O outro PM também não atirou o coquetel molotov. E agora?

Carlos Newton

Está ficando cada vez mais interessante essa desesperada tentativa de atribuir a soldados da PM o lançamento de coquetéis molotov contra a própria tropa de choque. Em matéria de “teoria da conspiração”, nunca se viu nada igual. O mais incrível é que as “acusações” se baseiam num vídeo mambembe, distribuído pela própria Polícia Militar.

Traduzindo: 1) Integrantes da Polícia tentam matar, aleatoriamente, outros soldados da mesma corporação. 2) Com que motivo? Ninguém sabe, ninguém diz. 3) A PM grava e divulga o crime gravíssimo cometido por um de seus membros. 4) A sociedade, indignada, descobre a trama e a denuncia pela internet. 5) O Ministério Público abre inquérito. 6 ) O caso imediatamente repercute no exterior.

No entanto, com base no vídeo mambembe, jamais alguém conseguirá provar qualquer acusação contra os dois PMs que estava infiltrados entre os manifestantes, no dia da chegada do Papa Francisco.

Motivos: 1) as imagens são péssimas e inconclusivas. 2) Aparecem vários homens vestidos com camisetas negras semelhantes às usadas pelos dois policiais filmados se reintegrando à tropa de choque. 3) Um dos PMs fica totalmente excluído de suspeita, porque sua camiseta era diferente. 4) O outro PM, também. Se o vídeo do lançamento do coquetel molotov for examinado com atenção, dá para ver que a calça do vândalo é bem mais escura do que a usada pelo outro soldado, que era quase branca.

Quanto ao Coletivo Mídia Ninja, logo voltaremos ao assunto, com grandes novidades. E la nave va, fellinianamente.

 

 

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

17 thoughts on “O outro PM também não atirou o coquetel molotov. E agora?

  1. Crime gravíssimo da PM contra a PM! Leiam na mídia oficial. O único policial ferido pelos “manifestantes” teve alta em menos de 24 horas. Qualquer queimadura mais importante o paciente não pode ser liberado antes de 24 horas pois tem o risco de infecção e tem o período de observação! Aqueles molotov foram sim, um fake da PM para iniciar a pancadaria. Eu já estive no primeiro fora Cabral no Leblon e VI (ninguém me contou) a PM iniciar do nada. Lá não teve molotov inicial. E lo Titanic va, dilmanianamente…

    http://oglobo.globo.com/rio/policial-ferido-por-coquetel-molotov-no-protesto-desta-segunda-feira-teve-alta-do-hospital-9152507

  2. Castelo de areia desmanchando I …

    GAMER OVER 1 !!!

    http://thelede.blogs.nytimes.com/2013/07/24/video-of-clashes-in-brazil-appears-to-show-police-infiltrators-among-the-protesters/?_r=2

    As pernas do Estado foram quebradas…

    Castelo de areia desmanchando II…

    GAMER OVER 2!!!

    https://www.youtube.com/watch?v=CPdJuQf3WMk&feature=youtu.be&desktop_uri=%2Fwatch%3Fv%3DCPdJuQf3WMk%26feature%3Dyoutu.be&nomobile=1

    Não foi ” BRUNO FERREIRA TELES ” !!!

    Quem chegou até aqui, percebe agora o chorume deste nefasto sistema!

  3. Helio Fernandes, suguestão para próxima matéria:

    Bruno que foi acusado e preso pela PM por atirar o primeiro molotov, não foi quem atirou o molotov!

    discorra sobre este assunto, por favor.

  4. Sr. Carlos Newton,

    Não estou entendendo a sua postura ao defender esse “polícia” militar que a todos nós envergonha. O Senhor já leu o artigo do NYT?

    http://thelede.blogs.nytimes.com/2013/07/24/video-of-clashes-in-brazil-appears-to-show-police-infiltrators-among-the-protesters/?_r=0

    Continuo não entendendo como a Tribuna, que sempre combateu a SAFADEZA DOS GOVERNANTES, MAGISTRADOS CORRUPTOS E OUTROS PORCOS, que enojam a todos os brasileiros, posiciona-se do lado do opressor. Espero que esse opção seja apenas sua. Fico pensando qual seria a sua verdadeira intenção, mas prefiro acreditar que, após anos de jornalismo, o cansaço e a senilidade já estejam batendo à porta. Não seria hora de jogar a toalha, dar oportunidade aos jornalistas mais jovens a permanecer escrevendo artigos tendenciosos e inverídicos?

  5. O Carlos Newton está mais perdido que cego em tiroteio. Primeiro fez postagens defendendo os policiais e dizendo que o indivíduo que arremessou o molotov não era o policial que aparecia em uma foto. Sendo que quem acompanha os vídeos postados no Youtube e redes sociais sempre soube que não era mesmo o tal policial, o suspeito era outro. O próprio Carlos Newton postou os vídeos aqui e não entendeu que o policial suspeito era o que estava com camiseta e não o que tirou a camiseta.

    Agora se contradiz dizendo que “as imagens são péssimas e inconclusivas” e logo em seguida ele mesmo tira várias conclusões, como o tipo de camiseta usada por vários indivíduos e a cor da calça que usavam.

    Depois de tanta discussão nas redes sociais, até a Rede Globo anda tentando ser imparcial e apresentando outras versões dos fatos, mas o Carlos Newton continua nesta defesa incondicional dos policiais, parece que virou advogado contratado da PM do Rio.

    Realmente é apenas uma suspeita. É certo que havia policiais infiltrados na manifestação. Pelas imagens vistas até agora, ficam apenas suspeitas sobre quem pode ter arremessado o molotov. Não dá pra acusar veementemente que os policiais que arremessaram. Porém, vimos que a PM mentiu sobre o rapaz (Bruno) que foi preso ter sido o autor do ataque. Eles também mentiram no dia que prenderam o rapaz e falaram que ele portava uma mochila com molotovs. Este vídeo (https://www.youtube.com/watch?v=CPdJuQf3WMk) postado pelo comentarista do blog mostra bem que o rapaz não estava de mochila e não foi ele que fez o ataque.

    Então meus amigos, o que podemos esperar de uma polícia que prende um inocente e o acusa de portar explosivos e de ser o autor dos ataques? Fora os choques com taser que um policial covarde aplicou quando o rapaz se encontrava já dominado no chão.

  6. No primeiro video o rapas esta sem mochila, o Segundo video mostra o rapaz BRUNO novamente sem mochila indo na frente de todos os outros e o tal molotofe vem por tras da multidão, agora uma perguntinha que nao me sai da cabeça , porque seria que na vida real um monte de PM mata uma juiza em Niteroi, sera que isso tbem nao ocorreu na verdade?
    Na cabeça de muitos jamais um Policial jogaria um molotofe em direçao a outro policial, sera que a bomba no rio centro tbem no aconteceu?
    Esta tudo errado…..isso nao e normal…agora justificar o baixar o cassetete como foi ditto pelo senhor newton e correto?

  7. Rapaz sera que os almofadinhas deixarão passar em branco o prazer de me corrigir…..vamos aguardar , Admiro a coragem dos jovens hoje em dia, so nao posso dizer o mesmo dos antigos., que do momento, so deixam a desejar!

  8. EU acredito que pela sua história neste jornal, desde que era impresso, ele não seria irresponsável ao ponto de insistir em um assunto “que não tem fundamento”,segundo os comentários que leio aqui. Se não tivesse “caroço neste angu”, duvido que continuaria a postar este assunto. Quem conhece a HISTÓRIA do o jornal e as matérias deste jornalista, sabe que ele é uma pessoa séria.

    • Mônica, o autor do artigo não é o Helio Fernandes. É o editor do blog.

      Já deu no NY Times (naturalmente um jornalzinho “mambembe) e ainda não deu pro Carlos Newton.

  9. Mônica, agora pegue sua frase inicial e mude o personagem: “Eu acredito que, pela sua história…”, e pense no PT de hoje. Ou pense no herói (assim considerado antes da Segunda Guerra) francês Petain. Entendeu? Tomara que você esteja certa. Mas, que está estranho está. História não é garantia de coisa alguma.

  10. A HISTORIA DESSE JORNAL SE RESUME EM HELIO FERNANDES. CARLOS CHAGAS , SEBASTIAO NERY E OUTROS JORNALISTAS QUE REPRESENTAM ATE HOJE A TRIBUNA DA IMPRENSA, VIDA LONGA E QUE VOCES TENHAM SAUDE!

  11. “A HISTORIA DESSE JORNAL SE RESUME EM HELIO FERNANDES. CARLOS CHAGAS , SEBASTIAO NERY E OUTROS JORNALISTAS QUE REPRESENTAM ATE HOJE A TRIBUNA DA IMPRENSA”
    É verdade,meu caro Luiz! E dentre os “outros Jornalistas”,não podemos omitir o nome do Jornalista
    Carlos Newton! Graças a sua teimosia em acreditar na força da Tribuna,hoje,podemos nos expressar, sem censuras,com opiniões diversas.
    A comentarista Mônica escreve:” Quem conhece a HISTÓRIA do o jornal e as matérias deste jornalista, sabe que ele é uma pessoa séria.” É isso! Simples assim!
    Por isso,volto ao comentarista Luiz,para,também, desejar “Vida Longa e muita saúde á todos” e………….paciência com aqueles que estão chegando agora.Imprensa livre é assim e a palavra Tribuna,diz tudo!

  12. Vamos ser realistas, não se busca mudanças para o país agindo da forma que esses marginais estão fazendo ,rostos cobertos para quê ? quebradeira e depredações ,saques etc… ,não representão o cidadão de bem em nenhum anseio de mudanças,a polícia tem que agir sim e com total rigor e com a aprovação do cidadão de bem trabalhador e ordeiro,esses marginais tem que ir “pra’ cadeia e responder processos pelo resto da vida.

  13. Parece que o articulista nasceu ontem. Eu participei desde
    a decada de 70 de todas as manisfestações contra o regime
    militar. Já naquele tempo, as forças de “segurança” tinham
    como pratica, criar conflitos para justificar a própria
    violencia contra os manifestantes.
    De lá para cá nada mudou, caia na real Carlos Newton.

  14. Coloco meu texto aqui, pois postei ele no primeiro dos três textos que quis comentar.O certo seria aqui. Obrigado.
    André
    julho 25, 2013 até 6:13 am · Reply
    O ponto cego “lato sensu”.

    É de dar pena a leitura das últimas matérias que o senhor fez a respeito da mídia ninja. Nada contra a opinião alheia. Acredito que a opinião do outro pode servir de referência para nos desentocar de nossas ideias pessoais mais arraigadas.
    Mas não dá pra esconder o embrulho no estômago quando percebo o simplismo, a lógica rala, a direção maniqueista e um terrível ponto cego no desenrolar desses três lastimáveis textos que acredito, o senhor não se deu conta até agora.
    A abordagem única que o senhor usa para essas matérias tenta desqualificar de todas as maneiras o que se chama de mídia ninja. E não há uma crítica sequer que não se apresente como um capricho, uma rabugeira qualquer. Não parece que você conheça a mídia ninja de fato.
    A fixação em generalizar e a ligação tosca e direta que o senhor faz de forma total da preferência partidária do diretor da ONG por exemplo, despreza e insulta os outros componentes dessa Mídia Ninja como se não fossem cabeças pensantes. O ponto cego é esse. Ele deriva em erro grave:

    “Perguntei o que estavam fazendo ali e eles responderam que tentavam pressionar para que a Polícia libertasse os manifestantes que foram presos em flagrante com coquetéis molotov. Disse-lhes que a Polícia não podia liberá-los porque foram presos em flagrante com arma ilegal. Quase fui vaiado. Alegaram que “fazer política não é crime”.

    Ora, tudo que o senhor não percebeu em sua rápida e atenciosa passagem pela delegacia era que o flagrante foi forjado. 20 molotovs na mochila do cara que não tinha mochila. Faltou dizer só isso. E o que o senhor não viu é que também através da Midia Ninja ( não apenas ), mas nas conversas online da plataforma eram deixados vários vídeos e depoimentos que poderiam inocentar o rapaz. O senhor tomou como verdade a mentira essencial da polícia e debochou de como a amostragem de manifestantes de sua rápida entrevista.

    “São alienados totais no que se refere à vida “lato sensu”, mas politicamente têm uma posição altamente radical, tipo anarquista. Podem ser facilmente manipulados por qualquer um que tenha meia dúzia de neurônios na cabeça.”

    Naquele momento enquanto o senhor tomava nota rápida, o contingente de manifestantes( muitos interligados e discutindo no ato ) já levantavam dúvidas sólidas quanto legalidade e legitimidade do flagrante. Repare que neste momento já havia um movimento que não buscava culpar policiais, mas essencialmente inocentar o acusado de forma fraudulenta, muitos foram para o computador ( como eu ) auxiliar na absurda função encontrar o ônus da prova “da inocência”. Isso tá gravado na Midia Ninja. E nas manifestações em geral isso ocorreu inúmeras vezes. As pessoas com vídeos desmontando ardis da polícia com ação desses infiltrados e pessoas apanhando, tomando bala dentro de restaurante, hospital, universidade. Ameaças arma de fogo. Tudo que o senhor entendeu como “flagrante”.

    Na matéria intitulada Foto provando que o PM não lançou o coquetel molotov foi enviada à Tribuna por defensor da Mídia Ninja, o senhor faz a seguinte afirmação: Começaram a circular na internet dois vídeos. Não é verdade. Eram inúmeros vídeos de situações diversas que geraram discussões e enquanto lia a sua matéria já podia descartar criticamente seus dados:

    Não há nada de irrefutável ou mesmo inquestionável para “inocentar” nenhum desses policiais envolvidos na ação dessas fotos. Mesmo com a vigência do novo decreto do governador. A comparação e a própria discussão promovidas aqui induzem ao erro desde o princípio. O erro não está somente no fato da perspectiva de um “simpatizante” da mídia ninja citado (e convencido de seu equívoco ) seja basicamente diferente em relação a maioria dos que discutem o caso pela rede. ( É outro o P2 que gera desconfiança geral pelo arremesso do artefato. O agente “de inteligência” da polícia que é apresentado na foto pela tribuna acompanhava o verdadeiro “objeto” de especulação).

    Portanto é falsa a afirmação de que com base em apenas dois vídeos armou-se um escândalo de “dimensões internacionais”. As fotos e vídeos ( vagarosamente ) apresentados pela tribuna da forma como foram são a menor parte da discussão desse tema, pois de fato nem retratavam os personagens que estavam sendo discutidos realmente no bojo da controvérsia. Mas o pior foi quando ainda em busca de provas para inocentar o acusado pela polícia vi o vídeo que acompanha o rapaz acusado antes, durante e depois dos lançamentos dos molotovs. Sob vários ângulos diferentes é possível verificar sem dúvida que ele não tinha nem mochila. Podemos ver ele parado, sem nenhuma ação enquanto os artefatos quase pegam nele. Depois o que vemos é a polícia inteira bater nele, ele foge, eis que aparece o P-2 de mochila que tenta derrubar e vem o outro e também o atinge, depois um policial atira com arma de choque , ele cai, vem o policial e continua a dar choque, mesmo com ele caído e esse rapaz aparece neste momento na foto que o senhor ainda avaliava a estampa do P-2 que nem era o que já se estava discutindo. São culpados todos que forjaram o flagrante. São alienados todos que aceitaram a mentira da polícia e os atrasados.

    Não se trata de provar se os policiais jogaram ou não o artefato. O fato mais importante nesta “série” do ilustre jornalista e que me chama atenção é de algo que nem foi levado em conta. Algo que ficou jogado na berlinda, rente ao chão, escancarado na imagem eleita pela tribuna da imprensa como pseudo contra prova da inocência do policial sem identificação ( e sem farda, nesse caso ).

    Se trata de “algo” pois esse foi o verdadeiro tratamento que esse jornal deu ao único “objeto” de especulação e acusação oficial e real por parte da imprensa, governo e polícia que é de fato irrefutável e inquestionável: O estudante Bruno Ferreira. Ele foi o acusado de carregar 20 coqueteis molotovs em sua mochila. A polícia civil e militar sustentou a acusação mesmo sem provas.

    Porque a polícia acusou falsamente Bruno?
    Cabral se reuniu com manifestantes falsos na reunião mandrake.
    Há inúmeros vídeos explicativos de ardis da polícia.
    Como a polícia conseguiu filmar bem na hora do lançamento e não foi capaz nem de tentar impedir?
    Da onde veio a mochila com explosivos que Bruno foi acusado?
    Quem avaliou melhor os fatos no momento em que eles ocorriam:
    Blog da tribuna ou Mídia Ninja?

    Por favor não cometa o “erro” da polícia. Não podemos acusar nem policiais, nem manifestantes sem provas e como foi no caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *