O mdico e o monstro na sucesso


Carlos Chagas

A partir deste fim de semana, Dilma e seus ministros precisaro tomar cuidado. Viagens, inauguraes, distribuio de casas e tratores e demais bondades a que o governo acostumou-se, seno proibidas, esto limitadas pela lei eleitoral. Torna-se mais difcil misturar a administrao federal com a reeleio. O olho do Tribunal Superior Eleitoral, irrigado pelo colrio dos partidos de oposio, estar atento para que no se misture a campanha pelo segundo mandato com as obrigaes de quem mantm os controles da ao administrativa federal.

Trata-se de uma contradio criada pela malandragem de Fernando Henrique Cardoso, quando arrancou do Congresso a emenda da reeleio de presidentes da Repblica, governadores e prefeitos, sem a necessria desincompatibilizao dos titulares seis meses antes das eleies. De l para c puderam os personagens confundir duas situaes conflitantes: de executivos com a caneta e o dirio oficial na mo com a cmoda busca de votos junto ao eleitorado.

Uma mistura indigesta para a consolidao das instituies democrticas, mas um expediente canhestro para beneficiar o abuso dos detentores do poder. Prtica que anda longe de ser revogada pela tica e pelo bom senso, pois se um dia beneficiou os tucanos, agora favorece os companheiros e amanh, com certeza, quantos venham a ser bafejados pela sorte nas urnas.

A reeleio tornou-se a pedra de toque da distoro dos princpios democrticos criados depois dos tempos bicudos da ditadura e, pelo jeito, veio para ficar. Um cidado eleito por quatro anos, julga-se no direito de ficar oito, valendo-se dos benefcios do exerccio do poder. Uma usurpao, tanto quanto uma malandragem. Tanto assim que a justia eleitoral veio em socorro do bom senso e da tica, estabelecendo limites que comeam a valer a partir de amanh, ainda que incompletos e frgeis. Para pedir votos, Dilma no poder valer-se do avio presidencial, muito menos permitir que a assessoria de imprensa palaciana divulgue sua agenda de candidata. S que seu partido, o PT, alugar quantos jatinhos se tornem necessrios para suas viagens eleitorais, bem como sofisticados escritrios e grupos de comunicao muito melhor aparelhados eletronicamente do que os mecanismos oficiais.

Esta semana, em funo das novas regras, o secretrio-geral da presidncia da Repblica, Gilberto Carvalho, desligou-se de suas funes palacianas para assumir a direo geral da campanha de Dilma.

Sero duas personalidades diferentes? Dr. Jeckill e Mr. Hide, importando menos saber quem o mdico e quem o monstro? A experincia adquirida nos ltimos quatro anos da atual presidente, e os oito do perodo Lula, precisaro ser esquecidos e anulados por Gilberto Carvalho, quando ele tomar decises especficas para melhorar os ndices de popularidade da candidata?

Vivemos uma farsa estendida aos governos estaduais e, em outro calendrio, s prefeituras. Nem se fala no relacionamento dos altos funcionrios do governo com as empreiteiras e demais beneficiados de seu relacionamento permanente, agora transformados em doadores da campanha desenvolvida pelos mesmos personagens, apenas com roupa diferente, mas s nos fins de semana.

Em suma, uma pantomima que ningum pretende encerrar, muito menos os candidatos da oposio. Porque, um dia, eles imaginam valer-se das mesmas facilidades para estender seus mandatos.

7 thoughts on “O mdico e o monstro na sucesso

  1. Sr. Chagas, permita, assino embaixo. cabe aos mais esclarecidos, propor aos “Mans e Marias desavisados” de suas comunidades, que no REELEJA, como repudio a essa “safadeza do FHC” traidor da Nao.
    Nossa falsa republica democrtica, s passar a VERDADEIRA REPUBLICA DEMOCRTICA, quando o Eleitor que se DIGNIFICA com o VOTO, NO ELEGER OS “CANALHAS” QUE LHE ROUBAM SEUS DIREITOS BSICOS DE CIDADANIA: ESCOLA, SADE, SEGURANA, TRANSPORTE.
    Enquanto reeleger “canalhas”, o eleitor, no tem o “DIREITO DE RECLAMAR”.
    O OCEANO DE LAMA EM QUE ESTAMOS MERGULHADOS, FRUTO DO CIDADO – CONTRIBUINTE – ELEITOR, QUE VENDE SUA CONSCINCIA POR CACHAADA.
    A ‘CANALHADA NO VAI MUDAR, O NICO QUE PODE E DEVE, O ELEITOR, COM A NO REELEIO DOS EXECUTIVOS, E AO MENOS 90% DOS LEGISLATIVOS, PARA ESSES, AINDA, POUQUSSIMOS MERECEM A REELEIO, O MELHOR NO REELEGER.
    05/10, VOTO PATRITICO, APESAR DE OBRIGATRIO, PARA SALVAR O SR.BRASIL.
    EA DE QUEIROZ NA CANALHADA; POLTICO QUE NEM FRALDA DE CRIANA, TROCAR SEMPRE PELO QUE CONTEM.
    POR UM BRASIL DECENTE E JUSTO.

  2. MANIFESTAO DOS APOSENTADOS, PENSIONISTAS E DEMITIDOS VARIG E E TRANSBRASIL AMANH DIA 05 DE JULHO DE 2014 A PARTIR DAS 10 HORAS EM COPACABANA. CONCENTRAO SER EM FRENTE AO HOTEL COPACABANA PALACE. TODOS L PARA MOSTRARMOS A NOSSA INDIGNAO CONTRA O GOVERNO DA SENHORA DILMA ROUSSEFF QUE EM 13 DE AGOSTO DE 2013 MANDOU RESOLVER A GRAVE QUESTO AERUS MAS AGORA DISSE RECENTEMENTE QUE NO H RECURSOS PARA RESOLVER A GRAVE QUESTO. NOS FIZERAM DE PALHAOS. GOVERNO DILMA CONTINUA A NOS HUMILHAR. TODOS L AMANH.

  3. Nas grandes naes, existe o instituto da reeleio. Aqui, FFHH “sacou-a” com a ajuda dos aliados de ento. Quem era contra, naquele momento, abraou-a e beneficiou-se dela aps. Sem carter, nos dois momentos.
    Nem o atual e nem o futuro congresso nacional promovero reformas e, se o fizerem, ser para ajeitar coisas para eles prprios.
    Por mais “fora da casinha” que possa parecer, fundamental uma reforma geral no conjunto de leis relacionadas a rea poltica e organismos de fiscalizao, controle e justia.
    Tudo mais comear a funcionar, automaticamente.

  4. ser que algum dos comentaristas do blog pode explicar como o brasil tem bilhes/o cofre aberto disposio dos corruptos/ladres da vez e nada x nada para as necessidades bsicas dos cidados que contribuem com sangue, suor e trabalho para fazer dessa uma grande nao? Nunca??? por favor, quem se habilita?

  5. Aqui no rj elegeram e reelegeram o (des)governador e o, perdo pela palavra, prefeito, apenas para eles cumprirem os acordos feitos com os empreiteiros et caterva que, mesmo recebendo bilhes, fazem obras malfeitas, usam material de 5 – s dar uma vista d’olhos, por exemplo, no tribunal de justia do estado, cujas ‘lminas’ ( assim que chamam os anexos mais recentes) construdas recentemente j esto com os mrmores todos rachados, enquanto oa mais antigos esto l, intactos. Os banheiros (destinados ao pblico, esclarea-se) so verdadeiras indignidades. Agora, a atual presidente, Desembargadora Leyla Mariano, j contratou nova reforma no tj; enquanto isso, o povo, mais uma vez chamado para pagar a fatura, vai pagar alugueres, certamente superfaturados, de 5 andares num prdio recm construido ao lado do prdio da “nova cedae” (as prticas continuam antigas…) para transferir uma grande parte das Varas cveis e de familia para l, enquanto faz a ‘readequao’ do tribunal.

  6. Ouvimos, depois de um ano, uma resposta negativa no sentido de que no h recursos,
    No h recursos para pagar os aposentados, pensionistas do AERUS, mas h dinheiro e muito dinheiro para CUBA, VENEZUELA, PERDOAR DVIDAS DE PASES AFRICANOS, CARTES CORPORATIVOS E ETC….ETC……

    Dona Dilma e sua turma merecem ser expurgados da poltica brasileira em 05 de outubro de 2014. APOSENTADOS BRASILEIROS E FAMILIARES VOTEMOS CONTRA ESTE GOVERNO DO PT. NO PERMITAMOS QUE SE REELEGAM DE MANEIRA ALGUMA.
    Somos Milhes de aposentados brasileiros. Podemos fazer a grande diferena nesta eleio presidencial de 05 de outubro de 2014.

    Senador Paulo Paim lamenta, mas o que ele, senador, deveria fazer ir pessoalmente a Dona Dilma e dizer para ela que brincar com pessoas de idade avanada um crime, mas isto ele, senador Paulo Paim, no tem a coragem necessria de fazer isto.

    • Correo nas aposentadorias. Aqui e ali o assunto volta a repercutir. Em perodo eleitoral, as promessas reaparecem e os aposentados so alvos, novamente.

      Ainda hoje, comentava com amigo que o Senador Paim, quando na oposio, tinha soluo para corrigir os valores recebidos pelos “assaltados aposentados.” Alis, conquistou mandatos com muitos votos deste segmento. Quando nos governos FFHH, era um batalhador. Acusava o governo de NO TER VONTADE POLTICA e afirmava, peremptoriamente, que a previdncia social era superavitria e que no pagava por que no queria. Era a tal de “falta de vontade poltica”!

      Do arquivo trago o texto a seguir: “04/10/2013 – Aposentados – O senador Paim cobrou da Cmara dos Deputados a aprovao de projetos do Senado que favorecem os aposentados e pensionistas. Ele lembrou que j passou o prazo e o governo no cumpriu a promessa de negociar uma proposta alternativa que permitisse o fim do fator.
      – Por isso, venho mais uma vez insistir, como j fao h treze anos, para que esse maldito fator tenha fim apelou o senador.
      Paim citou ainda projeto que reajusta o valor das aposentadorias e penses com base nos mesmos parmetros da correo do salrio mnimo.
      O senador ainda cobrou deciso do Congresso a respeito da instituio do voto aberto, lembrando que j sugeriu duas propostas de emenda Constitucional com essa finalidade, uma quando ainda era deputado e outra depois de entrar no Senado. Para o senador, o voto deve ser sempre aberto, sem qualquer exceo.”

      E agora? O governo no de outro partido. Quatro mandatos, consecutivos, de governos do seu partido e nada de mudanas.

      Pergunto: por que no age da mesma forma, com a mesma energia? Faltava vontade poltica do outro governo e do seu ? Quando assisto seus discursos, suas manifestaes dissimuladas, tenho vontade de dizer: ai est mais um enganador, um conversador, que dedica seus mandatos na defesa de um governo corrupto e da classe que adotou: a poltica. Mais um profissional na arte de enganar e de buscar mandatos.

      Muitos aposentados, sem noo poltica e a compreenso necessria da situao, continuam se enganando (ou sendo enganados) com as reais intenes do “gajo”.

      E concluo: para quem gacho de Caxias do Sul, o senador est “chiando muito”, cada vez mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.