O mistério da mulher de vermelho na abertura das Olimpíadas

Paulo Nogueira

Uma jovem indiana, Madhura Honey, entrou para a história dos Jogos de Londres, mas não por causa de algum feito esportivo.

Ela simplesmente se juntou à delegação indiana no desfile da abertura das Olimpíadas. Com um enorme sorriso, ficou estrategicamente ao lado do porta-estandarte, sob a vista das 80 000 pessoas presentes ao Estádio Olímpico e de 1 bilhão de espectadores em todo o mundo.

Vestida de vermelho e azul, Madhura se destacou amplamente das demais mulheres indianas, as atletas, graciosamente embaladas em sáris amarelos.

O único problema é que não era para ela estar lá.

Madhura, de vermelho e azul, no desfile indiano

Ela permaneceu até o final da cerimônia. Acompanhou no campo, ao lado de atletas de todas as partes, a emocionante execução de Hey Jude por Paul McCartney – o fecho da grande festa.

E então voltou à obscuridade anônima da qual saíra sensacionalmente.

Os sites de notícia indianos logo começaram a perguntar: quem é aquela mulher? “O Mistério da Mulher do Desfile” – era esse o tom dos primeiros artigos dos jornalistas indianos. Os chefes da delegação olímpica da Índia se julgaram ultrajados – e reclamaram formalmente para a organização dos jogos.

O mistério enfim foi desfeito quando amigos da intrusa revelaram seu nome. Indiana, Madhura está vivendo em Londres, e se voluntariara para trabalhar nos jogos, como milhares de outras pessoas. Em sua conta no Facebook – desativada – ela vinha mostrando com orgulho o passe que conseguira.

Não estão claras ainda as consequências legais que ela enfrentará. Mas é certo que, entre as fotografias marcantes dos Jogos de Londres de 2012, Madsuma aparecerá per omnia secula seculorem – para todo o sempre.

Fica aqui entregue a Madhura Honey, até segunda ordem, o prêmio Pataquada Olímpica, a ser entregue pelo Diário no final de Londres 2012.

Caso alguém queira indicar candidatos, sugestões serão bem-vindas. Por enquanto, Madhuma é o nome a ser batido.

(Transcrito do site Diário do Centro do Mundo)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *