O confronto é entre duas seitas, lulistas e bolsonaristas, mas viva a democracia!

Resultado de imagem para democracia

Charge reproduzida do Arquivo Google

Eliane Cantanhêde
Estadão

Jair Bolsonaro (PSL) virou onda sob os ventos conservadores que assolam o Brasil, mas a vitória em primeiro turno parecia improvável. A perspectiva era de um segundo turno entre duas seitas políticas, o bolsonarismo e o lulismo, alheias à crítica, à autocrítica e às divergências. A eleição passa, mas essa guerra vai continuar.

Fernando Henrique, em 1994, e Lula, em 2002, tinham uma certa lógica, até onde a política consegue ter alguma lógica. Mas 2018 lembra mais 1989, com o “caçador de marajás” Fernando Collor (seria cômico, não fosse trágico), e 2014, com a “gerentona” Dilma Rousseff (o que é só trágico).

ERA UM TEATRO – Collor crescendo, crescendo, e os brasileiros acreditando, festivamente, nos jargões, no teatro, sem refletir sobre o passado do candidato nem projetar o futuro presidente. Dilma liderou do início ao fim, sem que os eleitores, expostos a um marketing de muita qualidade técnica e pouca ética, enxergassem as pedaladas para driblar a realidade e cair no precipício logo ali.

Assim chegamos a este 7 de outubro com o País sem racionalidade, dividido entre antipetismo e antibolsonarismo. Os eleitores só veem, ouvem e sentem o que querem, sem a dúvida, os prós e contras. Se a seita PT obedece a tudo o que seu mestre Lula mandar, a seita bolsonarista bate continência a todas as ordens do capitão Bolsonaro.

Para o PT, estão errados a Justiça, o MP, a PF, a Receita e a mídia, só Lula está certo. Não interessa que ele tenha dividido o País em “nós e eles”, mergulhado alegremente nas benesses de empreiteiras e bancos, institucionalizado a propina e fatiado a Petrobrás. Só que ele usou os ventos internacionais para dar crédito, consumo e bolsas à vontade e é adorado por um terço da população.

CONTRA O PT – E por que Bolsonaro? “Porque sou contra o PT.” Sim, mas e o Bolsonaro? O que ele já fez, faz, é capaz de fazer? O que ele é, o que pensa? A equipe dele? O risco?

Aí, a resposta é um muxoxo, uma certa preguiça para pensar, admitir que o candidato foi péssimo militar, é péssimo político, meteu a família inteira na política, nunca administrou nem padaria. Um “defensor da família” que já se separou quantas vezes mesmo? Algumas, aliás, de forma bem tumultuada.

Na hora do “vamos ver”, quando passam a festa e a transição e o eleito senta na cadeira para governar, começam os problemas. Em meio à tempestade, com 13 milhões de desempregados, pior ainda. Há, porém, uma diferença clara entre o que poderá ser o início Bolsonaro e o início Haddad.

DOIS ESTILOS – O capitão vai meter o pé na porta, botar pra quebrar, como gostam seus apoiadores. Mas Haddad vai chegar com jeito de professor, fala mansa, agregador. Quando todo mundo se acostumar, quem sabe até gostar, aí é que o PT “toma o poder”. Está na alma do partido aparelhar o Estado: bancos públicos, empresas, instituições, até organismos internacionais.

Quando Bolsonaro vier com tudo, o PT será de grande utilidade. Quando o PT intervier no governo Haddad, se for ele o vitorioso, a militância de Bolsonaro, forjada em junho de 2013 e encorpada pelas redes sociais, estará a postos. O confronto entre governo e oposição é saudável, democrático, mas como não aprofundar a polarização e o ódio que vai se instalando, replicado até mesmo no próprio Supremo?

Tempos difíceis virão com um segundo turno entre candidatos com índices inéditos de rejeição e um governo, seja qual for, que assumirá com déficit monumental, falta de dinheiro para tudo, necessidades urgentes, reformas inadiáveis, empresas fechando, milhões de desempregados e… uma oposição armada até os dentes.

Mas tem boa notícia: quanto maior a ameaça do autoritarismo, mais os brasileiros se lembram do valor da democracia.

24 thoughts on “O confronto é entre duas seitas, lulistas e bolsonaristas, mas viva a democracia!

  1. “Vida de Gado (Zé Ramalho)

    Vocês que fazem parte dessa massa,
    Que passa nos projetos, do futuro
    É duro tanto ter que caminhar
    E dar muito mais, do que receber.
    E ter que demonstrar, sua coragem
    A margem do que possa aparecer.
    E ver que toda essa, engrenagem
    Já sente a ferrugem, lhe comer.
    Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado, ê
    Povo feliz
    Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado, ê
    Povo feliz
    Lá fora faz um tempo confortável
    A vigilância cuida do normal
    Os automóveis ouvem a notícia
    Os homens a publicam no jornal
    E correm através da madrugada
    A única velhice que chegou
    Demoram-se na beira da estrada
    E passam a contar o que sobrou.
    Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado, ê
    Povo feliz

    Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado, ê
    Povo feliz

    O povo, foge da ignorância
    Apesar de viver tão perto dela
    E sonham com melhores, tempos idos
    Contemplam essa vida, numa cela
    Esperam nova possibilidade
    De verem esse mundo, se acabar
    A arca de Noé, o dirigível
    Não voam, nem se pode flutuar,
    Não voam nem se pode flutuar,
    Não voam nem se pode flutuar.

    Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado e,
    Povo feliz

    Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado e,
    Povo feliz”

    • Não vejo a hora do Capitão Bolsonaro e do General Mourão acabarem com o regime ditatorial do comunista Maduro.

      Preparem-se FFAA para ajudar a libertar nossos irmãos Venezuelanos.

  2. “Amarra o Teu Arado a Uma Estrela (Gilberto Gil)

    Se os frutos produzidos pela terra
    Ainda não são
    Tão doces e polpudos quanto as peras
    Da tua ilusão
    Amarra o teu arado a uma estrela
    E os tempos darão
    Safras e safras de sonhos
    Quilos e quilos de amor
    Noutros planetas risonhos
    Outras espécies de dor

    Se os campos cultivados neste mundo
    São duros demais
    E os solos assolados pela guerra
    Não produzem a paz
    Amarra o teu arado a uma estrela
    E aí tu serás
    O lavrador louco dos astros
    O camponês solto nos céus
    E quanto mais longe da terra
    Tanto mais longe de Deus”

  3. Os tais “fake news” que o ministro Raul Jungmann diz que irá perseguir e prender, ao que parece, eram vídeos que foram feitos durante a votação. Se forem verdadeiros, mostram falhas imperdoáveis e dolosas. O próprio Bolsonaro chegou a fazer duras críticas ao TSE. Além destes e não são “fake”, existem reportagem da Veja, ainda encontrada no Blog de Augusto Nunes, um vídeo com Deltan Dallagnol, feito dentro da STF o qual ele expõe aos membros da Côrte as falhas encontradas nas urnas. Impossível saber com certeza que aquela percentagem que faltou para que Bolsonaro se elegesse no primeiro turno, não foi por “falhas” nas urnas, impossível garantir que não foi.

    • kkkkkkkkkkkkkk xD

      INOCEEEEENTEE, TADINHOOO….

      Em 06.06.2018 o STF derrubou o voto impresso, rasgando uma lei sancionada em 2015. Você teve QUATRO MESES pra pedir voto impresso e levantar a lebre da fraude nas urnas da SMARTMATIC. Por que não pediu voto impresso antes?

  4. “…a militância de Bolsonaro, forjada em junho de 2013..” Pô, fala sério, dá licença, né dona Catanhdêde, Junho de 2013 não merece isso. Militância de Bolsonaro forjada em Junho de 2013, só se for os tais Blak-block , porque o resto gritava alto e em bom som: “sem partidos, sem partidos, sem violência, sem golpes”, vocês não nos representam. Democracia Direta, Revolução. E Bolsonaro, “data venia”, (assim como o outro capitão infiltrado no movimento, apelidado de “Bota”) é completamente incompatível com esse grito de guerra, pacífico, a começar pelo fato de ser um deputado carreirista, há 27 anos mamando lá, violento, golpista, ou seja, o oposto das boas intenções de Junho de 2013. Pelo visto, a mídia continua apostando na confusão e na ignorância.

  5. Sem a Terceira Via de Verdade, que é a Democracia Direta com meritocracia eleitoral, ou seja, a RPL-PNBC-DD-ME, o confronto continua sendo o mesmo de 128 anos atrás, ou seja, entre o militarismo ditatorial e o partidarismo eleitoral, manivelados por seus tentáculos, velhaco$, enquanto sócios-proprietários da república 171 dos me$mo$ (eternas primeira e segunda vias), que se sucedem no poder da dita-cuja há 128 anos, dos quais somos todos vítimas, reféns, súditos e escravos, e dos quais urge nos libertarmos, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o projeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. O novo espírito, a nova consistência, a roupa nova, ou seja, o novo de verdade que o país quer encarnar mas que está sendo impedido pelo charlatanismo e pelos dinossauro$ do velho que já morreu.

  6. As urnas ainda estão quentes e a mídia já reiniciou seu trabalho de tentar desconstruir a candidatura Bolsonaro, com expressões do tipo ” reunir os democratas “, “defesa da democracia”. O roteiro já estava ensaiado . Só pra lembrar, que o ódio sempre foi a ferramenta preferida do pt contra qualquer adversário que lhes ameaçaram, desde a sua existência. E que a grande mídia brasileira é tão corrupta quanto o pt, a quem se venderam alegremente em seu período de governo, enquanto atolavam o País num pântano do qual precisamos sair. São desde já os grandes derrotados desta que foi a mais bonita eleição da história, principalmente pela derrota de muitos criminosos protegidos por aqueles que deveriam afastá-los da vida pública.

  7. Al

    Está senhora que se chama Dilma radicada em Porto Alegre desde seus vinte e poucos anos. Nunca foi candidata a nada. Sugava dentro do PDT em cargos políticos por influência do então marido Deputado Carlos Araújo. Quando o PDT começou a minguar sem chances de conquistar o governo da capital e do estado. A mesma foi EXPULSA do partido por Brizola. Por infidelidade partidária. Sai daí sua carreira de alpinista política. Tutelada por Lula que depois o traiu. Chega a presidência. Picada pela mosca azul. Acredita que tem potencial eleitoral próprio. E desafia seu criador numa reeleição. O resto você sabe onde termina. Dilma no RS não se elege nem a síndica do prédio onde mora. E com pesquisas duvidosas a colocaram como senadora eleita no estado onde nasceu. Ela e seu amigo Pimentel levaram uma surra. Não duvido que o presidiário Lula esteja agora rindo da sua vingança

  8. Mesmo com os votos dos outros partidos, o PT não chega onde Bolsonaro chegou..Ele só perde se os que votaram nele agora, votarem no outro no segundo turno.. O que é ridículo de pensar…ou se houver fraude ( como as centenas de pessoas reclamando das urnas no primeiro turno, e só quem votou em Bolsonaro reclamou….Ninguem do PT reclamou das urnas,… muito estranho….,

  9. Na verdade há uma lógica, sim, no resultado das eleições de ontem. De um lado, Bolsonaro encarnou a insatisfação e irritação de uma grande parte da população que se sente traída e abandonada por um sistema político que caiu num descrédito total por culpa dos grandes partidos. De outro, o PT recebeu os votos daqueles que se sentiram beneficiados pelo assistencialismo da era lulista. Acaso lógico seria o quê, votar no Alckmin ou no Meirelles, representantes dos partidos carcomidos pela corrupção? No Ciro, com seu discurso esquizofrênico que acabou se voltando contra a Lava Jato?
    Pode-se falar de similaridades com eleições anteriores, mas uma grande diferença em relação a 1989 é que Collor contou com as simpatias grande imprensa. A Dilma na sua reeleição também esteve longe de ser desconstruída pela imprensa, ainda que o PT, como de costume, acusasse um tratamento midiático favorável ao PSDB. Mas em 2018 a grande imprensa está quase tão desacreditada quanto os partidos.

  10. Só um milagre tira a vitória do capitão neste segundo turno, O poste do 51 precisa tirar uma diferença fantástica de milhões de votos até o fim do mês. Isto sem contar com o aumento das abstenções, coisa que já está lá pelas alturas. Hoje a soma de todos os votos dados à esquerda não elegem o poste do 51.

  11. Essa Dona Cantanhede devia sofrer uma intervenção pública.

    Vejamos o que diz:

    “Aí, a resposta é um muxoxo, uma certa preguiça para pensar, admitir que o candidato foi péssimo militar, é péssimo político, meteu a família inteira na política, nunca administrou nem padaria. Um “defensor da família” que já se separou quantas vezes mesmo? Algumas, aliás, de forma bem tumultuada.”

    Péssimo militar? De onde ela tirou isso?
    Péssimo político? Isso é o que ela acha. O povo, que é o que interessa, não acha. Nesses vinte e tantos anos votou seguidamente nele.

    Meteu a família na política? E eu que pensei que os membros da família dele tinham sido eleitos pelo povo… Faça-me o favor, Dona Cantanhede!

    Nunca administrou nem padaria e o Lula? A Dilma faliu um 1,99, lembra? Brizola, o maior estadista do Brasil, também não teve nenhum boteco. Que preconceito, Dona Cantanhede!

    E, para terminar, porque o limite das idiotices já foi atingido, o que tem a ver ser defensor dos valores familiares e ter se separado das mulheres? A senhora é contra o divórcio? Parou em 1958? Ou para pichar vale tudo.

    Dona Cantanhede, Dona Cantanhede, vá cuidar de sua horta!

  12. A ilustre articulista somente comenteu uma avaliação questionável: … a militância de Bolsonaro, forjada em junho de 2013 e encorpada pelas redes sociais, estará a postos…. . Não creio, a classe média tradicional voltará para o seu modus vivendi habitual. Para o seu alheiamento politico confortável. Moda e futilidade.

  13. A articulista, com essa análise, reúne todos os méritos para se juntar à equipe de jornalistas fake da GloboNews.
    Essa cambada confundiu a véspera da eleição com sábado de aleluia e passou a malhar o seu judas favorito: Bolsonaro. Sem qualquer dissimulação, foi um espetáculo dantesco de apedrejamento.
    E o pior foi ver os olhos encrispados, bocas sangrando e dentes rangendo para vomitar que o Capitão era o candidato do “ódio”.
    Ridículos.

  14. Estão começando mal. Já querem punir os que têm entendimento diferente dos vossos? Vocês assim confirmam que Bolsonaro mesmo não sendo nazi-fascista comporta-se como tal. E deve ter um parafuzo frouxo no cérebro. Saiu do Exército porque planejou jogar bombas no alojamento e banheiros do quartel por achar que ganhava pouco. Isso não é invenção saiu na mídia: jornal e revista. Essa foi a razão de ter ido para reserva ante do tempo legal. Calma esperem ganhar. Depois têm todo o direito de estourar champanhe. Isso é democracia. Do lado de cá dizem que aceitam o resultado. Do lado de lá só aceitam se ganharem. Não ganhando viram a mesa. Eu não acredito,mas se por esses azares da vida o lado de cá ganhar eles são capazes de virarem mesmo. Vai ter muita gente pendurada de cabeça para baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *