O caso exemplar do jatinho que foi negado à então ministra Dilma, toda-poderosa chefe da Casa Civil

Carlos Newton

Já contei aqui esse caso, acontecido no aeroporto de Brasília há alguns anos, mas vale a pena relembrar, em função da celeuma sobre o uso abusivo de jatinhos da FAB por autoridades dos três Podres Poderes (royalties para Caetano Veloso).

Na época, Dilma Rousseff era chefe da Casa Civil do governo Lula e julgava ter mais poderes do que tinha na realidade. Dirigiu-se à área militar do aeroporto da capital e pediu que fosse liberado um jatinho da FAB para conduzi-la. Como não havia autorização prévia, o oficial da Aeronáutica responsável pela base aérea foi chamado e explicou-lhe que não poderia liberar o avião, porque o voo dela não constava da programação do dia.

Dilma Rousseff não aceitou a negativa e insistiu com o oficial:

– “O senhor não está entendendo. Eu sou Chefe da Casa Civil da Presidência e tenho direito de usar o avião”.

– “Eu sei que a senhora é chefe da Casa Civil, mas só posso liberar o aparelho para voo se houver autorização prévia do comando, e isso não aconteceu”.

Furiosa, Dilma Rousseff então ameaçou o oficial: – “O senhor verá o que vai lhe acontecer”. Virou as costas e foi embora.

O oficial registrou o incidente em seu relatório e no dia seguinte foi convocado pelo comandante da base militar de Brasília. Apresentou-se ao seu superior, que lhe disse simplesmente o seguinte:

– “A Aeronáutica tem orgulho de contar com oficiais como o senhor”.

Conclusão: se alguém pensa que a presidente da República pretende limitar uso de jatinhos pelas autoridades, com toda a certeza vai se decepcionar.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “O caso exemplar do jatinho que foi negado à então ministra Dilma, toda-poderosa chefe da Casa Civil

  1. Que venha médicos ‘Estrangeiros’ trabalharem aqui no Brasil, se a demanda está pressionando a oferta de modo que aumente o valor da mão de obra é interessante que importem para que o valor do custo da mão de obra não seja pressionado pela inflação.

    Mas por que médicos Cubanos? Médicos Cubanos, já estão alojados em unidades das Forças Armadas, em quarteis da Vila Militar no Rio de Janeiro e em diversos Quarteis no Brasil, fica meio estranho médicos Cubanos alojados dentro de instalações militares onde há múltipla informações de segurança Nacional, qual a intenção de se alojar estrangeiro dentro de instalações militares, será alguma diretriz do Foro de São Paulo em forma de espionagem, ou só São Trabalhadores procurando um meio de Vida melhor?

    Quartel não é albergue, muito menos para médicos Civis, quais as informações que alguns espiões pode colher de quarteis Brasileiros que possam ser aproveitado por Brasilia, Cuba ou até mesmo Foro de São Paulo, quantidade de armas, efetivo, capacidade combativa, se há alguma insatisfação com governo, organização de motim dentro da tropa. Por que alojado dentro de instalações militares??

  2. Pingback: O dia que a Dilma se deu mal! | Debates Culturais – Liberdade de Idéias e Opiniões

  3. Se realmente aconteceu, foi por completa ignorância dela sobre regras básicas ou resquício do velho hábito do “sabe com quem está falando?”. E deu um mal exemplo como gestora. É como se um diretor de banco chegasse numa agência bancária PESSOALMENTE fora do horário e mandasse abrir as portas na marra e convocasse um caixa para servi-lo. Em toda organização grande, seja pública ou privada, há uma cadeia de comando. Do contrário, é querer transformar aí a Zona Aérea numa zona pejorativa. No caso específico, embora não seja servidor público civil ou militar, creio que tal requisição, em se tratando do poder executivo, se faz através do Gabinete Institucional da Presidência ou órgão atual que esteja em contato com o oficial comandante da FAB encarregado desse serviço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *