‘O crime dentro do estado sempre contra-ataca’, diz especialista sobre a Lava Jato

O professor  em Nova York, avalia que o Brasil vem fazendo um bom trabalho no combate às redes criminosas Foto: GDA/El Universal/México

Edgardo Buscaglia, da Columbia Law School, defende a Lava Jato

André de Souza
O Globo

Autor de uma extensa pesquisa sobre o crime organizado, o professor Edgardo Buscaglia , da Columbia Law School, em Nova York, avalia que o Brasil vem fazendo um bom trabalho no combate às redes criminosas, inclusive àquelas que se infiltraram no Estado, mas faz um alerta: sempre que há um movimento nesse sentido, que permite entre outras coisas a prisão de altos políticos e empresários, pode ocorrer o que ele chama de “contrarreforma mafiosa”.

Há risco de o Brasil se tornar um dia o que a Colômbia já foi?
Não, não! Nós tivemos acesso a arquivos do Brasil, examinamos a investigação das polícias, informações da inteligência, o trabalho do Ministério Público e dos juízes. Em 2004, o Brasil cumpria apenas 13 das 45 instituições necessárias para combater o crime organizado, dentro ou fora do âmbito do Estado. Agora cumpre todas as 45, em especial no combate à corrupção política. Têm sido acusados não apenas políticos da esquerda, mas de todas as ideologias no Congresso. Então o Brasil melhorou muito em termos de efetividade no combate às redes criminosas. Em 2002, era um dos piores. Nós cobrimos 118 países, e era o número 73. Agora está entre os 22 melhores. O ponto é que isso não é reconhecido publicamente no Brasil.

Por quê?
Quando nos empenhamos mais contra a corrupção e o crime organizado, a percepção é de que há mais corrupção, mas é um paradoxo. É o oposto. Em países como o México, em que o caso Odebrecht foi empurrado para debaixo do tapete, as pessoas não veem a corrupção porque não foi investigada.

Por que o Brasil está melhor?
A independência judicial e a autonomia operativa do Ministério Público aumentaram. É um grande desenvolvimento institucional que levou muitos anos, não foi de um dia para o outro. Houve vários líderes neste país, Dilma Rousseff, Lula, (Fernando Henrique) Cardoso, que permitiram esse desenvolvimento institucional.

O Brasil vai continuar andando na direção correta ou pode retroceder?
Tudo depende. Sempre que você começa a combater o crime organizado dentro do Estado, ele vai contra-atacar. Geralmente com golpe de Estado. Não com tanques, mas dentro do Parlamento. Começam a fazer impeachments. Eles não ficam parados e olham. Eles se reagrupam e começam a “contrarreforma mafiosa”. Não se pode prever em política o que vai acontecer no Brasil. Não foram acusados apenas um ou dois políticos. Há dezenas, de todos os partidos. Eles vão reagir.

Isso pode acontecer no Brasil?
A “contrarreforma mafiosa” é uma coisa difícil de prever. Eu espero que ela fracasse. O objetivo desses caras não é apenas mostrar fitas de (Sergio) Moro, mas orquestrar um golpe de Estado disfarçado de impeachment ou algo do tipo. Eles querem voltar ao passado.

Moro errou ao dar conselhos a procuradores?
Vamos descobrir. O Brasil tem procedimentos para determinar isso, mas o ponto é que há muitos casos como a Lava-Jato no Brasil que foram investigados, sentenciados, com apelação, e o devido processo foi respeitado. O que aconteceu no Brasil nos últimos cinco anos é ficção científica para países como Argentina e México. Cidadãos (desses países) sonham em ver juízes e procuradores fazendo o que fizeram aqui.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG Enquanto isso, há brasileiros que torcem ardorosamente contra Sérgio Moro e a força-tarefa da Lava Jato. E acreditam nessa conversa fiada de “perseguição política”. (C.N.)

3 thoughts on “‘O crime dentro do estado sempre contra-ataca’, diz especialista sobre a Lava Jato

  1. ACONTEÇA O QUE ACONTECER COM A LAVA JATO, todavia, em tudo e por tudo, em sã consciência, ninguém pode negar que Ela expressa o retrato acabado da falência do sistema, em todos os aspectos, abrangente a todos os poderes da república Deodoriana-Floriana, tipo 171, enquanto filha adulterina derivada de um golpe de estado, tais sejam executivo, legislativo, judiciário, midiático e econômico (que representa o capital, no colo do qual mais cedo ou mais tarde todos acabam sentando, por fas ou por nefas, bastando olhar pelo retrovisor o histórico da dita-cuja). Todos os “modus operandi” acabaram sendo revelados, os oficiais e os extraoficiais, ou ordinários e extraordinários. E daí chegamos à conclusão de que a permanecer no mesmo ambiente doente em que adoeceu o país não tem cura. Haja visto que, nos casos “Mensalão” e “Petrolão”, não obstante tudo, tudo continuou como dantes no velho quartel de Abrante$, de mal a pior, com a promoção do Juiz Moro a ministro do executivo, como trampolim ao STF, de olho em 2022, com o meio político semirenovado por um monte de gente oriunda da própria máquina pública viciada, doente, como já se vê, p. ex., no congresso nacional (soldado isso, capitão aquilo, delegado tal, promotor x, juiz y… ), porém tudo e todos sob a égide do mesmo e velho sistema político podre, emenda essa que, certamente, piora ainda mais o soneto, ou ópera bufa, com a vaca seguindo para o brejo, com a abertura total do aparelhamento das instituições para a serem usadas e abusadas por qualquer um que queira se lançar na aventura política por esses caminhos, à moda a oportunidade faz o ladrão, no caso, da vaga na seara alheia. https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2019/06/23/nem-so-de-veneno-e-feito-o-conta-gotas-anti-moro/?fbclid=IwAR36gOyKUvh5_KSRt3uA69RQnUXnEj2YaR8HzNK1tJ-Tu8qscBbTKiqY1DQ

  2. Bom dia, li a entrevista do Edgardo hoje cedo pelo Twitter e fiquei esperançoso. Ele sabe das coisas. A luta aqui em terras brasileiras não terminou e tão pouco será fácil como estamos vendo. A hora da “prise de la Bastille” que será traumática (quando pegarem gente como Renan, BOTAFOGO e Índio da Odebrecht por exemplo) e só acontecerá com a pressão popular. O povo não aguenta mais tanta corrupção e consequentemente tanta miséria! Acho que Messias e seus filhos -01, -02 e -03 estão tramando alguma coisa contra o congresso, orientados pelo astrólogo da Virgínia. Os seguidores dessa gente estão há dias reivindicando fechamento do congresso e do STF através do Art. 142 da constituição (desconheço o artigo). Dia 30 irão às ruas. A chapa está esquentando e tudo pode acontecer.

  3. Bom dia , leitores(as):

    Senhores André de Souza ( O Globo ) Carlos Newton , os maiores inimigos dos MEMBROS DA OPERAÇÃO estão dentro do próprio ” Supremo Tribunal Federal – STF ” , que são os Ministros / Juízes e Quadrilheiros Gilmar Mendes , Dias Toffoli , Ricardo Levandowski , pois se negam até hoje em respeitar a decisão da maioria por Três vezes quanto á prisão em segunda instância e ficam forçando barra para limpar a barra de seus comparsas e financistas , e agora contam com á omissão da Procuradora Geral da República – PGR Raquel Dodge , quanto ao roubo e divulgação de áudio dos agentes públicos , que até agora nada fez para junto ao poder judiciário para promover uma BUSCA e APREENSÃO e enquadramento dos responsáveis pelo SITE e o JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO que os divulgam , mesmo sabendo que é produto de crimes , eles poderiam serem enquadrados como RECEPTADORES de roubo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *