O joio, o trigo e a razão

Mauro Santayana (JB)  
A situação criada com as numerosas manifestações, no Brasil, nas últimas semanas, não se resolverá com a reunião realizada ontem em Brasília, da Presidente Dilma Roussef, com governadores e prefeitos de todo o país – embora o encontro seja um importante passo para atender às reivindicações dos que foram às ruas.
Seria fácil enfrentar a questão, se as pessoas que vêm bloqueando avenidas e rodovias – levantando cartazes com todo o tipo de queixas – fossem apenas multidão bem intencionada de brasileiros, lutando por um país melhor.

A Polícia Civil de Minas Gerais já descobriu que bandidos mascarados, provavelmente pagos, recrutados em outros estados, têm percorrido o país no rastro dos jogos da Copa das Confederações, provocando as forças de segurança, a fim de estabelecer o caos. Mensagens oriundas de outros países, em inglês,  já foram identificadas na internet, como parte da estratégia que deu origem às manifestações.

É preciso separar o joio do trigo. Além do Movimento Passe Livre, com sua postulação clara e legítima, há cidadãos que ocupam as ruas, com suas famílias, para manifestar  repúdio à PEC-37, que limita o poder do Ministério Público, ou para exigir melhoria na saúde e na educação.

QUEDA DAS INSTITUIÇÕES
E há outros que pedem a cabeça dos “políticos”, como se eles não tivessem sido legitimamente eleitos pelo voto dos brasileiros. Esses pregam a queda das instituições,  atacam a polícia e depredam prédios públicos, provavelmente com o intuito de gerar material para os correspondentes e agências internacionais, e ajudar a desconstruir a imagem do país no exterior.

O aumento brusco do dólar, a queda nos investimentos  internacionais, a diminuição do fluxo de turistas em eventos que estamos sediando, como a visita do Papa, a Copa e as Olimpíadas, não prejudicará só o Governo Federal, mas também as oposições, que governam alguns dos maiores estados e cidades do país, e  dependem da economia para bem concluir os seus mandatos.

Os radicais antidemocráticos  se infiltram, às centenas, no meio das manifestações e nas redes sociais, para pregar o ódio irrestrito à atividade política, aos partidos e aos homens públicos, e a queda das instituições republicanas. Eles não fazem distinção, posto que movidos pela estupidez, pelo ódio e pela ignorância,  entre situação e oposição, entre esse ou aquele líder ou partido.

Eles apostam no caos que desejam. Querem ver o circo pegar fogo para, depois, se refestelarem com as cinzas. Não têm a menor preocupação com o futuro da Nação ou com o destino das pessoas a que incitam à violência agora. Agem como os grupos de assalto nazistas, ou os fascistas italianos, que atacavam a polícia e os partidos democráticos nas manifestações, para depois impor a ordem dos massacres, da tortura, dos campos de extermínio, dos assassinatos políticos, como o de Matteotti.

UM AVENTUREIRO QUALQUER
Acreditar que o que está ocorrendo hoje pode beneficiar a um ou ao outro lado do espectro político é ingenuidade. No meio do caminho, como mostra a História,  pode surgir um aventureiro qualquer. Conhecemos  outros “salvadores da pátria”  que atacavam os “políticos”, e trouxeram a corrupção, o sangue, o luto, a miséria e o retrocesso ao mundo.

O encontro  entre a Chefe de Estado, membros de seu governo e os governadores dos Estados é o primeiro passo em busca de um pacto de união nacional em defesa do regime democrático, republicano e federativo. A presidente propôs consultar a população e a convocação de nova assembléia constituinte a fim de discutir, a fundo, a reforma política, que poderá, conforme as circunstâncias, alterar as estruturas do Estado, sem prejudicar a sua natureza democrática.

É, assim, um entendimento que extrapola a mera questão administrativa – de resposta às reivindicações dos cidadãos honestos que marcham pelas ruas – para atingir o cerne da questão, que é política.  Há outras formas de ação da cidadania a fim de manifestar suas idéias e obter as mudanças. A proposta popular de  emenda constitucional, como no caso da Ficha Limpa. Cem mil pessoas que participam de uma manifestação, podem levantar 500 mil assinaturas em uma semana, a fim de levar ao Congresso uma proposta legislativa.
 Não é preciso brincar com fogo para melhorar o país.
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

10 thoughts on “O joio, o trigo e a razão

  1. E se o PT não reagir e a direita ganhar?
    Haverá um imediato retrocesso. //////// O PSDB fará de tudo para fazer o que já fez com a Vale: doar o pré-sal às empresas americanas.//////// O Brasil parará os estaleiros. //////// A drenagem do Rio São Francisco terá as obras paralisadas por questões de “economia” e para parar com toda a “corrupção”. //////// O Mercosul será totalmente desqualificado. Os acordos com a Unasul serão desfeitos. //////// O Banco de fundos da América Latina não se concretizará. //////// O apoio à África deixará de existir. //////// Faltarão todos os insumos para as mais de duzentas escolas técnicas que o PT viabilizou, até que se tornem totalmente desfiguradas e inviáveis. //////// Faltará de tudo nas Universidades Federais. //////// Faltará novamente comida na hora do rancho nos quartéis.//////// A Rede Globo será perdoada da dívida de 2,1 bilhões de reais ao imposto de renda. //////// Os hospitais perderão até as ambulâncias do Samu ( que o PT implantou) e as escolas sofrerão, como sempre sofreram por toda história de um esquecimento total e profundo, como já aconteceu na era FHC. //////// O cinema brasileiro voltará a ser o quer era na era FHC : um nada ! /////// Mas, e os manifestantes ? /////// Os manifestantes sairão das ruas e farão festa, porque conseguiram acabar com a enorme corrupção dos “petralhas” e porque conseguiram trazer de volta os maiores juros do mundo para o país. //////// Os manifestantes não farão as contas, como nunca fizeram, para saber que 1 % na taxa de juros por seis meses, paga todos os estádios, tudo que será construído para a copa, as olimpíadas, e ainda sobrea dinheiro. //////// A ignorância é o pior inimigo.

  2. O problema de dona Dilma é a total falta de humildade.

    Numa hora dessas, tem-se que deixar as diferenças ideológicas de lado.

    ELA PISOU LITERALMENTE NA BOLA AO NÃO CONVOCAR A OPOSIÇÃO PARA A REUNIÃO.

  3. Na história do jornalismo o joio já está separado do trigo e Santayana é tudo, menos o trigo.
    Querendo acalmar os ânimos da nação inteira, que somos nós os revoltados com os desmandos desse governo mentiroso, para ajudar sua coleguinha de religião, ele tenta desqualificar alguns dos manifestantes como se fossem paus mandados de interesses escusos. Essa não cola santayana, as condições de vida da população não visivelmente precárias, bem ao contrário daquilo que o governo que você apoia afirma, de que com a administração petista acabou a miséria e quem ganha salário mínimo é classe média.
    Essa gente mais exaltada realmente se excede, mas a razão disso não é por capricho não, é pelo inferno de viver a vida que vivem e assistir seus “cumpanheiros”, santayana, fazer o que fazem.

  4. O Novo Brasil de Verdade, pelo qual o povo já grita nas ruas, é incompatível com o retrocesso e tb com o continuismo do mais dos mesmos. Logo, as pesquisas que aí estão tb derreter-se-ão ao calor ainda mais intenso das ruas em 2014, bem como os nomes colocados nas pesquisas que aí estão, e que nada têm a ver com aquilo que o povo brasileiro quer, doravante, para si e para o Brasil,ou seja, a Verdade como Ela é, que, aliás, tem nome, sobrenome, apelido, sigla e endereço certos, tal seja A Revolução Pacífica do Leão (RPL), o Novo Caminho de Verdade para o Novo Brasil de Verdade, cujo apelido é Mega-Solução, porque evoluir é preciso,e, sobretudo, porque juntos, unidos ao povo pelo mesmo ideal comum, somos capazes de fazer mais, muito mais, do que o velho continuismo sozinho. Daí, a parceria imprescindível entre a RPL-PNBC-ME e os partidos idealistas se é que existem no Brasil, caso o povo tenha a pacíência de esperar até outubro de 2014.

  5. Boa noite ilustres leitores(as),é com muita satisfação que vejo o povo brasileiro(a) se rebelar e se manifestar abertamente contra a roubalheira e demais crimes de lesa pátria, contra o “Brasil” e seu povo(sem intromissão política),só nos falta incluir na pauta de reinvedicações e questionamentos a legitimidade das mudanças nas leis brasileira (principalmente na contituição brasileira) desde o ano de 1985,pois como é de conhecimento do todos,a grande maioria de nossos “ditos”representes são desonestos(lesa pátria).

  6. Essa tal esquerda ( bando do PT, Collor, Sarney,etc) já começa a ficar com medo de perder a boca rica em seus cargos de malandros na máquina pública. Por isso inventam aquilo que nem existe mais no Brasil: a direita.
    Arranja outra malandro, essa não colou.

    Como não colou a de que brasileiro de salário mínimo é classe média e o bolsa-família acabou com a miséria.
    Esse é o bando do PT: mentira e corrupção.

  7. Esse Santayana é maluco.Que mensagens em inglês são essas?Quais as fontes?De onde veio essa informação? É obrigação do jornalista dar credibilidade ao que escreve.

  8. Com a queda dos índices de aprovação do governo alcançou-se o objetivo principal que está por trás das manifestações, interromper a continuidade do PT e de seus aliados. Vivemos tempos modernos de marketing político que pegaram carona no movimento. Obs.: o custo de construção dos estádios da Copa está dez(10%) por cento superior aos que foram construídos na África do Sul e Coréia/Japão.

  9. O mentirosos do partido da mentira começam tomar fôlego e já apresentam aquilo que eles só sabem fazer: mentir.
    Também, com a boca boa na máquina pública com mais de 39 ministérios e mais de 50 mil cargos no governo, para não fazer nada e ganhar muito, essa canalha vai lutar até o fim para manter sua vida boa às custas desse povo que está nas ruas, que ganha salário mínimo e que o PT diz que é classe média.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *