O Sarkozy do Brasil

Sebastião Nery

PARIS – Acompanhado por um séquito esplendoroso, como uma Rainha de Sabá, Lula passou por aqui para receber uma homenagem da faculdade de Ciências Políticas da Universidade de Paris. Daqui foi para a Polônia onde Lesh Walessa também o esperava para outra homenagem.

Lula bem que merece. Como Walessa também mereceria. São os dois líderes sindicais do século passado que chegaram ao poder nos braços dos trabalhadores a cujas lutas se dedicaram. E no poder não os traíram. Embora se vanglorie de nem ter lido a Constituição brasileira e se ter negado à assiná-la, Lula é um exemplo de vitória dos que lutam até o fim.

Ele não tem é o direito de querer ser Sarkozy no Brasil e fazer da política um jogo duplo e duro, violando a democracia de cujo ventre saiu.

***
MARTA

O que Lula está fazendo com Marta Suplicyem São Paulo, vetando a candidatura dela contra todas as pesquisas, para apoiar seu jovem amigo Fernando Haddad, é um escárnio ao PT e à Democracia. Marta tem direito adquirido. Lula ainda era um desconhecido sindicalista de botequimem São Bernardo, e Marta, na televisão, nos jornais e depois na Câmara, já ajudava a construir o PT e a vida de Lula. 

O presidente Sarkozy também quis vetar candidatos de seu partido ao Senado aqui, nas eleições de domingo passado. E quebrou a cara. Pela primeira vez o Partido Socialista faz maioria no Senado e elegeu toda a mesa. Sarney aqui não tem vez.

Lula está brincando com o povo como Sarkozy brincou. Em setembro de 2007, Sarkozy tinha 57% de aprovação popular e 32% de desaprovação.Agora, a rejeição subiu para 65% e a aprovação caiu para 32      

***
IMPRENSA

A imprensa francesa segurou muito tempo o desastre de Sarkozy. Agora não dá mais. Neste fim de semana, as duas maiores revistas francesas mostram a reeleição de Sarkozy ameaçada. L’Express: “A Queda do Clã” – O Presidente Isolado – Seus Guardas-Costas Enlameados”. Le Nouvel Observateur: – “Os Bastidores de Um Fim de Reinado”.

A eleição está esquentando para o Partido Socialista ganhar. O PS dá um exemplo de democracia que os Estados Unidos dão e o PT e o Brasil deviam dar: quando há mais de um candidato, escolheem primárias. Eas primárias daqui são universais. Na próxima semana, qualquer eleitor francês pode votar para escolher o candidato do Partido Socialista.

As duas principais pesquisas trazem este resultado. “Le Monde”: François Hollande 44%, Martine Aubry 27%, Segolene Royal 13%, e mais três candidatos abaixo de 10%. A pesquisa do “Figaro” é quase igual: Hollande 43%, Aubry 30%, Royal 11%, e mais três com menos de 10%.

Tudo indica que quem vai disputar a reeleição de Sarkozy será escolhido em um segundo turno, entre Hollande e Aubry. Hollande deve ganhar. E tudo indica que o desastre de Sarkozy é inevitável. Hollande deverá ser o próximo presidente. É o PS voltando depois de Mitterrand.

***
DILMA

Dilma não veio na carruagem de Lula, mas ganhou do jornalista Andres  Oppenheimer, do “El Pais”, o maior da Espanha e da Europa, um artigo caloroso:

-“Anticorrupção no Brasil – Alguns presidentes deveriam seguir Dilma Rousseff e demitir os corruptos. Em vez de acusar a imprensa, esses presidentes deveriam seguir o exemplo de Dilma e demitir os funcionários que não mereçam a confiança da sociedade”.

***
O PROFESSOR

No meio da praça de Siena, na Italia, uma estátua enorme.E embaixo: – “Salustio Bandini – dottrine della libertá economica. Agosto XIV”.

Roberto Campos, Friedman da Escola de Chicago, Mailson da Nobrega, Miriam Leitão e outros menos votados, acham que eles é que inventaram o neoliberalismo. Não foi não. Foi criado por Salustio Bandini.

Tive vontade de levar para Lula um livro sobre Bandini. Mas ele não lê nada. Nem bilhete da Marta.

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *