O PT esfolado

Sebastião Nery

Em 1944, os inimigos da ditadura já estavam cansados de esperar que Getúlio Vargas cumprisse o compromisso de convocar eleições. Decidiram partir para a ofensiva e lançar um candidato. Diante da situação, procuraram um militar. Surgiram três nomes: general Heitor Borges (que, na partida da FEB para a Itália, havia dito, em discurso, que os pracinhas iam defender lá fora a mesma democracia que queriam aqui dentro), o general Estilac Leal e o brigadeiro Eduardo Gomes.

Brig. Eduardo Gomes

Procurado por Pedro Aleixo, Eduardo Gomes insistiu que o candidato devia ser um civil e, de preferência, o próprio Pedro Aleixo. Mas acabou aceitando não propriamente a candidatura, mas o lançamento de seu nome para pressionar o ditador. A bola de 1945 começou a rolar.

###
GETULIO

Getúlio foi surpreendido pela notícia e logo foram presos, no Rio, Adauto Lúcio Cardoso, Dario de Almeida Magalhães, Virgílio de Melo Franco, Austregésilo de Athayde.

Coriolano de Góis, chefe de Polícia, disse que a ordem era do ministro da Guerra, Eurico Gaspar Dutra.

Procurado, Dutra desmentiu: o Exército não tinha nada com as prisões. Alguém foi a Getúlio, que disfarçou:

– Não sei do que se trata. Soube que o doutor Virgílio de Melo Franco foi preso porque perturba o esforço de guerra, articulando candidaturas.

A candidatura Eduardo Gomes cresceu e Getúlio, encurralado, foi obrigado, no dia 22 de fevereiro de 45, a convocar eleições para dezembro.

###
PEDRO ALEIXO

Pedro Aleixo relembrou essa história ao saudoso jornalista Antonio Carbone e dela tirou quatro conclusões:

1.“A História ensina que em política não se deve ficar perguntando aos outros o que fazer. Cada qual que faça o que acha que deve fazer e deixe o resto por conta dos acontecimentos, que sempre vão em frente.”

2. “Em 1944, em plena ditadura, lançamos um candidato à Presidência sem que tivessem sido convocadas eleições. O lançamento é que forçou a convocação das eleições e apressou a derrubada do ditador.”

3. – “É um erro ficar-se muito atento à música oficial para ver como se dança. Cada qual que dance com a música de suas convicções”.

4. “Quem bate demais também esfola a mão de tanto bater.”

###
LULA

Lula e o PT começaram o ano batendo em todo mundo, adversários e aliados mais distantes. Diziam que iam varrer o pais ganhando as eleições municipais de ponta a ponta. Bastaram três meses de campanha para quebrarem a cara. Estão sendo derrotados e humilhados de norte a sul.

O PT deixou de ser um partido. Virou uma cara. Ameaçavam com o começo do horário eleitoral. Iam jogar a cara de Lula na TV e todo mundo teria que sair da frente. Veio o horário eleitoral e Lula e o PT deram chabu.

Lula havia anunciado que iria a todas as capitais e às maiores cidades.

Descobriu que não bastava comprar pesquisa do Ibope. ( O Vox Populi, de tão lacaio e desmoralizado, nem comprador encontra mais). E Lula nem foi a Recife. O candidato do PT desabou por si. Foi a São Paulo e o candidato do PT não sai do lugar. Pôs a viola no saco e sumiu no Mexico.

Das outras 22 capitais, só foi a duas : Salvador e Manaus. Não adiantou.

###
EMOÇÕES

O desastre nacional está desesperando Lula e o PT . Jamais imaginaram surra tão grande. Culpam o Mensalão, que Lula chamava “uma farsa” e o PT “uma falácia”. Apenas os exemplos de 10 Estados.

1.- ARACAJU – João Alves (DEM) 51%, Valadares (PT-PSB) 24%.

2.- SALVADOR – ACM Neto (DEM) 40%, Pelegrino (PT) 27%.

3. – MANAUS – Artur (PSDB) 34%. Vanessa (PT-PCdoB) 27%.

4. – NATAL – Carlos Eduardo (PDT) 44%. Mineiro (PT) 9%.

5. – TERESINA – Firmino (PSDB) 35%. Washington (PT) 10%.

6. – P.ALEGRE–Fortunati (PDT) 45%. Manuela (PT-PCdo B) 28%

7. – RECIFE – GERALDO (PSB) 39%. Humberto (PT) 16%.

8. – SÃO PAULO – Russomano (PRB) 35%. Hadad (PT) 15%.

9. – MACEIÓ – Palmeira (PSDB) 48%. Lessa (PT-PMDB) 23%.

10 – B. HORIZONTE – Lacerda (PSB) 49%. Patrus (PT) 31%.

Como diz Roberto Carlos, “são tantas emoções”. E o PT se esfolando.

sebastiaonery@ig.com.br

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *