O comunismo, esse insepulto

Percival Puggina

Um leitor recomendou-me comentar o artigo de Leonardo Boff publicado no JB de 25 de agosto com o título de “O socialismo não foi ao limbo”. É o que faço aqui. O artigo de Boff, resenhado, fica assim:

1) caiu o Muro de Berlim, muro do socialismo existente, que se reconhece violador de direitos humanos, autoritário, etc; 2) caiu, também, o muro de Wall Street e se deslegitimaram o neoliberalismo e o capitalismo; 3) o capitalismo centralizaria uma riqueza imensa em 737 grupos econômico-financeiros enquanto 85 pessoas acumulariam recursos equivalentes aos ganhos de 3,5 bilhões de pobres; 4) é necessário recuperar a experiência das reduções jesuítas e o comunismo da república comunista cristã dos guaranis; 5) o socialismo é tudo de bom; 6) o capitalismo é tudo de ruim e seus efeitos na sociedade são terríveis; 7) a única saída é acabar com a propriedade privada e instituir a propriedade social dos meios de produção, acautelando-se para que os indivíduos adiram a esse projeto de modo consciente e queiram viver as novas relações.

***

Quero ater-me, aqui, às acusações que Leonardo Boff faz às economias livres. É como se do exílio do povo hebreu no Egito às investidas do Estado Islâmico, raros fossem os males da humanidade não derivados do neoliberalismo e do capitalismo. Ora, se a história andasse como ele a descreve, viveríamos sob inimaginável convulsão social, na guerra de todos contra todos (o armagedon que ele prenuncia), com uma queda de Bastilha por semana.

Diferentemente do que acontece com os socialismos e com o comunismo, as liberdades econômicas não tiveram um fundador, não tiveram um Marx na potência -1 para concebê-las. Ninguém apareceu na humanidade para excitar, na mente da plebe, legítimos anseios de realização pessoal por meios próprios. Ninguém preconizou: “Monta tua empresa, cria teu negócio, põe tua criatividade em ação, persegue teus ideais!”. Tais bens da civilização foram conquistas dos indivíduos, no mundo dos fatos, na ordem da natureza, e têm sido o cada vez mais eficiente motor do progresso econômico e social.

INDUZIMENTO

Enquanto lê “O socialismo não foi ao limbo”, o leitor vai sendo induzido a crer que a miséria de tantos, no mundo de hoje, é produto ou subproduto inevitável da economia de empresa. Portanto, os miseráveis da África e da Ásia eram seres humanos que viviam na abundância, na mesa farta e na prodigalidade dos frutos da natureza até que o famigerado capitalismo aparecesse para desgraçar suas vidas.

O fato de que nas regiões do mundo onde se perenizam as situações que Boff descreve não exista uma economia livre, não haja empresas, nem empregos, parece passar ao largo das considerações do ex-frei. Vale o mesmo para a inoperância, nessas regiões, do braço do Estado, que o comunismo apresenta como sempre benevolente.

Cinco realidades vazam para a valeta lateral da pista por onde ele anda com sua análise dos sistemas econômicos. São fatos esféricos:

1) a fome era endêmica na Europa até meados do século passado e foi a economia de mercado que criou, ali, a prosperidade;

2) sempre que os meios de produção viraram propriedade do Estado a fome grassou mesmo entre os que plantavam;

3) enquanto as experiências coletivistas conseguiram, como obra máxima, nivelar a todos na miséria, a China, com o capitalismo mais rude de que se tem notícia, em poucas décadas, resgatou da pobreza extrema mais de 500 milhões de seres humanos (Word Bank, China Overview, apr/2014);

4) não é diferente a situação no Leste da Ásia, inclusive no Vietnã reunificado e comunista, no Camboja do Khmer-Vermelho, no Laos e na Tailândia;

5) quem viaja pelo Leste Europeu sabe quanto as coisas melhoraram por lá desde que as economias daqueles países, infelicitados pelo dogmatismo comunista, se libertaram do tacão soviético.

A história mostra, enfim, que o comunismo é imbatível quando se trata de gerar escassez, miséria e aviltamento da dignidade humana. A nossa Ibero-América, onde as prescrições políticas e econômicas do Foro de São Paulo ditam regras para muitos países, parece nada aprender das constatações acima. Consequentemente, as coisas andam mal e é preciso botar a culpa em qualquer um que não nos vendedores de ilusões, nas utopias que se requebram como odaliscas, nos delírios do neocomunismo, nos corruptos e nos corruptores. Decreta-se, então, para todos os males, a responsabilidade da economia de empresa, do capitalismo e, sim, claro, dos Estados Unidos.

29 thoughts on “O comunismo, esse insepulto

  1. Com a mente, os humanos hoje relutam em aceitar a realidade dura da natureza. Antes da mente, como os outros animais a vivia simplesmente. Sem dramas.
    Depois da mente, incorporou-se ao processo natural dos fatos do cérebro a imaginação e a memória seletiva. Com isto aparecem os desejos e, o maior deles é revogar as leis da natureza, na tentativa de tornar a vida neste planeta um paraíso. Com esta ilusão – ou utopia – surgem religiões ou ideologias, que são sistemas a que o humano deva se submeter para alcançá-lo.
    E aí estão elas, os ismos da vida e, religiões ou ideologias, a mais nefasta tem o nome de socialismo, mas que encanta os fracos e fazem a festa dos espertos. Ela, quando se torna poder político cria regras e mais regras, impostos, etc, acabando por inibir a produção. Esta sim, um fato concreto que pode melhorar alguma coisa no campo material para as pessoas e que acontece nos países que estão aí com melhor qualidade de vida para os cidadãos como Canadá, Coreia do Sul, Australia, EUA, Japão.

    Ps. Para boff bom é Cuba, em que ele chama seu ditador de “meu comandante”. Só pode ser doente mental.

  2. Prezado MJV concordo com suas reflexões sobre a “mente”, mas qdo vc afirma “a mais nefasta tem o nome de socialismo” deixa de ser reflexão e é uma opinião pessoal de sua “mente” escolhendo/preferindo algo… como se as outras religiões/ideologias fossem boazinhas… em nome Deus e da Democracia tem se matado/oprimido/torturado muito… lembrando de Krisnahmurti, pensador indiano… a “mente” que se quer livre/soberana/independente “desconfia” de suas preferências e questiona-as… viva o vazio do Zen (confesso… é uma preferência minha).

    • Caro Antonio Rocha, não é preferência não, é fato. A prática sempre provou que o socialismo não funciona e só resulta em miséria e mortes (muito mais que qualquer conflito religioso já registrado, mesmo comparado a inquisição, sem contar que está última durou quase 400 anos e ocorreu séculos atrás. Já o socialismo é bem mais recente e por isso mais nefasto).

    • Em nome das religiões foram cometidos grandes crimes, assassinatos, guerras santas em todas as épocas. As Cruzadas e a Inquisição, bem como a Guera dos Cem Anos são alguns exemplos. ssCom o pretexto de implantar democracia foram invadidos países, milhões foram mortos e feridos.A liberdade não foi alcançada. Surgiram os atos terroristas apavorando por todo o mundo e causando a morte de milhares de inocentes.Com o que é gasto em armamentos e com as guerras já teria tido fim a miséria e a fome no mundo.

  3. Excelente artigo do Jornalista Sr. PERCIVAL PUGGINA. Não há o que acrescentar, a não ser lembrar que as ECONOMIAS de MERCADOS via LIVRE EMPRESAS (CAPITALISMO), apresentam 2 graves defeitos: Não garantem PLENO EMPREGO e distribuem MAL A RENDA, necessitando para dar seus melhores frutos, SER BEM REGULADA. E nada melhor para REGULÁ-LA, ( a Economia de Mercados ), do que o “Bicho-Papão do COMUNISMO” ameaçando EXPROPIAR os Bens Privados, das Economias MAL REGULADAS.

  4. Prezado Rocha, realmente vc tem razão quanto ser minha opinião no caso do socialismo, mas os fatos mostram claramente que, quando governos o adotam, a produção cai, pois no socialismo estão embutidos dezenas de regras que o tornam incompatível com ela. Sem elas, regras, não seria socialismo, como cobrar impostos absurdos, insegurança jurídica da propriedade privada, burocracia dificultando toda inciativa de se criar empresas, etc, etc, etc.

    Como disse Puggina lá em cima; foi só a China liberar geral para a iniciativa privada, que ela se transformou no que vemos agora.

    Enfim, um governo deve balizar suas ações pelos fatos e estes são claros e não por ideologias. Exemplos não faltam de países que procederam assim e se deram bem.

    Um fato fundamental desses aqui no Brasil é tal educação de qualidade. A científica que o governo não faz nada para implantar. Um outro é infra-estrutura e saneamento básico.
    E por aí vamos nós rumo a mais atraso com esse tal socialismo, como a Venezuela, Argentina e Cuba. Com o PT, claro.

  5. Gostei do texto de Percival Puggina, e mais ainda dos comentários feitos pelos leitores, até agora, com merecido destaque aos feitos pelo senhor Mauro Júlio Vieira.
    O que ficou dito por eles, na minha modesta opinião, reflete exatamente a realidade do socialismo-comunismo que sempre foi ótimo para o seu comissariado, mas revoltante, injusto e mentiroso para os que na ideologia fazem fé, e mais na frente, sob o jugo de uma realidade covarde e policialesca, se dão conta da traição a seu pensamento, da ilusão que ficou obrigado a aceitar e conviver. A história está cheia de exemplos, só acredita quem quer…
    Caso que não é do povo de Hong Kong que já está nas ruas, exigindo, confrontando a China pelo direito democrático de escolher seus mandatários…

  6. Interessante o capitalismo brasileiro:
    Volkswagen do Brasil; Siemens Brasil; Alcoa Brasil; Alstom Brasil; Ford Brasil; Toyota do Brasil; Cargill Brazil; Monsanto do Brasil; Vale no Brasil; Santander Brasil; City Bank Brasil, Telefônica Brasil S/A, etc, etc etc. Outras, mais escondidas, Embratel, Elektro etc.
    Não preciso me estender.
    Se me fizer entender, já estará bom demais…

    Pois bem, lendo estas poucas linhas acima vemos que pelo andar da carruagem, porque disto o Brasil profundo não passou mesmo, muito em breve não existirá mais este país, como País. Haverá, apenas, braços, sorvedouros, tentáculos do capitalismo global atuando por aqui, como se depreende com facilidade.
    Para termos esta certeza, basta imaginarmos os fluxos monetários destas empresas “do Brasil”.

    Interessante, ao final, constatar como isto é sempre babaqueado pelos mesmos de sempre. E sempre.
    Falam como se houvessem descoberto a verdade absoluta…
    Não há, na História deste País, a mais mínima possibilidade de estarem errados.

    Mas vemos que só estão ainda de pé, porque só mentem e enganam, como sempre.
    Sempre assim, os apologistas locais das empresas transnacionais e da ideologia capitalista externa, descaradamente, sempre mentem. Sempre.

    Vão fazer daqui um belo inferninho (em qualquer sentido…) capitalista.
    E danem-se os prejudicados.
    Que pena.

    Em dois minutos após este meu post e bem no estilo destes vendilhões, já haverá quem me responda que eu estou errado, eu que vá para Cuba, e que não existem prejudicados, mas tão somente alguns danos colaterais…
    Vamos conferir, quem sabe, evoluíram um milímetro…

    Provérbio oriental, de esperança: toda caminhada começa com um primeiro passo.
    Adaptado, numa eventual evolução dos lacaios locais, mas com grande esperança também: Toda caminhada, no Brasil, começa com um primeiro milímetro…

    • Todas empresas aqui no Brasil, para existirem, pagam caro para o estado, que nunca foi capitalista de verdade.
      Pega-se a nossa legislação para se implantar uma empresa, a burocracia e os impostos e se verá o porque de tudo aqui custar o dobro ou mais de tudo que existe nos países capitalistas sérios. Enfim, no final o povo paga essa conta pesada da falácia socialista.
      Isto sem falar em infraestrutura como energia barata, estradas, portos,etc.
      Fosse o Brasil um país capitalista ,teria um povo com uma qualidade de vida que merece, muito boa, mas o estado lhe tira tudo e nada dá em troca como promete sempre a demagogia conhecida como socialismo.

    • No Brasil as empresas estrangeiras entraram e continuam entrando sem a contrapartida da transferência de tecnologia. Não temos uma fábrica de automóvel nacional. É vergonhosa a situação dos laboratórios estrangeiros, cujas matrizes no exterior se locupletam dos altos preços dos remédios. A China exigiu que os investidores estrangeiros cedessem aos nacionais a tecnologia, razão por que a China exporta produtos anteriormente fabricados em outros países, com marcas chinesas, como os automóveis, computadores, etc. etc.Recentemente deixamos de comprar aviões militares dos EUA porque se recusaram em transferir-nos a tecnologia, que nos permitiria fabricar nossos próprios modelos de aviões. Pagamos vultosos royalties por essa política de submissão ao capital estrangeiro,que só beneficia uma elilte conivente e a ele associada.

  7. Por uma questão de coerência o Sr. Leonardo Boff deveria abrir a sua conta bancária e a sua casa para todos os necessitados. O mínimo que se espera de alguém que defenda algo é que ele o pratique. Jesus Cristo era assim: pregava a pobreza e vivia a pobreza. Pregava o amor e vivia o amor. Agora, tem uma turminha aí que prega o socialismo mas vive muito bem no capitalismo desumano.

  8. Prezado Sr. LUIZ CORDIOLI, Saudações.
    Mesmo com as imperfeições apontadas, nossa Economia Capitalista ser MAL REGULADA e ter alta proporção de Capital Internacional, estimo em +- 35%, sendo o Capital Estatal também em +- 35%, e o Capital Nacional ( Matriz no Brasil) +- 30%, ela produz um Padrão Médio de Vida ( Renda perCapita +- US$ 15.000), superior a qualquer Pais “Comunista”.
    Concordo contigo que devemos ir “comprando o Capital Internacional” até idealmente termos só Capital Nacional com Matriz no Brasil. Chegaremos lá, já foi pior. O que não podemos nos dias de hoje é ter como Modelo PARA TODO O PAÍS, a República Comunista Cristã dos Guaranis, dos Padres Jesuítas. Produziriam muito pouco hoje. Mas nada impede que num País “Capitalista, mesmo mal Regulado como o Brasil”, Comunidades desse tipo, Cooperativas, Kibutzs, Fazendas Coletivas, etc,etc, não possam existir. Esse é o bom de nosso Sistema, TEMOS LIBERDADE PARA TUDO. Abrs.

  9. Os 10% mais ricos detêm 60% a 70% da riqueza, representada por imóveis, ações de empresas, títulos públicos e outros ativos financeiros. O capital financeiro quer cada vez mais, especula valoriza-se de forma fictícia, concentra riqueza.
    O modelo econômico atual influencia negativamente na democracia, também não é segredo as dificuldades vividas pelos assalariados do mundo inteiro. Parece que está por vir uma reforma política e econômica no mundo.

  10. Prezado Sr. Bortolotto, agradeço pela sua concordância, é bom sabermos que outras pessoas já enxergam, também, as imperfeições apontadas.
    Sem questionar suas estatísticas e outras afirmações discutíveis, surpreendeu-me, porém, sua afirmação final, e em maiúsculas: TEMOS LIBERDADE PARA TUDO.

    Temos mesmo? No essencial, discordo inteiramente.

    Pudemos dizer não à privataria tucana, há 20 anos atrás? Não.
    Podemos revertê-la? Não tão cedo. Então, onde está/ava nossa LIBERDADE?

    Pudemos impedir a implantação da reeleição comprada de FHC, em 1998? Não.
    Podemos revertê-la? Não tão cedo. Então, onde está/ava nossa LIBERDADE?

    Pudemos impedir a escalada da Dívida Pública de 1995 em diante, para os valores em que está, hoje, beirando 4 TRILHÕES (isto é que é maiúsculo!), além de um ilegítimo e pecaminoso “serviço-da-dívida” lateral e obrigatório, de módico R$ 1,0 TRILHÃO em 2014 e mais R$ 1,35 TRILHÕES para 2015, já enviado ao Congresso? Não.
    Podemos reverter isto? Não tão cedo. Então, onde está/ava nossa LIBERDADE?

    Discutimos aqui, todo santo dia, o mensalão (uns R$ 300 milhões de roubo total, uma única vez), Pasadena (uns R$ 1,2 bilhões de roubo total, uma única vez), Abreu e Lima (uns R$ 18 bilhões de roubo total, uma única vez) , sem falar nas corrupções de valor menor.

    Mas, no fundo, o que são estas bandalheiras comparadas com os R$ 1,35 TRILHÕES previstos para pagar em 2015 o abominável “serviço-da-dívida” (exatos R$ 3,7 BILHÕES POR DIA em 2015), sem falar no seu crescimento real de 35% de 2014 para 2015 e sem falar, também, da Dívida Pública principal, escondida, mascarada e crescente?
    São nada, meu caro! Estas bandalheiras são merrecas. Não percamos tempo com elas.
    O verdadeiro problema é este acima, a Dívida Pública, incontrolada e descontrolada e seu paralelo e obrigatório custeio permanente do famigerado “serviço-da-dívida”.

    Então, Flávio, temos LIBERDADE de e para quê?
    Temos LIBERDADE, sim, mas apenas para deixarmos todos os governos, de 85 para cá, nos espoliarem (via Dívida Pública e seu serviço) a mando de corruptos estrangeiros e nacionais, como quiseram e querem até hoje, seja qual for o comandante de plantão.
    Podemos reverter esta espoliação? Não.
    Como está montada a estrutura política, nem tão cedo, nem nunca.

    Mudando o foco e assumindo que, monetariamente, o verdadeiro problema brasileiro seja a Dívida Pública e seu abominável serviço-da-dívida, pergunto:
    Temos LIBERDADE para uma discussão séria, técnica, jurídica, contábil e estrutural sobre a nossa já trilionária Dívida Pública, dez mil vezes maior (na escala numérica) que as citadas roubalheiras, a seu ver? Não, digo eu, não temos esta liberdade.

    Podem até mascarar uma mentira neste tema, como fazem, dizendo que a temos.
    Mas como não nos deixam usá-la, temos liberdade de boca, não de fato.

    Na prática e na verdade, no tema econômico, não temos LIBERDADE alguma, temos apenas aceitação e conivência dos beneficiados e corruptos em geral com o que se faz de cima para baixo.
    É a parte que nos cabe, neste latifúndio, como disse o poeta.

    Pergunto: como usarmos a sua alegada LIBERDADE, só neste rumo sugerido, para acabarmos com esta sangria trilionária, injustificada, anual, crescente e permanente?
    Agradeceria uma sugestão real, factível, libertária. Só então vou mudar de opinião.

    Na verdade, meu caro, neste paiseco somos livres, plenamente livres, mas apenas para constatar que estão nos roubando descaradamente e não podemos fazer nada.
    Roubos de dimensões galáticas são escondidos, aparecem só nas crises.
    Roubos gigantes são deixados de lado ou acobertados porque seus autores (atores?) são “grandes demais para quebrar”, já ouviu esta arenga, não é mesmo?
    Roubos menores, em nossa escala pessoal, estes e só estes são demonizados ao extremo. E constatamos que a boiada humana, desconhecedora dos fatos reais, toma nas mãos estes roubinhos e tudo o mais fica parado, quieto, omitido.
    Em palavras finais, somos livres, desde que seja para não fazermos nada contra o Sistema da Dívida.

    Há quem se delicie com esta situação masoquista de apanhar sempre, de perder sempre, de ser sempre subjugado, espoliado, devedor.
    Em particular, eu detesto.

    Sua alegada LIBERDADE seria ótima, se fosse real. E aí o seu texto seria primoroso.
    Fosse LIBERDADE real, parabéns. Nessa hipótese, então, uma ode a ela.
    Mas nossa LIBERDADE é falsa e mascarada, verdadeira farsa. Então, pleno ódio a ela.
    Abraços.

    PS. Uma renda per capita de US$ 15000 não daria um PIB de 7,2 trilhões?
    Não é este o nosso PIB…

  11. NÃO É NADA DISSO. O QUE ACONTECE É QUE O MUNDO ENTROU NUMA DESESPERADA LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA, CAUSADA PELA EXPLOSÃO POPULACIONAL. QUEM VIVEU NA DÉCADA DE 50 PODE TESTEMUNHAR. O RIO DE JANEIRO, POR EXEMPLO, ERA UM PARAÍSO. NAQUELA ÉPOCA, NINGUÉM OUVIA FALAR DE SEQUESTRO, ESTUPRO, CORRUPÇÃO. LADRÃO, SÓ DE GALINHA. O MUNDO ERA LIMPO. COPACABANA TINHA UMA AREIA TÃO PURA QUE “RANGIA” QUANDO A GENTE PISAVA NELA. HOJE, É UM MONTE DE LIXO OLEOSO. NOSSAS CIDADES, ESTÃO SE TORNANDO INABITÁVEIS. O POVO TEM MEDO ATÉ DE SAIR ÀS RUAS EM PLENA LUZ DO SOL. MAS A EXPLOSÃO CONTINUA. AS RELIGIÕES, EM SUA IMENSA MAIORIA, NÃO PERMITEM QUALQUER MÉTODO ANTI CONCEPCIONAL. O MUNDO É BURRO!!!

  12. Prezado Sr. LUIZ CORDIOLI, Concordo plenamente que nosso Sistema “Capitalista, que é muito mal Regulado”, tenha defeitos, e que nosso maior problema seja uma Dívida Pública sempre crescente, girada a Taxas de Juros altíssimas.
    Mas temos que lembrar que causa da Dívida Pública é um Governo que gasta muito mais do que arrecada, sempre. Não posso culpar só o Banqueiro, se o Tomador ( o Governo) está sempre solicitando novo empréstimo e pronto a fazer “qualquer negócio”, ou seja pagar a Taxa de Juro que for necessário. E o Banqueiro sabe disso muito bem, se até nós sabemos.
    A Liberdade que me refiro em nosso Sistema Capitalista, é a de operarmos aqui dentro, Cooperativas, Fazendas Coletivas, Kibutzs, enfim qualquer Empreendimento de Propriedade COLETIVA. É só se instalar. Nos Regimes de Economia de Plano Central Dirigida ( ditas Comunistas ), é rigorosamente proibido.
    Quanto ao Cálculo do PIB e consequente Renda perCapita, é sabido que nossa Economia formal é bem menor que a Economia Real, então eu sempre aumento os dados do IBGE para se ficar mais próximo da realidade.
    Abração.

  13. “Pudemos dizer não à privataria tucana, há 20 anos atrás? Não.
    Podemos revertê-la? Não tão cedo. Então, onde está/ava nossa LIBERDADE?”

    Fatos:

    1 com a privatização a vale de 10 mil empregados passou a mais de 70 mil.

    2 Com a telefonia, hoje existe mais de 280 milhões de celulares, enquanto antes somente uns 30% da população eram privilegiados com telefone.

    3 A EMBRAER é uma das maiores empresas do mundo. Antes da privatização já estava falida.

    O que se pode falar de um tipo descaradamente partidário em suas análises políticas?

    Dá um tempo, cumpanheiro.
    Amadureça.

  14. (http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000626_message-fatima_po.html) tem:

    “COMUNICAÇÃO DE SUA EMINÊNCIA O CARD. ÂNGELO SODANO SECRETÁRIO DE ESTADO DE SUA SANTIDADE
    No final da solene Concelebração Eucarística presidida por João Paulo II em Fátima, o Cardeal Ângelo Sodano, Secretário de Estado, pronunciou em português as palavras seguintes:
    Irmãos e irmãs no Senhor!
    No termo desta solene celebração, sinto o dever de apresentar ao nosso amado Santo Padre João Paulo II os votos mais cordiais de todos os presentes pelo seu próximo octogésimo aniversário natalício, agradecidos pelo seu precioso ministério pastoral em benefício de toda a Santa Igreja de Deus.
    Na circunstância solene da sua vinda a Fátima, o Sumo Pontífice incumbiu-me de vos comunicar uma notícia. Como é sabido, a finalidade da vinda do Santo Padre a Fátima é a beatificação dos dois Pastorinhos. Contudo Ele quer dar a esta sua peregrinação também o valor de um renovado preito de gratidão a Nossa Senhora pela protecção que Ela Lhe tem concedido durante estes anos de pontificado. É uma protecção que parece ter a ver também com a chamada terceira parte do « segredo » de Fátima.
    Tal texto constitui uma visão profética comparável às da Sagrada Escritura, que não descrevem de forma fotográfica os detalhes dos acontecimentos futuros, mas sintetizam e condensam sobre a mesma linha de fundo factos que se prolongam no tempo numa sucessão e duração não especificadas. Em consequência, a chave de leitura do texto só pode ser de carácter simbólico.
    A visão de Fátima refere-se sobretudo à luta dos sistemas ateus contra a Igreja e os cristãos e descreve o sofrimento imane das testemunhas da fé do último século do segundo milénio. É uma Via Sacra sem fim, guiada pelos Papas do século vinte.
    Segundo a interpretação dos pastorinhos, interpretação confirmada ainda recentemente pela Irmã Lúcia, o « Bispo vestido de branco » que reza por todos os fiéis é o Papa. Também Ele, caminhando penosamente para a Cruz por entre os cadáveres dos martirizados (bispos, sacerdotes, religiosos, religiosas e várias pessoas seculares), cai por terra como morto sob os tiros de uma arma de fogo.
    Depois do atentado de 13 de Maio de 1981, pareceu claramente a Sua Santidade que foi « uma mão materna a guiar a trajectória da bala », permitindo que o « Papa agonizante » se detivesse « no limiar da morte » [João Paulo II, Meditação com os Bispos Italianos, a partir da Policlínica Gemelli, em: Insegnamenti di Giovanni Paolo II, XVII-1 (Città del Vaticano 1994), 1061]. Certa ocasião em que o Bispo de Leiria-Fátima de então passara por Roma, o Papa decidiu entregar-lhe a bala que tinha ficado no jeep depois do atentado, para ser guardada no Santuário. Por iniciativa do Bispo, essa bala foi depois encastoada na coroa da imagem de Nossa Senhora de Fátima.
    Depois, os acontecimentos de 1989 levaram, quer na União Soviética quer em numerosos Países do Leste, à queda do regime comunista que propugnava o ateísmo. O Sumo Pontífice agradece do fundo do coração à Virgem Santíssima também por isso. Mas, noutras partes do mundo, os ataques contra a Igreja e os cristãos, com a carga de sofrimento que eles provocam, infelizmente não cessaram. Embora os acontecimentos a que faz referência a terceira parte do « segredo » de Fátima pareçam pertencer já ao passado, o apelo à conversão e à penitência, manifestado por Nossa Senhora ao início do século vinte, conserva ainda hoje uma estimulante actualidade. « A Senhora da Mensagem parece ler com uma perspicácia singular os sinais dos tempos, os sinais do nosso tempo. (…) O convite insistente de MARIA Santíssima à penitência não é senão a manifestação da sua solicitude materna pelos destinos da família humana, necessitada de conversão e de perdão » [João Paulo II, Mensagem para o Dia Mundial do Doente – 1997, n. 1, em: Insegnamenti di Giovanni Paolo II, XIX‑2 (Città del Vaticano 1996), 561].
    Para consentir que os fiéis recebam melhor a mensagem da Virgem de Fátima, o Papa confiou à Congregação para a Doutrina da Fé o encargo de tornar pública a terceira parte do « segredo », depois de lhe ter preparado um adequado comentário.
    Irmãos e irmãs, damos graças a Nossa Senhora de Fátima pela sua protecção. Confiamos à sua materna intercessão a Igreja do Terceiro Milénio.
    Sub tuum præsidium confugimus, Sancta Dei Genetrix! Intercede pro Ecclesia. Intercede pro Papa nostro Ioanne Paulo II. Amen.
    Fátima, 13 de Maio de 2000.”

  15. Destaco: “Depois, os acontecimentos de 1989 levaram, quer na União Soviética quer em numerosos Países do Leste, à queda do regime comunista que propugnava o ateísmo. O Sumo Pontífice agradece do fundo do coração à Virgem Santíssima também por isso. Mas, noutras partes do mundo, os ataques contra a Igreja e os cristãos, com a carga de sofrimento que eles provocam, infelizmente não cessaram. Embora os acontecimentos a que faz referência a terceira parte do « segredo » de Fátima pareçam pertencer já ao passado, o apelo à conversão e à penitência, manifestado por Nossa Senhora ao início do século vinte, conserva ainda hoje uma estimulante actualidade.”

  16. (https://groups.yahoo.com/neo/groups/profecias/conversations/messages/1545) tem:

    1545 … TEMPOS E MOMENTOS … ATUAIS!.? … Apr 21, 2002

    TEMPOS E MOMENTOS … ATUAIS!.?
    A resposta era 2Pd 3,8
    Pelos meados de 1980, participei de uma reunião de oração de um grupo da Renovação Carismática Católica (RCC), na cidade do Rio de Janeiro. Na parte dedicada ao ensinamento, foi dito que a RCC era das últimas oportunidades de conversão que Deus estava dando aos homens. Era a primeira vez que participava de um grupo carismático e, apesar de, no íntimo, não duvidar de tão taxativa declaração, antes de voltar para casa, perguntei à ministradora se tal afirmativa não iria contra as diretrizes pastorais do Magistério. Dias depois, ela me disse que a resposta, obtida em oração, era 2Pd 3,8. Fiquei de rezar para então voltarmos a falar sobre este assunto. Nestes 20 anos, tenho me dedicado a entender tal resposta. O aprendizado tem sido trabalhoso e progressivo. Aproveito a oportunidade para escrever alguma coisa sobre tema por demais atual, interessante e difícil (2Pd 3,16).
    Os anjos perscrutadores
    Logo no início desta exposição, quero lembrar ao caro leitor que estamos em boa companhia. Podendo a salvação ser alcançada somente pelos homens (Hb 2,16), mesmo assim os anjos são interessados nos assuntos proféticos e acompanham a sua realização com atenção perscrutadora (1Pd 1,9-12). Certamente não é a curiosidade que leva os santos anjos a tal comportamento, mas o amor à Palavra de Deus até nas suas minúcias. Não é minha intenção esquadrinhar o futuro, porém dar alguma contribuição aos que valorizam os estudos proféticos, alertando desde já que também estes não devem ser fruto de interpretação particular (2Pd 1,19-21), ficando sujeitos ao conveniente discernimento (1Ts 5,19-22).
    1 dia é como 1000 anos
    O Salmo 90 engrandece a Deus pelo seu senhorio sobre os tempos e os momentos, pois, como está no 4.º versículo, 1000 anos para o Eterno são como um dia ou como uma vigília dentro da noite. A expectativa da salvação é inerente ao homem sábio de geração em geração, conforme os versículos 1 e 16 do mesmo salmo. Já o mundano argumenta que a História transcorre e tudo continua como antes, pondo em dúvida o cumprimento das promessas do Senhor (Is 5,19; 2Pd 3,4). São Pedro esclarece que, usando de paciência com todos os homens, ofertando a salvação até a última geração para que ninguém se perca, um dia nas coisas estabelecidas por Deus é como 1000 anos na contagem dos homens (2Pd 3,8-9). Este estudo procura averiguar textos bíblicos que possam ser enquadrados neste critério. Ou seja, determinar uma dimensão profética sem negar ou atenuar outras conclusões possíveis para os escritos sagrados estudados. Fica desde já certificado que não há novidades, situando-se tudo dentro da rica doutrina católica (2Jo 9).
    Uma analogia
    O Senhor Jesus nos ensina a vencer o mal com o bem, sendo um dos exemplos andar 2000 passos voluntariamente, em vez de só os 1000 que nos obriguem (Mt 5,41). Se o cristianismo atingiu o ano 1000, fica a sua caminhada estendida pelo menos até o ano 2000? É interessante notar que fatos esclarecedores do Apocalipse (Revelação) não aconteceram pelo ano 1000. Isto leva muita gente a achar que também nada está se desenvolvendo nos dias de hoje. Será que essa passagem bíblica não tem seu componente profético de alerta? Convém lembrar o ensinamento de Jesus sobre os sinais dos tempos (Lc 12,54-59), que vão se tornando mais compreensíveis, conforme as profecias a eles atinentes vão se cumprindo (2Pd 1,19).

    3 dias na Antiga Aliança – Ex 19,10-20
    Esses versículos fazem parte da descrição de como foi feita a antiga aliança. Javé ordenou 2 dias de santificação preparadora do povo israelita para no amanhecer do 3.º dia poder presenciar a manifestação de sua divindade.
    3 dias na Nova Aliança
    A instituição da eucaristia é feita na noite de quinta-feira ou, na maneira dos judeus, na noite de sexta-feira (1Cor 11,23-32); assim contando, no mesmo dia da morte e sepultamento de Jesus. No sábado, foi a vez da Páscoa judaica (Jo 19,14.31), memorial celebrado como festa para Javé (Ex 12,1-14). Deste modo, também são 2 os dias preparatórios para que seja demonstrada a divindade do Filho, pois, ao amanhecer do domingo, o Anjo do Senhor anuncia às mulheres que Jesus já tinha ressuscitado (Mt 28,1-10).
    Um novo amanhecer
    Podemos, num trabalho de pesquisa profética (1Pd 1,10-11), ter esperança que ao amanhecer do 3.º milênio haverá a demonstração da divindade do Espírito Santo, sendo que a misericórdia divina está contando cada 1000 anos como 1 dia. Apesar de não podermos marcar nem o dia nem a hora (At 1,7), o que foi ensinado está totalmente correto porque o fim do 2.º dia (milênio) cada vez mais se aproxima, independente da referência usada como início da contagem. É interessante observar que a Era Cristã começa não no nascimento de Jesus, porém na sua circuncisão, quando houve o primeiro derramamento de seu sangue inocente.
    Novamente o 3.º Dia
    A morte de Jesus é colocada como oferta de si próprio em nosso benefício (Jo 10,17-18; Ef 5,2.25). Consultando Lv 7,16-18, aprendemos que a carne da vítima oferecida em sacrifício voluntário não pode ser consumida a partir do terceiro dia, quando deve ser queimado no fogo o seu resto. Tendo Jesus ressuscitado ao amanhecer do terceiro dia, não conheceu a corrupção e o fogo é figura da sua ressurreição. A Igreja, comungando do corpo e sangue de Cristo, passa a ter uma expectativa quanto ao que possa acontecer no amanhecer do terceiro milênio.
    A Perfeita Adoração
    A vontade de Jesus é fazer a vontade do Pai (Jo 6,37-40; Mt 26,36-44); a tal ponto que sua obediência implica em morte de cruz (Fl 2,8). Quanto a nós, Jesus pede que também participemos de seu sacrifício: fazei isto em minha memória (Lc 22,19). Esta é a grande adoração que podemos fazer à Santíssima Trindade: presença piedosa na Missa. É momento de aumentarmos nossas riquezas nos céus, exortando nossos conhecidos à reunião dominical (Hb 10,25), que é onde o Amor se irradia, iluminando toda noite que exista em nosso viver. Morrendo na cruz, Jesus foi exaltado pelo Pai (At 2,30-36). A celebração eucarística é a glória da Igreja e de seus filhos.
    Rio de Janeiro, RJ, 18 de Julho de 2000. Lionço Ramos Ferreira. Celular: (0xx21)9213-4058.
    E-mail: lioncorf@… http://www.lioncorf.hpg.com.br
    Serviços Pró Santificação ao Amanhecer do 3.º Dia / Milênio
    .
    Reprodução livre; favor não acrescentar nem tirar; consultar Ap 22,18-21. Vem, Senhor Jesus!

  17. (http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=veritas&subsecao=papa&artigo=bento-xvi-sol-fatima&lang=bra) tem:

    “Eis as palavras do Papa, hoje dia 13 de Maio: “Enganar-se-ia quem pensasse que a missão profética de Fátima esteja concluída”. (Bento XVI, Sermão em Fátima em 13 de Maio de 2010).”
    … … …
    Foram 10 anos para uma confirmação do que escrevera … concordam???

    Então, também o comunismo pode voltar!!! !!! !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *