O novo roteiro da economia não traz novidades

Charge do Iotti, reprodução da Zero Hora

Carlos Chagas

O novo ministro do Planejamento, Romero Jucá, anunciou para até o final do ano o corte de 4 mil cargos em comissão no governo federal, em todo o país. Como são 32 mil os nomeados pelo PT e penduricalhos, nos últimos treze anos, faltarão ainda 28 mil para limpar o terreno, mas já parece um bom começo.

O diabo é que a operação não surge tão simples assim. Só por milagre o governo deixaria de recompor pelo menos a metade dos demitidos. Trocaria os companheiros por aliados capazes de votar seus projetos no Congresso. Nada de deixar vagos os cargos antes ocupados pelo PT, mas encontrar aliados dispostos a sustentar a nova ordem. Não se trocará o seis por meia dúzia, mas se substituirão petistas por liberais ou coisa parecida. Em matéria de economia, nenhuma, ou quase. Num país de 12 milhões de desempregados, despede-se 4 mil mas contrata-se outros quatro mil, só que oriundos dos partidos antes postos em desgraça e agora de volta ao centro do palco.

Coube ao novo ministro da Fazenda acrescentar a essa singular operação de troca outro malabarismo: “caso se torne necessário adotar um novo tributo, ele será anunciado, mesmo  temporariamente”.

Trata- se da confirmação da CPMF, versão Michel Temer. Ficará para as calendas sua revogação. Quem vai pagar esse novo esbulho? Ora, os assalariados que se obrigam a expedir cheques ou utilizar alternativas como talões de crédito, cartões bancários e sucedâneos.

Para cada lado da economia que se olhe, mais sacrifícios. Claro que junto com o aumento de preços. Tudo em prol da volta ao crescimento. Quem quiser que acredite, mas esse é o roteiro do novo governo.

4 thoughts on “O novo roteiro da economia não traz novidades

  1. esse meirelles já amarelou, CPMF para a famiglia dele…; nó górdio de Temer; também assustamo-nos, quando em princípio, ouvimos falar num bispo para ciência e tecnologia, quando sabidamente ciência & igreja (ou estado-igreja) sempre foram antagônicos….

  2. Carlos, cortar os cargos não significa que os petistas permanecerão ocupando os outros que não foram cortados? Não faz sentido dizer que o novo governo precisa destes quatro mil para colocar seus próprios filiados. Como se trata de cargos comissionados, simplesmente removerão mais petistas dos cargos que ficarão. Senão seria muita burrice do Temer.

  3. A busca pela austeridade fiscal é uma enorme novidade junto com o governo que entra, sr. Chagas.

    Austeridade fiscal que faltou no governo petista desde a entrada de Guido Mantega para a pasta do Ministério da Fazenda.

    É uma tremenda novidade aguardada com ansiedade pelo país.

  4. Carlos Chagas, a CPMF vai entrar devagarinho e a elite vai sorrir e gozar. Se não sorrirem o agente da CIA Michel Temer segundo a WIKILEAKS, manda o seu minitro da justiça tomar providências. Agora os protestos tem que ser civilizados, falando baixinho como se estivessem em uma igreja. Caso contrário o “pau come”. Todos já estão avisados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *