O mistério do Bolsa-Família permanece

Carlos Chagas

A charada continua, dentro de um enigma envolto por um mistério: se apenas no sábado, 18, espalhou-se o boato de que o Bolsa-Família ia acabar, por que na sexta-feira, 17, a Caixa Econômica Federal  municiou suas agencias com 150 milhões de reais, antecipando-se a uma corrida bancária impossível de ser prevista naquele dia! E que empresa de telemarketing era essa que, conforme desconfiança da Polícia Federal, entrou nas redes sociais alertando para a extinção  do benefício?  Quem a contratou?

Na Etiópia, onde se encontrava, a presidente Dilma admitiu um erro da Caixa Econômica ao passar cinco dias negando haver liberado recursos  extras para o pagamento do Bolsa-Família e, no sexto,  confirmado o óbvio.

Pelo jeito, aconteceu mais do que  um erro, na Caixa e fora da Caixa. Uma sabotagem, com certeza, tanto faz se pautada pela má-fé de muitos  ou pela irresponsabilidade de um só. Uma necessidade torna-se absoluta: o esclarecimento total do episódio. A quem interessava abalar e desmoralizar o Bolsa-Família! Jamais ao governo,como nunca, também à oposição. Grupos de lá e de cá, porém, não podem ficar de fora.

Agora, a Polícia federal já não culpa o telemarketing e o governo diz que o erro foi do terceiro escalão.

Supor essa lambança como parte do processo sucessório seria a conclusão  de qualquer detetive em início de carreira, mas o importante, agora que  começaram os golpes abaixo da linha da cintura, o importante é prevenir o próximo. Qualquer mentira, se bem contada, conturbará o ambiente. Se espalharem que a Petrobras foi vendida, quantos acionistas procurarão livrar-se de seus títulos!  Ou se as redes sociais divulgarem estar o PMDB a um dia de aprovar Medida Provisória estabelecendo o sistema parlamentarista!  O ingresso de “marines” na Amazônia ou a transformação de tribos em nações indígenas,reconhecidas pelas Nações Unidas como países independentes…

ALÉM DA INFLAÇÃO

Importa  menos, hoje, saber se a inflação está sob controle, como diz o ministro Guido Mantega, ou se desembestou, como alerta Aécio Neves. A registrar está o fato de que de janeiro para cá os preços subiram rapidamente nos supermercados e nas feiras livres.  Não há um cidadão incapaz de perceber que os salários estão comprando menos.  Se existe mesmo no governo um tecnocrata que trabalha com a redução dos reajustes salariais, seria bom o comando de campanha da presidente Dilma mandá-lo passear. A alta do custo de vida poderá constituir-se num obstáculo à reeleição.  Haverá quem duvide…

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “O mistério do Bolsa-Família permanece

  1. é com esse tipo de mentalidade que( pensando só na eleição seguinte) que não progredimos na tão sonhada democracia só pensamos no poder pelo poder.

  2. O esquema foi montado para tirarem proveito e denegrirem a imagem da oposição. O espetaculo foi montado pelos quadrilheiros do PT que esperavam tirar proveito eleitoral do fato. O tiro saiu pela culatra. Foi mostrado para todo o Brasil para quem e como e distribuido por esses criminosos petista o dinheiro do Brasil. Alias a propria Presidenta dá o exemplo do mal uso do dinheiro publico quando sai pelo mundo distribuindo nossos recursos como se ela fosse a dona do dinheiro que e recolhido do povo Brasileiro.

  3. Será que o Lula poderia ter agido no médio/alto escalão da CAIXA para provocar este ocorrido e causar embaraço à administração Dilma? Pode ser…

  4. Lula agiu junto ao Médio/alto escalão da CAIXA e provocou o ocorrido de forma a constranger a administração Dilma e retornar em 2014. É a cara dele…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *