O dia do Chefão

 

Sebastião Nery

No governo João Goulart, o general Humberto Castelo Branco era comandante do IV Exército, em Recife,  Santiago Dantas ministro do Exterior e Renato Archer secretário-geral do Itamaraty.

Miguel Arraes, governador de Pernambuco, começou a queixar-se de que o presidente João Goulart estava preparando uma intervenção federal  de duas pontas: contra Lacerda na Guanabara e contra ele, em Pernambuco, Veio ao Rio, pediu a interferência de Santiago Dantas.

Santiago resolveu ir a Recife ver as coisas de perto. Chamou Renato Archer, viajaram. Lá, Arraes os convida para um jantar reservado no Palácio com o general Castelo Branco. Quando os dois apareceram, Castelo fingiu  um susto e ficou visivelmente contrafeito. Mas a mesa estava pronta, sentaram-se os quatro e a conversa foi andando.

CASTELO

Castelo dizia  que não queria sair de Pernambuco :

– Doutor Santiago, estou informado de que o presidente João Goulart está maquinando uma intervenção em Pernambuco. A coisa é muito grave. Primeiro, porque o governador Arraes está realizando aqui uma administração eficiente, criteriosa, tranquila, e seria uma injustiça qualquer ação contra seu governo. Depois, porque Pernambuco é o coração de todo o Nordeste e qualquer intranquilidade no estado vai necessariamente atingir toda a região, de si já problemática. E como eu sei que a primeira medida para cumprir o plano é meu afastamento do comando da região, gostaria que o senhor, a quem o presidente ouve com o maior respeito e acatamento, fizesse ver a ele que, no interesse da tranquilidade do governo federal, não deveria haver mudança agora no comando militar da Região.

A conversa foi até alta madrugada. Os quatro trancados na sala. Santiago voltou, foi a Brasília, conversou com Jango. Não adiantou. Poucos dias depois, o general Castelo Branco era substituído pelo general Justino Alves Bastos,“para controlar o Arraes” (palavras textuais de Jango).

Castelo foi promovido para o comando do Estado Maior do Exercito.

CIVIS

Era exatamente o que Castelo queria. Toda aquela conversa dele no jantar de Recife era puro disfarce. Castelo já estava enfiado até os ombros (ele não tinha pescoço) na conspiração para o golpe militar de março de 64.

Magalhães Pinto em Minas, Carlos Lacerda na Guanabara, Ademar de Barros em São Paulo imaginavam que seriam os “lideres civis da Revolução”, cada um deles imaginando que os militares iriam entregar-lhe a presidência da Republica.  A Historia provou que bancavam os bobos. Terminaram a vida isolados, humilhados e sobretudo arrependidos.

MILITARES

Os militares já estavam lá na frente, porque a base da conspiração era a embaixada americana, através do embaixador Lincoln Gordon e o general da  CIA Vernon Walters, de quem Castelo era subalterno e serviçal. Costa e Silva no Rio, Mourão e Luis Guedes em Minas, Kruel em São Paulo, tantos outros, agiam nas suas áreas, mas quem recebia  as ordens dos americanos era Castelo, atarracado, baixinho, pequenininho, sem caraterzinho.

Quando o golpe estourou, ficou claro que o 31 de março era o dia de Castelo. Os americanos já o tinham escolhido bem antes para ser o Chefão. Jango foi exilado para o Uruguai, Arraes preso em Fernando de Noronha e depois exilado na Argélia e Castelo para o palácio do Planalto.

LULA

Hoje, seria o Dia D de Lula, o verdadeiro chefão do Mensalão, que, eleito presidente sem maioria no Congresso,  decidiu e mandou José Dirceu armar o esquema de compra de partidos e deputados. Dirceu sempre disse: – “Nada fiz sem ordem ou  conhecimento de Lula”.

Mas  Dirceu, Marcos Valério, Genoino, Delúbio Soares, outros, preferiram imolar-se a contar a verdade sobre Lula no Mensalão. Coube aos Procuradores Gerais da Republica Antonio Fernando e Roberto Gurgel esmiuçar, destrinchar, documentar e denunciar ao Supremo e ao bravo relator Joaquim Barbosa  a historia da “quadrilha”,“organização criminosa”

Afinal, o processo do Mensalão chegou ao fim. Está nas mãos do Supremo encerrar a não ser que, no “infringir” dos ovos, Lula e o PT, com seus “vastos poderes”, joguem o processo para o próximo ano e despejem o entulho em cima da candidatura de Dilma. Seria uma “chicana sacana”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

6 thoughts on “O dia do Chefão

  1. CADA UM CONTA A SUA ESTÓRIA. RESPEITO. EU TAMBÉM TENHO A MINHA. NÃO VOU CONTÁ-LA EM RESPEITO AO MEU PRÓPRIO PAI, QUE PRESIDIA UM SINDICATO DOS PORTUÁRIOS, NA ÉPOCA, E POR CAUSA DISSO TENHO O CONHECIMENTO.

    CASTELO BRANCO, NUNCA QUÍS SER PRESIDENTE, MÁS, FOI
    ESCOLHIDO NUMA LISTA DE 22 NOMES, SENDO ELE O 16ºDESSA LISTA E, PÁSMEM, OS 04 PRIMEIROS NOMES, NINGUÉM QUERIA ABRIR UM PRO OUTRO. LACERDA,MAGALHÃES P.,ADHEMAR E JK.

    CASTELO, FOI ESCOLHIDO E ELEITO PELO CONGRESSO NACIO-
    NAL, TENDO O DR. ULISSES, FRANCO MONTORO, ENTRE OUTROS, VOTADO NELE.

    MAS, A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: EXISTE DITADURA COM VOTO?

  2. A 3 de fevereiro de 1922, Stalin é eleito secretário-geral do Partido Comunista da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1923, no congresso do partido,
    http://educacao.uol.com.br/biografias/josef-stalin.jhtm

    Quando os nazistas foram eleitos o maior partido do Reichstag, Hindenburg ofereceu a Hitler um cargo em seu gabinete.
    http://www.melhorenaescola.r7.com/biblioteca/dhoy/dhoje-detail2.cfm?id=1619&mes=1&sniveleduca=em

    O presidente da Comissão de Defesa Nacional da Coreia do Norte é o comandante supremo das forças armadas da República Popular Democrática da Coreia, constituindo-se como o mais importante e poderoso cargo do governo da Coreia do Norte. De acordo com a lei, o presidente é a “mais alta autoridade administrativa”, tendo o cargo sido confirmado a 5 de setembro de 1998 como o “mais alto cargo do Estado”. A Assembleia Popular Suprema elege o presidente da Comissão para um período de cinco anos. A eleição ocorre imediatamente a seguir à eleição de uma nova Assembleia Popular.

    O primeiro presidente foi Kim Jong-il, eleito inicialmente a 9 de abril de 1993, numa eleição em que concorreu sem oposição. Foi subsequentemente reeleito em 1998, 2003 e 2009.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Presidente_da_Comiss%C3%A3o_de_Defesa_Nacional_da_Coreia_do_Norte

  3. Cargo biônico
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    Cargos biônicos são aqueles cujos titulares foram investidos mediante a ausência de sufrágio universal e cujo parâmetro para escolha era a sanção das autoridades de Brasília à época da Ditadura Militar de 1964 ao longo das décadas de 1960, 1970 e 1980. Tal centralismo garantiu a continuidade do regime e impediu que os objetivos traçados pelos militares fossem alvo de sedições políticas. Na prática, as regiões sob o jugo de governadores e prefeitos biônicos possuíam autonomia reduzida visto que as decisões de relevo vinham do governo central, o que diminuía a influência das forças políticas locais.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Cargo_bi%C3%B4nico

    Senadores Biônicos
    http://www.infoescola.com/historia-do-brasil/senadores-bionicos/

    Os senadores biônicos e o pacote de Abril
    O nome senadores biônicos foi dado aos parlamentares escolhidos diretamente pelo governo para ocupar um terço das cadeiras do Senado, nos últimos anos da ditadura militar.
    Os senadores biônicos faziam parte do conjunto de medidas conhecidas como “Pacote de Abril”, uma ação do governo do general Geisel lançada em abril de 1977, que, além dos senadores biônicos, aumentava o mandato presidencial para seis anos e modificava a composição da Câmara dos Deputados, dando maior representação às bancadas do norte e nordeste do Brasil. Essas regiões recebiam uma forte influência política da ARENA, partido conservador de sustentação do regime militar.
    http://www.mundoeducacao.com/historiadobrasil/os-senadores-bionicos-pacote-abril.htm

  4. Nery,
    Parece que não dá pra governar o Brasil sem fazer gol com as mãos. Collor (você sabe bem, pois participou de perto do governo dele) fez gol com as mãos e recebeu impeachment.FHC fez gol com as mãos para ganhar a reeleição. O gol com as mãos de Lula foi o mensalão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *