O futuro incerto que assusta as pequenas e médias empresas de mineração

 Pedro Jacobi

Após ter discutido com vários conhecidos, colegas, empresários sobre esse  assunto estou realmente preocupado sobre o futuro da pesquisa mineral neste país  se for aprovado do projeto de lei do chamado Marco Regulatório da Mineração.

Eu me acho capacitado a emitir uma opinião sobre o assunto. Sou Geólogo e  Empresário da Mineração. Nos últimos anos eu busquei dinheiro no exterior para  as minhas empresas e investi em pesquisa mineral no Brasil. Desta forma, através  destas empresas de mineração foi investido mais de 70 milhões de Reais em  pesquisa mineral no Brasil. Tudo absolutamente legal e através do Banco Central.  Geramos empregos, distribuímos renda, pagamos impostos, fizemos levantamentos  geológicos, geoquímicos, geofísicos, sondagens, estudos de bulk sampling, de  metalurgia e de viabilidade.

Encontramos e estamos viabilizando jazimentos de ferro e ouro onde foram  calculados  recursos Jorc (medição de jazidas) com valores líquidos presentes (NPV) de vários  bilhões de dólares. Em breve essas minas serão implantadas trazendo riqueza para  várias regiões pobres deste País onde iremos gerar milhares de empregos.

Esse é o exemplo das riquezas que uma junior company bem sucedida traz para o  país: investimos em pesquisa mineral e multiplicamos o investimento com a  descoberta coisa que as grandes empresas não mais estão fazendo.

É isso que vai acabar definitivamente com esse Novo Marco Regulatório  da Mineração pois nenhuma empresa de mineração junior que eu conheço vai querer  investir em um país com essa legislação.

Hoje existem centenas de empresas junior de mineração no Brasil, empregando  milhares e trazendo bilhões de dólares de investimento estrangeiro que deverão  descobrir centenas de bilhões se não trilhões de dólares em novos jazimentos  minerais. Com o fim da empresa de mineração junior no Brasil isso tudo será um  pesadelo. O desemprego gerado pelo fechamento dessas empresas irá contagiar o  setor de serviços como sondagem e laboratórios e veremos o caos.

É disso que estamos falando.

(artigo enviado por Ricardo Sales)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

5 thoughts on “O futuro incerto que assusta as pequenas e médias empresas de mineração

  1. Caro Ricardo Sales,
    Caro Pedro jacobi,

    Nem tudo está perdido na mineração brasileira:
    Segundo a Polícia Federal e o Secretário Geral da Presidência, os mundurucus não querem nenhum empreendimento em sua região porque estão envolvidos com o garimpo ilegal de ouro no Tapajós e afluentes. Vai ver as hidrelétricas, ao elevarem os níveis dos rios, atrapalharão o desenvolvimento das “atividades culturais nativas” com dragas; além disso, um dos principais porta-vozes dos invasores em Belo Monte é proprietário de seis balsas de garimpo ilegal e que por isso estava tão “preocupado” com a ação policial.
    Já um relatório da PF afirmou que os mundurucus recebiam pagamentos em dinheiro, ouro e combustível para autorizar a garimpagem nas terras indígenas. Pagou, entrou!

    Por sua vez, em Rondônia, quando a PF bloqueou o acesso de garimpeiros à reserva Roosevelt e escasseou o dinheiro que próprios cintas-largas, que usavam os recursos originários do contrabando e garimpos ilegais para comprar carros, telefones de satélite e comida, estes foram os primeiros a reclamar da repressão policial e pedir a liberação da entrada dos brancos, mesmo tendo matado, impunemente, 29 garimpeiros em 2004, conforme foi divulgado na época.

    Quem sabe se os senhores conseguissem provar alguma descendência indígena poderiam amealhar alguma área e trabalhar com a sua empresa em paz?

  2. Caro Ricardo Sales,

    Tive pensando…
    Na CHINA tambem é assim! O Estado (na verdade, os donos dele) se apossam dos recursos da populacao e, em nome destes, “administra” e entrega para quem bem entender!
    Se um empresario da estirpe do Pedro Jacobi se preocupa dessa maneira, imagine os micromineradoes!
    Vai ver importaram o modelo chines!
    Boa sorte!

  3. O Sr. Francisco Vieira está certinho. Também conheço a história.

    Tomara que no Congresso o novo marco regulatório da mineração seja alterado para o bem das micro e pequenas empresas. Se o marco, por enquanto, as prejudica, tem de ser alterado.

    É uma lei que deve favorecer o empreendedor brasileiro, o capital nacional.

    Estamos todos apreensivos em relação a isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *