tem outra cultura, formação, educação e história.
      São dois países totalmente diferentes, até na forma de eleger seus representantes!
      É preciso que, entendo o “espírito do brasileiro” e “enquadrá-lo” para que possa crescer, ter responsabilidade e saber como as coisas são!
      Ou vamos entrar o próximo século, com um país pior do que atual!
      A lava-jato tem de ser a primeira de muitas ações! A próxima será melhor, se quisermos!
      Fallavena

      • Fallavena, boa tarde meu caro!
        Eu concordo que devemos construir melhor nossa própria identidade, sendo dispensável fazer comparação com países cuja formação e consolidação das instituições, a História é testemunha.
        A nossa, como disse, engatinha.

        Mas se assim for, deveríamos abolir tudo o que é copiado, como as agências reguladoras e própria delação, forma de consumo, organização do trabalho e etc?

        Uma coisa você citou e que uma vez mais insisto que deva ser o caminho: a educação.

  7. Se diz que, se só tem no Brasil e não é jabuticaba, só pode ser besteira ou absurdo. Este nosso país, sem dúvida, tem um extenso pomar de jabuticabas factuais e acho que seria interessante, aqui na TI, para relaxar e apaziguar os ânimos no meio das escaramuças, fazer uma coletânea das frutinhas mais significativas. Com licença dos companheiros, permito-me começar com algumas mais conhecidas.
    – Uma Corte Constitucional com atribuições de Tribunal Federal de Recursos e de Primeira Instância para parlamentares e mandatários federais até para crimes comuns.
    – Uma Via Recursal Judiciária que pode chegar até quatro instâncias, com suspensão de pena até a última, procedimento que só os muito ricos ou poderosos podem alcançar, garantindo assim uma segura imunidade com a ajuda do decurso de prazo e da elite milionária dos advogados, por acaso amigos dos ministros.
    – Ministros de Tribunal Supremo, o único com competência para julgar o Presidente da República, indicados discricionariamente por esse mesmo presidente entre os bacharéis de direito amigos ou conhecidos.
    – Um Ministério da Saúde dirigido por um general intendente em plena pandemia mundial.
    – Um tenente do Exército, dispensado por indisciplina e suspeita de conspiração, Comandante Supremo das Forças Armadas.
    Acho que por hoje tá bom, aguardamos contribuições.

    • F.Moreno
      Teu comentário ´da uma ideia do que somos!
      Mas amigo, acredite, tudo começa com o povo, com cada cidadão.
      Já tentou falar com um motorista que estaciona seu veículo sobre as calçadas, dificultando o pedestre, de qualquer idade, de chegar onde deseja?
      Estou, e continuarei, escrevendo pequenas história mostrando o que é a corrupção em nosso país!
      Para mudar algumas coisinhas, será uma guerra. O que dizer dos “donos do poder”?
      Fallavena

  8. Bom dia.
    Parabéns ao Autor pelo texto. Perfeito!
    Assino embaixo e espero que a maioria dos eleitores brasileiros que, de fato, querem o bem do país, de suas famílias, leiam este texto ou estejam sincronizados com esses ideais.
    O país já sofreu bastante nas mãos dessa escória política hedionda. Está na hora do brasileiro fazer o melhor pelo seu país e por si mesmo.

    • Antonio Gonçalves
      Brasileiros como voce é que podem mudar o destino do país e do povo!
      São pessoas que enxergam, compreendem e estão dispostos a participar, contribuir com ideias e ações.
      O CN sabe a dedicação que temos para abrir “cabeças” com conhecimento, cobranças, mostrando que temos de enfrentar os problemas com sugestões definitivas.
      Tomara possas e desejes se juntar a nós!
      O Brasil precisa dos seus melhores e mais dedicados filhos!
      ABraço farterno.
      Fallavena

  9. Fallavena, volto a aplaudir sua colocação a respeito do Dr. Moro, coincidente totalmente com a minha concepção do caso, e volto a afirmar, quem o critica sem ser bandido condenado por ele, é despeitado, invejoso, fracassado e desprezível e não merecem nossa atenção. Agora, quanto a uma futura eleição dele ou de um outro com qualidades de estadista, acho melhor esquecer. Ponham na cabeça que dentro de nossa estrutura eleitoral, presidência é coisa para showman, inescrupuloso, amoral, falso e mentiroso, pois são essas as qualidades indispensáveis para vencer a maratona da campanha e arregimentar os apoios e votos suficientes. Um momem sério, culto o suficiente para visualizar e equalizar os problemas nacionais e ainda com uma visão geopolítica aguda para conduzir o país globalmente, em fim, um estadista, com certeza não terá aquelas outras características.

    • F.Moreno
      Você acredita naquilo que defende? Acredita que temos de mudar e melhorar? Acredita que será difícil? Está no caminho certo, amigo!
      As vezes, várias vezes, amigos e colegas e parentes, dizem que sou muito duro (de grana também), muito incisivo e cobrador de ações e que assim afasto alguns.
      É correto isto. Quando me questiono, digo-lhes que “se entendesse haver outra forma, eu já teria adotada!”
      Se a causa é boa, justa e necessária, para vingar ela precisa de pessoas que acreditem e tenham caráter, ética e moral para defendê-la!
      Para isto é preciso enfentamentos, de frente e com energia!
      temos de mostrar e desafiar as pessoas a abrir suas consciências. Se não as tem, que vão assumir a responsabilidades e suas más escolhas! Como ouvi muito quando criança, “é a dor que ensina a gemer”! Só sabe o que é queimadura aquele que, um dia,experimentou o quanto doí e arde.
      Sem isto, continuaremos a ensinar a ser esperto, a esperar as coisas prontas e ainda terá o título de “cidadão” para garantir-lhe o direito de reclamar e exigir!
      Ser pobre é circunstancial. Querer ser por toda a vida é opção!
      Abraço amigo.
      Fallavena

      • Fallavena, aqui, neste pequeno núcleo de comentaristas do blog, eu vejo um excelente potencial de pessoas com essas virtudes que você aponta.
        Também é certo que há algum joio, mas não é de tudo negativo, pois o confronto com a crítica e agressões é positivo para aguerrir argumentos e ideais. Nos nesse pequeno núcleo temos mais força do que se possa imaginar, somos nos comentaristas, são vocês articulistas, é a figura do editor Carlos Newton, profissional superexperiente e respeitado, e em volta dessa célula, as ramificações de familiares, amigos e contatos das redes, o tema a difundir não seria controverso por enquanto, só a divulgação de uma ideia e a propagação de uma onda. A reforma do sistema político e judiciário a partir uma nova constituição. Parece difícil, mas uma grande jornada começa com um primeiro passo. Vamos lá, sonhar é possível.

  10. Assim, aqueles que desejam idolatrar e bajular Bolsonaro, fiquem a vontade. No entanto, garanto-lhes, por tudo que tenho visto e ouvido: muitos, mas muitos mesmos só votarão em Bolsonaro se for contra o PT…

    Errado! Se essa hipótese se repetir em 2022, já sei o que fazer: Anulo o meu voto e preparo passaporte e vistos para cair fora!

  11. O texto é honesto e verdadeiro. Análise muito bem feita.

    Parabenizo o autor e também ao Antônio Fallavena pelo aditivo e diversos comentários elucidativos.

    Também tenho juízo formado que “, para servir ao país, Moro abriu mão de um salário de juiz federal (teto da remuneração) que receberia até o último dia da vida e ainda passaria a pensão para mulher, e foi ludibriado por um lunático que o colocou nessa situação” – palavras do autor do texto que, com o devido respeito e admiração, as adoto.

    Agravando a situação, há uma sequência de atos de Bolsonaro profundamente lamentáveis, que se contrapõem ao que prometeu durante a campanha eleitoral, notadamente, no combate a corrupção.

  12. Ah , não me venha com essa !

    Moro como juiz foi muito bem , mas como ministro deixou a desejar e muito , ou esqueceram que nada fez para conter as prisões ilegais feitas por governadores e prefeitos .

    Moro deixou de ser juiz porque quis , foi ele que se ofereceu …

    E tem outra coisa , não existe juiz ingenuo !!

    Com certeza ele foi estrategista , só que o plano não teve o resultado que ele pensou ..

    Porque digo isso : como o plano da saída não surtiu o feito desejado , tentou pedir a filmagem da reunião , mas de novo não deu certo, porque o celso atendeu , era pra ser negado …

    E ficar na mídia a duvida, e seria o candidato a presidente, passando a imagem de ser o maior patriota do Brasil …Não deu !!

  13. Tirante a história dos 86% de popularidade (enorme bobagem inventada por parte da imprensa e de seus institutos, digamos, de pesquisa), concordo com o articulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *