O filho do senador Barbalho quer ser governador do Pará. Quem sai aos seus não degenera. Deprimente: aqui mesmo comparam Joaquim com Rui, em comum, só o sobrenome. A ética da Firjan. Os médicos contratados em Cuba não receberão nada, tudo é pago a Raul Castro.

Helio Fernandes

A primeira manifestação contra os “MAIS MÉDICOS” saiu aqui, podem verificar. Nunca tive dúvidas a respeito dessa contratação. Depois fui continuando, mostrando ponto por ponto, o absurdo dessa contratação. Dona Dilma não aceitou as exigências de Raul Castro, mas até ela está mudando de posição.

Nesse caso levou três meses, concordou com as exigências de Cuba. Motivo? Está convencida de que trazer esses médicos melhora sua “popularidade, ajuda a crescer o Ibope ou o Datafolha”. Nem isso, Dona Dilma. A senhora caiu tanto que, para se recuperar, só passando a morar em São Bernardo.

Ontem foi a vez do ministro da Saúde exagerar ou ignorar os fatos. Principalmente a respeito dos “salários” desses médicos. Textual: “O governo brasileiro vai pagar 10 mil reais ao governo de Cuba. Mas não sei quanto será repassado para esses 4 mil médicos”. Devia ter ficado em silêncio. Ministro, quem gosta de falar é o Mercadante.

A miséria em Cuba é total. Os que não fizeram universidade, recebem de 20 a 25 dólares, mensalmente, isso mesmo. Num país que está passando agora dos 11 milhões de habitantes, poucos os que puderam cursar universidade. Os que se formaram, ganham (?) um pouco mais.

Médico, dentista, engenheiro, em Cuba podem faturar até 60 dólares mensais. (Não citei advogados e arquitetos, por um fato: são duas formações amaldiçoadas em Cuba. Consideram que depois de formados, se voltarão contra o governo.)

Os dirigentes de empresas estatais (alguns são economistas) chegam a receber 100 dólares mensais e alguns privilégios. Explicação: são mais de 50 estatais, com um presidente, dois ou três diretores.

Há mais ou menos 10 anos, quando havia esperança e até promessa ou compromisso) de abertura, esses dirigentes estatais, protegidos como sucessores, eram mais bem tratados. O sonho acabou, esses “estatais” foram envelhecendo, tão desacreditados quantos os outros, com títulos ou sem eles.

FOI CHÁVEZ, FALANDO COM
FIDEL, QUE “INVENTOU” OS
MÉDICOS EM MASSA, SEM SALÁRIOS

Com as restrições universitárias, Cuba ficou com excesso de médicos. (Em determinado momento, Cuba teve grandes jogadores de vôlei, homens e mulheres, isso “era um dom”, não precisavam se formar. Eram autorizados a jogar no exterior, 50 por cento preferiam a liberdade e os salários verdadeiros).

Chaves tinha o petróleo avassalador, conversando com Fidel fez a proposta: médicos sem SALÁRIOS, petróleo sem FATURA. Fidel e Raul convenceram os médicos que “serviriam ao país”. Os que não eram convencidos, precisavam rezar pela família, logo, logo intimidada.

###

PS – 15 mil foram para a Venezuela, recebiam a mesma miséria de Cuba, mas o petróleo jorrava com a mesma intensidade que a tortura em Guantánamo.

PS2 – Essa não foi a primeira experiência, mas antes nem era considerada. Agora, no Brasil, esses médicos receberão ainda menos (menos do que NADA é o quê?).

PS3 – Como o governo de Dona Dilma já garantiu os 10 mil na mão de Raul, e casa e comida para os médicos que vão para o interior, nem Dilma nem Raul estão preocupados.

O FILHO DE BARBALHO QUER
SER GOVERNADOR DO PARÁ

Seu nome é Helder. O pai era senador, renunciou para não ser cassado. Logo depois, incluidíssimo no “ficha limpa”, não podia ser registrado, mas assim mesmo se candidatou, se elegeu, mas não pôde tomar posse.

Vetado pelo TSE e pelo STF, ficou esperando, na votação o resultado ficou de 5 a 5, o presidente Peluso não quis desempatar. Uma tarde, a cúpula do PMDB foi ao gabinete de Peluso, este desempatou a favor de Barbalho, renunciante por corrupção, novamente senador.

Seguiu o conselho de Renan, ficou em silêncio, está em silêncio até agora. Mas nos bastidores, faz um barulho tremendo: “Quero o PMDB e o PT apoiando a candidatura do meu filho a governador”. Tem o apoio de Renan, novamente no apogeu – quem saiu aos seus, não degenera.

EDUARDO PAES: “REFORMA
POLÍTICA É BESTEIRADA”

BESTEIRADA, e das grandes, o prefeito do Rio dar entrevista coletiva para dizer tolice. Ele garante que a “reforma política não é o problema”. Como é que um personagem como esse se elege e se reelege, e a partir de 2016/17 tem projetos muitos mais altos?

SIRKIS FICA EM SILÊNCIO

É diferente do prefeito, se iguala a ele quando fala. Relator da Reforma Política na Câmara Federal , está comunicando: “Defendo que a metade das vagas de deputado seja preenchida pelo sistema proporcional”. Ah! Sirkis, que retrocesso. Há mais de 30 anos esse sistema condenado e contaminado é amaldiçoado. Muda de posição, Sirkis, ou deixa a Comissão, você não merece ser execrado, que é o que vai acontecer.

O CAVALO DE DEODORO

Na coluna do Alcelmo saiu uma nota ontem sobre o novo livro do historiador Laurentino Gomes, em que ele contará a história do cavalo que o marechal montou, em 1889, com extrema dificuldade. O resumo é rigorosamente verdadeiro. O Ancelmo termina assim: “Se o cavalo fosse brabo, Deodoro não poderia montá-lo”.

Se quisesse, o Ancelmo (e o Laurentino) poderia alongar a nota assim: “Se Deodoro não tivesse conseguido montar, e se Floriano não ultrapassasse os problemas e ficado em casa”, os “Propagandistas da República”, todos civis, teriam proclamado a República, em vez de ter sido transformados em assistentes. Que República.

A ÉTICA DA FIRJAN

O ex-presidente desse órgão teve dois mandatos excelentes, seu nome identifica o prédio. Os ávidos e vorazes por aparecer, disseram, “é preciso renovação”. E lançaram um candidato, que em nome da ÉTICA e da RENOVAÇÃO, acaba de cumprir o sexto mandato (18 anos). E começa o SÉTIMO, mais três anos. A Firjan copia e imita os órgãos esportivos, não apenas do Brasil.

###
PS – Wilson Batista Junior, você está certíssimo em relação aos atos de submissão brasileira aos EUA. Estou aqui, mas na Tribuna impressa condenei muitas vezes essa discriminação do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares.

PS2 – Como você, tenho combatido esse Tratado da hipocrisia e comprovação dos países que se julgam potenciais donos do mundo.

PS3 – Mas é bom atualizar a minha repulsa e desprezo por esses que se julgam poderosos e acima dos outros. Um abraço, Wilson.

PS4 – Hugo Gomes de Almeida, você sabe como fomos ligados, este repórter e o extraordinário jornalista-combatente, que foi o Alexandria. Ele teve que enfrentar a pior fase da Bahia, com um soba da pior espécie, corrupto e servidor da ditadura. Basta ver os que reivindicam pseudos direitos na sua herança.

PS5 – Alexandria é uma saudade permanente, um amigo de todas as horas, um companheiro com quem sempre dividimos a mesma trincheira.

PS6 – Confessar, como muitos aqui, “e Joaquim Barbosa for candidato a presidente, votarei nele”, deplorável, lamentável, mas o que fazer? O voto é secreto, nem precisavam revelar um direito líquido e certo.

PS7 – Mas dizer como foi dito aqui, “a frase de Rui Barbosa fica muito melhor na boca do Joaquim”, é apenas blasfêmia, que palavra. Se quem escreveu usou o nome próprio, o que vai dizer em casa?

PS8 – O Fox Esporte, canal 97, vem ganhando audiência rapidamente, tem dois grandes reforços. Renato Mauricio Prado, diariamente, e às segundas-feiras, 20h30, com “A Última Palavra”, programa de entrevistas imperdível. Quando tiver completado 25 ou 30, poderá publicar em livro “Histórias dos bastidores do futebol”.

PS9 – Mario Sergio Pontes de Paiva, um baiano aristocrata no nome, no futebol e na convivência. Que craque. Já foi comentarista, dizia, “estão deixando o adversário gostar do jogo”. Hoje, todos repetem, sem pagar royalties.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

23 thoughts on “O filho do senador Barbalho quer ser governador do Pará. Quem sai aos seus não degenera. Deprimente: aqui mesmo comparam Joaquim com Rui, em comum, só o sobrenome. A ética da Firjan. Os médicos contratados em Cuba não receberão nada, tudo é pago a Raul Castro.

  1. Insensatez, incompetência, demagogia, irresponsabilidade poder ou todas as opções?
    .
    O Ministro discursa como se divindade fosse:
    “Eu sei a diferença entre um médico perto do paciente,…”. Diante da verdade absoluta dele ninguém sabe nada, somente ele. Portanto, sequer admite o diálogo.
    Prossegue com a sentença: “Todos têm experiência em atuar em áreas rurais ou em atenção básica e valorizam o que é mais importante em um médico: o contato humano, o atendimento, ouvir as pessoas”. Bem ao jeitinho brasileiro do “é conversando que a gente se entende”. Implicitamente confessa que esses médicos serão enviados para o desterro, para lugares desprovidos da mais ínfima condição de atendimento médico, salvo, é de indutora ilação, votos.
    .
    Não é racional acreditar que no sistema econômico do capital onde a humanidade chegou, médicos deixem seus lares e ambientes naturais para serem sacerdotes no isolamento, na selva, em rincões inóspitos, na lama e na miséria trocando seus demorados e custosos conhecimentos pela Bíblia. Isso, no instante que a própia Igreja Católica e o mundo cristão sério que não tem o dinheiro por norte (é bom sempre ressalvar) sofre pesadamente por falta de vocações.
    O que se pode imaginar é que o governo no que tange a serviços públicos (SAÚDE, SEGURANÇA e EDUCAÇÃO) jogou a toalha; perdeu a esportiva e que vai sim fazer o “DIABO” para não largar o resto de carne que ainda tem no osso.

    Medidas paliativas, temporárias como esta do MAIS MÉDICOS que poderia ser denominada MAIS IRRESPONSABILIDADE! jamais mudarão a conhecida e comprovada falta de recursos, desordem, ineficácia e ineficiência dos serviços públicos que está levando a população ao desespero sem saúde, segurança e educação nesta exata ordem de prioridades pois zumbis e mortos não necessitam de educação.

    Não vou desenhar tampouco pedir um copo, menos ainda arvorar-me em detentor da verdade, mas… É de clareza ofuscante ao menos para quem por quase quatro décadas foi (com orgulho, interesse e profissionalismo) servidor público, que o debate tem por pauta mínima:
    a) Plano de cargos e salários motivador: único, isonômico e de acordo com a realidade orçamentária para o serviço público (saúde, segurança e educação). Com isto, ao invés de utopias ideológicas e o tal “MAIS MÉDICOS!” os médicos é que irão querer mais. Verba federal para serviços públicos carimbada, ou seja, com aplicação exclusiva e no máximo alcançando os estados fedrados. Os em torno de 5.500 municípios brasileiros, com raríssimas exceções, não dsispõem de capacidade de gestão.
    b) Extinção de terceirizações, fundações, OSs e qualquer outro tipo de intermediação para mão-de-obra e serviços em todos os níveis federativos. Incluindo qualquer forma de auxílio direto ou indireto para Planos de Saúde.
    c) Concurso público como regra.
    d) Cargos de confiança em todos os níveis federativos somente para servidores concursados (despolitização do serviço público).
    e) Irregularidades e denúncias de corrupção e desídia no serviço público apuradas pela Polícia Federal.
    .

    Gosto de pensar pisando no chão por onde meu corpo leva a cabeça, portanto, é o que penso.

  2. Caro Helio, como sempre “verdades verdadeiras” infelizmente o “caos e corrupção” em nosso Pais, com as esmolas de cestas e cotas, é o grande curral dos politiqueiros, que assumem o “poder” para enriquecer, a custa dos “cidadãos(ãs) analfabetos funcionais”, que usam a “frase; não gostam de política”, como se “POLÍTICA” fosse isso que nós temos, vendendo suas consciência e dignidade, através do “voto obrigatório”, por uma “cachaçada, churrascada ou saco de cimento”.
    O Sr. José Reis, coloca as coisas nos devidos lugares, o FHC, destruiu a “função pública”, continuada pelo governo Lula e Dilma, transformando o “DIREITO DE TODOS OS BRASILEIROS DISPUTAREM O CARGO PÚBLICO ATRAVÉS DE CONCURSO, o resultado aí está, cargos na mão de “polítiqueiros”, a desgraçarem o PAÍS!!.
    Nem a vinda do PAPA e sua fala, resolvem essa situação caótica do Brasil, quem tem que resolver é: o CIDADÃO – CONTRIBUINTE – ELEITOR (H.F.), mostrando sua INDIGNAÇÂO em 05/10/14, NÃO REELEGENDO OU VOTANDO NULO SE NÃO ENCONTRAR SEU “CLONE”.
    Oremos à DEUS, buscando sua MISERICÓRDIA.

  3. Hélio,
    é odioso esse repasse dos salários dos médicos cubanos diretamente à ditadura dos Castros.

    Se não for assim, recebendo diretamente os CR$ 10.000,00, a maioria dos médicos pediriam asilo político.

    Com certeza, no acordo, deve estar previsto [em cláusula não escrita] que pedidos de asilos dos médicos requerentes eles serão repatriados e lá, em Cuba, “julgados”.

    Será um grande drama. Muitos gostarão de nosso país. Muitos se apaixonarão por nossas lindas mulheres. Muitos gostarão de ficar por aqui.

    Por outro lado serão médicos dedicados. Trabalharão oito/dez horas por dia. Atenderão com presteza e dedicação. Serão amados por nosso povo humilde.

    Os protestos da classe médica pela vinda desses médicos cubanos é porque ficará demonstrado o quanto os médicos brasileiros são elitistas.

    O Brasil é carente de médicos e não tem cabimento nos clubes com piscinas estar de plantão um profissional com dez anos de formação para verificar se um frequentador está com micose. Um enfermeiro treinado faria isso.

  4. Estimado Hélio,
    .
    Não é o momento e espaço suficiente, mas muito me daria prazer conversar isto:
    “PS – Wilson Batista Junior, você está certíssimo em relação aos atos de submissão brasileira aos EUA. Estou aqui, mas na Tribuna impressa condenei muitas vezes essa discriminação do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares.”
    .
    Prezado Helio, observo com outra ótica; ótica filosófica e sociológica tendo o Poder como pano de fundo. Portanto ee com esta visão, discordo. Reconhecer e se submeter ao Poder, é, no mínimo, ato de prudente sabedoria.
    “A análise em termos de poder não deve postular , como dados iniciais, a soberania do Estado, a forma da lei ou a unidade global de uma denominação ; estas são apenas e, antes de mais nada, suas formas terminais…O poder está em toda parte; não porque englobe tudo e sim porque provém de todos os lugares…O poder não é uma instituição e nem uma estrutura, não é uma certa potência de que alguns sejam dotados: é o nome dado a uma situação estratégica complexa numa sociedade determinada- Michel Foucault”
    Também dele: “Dispomos da afirmação que o poder não se dá , não se troca nem se retoma, mas se exerce , só existe em ação, como também da afirmação que o poder não é principalmente manutenção e reprodução das relações econômicas, mas acima de tudo uma relação de força”
    .
    Os EUA são, no mínimo uma nação admirável porque séria, livre e igual desde o nascedouro; fonte da democracia liberal já pensada com sólido rigor argumentativo histórico: fim da História.
    Enfrenta, os EUA, um de seus piores momentos internacionais com o crescimento do fantasmagórico terrorismo e intolerância islâmica que põe em risco o universo.
    .
    Quanto a “Proliferação de Armas Nucleares” meu prezado, não há mais o que proliferar. Ciência não se apaga sequer estagna.
    Francis Fukuyama em “O fim da história e o último homem” observa:

    “Contudo, mesmo essas circunstâncias extremas dificilmente livrariam as civilizações do domínio da tecnologia e da capacidade da ciência de se reproduzir. A razão estaria na mesma relação entre a ciência e a guerra. Pois, mesmo que se consiga destruir as armas modernas e o conhecimento específico de como produzi-las , não é possível eliminar a memória do método que possibilitou essa produção” Mais adiante continua: “Aqueles que não foram vencidos pela metodologia militar, foram seduzidos pelo brilho do mundo material criado pela ciência natural moderna”
    .
    Já a célebre e saudosa pensadora H. Arendt que tanto esquadrinhou o fenômeno da violência é precisa ao dizer que não há:

    “um secreto desejo de morte da espécie humana, nem (por) um instinto irreprimível de agressão ou tampouco e por fim, de forma mais plausível, (pelos) sérios perigos econômicos e sociais inerentes ao desarmamento, mas o simples fato de que NENHUM SUBSTITUTO PARA ESSE ÁRBITRO ÚLTIMO DOS NEGÓCIOS INTERNACIONAIS APARECEU NA CENA POLÍTICA (maiúsculas minhas)” . Ainda deixa um alerta muto provável: “ se alguém vencer é o fim para ambos”
    .
    Por fim, quanto as promessas do homem, especialmente as de paz dos políticos, Nietzsche precisa ser escutado:
    “Educar um animal que pode fazer promessas, não é a tarefa paradoxal que a natureza se se impôs com relação ao homem? Não é esse o verdadeiro problema do homem?”
    .
    Bom sábado, saúde e sds.

  5. Ora, ora, ora. O Joaquim é o novo Collor que a direita, por falta de nome e de discurso, prepara para ser o pivô da crise institucional. Historicamente, quando o povo se esclarece e passa a não acreditar mais no discurso enganador da direita,esta, se vendo sem saida para abocanhar o poder, conspira para levar o País para o golpe. O Joaquim tem todas as características temperamentais para, como presidente, fazer-se ditadorzinho de república de bananas.

    Paulo Sergio

  6. O Brasil se viu obrigado a assinar o Tratado de Não Proliferação da Armas Nucleares devido a ser um País Devedor. A mão do Credor sempre está por cima da mão do Devedor. O Credor é a cabeça e o Devedor, a cauda. Nossa Economia quase sempre operou com Duplo Deficit, (Deficit Fiscal de +- 3,5% do PIB, e Deficit no Balanço de Pagamentos Internacional, +- US$ 80 a 100 Bi/ano, ( Soma de todos os Recebimentos e Pagamentos do Brasil com o mundo, dos visíveis:(Mercadorias), dos invisíveis: (Juros, Fretes, Dividendos e Remessa de Lucros, Royalties, Assistência Técnica, Arrendamentos, etc, etc). Enquanto não consertarmos isso, enquanto através de nosso Patriotismo e Trabalho não transformarmos nossa Economia em Credora, não teremos plena Soberania Política. Ora, dirão muitos, tudo o que está escrito acima é uma grande besteira, pois os EUA são a Economia mais Devedora do mundo, o que é verdade, eles tem plena Soberania Política, e só assinam ou não assinam os Tratados que quiserem. É verdade. Mas essa exceção só vale para eles, que são o País Hegemônico do mundo, que possuem a Moeda Internacional, o Dólar. O Leão, rei da floresta, pode se dar ao luxo de DEVER para todo mundo pois quem vai encará-lo e obrigá-lo a pagar. Mas os outros animais, especialmente os mais fracos, que tratem de ser prudentes, isto é, Credores. O Brasil precisa para ser Credor, ter uma Economia composta de 20% de Empresas Estatais, 60% de Empresas Privadas Nacionais, e 20% de Empresas Internacionais em associação com Nacionais). Abrs.

  7. A contratação dos médicos cubanos, sob a condição do governo Cubano receber o valor integral e destinar parte quase insignificante para os médicos, apresenta DUAS peculiaridades.
    A PRIMEIRA, é uma clara evidência da exploração do homem pelo Estado cubano, sob o patrocínio direto do Estado brasileiro, com recursos oriundos dos tributos pagos pelo povo brasileiro. A SEGUNDA, é a maneira disfarçada de transferir recursos para um regime que carrega em seu currículo dezenas de milhares de execuções de seres humanos. Fora as habituais “sessões passatempo” de torturas.
    Aliás, o governo do PT instalado no Brasil tem sido muito eficiente em transferir recursos para ditaduras e ditadores da África e da América Latina. Os suspeitíssimos “perdões” estão aí…
    Voltando aos médicos, com relação a deserções, isso dificilmente ocorrerá, será quase impossível, pois, como a mídia publicou, medidas jurídicas foram tomadas nesse sentido. Mesmo assim, caso algum deles fuja, será tomada a mesma solução adotada no caso dos lutadores de box, um avião da Venezuela virá buscá-los para levá-los de volta ao paraíso.
    Com tudo isso, o que sobra, é que os “cumpanheros” do PT mostraram às escâncaras, a face escravocrata do partido.

  8. Entendo que o governo de Cuba encontra-se numa sinuca de bico, se fizer uma abertura
    ampla, é o que muitos desejam, o EUA fará da ilha um bordel, como no tempo do Fulgêncio Batista,
    haverá meia dúzia de milionários e o resto do povo na pobreza. Se manter a política atual, o
    povo continua pobre, mas com educação, saúde, segurança e esporte, bem melhor que o Brasil.
    Sou contra a qualquer tipo de ditadura, mas não posso me furtar a esta análise.

  9. Prezado Hélio Fernandes: mais do que merecida a homenagem prestada a Francisco Alexandria.
    Foi o primus inter pares entre os guerreiros que conhecemos de perto. A generosidade nele se media pela bravura. Não as blasonava, Não proclamava ser possuidor de tão raras virtudes. Eram-lhes imanentes à rica personalidade. Certa vez, disse-nos: “quem conviveu com Hélio Fernandes — o grande privilégio que o curso da vida me ofereceu — tem o dever cívico de ser como ele: sem o sentimento do medo e sem o apego aos bens materiais nos momentos em que estão em jogo os interesses da Pátria”.
    A minha reverência à memória do grande baiano Francisco Alexandria é infinita. Viveu lutando por causas nobres. Com enormes sacrifícios da família. Infelizmente não recebeu nem receberá as homenagens que a Bahia lhe deve.
    Alexandria chegou a sofrer atentado a bala numa estrada do sertão, quando pereceu o companheiro ao lado e o carro novo ficou irrecuperável. Foi colocado um tronco de árvore impedindo a passagem na estrada estreita.
    Assomou ao Tribunal de Justiça da Bahia o desembargador Lourival Trindade, cujo ingresso fora sob os auspícios da Ordem dos Advogados, pelo quinto constitucional. Temos respeito por esse digno magistrado. Trouxemos seu nome para ligar sua bravura de advogado ao sacrifício de vida de Alexandria que falava no seu nome com entusiasmo.
    É oportuno esclarecer como se deu a aproximação entre os dois bravos. Corriam processos contra Alexandria em comarcas do interior da Bahia. Muita armação patrocinada pelo poder arbitrário de ACM e o cordão de puxa-sacos. Um juiz, de comarca sertaneja, para imprimir andamento a um desses processos, nomeou Lourival Trindade advogado dativo. Este, exímio profissional, somente conhecia Alexandria de renome. Ao examinar o processo, percebeu a gritante injustiça que pesava sobre seu defendido. Foi o bastante para que se apaixonasse pela causa. Ao conhecer Alexandria pessoalmente, aceitou defendê-lo em todos os processos. Falou acima de tudo naquele advogado o idealismo, pois Alexandria não tinha como pagar-lhe honorários. O sentimento de solidariedade humana do advogado Lourival Trindade fè-lo enfrentar, com admirável, destemor, o poderio de ACM e protegidos.
    Pedimos a uma amiga, procuradora de Justiça, que perguntasse ao já desembargador Lourival Trindade se fora advogado de Francisco Alexandria. A resposta aflorou pronta, explícita e referta de emoção: “Sim, não fui somente seu advogado. Fomos amigos até o fim”.
    Lourival Trindade é considerado um dos mais íntegros e cultos desembargadores da Bahia.
    Um leitor da Tribuna das Imprensa, de profissão jurídica, também admirador de Alexandria, contou aqui a luta travada por ele, com grandes prejuízos pessoais, quando residiu em Curitiba, contra os desmandos do governador nomeado Paulo Pimentel.
    Nossa admiração sempre se volta para os verdadeiros idealistas. Para os que muito se destacam no enfrentamento de lutas patrióticas.

  10. Prezado Hélio Fernandes: mais do que merecida a homenagem prestada a Francisco Alexandria.
    Foi o primus inter pares entre os guerreiros que conhecemos de perto. A generosidade nele se media pela bravura. Não as blasonava, Não proclamava ser possuidor de tão raras virtudes. Eram-lhes imanentes à rica personalidade. Certa vez, disse-nos: “quem conviveu com Hélio Fernandes — o grande privilégio que o curso da vida me ofereceu — tem o dever cívico de ser como ele: sem o sentimento do medo e sem o apego aos bens materiais nos momentos em que estão em jogo os interesses da Pátria”.
    A minha reverência à memória do grande baiano Francisco Alexandria é infinita. Viveu lutando por causas nobres. Com enormes sacrifícios da família. Infelizmente não recebeu nem receberá as homenagens que a Bahia lhe deve.
    Alexandria chegou a sofrer atentado a bala numa estrada do sertão, quando pereceu o companheiro que viajava ao lado e o carro novo ficou irrecuperável. Foi colocado um tronco de árvore impedindo a passagem na estrada estreita.
    Assomou ao Tribunal de Justiça da Bahia o desembargador Lourival Trindade, cujo ingresso fora sob os auspícios da Ordem dos Advogados, pelo quinto constitucional. Temos respeito por esse digno magistrado. Trouxemos seu nome para ligar sua bravura de advogado ao sacrifício de vida de Alexandria que falava no seu nome com entusiasmo.
    É oportuno esclarecer como se deu a aproximação entre os dois bravos. Corriam processos contra Alexandria em comarcas do interior da Bahia. Muita armação patrocinada pelo poder arbitrário de ACM e o cordão de puxa-sacos. Um juiz, de comarca sertaneja, para imprimir andamento a um desses processos, nomeou Lourival Trindade advogado dativo. Este, exímio profissional, somente conhecia Alexandria de renome. Ao examinar o processo, percebeu a gritante injustiça que pesava sobre seu defendido. Foi o bastante para que se apaixonasse pela causa. Ao conhecer Alexandria pessoalmente, aceitou defendê-lo em todos os processos. Falou acima de tudo naquele advogado o idealismo, pois Alexandria não tinha como pagar-lhe honorários. O sentimento de solidariedade humana do advogado Lourival Trindade fè-lo enfrentar, com admirável destemor, o poderio de ACM e protegidos.
    Pedimos a uma amiga, procuradora de Justiça, que perguntasse ao já desembargador Lourival Trindade se fora advogado de Francisco Alexandria. A resposta aflorou pronta, explícita e referta de emoção: “Sim, não fui somente seu advogado. Fomos amigos até o fim”.
    Lourival Trindade é considerado um dos mais íntegros e cultos desembargadores da Bahia.
    Um leitor da Tribuna das Imprensa, de profissão jurídica, também admirador de Alexandria, contou aqui a luta travada por ele, com grandes prejuízos pessoais, quando residiu em Curitiba, contra os desmandos do governador nomeado Paulo Pimentel.
    Nossa admiração sempre se volta para os verdadeiros idealistas. Para os que muito se destacam no enfrentamento de lutas patrióticas.

  11. José Reis Barata, pretendo ocupar-te perguntando? É normal ou simplesmente uma “doença” da elite exigir que frases proferidas por alguns ditos luminares de nossa história ou não, sejam ditas mencionando o nome de seu autor? Ou é uma maneira de mascarar seus preconceitos e discriminações?

  12. SE ESSA REUNIÃO ACONTECEU E LOGO DEPOIS O A DECISÃO FOI PARA O SENADOR O CASO É PREOCUPANTE DEIXA O SUPREMO EM CHEQUE E AS DECISÕES ALI TOMADAS DA IMPRESSÃO QUE SE JULGA É “O $ PRESTIGIO”

  13. Joaquim Barbosa carrega um sentimento atávico muito grande. Mas não acho que ele é inconveniênte, mal educado, desrespeitoso com seus pares ou com a sociedade. Alguém tem dúvida do comportamento suspeito de Lewandowisk? Sem me aprofundar lembro apenas a primeira sessão sobre o “mensalão”. Lewandowisk foi flagrado trocando e-mail com Carmem Lúcia. Qual o propósito dessa combinação?Lewandowisk amigo de mocidade de dona Marisa por conseqüência amigo de Lula. Alguém imagina que ele não vai se empenhar até o limite dos limites para absolver a turma do mensalão principalmente Dirceu? Barbosa tem que falar o que quizer. Chicana é termo empregado no meio jurídico. A é ofensivo? Tá bem então que seja. Barbosa é conhecido de todos seus pares,sempre foi assim; seus defeitos são humanos. A verdade em qualquer boca doi!

  14. É uma maravilha para o governo cubano sacrificar centenas de médicos (que lá vivem na merda) a viver numa merda menos fedorenta aqui. No mínimo, D. Dilma poderia impor 5 mil reais para o médico (+casa+comida+roupa lavada) e 5 mil para o Raul.
    Infelizmente, nossos políticos continuam pensando que são os patrões dos seus eleitores, quando a verdade é precisamente o contrário. Não fosse isso, o problema da educação já teria sido resolvido, desde os tempos do império. Mas, nos meus 75 anos, já perdí a esperança. ESSE PAÍS NÃO É MESMO SÉRIO.

  15. Assim como Albert Einstein, o nosso querido repórter, jornalista, literato e quixotesco Hélio Fernandes, não adquiriu horas de voos suficiente para se manifestar, e como na pauta da importação de médicos cubanos, em uma reunião entremuros universitários, certamente que seu singular dom para a escrita, não seria suficiente para conter o pasmo e/ou as risadinhas da meninada. Vá lá, Cuba não é o Jardim Botânico ou Lagoa Rodrigo de Freitas, diga-se, está mais para os arredores do Canal do Mangue, a gari Pedro II ou Praça Mauá. O mestre Hélio, pelo visto, não chegou a ler o grego Aristóteles, que pena!

  16. Caro Hélio Fernandes,
    Em pequenos detalhes se percebem imensas contradições em se tratando dos defensores e admiradores de Fidel Castro e sua política de manutenção no poder da ilha caribenha.
    A notícia dando conta de os valores que serão pagos aos médicos cubanos serão enviados diretamente a Cuba, em acordo internacional, e não aos profissionais que virão para cá, denota claramente o descaso nosso e deles pelo ser humano!
    O enalteciomento falso e demagógico, ilusório e mistificador, de o socialismo ser o sistema que menos injustiças sociais cometeria, cai por terra em forte impacto com esta forma de se manipular um cidadão e profissional, que se transforma em reles mercadoria e joguete nas mãos de líderes cruéis e insanos, incompetentes e despersonalizados.
    Onde está o PT que não berra contra esta exploração odiosa?
    Onde estão os próceres petistas que não criticam mais esta medida absurda da sua presidente que não consegue avaliar as consequências deste “acordo” que desconsidera o imigrante que virá para uma terra estranha, de idioma diferente, de usos e costumes próprios, e sem ganhar um tostão, pois o seu salário será embolsado pelos ditadores cubanos?
    Não será por acaso, Hélio, uma maneira de compensar os cursos de guerrilhas que foram feitos em Cuba, na década de sessenta, quando do regime militar brasileiro e, derrotados à época mas, agora, no poder, encontraram uma forma de pagar tais “aprendizados” às custas de inocentes?
    A gestão petista, desde Lula, tem sido pródiga em benefícios a Fidel, em empréstimos, vendas de equipamentos, construções, exportação de alimentos, culminando com a “importação” de médicos cubanos e mais dinheiro dado aos irmãos Castro não seriam demonstrações indiscutíveis de atenções especiais e peculiares a tais diatdores?
    A nossa presidente não estaria sujeita a sanções internacionais e até mesmo brasileiras por ter feito este “negócio” com seres humanos, e beirando a escravidão pelos salários que não receberão, a não ser o país de onde vieram?
    Considero este ato do governo brasileiro verdadeiramente vergonhoso, escandaloso, deprimente, que nos rebaixa perante o concerto das nações, e que nos impede criticar qualquer outro país que rejeita os direitos humanos diante desta nossa contradição explícita de se propagar o “social”, enquanto que o ser humano é desprezado em nome de ideologias e interesses escusos!
    Obrigado pela atenção, e eu ficaria honrado se lesse algum comentário teu a respeito das questões que menciono sobre esta situação vexatória que nos encontramos.

  17. Hélio é um cavalheiro, e não me responderá se não encontrar nas minhas perguntas motivo para se manifestar.
    No entanto, na ansiedade de ofender e no prazer que tal comportamento ocasiona, o comentarista acima cometeu um erro crasso ao atribuir ao nosso jornalista e repórter a definição de gaúcho – “o jornalista mencionou a estátua do gaúcho “metade cavalo e a outra metade também”!!!!” – quando, na verdade, a expressão citada pertence a Carlos Lacerda.
    Se, antes, Hélio não precisava me responder, acredito que, agora, forçado pela absurda acusação de ser o autor de uma frase pinçada isoladamente de um texto como de sua responsabilidade, deverá alertar ao desatento escrevinhador que precisa tomar mais cuidado sobre seu comportamento mal educado e desrespeitoso com os frequentadores deste Blog incomparável e, principalmente, com seu próprio autor, Hélio Fernandes.

  18. Realmente, prezado Hélio Fernandes, Mário Sérgio é carioca da gema e, como jogador, foi criado no Flamengo. Veio para o Vitória no início dos anos 70 e jogou num timaço ao lado do craque de 1,57m, chamado Osni. Este atuou no Flamengo, companheiro de Zico. Mário Sérgio costuma afirmar que o seu time do coração é o Esporte Clube Vitória, do qual se tornou sócio de relevo. Casou-se em Salvador. Embora separado, é pai de filho ou filhos de naturalidade soteropolitana.
    Não teve êxito como preparador técnico. Atribuímos isso às circunstâncias do futebol. Por não haver, por exemplo, dirigido time suficientemente forte. Vemos treinadores consagrados, que longe estão de se dotarem da inteligência de Mário Sérgio! Nenhum técnico, de quantos conhecemos, possui dotes mentais para ombrear-se com ele. Mas conseguiram encaixar no esquema.
    Assim caminha o futebol, movido a muito dinheiro. Terreno fértil para vir a lume os mais vis interesses. A partir da prevalência do exacerbado capitalismo, deixamos de ser torcedor entusiasta. Não vemos vantagem para qualquer clube ter-nos como torcedor. À vista de exercitarmos espírito crítico frente a comportamento de dirigentes. E por não termos nenhum ídolo nesse meio em que não mais se vê amor aos clubes.

  19. Tem jeito não. Nem de brincadeira se deveria falar em Barbosão para Presidente! Chega pra lá!… Um homem arrogante, sem educação, prepotente, vaidoso, orgulhoso, só concorda com quem está de acordo com ele. Me admiro, o Helio Fernandes! Sai pra lá! Se Deus é brasileiro, como confirmou o Papa, vai salva o Brasil desse Homem.

  20. Considerando-se, que Joaquim Barbosa fosse candidato, disputando as eleições com Dilma
    ou Lula (que dá no mesmo), Aécio Neves, Marina Silva e Eduardo Campos. Qual deles seria o
    menos ruim para se votar? Fica aqui a pergunta. Não seria sensato votar naquele mais honesto,
    com personalidade, que tenha coragem, levando-se em conta que alguns presidentes que tivemos,
    optaram pelo meio mais fácil de governar: a compra da base aliada do dinheiro e das benesses.
    É preciso alguém de coragem para acabar com isso.

  21. Amigo virtual e de visões de vida, caminham juntos; não se perdem, nem que se perca a hora:

    “Antonio Santos Aquino

    24 de agosto de 2013 até 11:42 am · Reply

    José Reis Barata, pretendo ocupar-te perguntando? É normal ou simplesmente uma “doença” da elite exigir que frases proferidas por alguns ditos luminares de nossa história ou não, sejam ditas mencionando o nome de seu autor? Ou é uma maneira de mascarar seus preconceitos e discriminações?

    Antonio Santos Aquino

    24 de agosto de 2013 até 11:58 am · Reply

    Joaquim Barbosa carrega um sentimento atávico muito grande. Mas não acho que ele é inconveniênte, mal educado, desrespeitoso com seus pares ou com a sociedade. Alguém tem dúvida do comportamento suspeito de Lewandowisk? Sem me aprofundar lembro apenas a primeira sessão sobre o “mensalão”. Lewandowisk foi flagrado trocando e-mail com Carmem Lúcia. Qual o propósito dessa combinação?Lewandowisk amigo de mocidade de dona Marisa por conseqüência amigo de Lula. Alguém imagina que ele não vai se empenhar até o limite dos limites para absolver a turma do mensalão principalmente Dirceu? Barbosa tem que falar o que quizer. Chicana é termo empregado no meio jurídico. A é ofensivo? Tá bem então que seja. Barbosa é conhecido de todos seus pares,sempre foi assim; seus defeitos são humanos. A verdade em qualquer boca doi!
    .
    José reis barata, Sds e saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *