O STF condena o senador Ivo Cassol, por corrupção. Exercerá o mandato da prisão? Roberto Gurgel, Procurador Geral, morosidade da Justiça, que pode ser cumplicidade. O povo nas ruas em Sete de Setembro e contra corruptos na CPI dos Ônibus. O MENSALÃO e o CARTELÃO podem incendiar as ruas.

Cassol: De dia no Senado, de noite na prisão 

Helio Fernandes

Quando era presidente, FHC retumbou: “Sem medidas provisórias não existe governabilidade”. Exagero. Agora, 10 anos depois, Dona Dilma garante aos parlamentares do “toma lá, dá cá”: “Vou cortar o envio de medidas provisórias”. Exagero.

O que é rigorosamente verdadeiro, aceitável e compreensível: essas medidas provisórias foram criadas pelo presidente De Gaulle, mas para acelerar a tramitação. Ele enviava a medida provisória, o Congresso tinha 30 dias para votar ou era arquivada, e o presidente não poderia mandar outra sobre o mesmo assunto, durante 2 anos.

Se fosse votada, valia o resultado. Aprovada, se transformava em lei imediatamente, sem intervenção de mais ninguém. Recusada, era arquivada, e a restrição para envio de outra, os mesmo dois anos.

Um dia perguntaram ao presidente Roosevelt, como definiria os Três Poderes. Resposta: “O legislativo legisla, o Executivo executa, e o Judiciário diz se aquilo que  foi legislado pelo Legislativo e executado pelo Executivo é constitucional ou não?”.

Nenhum Poder acima do outro. Para garantia do cidadão-contribuinte-eleitor, intocável só a Constituição. Que maravilha viver.

A DEMOCRACIA EM PERIGO

A impunidade do CARTELÃO em São Paulo ameaça a tranquilidade do país, e pode fazer tudo voltar a 1964. Por que a Siemens, que já cometeu os mesmo crimes em mais de 50 países, completamente à vontade, praticaria a autoconfissão, ou a confissão da alta corrupção?

Todos os membros da cúpula do PSDB de SP deviam pagar royalties a Lula, por usar ou utilizar a sua expressão: “Eu não sabia de nada”. Alckmin, que era o vice poderoso desde 1994/98, em 2001 assumiu quando Covas se licenciou, e nesse mesmo 2001, Covas morreu. Isso já foi dito aqui fartamente, Alckmin passou a se governador de verdade.

Se o CARTELÃO contaminou tudo e todos, por que só o governador de fato não sabia de nada? Ficou anestesiado? E por que ninguém, nenhum jornal, rádio, televisão aberta ou paga, faz as contas de quantos BILHÕES custou esse CARTELÃO, denunciado pela própria Siemens?

Nada nesse CARTELÃO pode ser varrido dos gabinetes, corre o risco de ser devolvido pelo povo nas ruas.

(O TSE pode se livrar da contaminação com o SERASA e pela enormidade de ter fornecido para essa empresa, que trabalha para bancos e agiotas, os dados de 141 milhões de cidadãos, toda a população brasileira. Não registrando a candidatura dos corruptos de São Paulo, pode se recuperar).

É a democracia ameaçada.

O STF TAMBÉM AMEAÇA A DEMOCRACIA

Depois de um longo tempo de espera, até que Dona Dilma e PT encontrassem dois ministros com perfil de que “não concordam com muita coisa que o STF já decidiu”, esse Tribunal começa a se envolver e quem sabe devolver a tranquilidade para alguns já condenados.

Liguem a televisão, protestem (se for o caso), tudo recomeça depois de amanhã, quarta-feira.

Os dois ministros já começam a “cumprir” o que os nomeadores esperavam deles. O clima do Tribunal, numa parte, de insatisfação. Noutra, de receio com o que for decidido, ou melhor, “desdecidido” em relação ao que estava julgado. Receio do povo nas ruas e do que pode acontecer nas ruas no Sete de Setembro.

Os novos ministros podem fazer tudo, menos provar à opinião pública que têm perfil “profile”.

Se a democracia corre risco por causa do CARTELÃO do PSDB, o que dizer de uma possível reviravolta no julgamento do MENSALÃO? Tenho receio pela volta de uma ditadura, sei o que estou dizendo. Haja o que houver, lutarei contra ela. E os senhores ministros, poderosos e intocáveis, alguma vez lutaram contra qualquer coisa?

Por favor, não se desliguem do MENSALÃO e do CARTELÃO. Os que vão morrer te saúdam. E há ainda o baixo astral do Procurado Geral, que devia ser DENUNCIADO em vez de DENUNCIAR.

PROCURADOR GERAL ROBERTO GURGEL:
MOROSIDADE, SINÔNIMO DE CUMPLICIDADE?

Ele cai na expulsória na quinta-feira. Uma semana antes faz três acusações gravíssimas, vai para casa “gozar”a aposentadoria, deixa o problema para o plenário do Supremo. Mas devia ser investigado antes de receber os salários de aposentado.

As denúncias que o Procurador fez, com lentidão insuportável. 1 – Pediu a cassação do mandato de Dona Roseana Sarney, reeleita em 2010. Três anos de mandato cumprido, faltam 13 meses para a eleição. Ele está no cargo há 4 anos, ela foi reeleita há 3, por que esperou tanto tempo para denunciá-la? Quem investigará o caso e a morosidade?

2 – Pediu a cassação do mandato do deputado Garotinho. Acusação textual: “Em 2003, conseguiu 655 mil reais para o PMDB, como financiamento da campanha a presidente, em 2006”. O procurador devia pelo menos respeitar os fatos. Garotinho foi candidato a presidente em 2002, por que recolheria dinheiro para a campanha de 2006? Pertencia ao PSB, por que procurar dinheiro para o PMDB?

3 – Também quer a cassação de Dona Garotinha, eleita governadora do Estado do Rio em 2002. Garotinho deixou o mandato em abril de 2002, passou o governo para a vice, Dona Benedita, do PT, que ficou no cargo durante 9 meses. Em outubro desse mesmo 2002, Dona Garotinha se elegeu governadora, tomou posse em 2003.

POR QUE 10 ANOS PARA PEDIR
AS CASSAÇÕES, ERRANDO ATÉ NAS DATAS?

Explicação importantíssima: não tenho o menor interesse na absolvição ou condenação de nenhum dos três acusados. Não defendo nenhum deles, apenas acuso nominalmente o Procurador Geral. Dez anos para pedir a cassação? O que defendo, e com o maior entusiasmo, é a Justiça rápida, sagrada, sem essa criminosa lentidão.

Quem foi que escreveu sabiamente que “Justiça tardia não é Justiça?”.  Os que acertarem ganharão uma viagem inteiramente grátis, por toda São Paulo, nos trens ou metrôs do CARTELÃO do PSDB, que envolve quase toda a cúpula do partido.

(Um fato que não tem nada a ver com Roberto Gurgel e seus pedidos de cassação retardados: o julgamento da chacina do Carandiru. Já se passaram 21 anos. Morreram 111 cidadãos, presidiários ou não. Alguns dos assassinos foram condenados a 654 anos de prisão, continuam em liberdade. E como ainda faltam muito recursos, viverão para sempre em liberdade).

(Outros nem foram julgados. O primeiro a ser condenado, a 600 anos, foi o comandante, morreu logo. O então governador de São Paulo, Luiz Antonio Fleury, certo de que não seria condenado por ninguém, estarreceu a todos no depoimento: “Eu não estava na sala no momento, se estivesse, teria dado ordem para atirar”. E matar 11 pessoas).

Quer dizer que o âmbito de ação do governador era a sua sala? Não estava na sala, não estava no governo? E se estivesse no banheiro, não estava no governo? Não esclareceu. Quem atrasa a tramitação da Justiça devia ser administrativa, financeira e funcionalmente “justiçado”.

Quem foi que escreveu sabiamente que “Justiça tardia não é Justiça?”. Os que acertarem ganharão uma viagem inteiramente grátis, por toda São Paulo. Nos trens ou metrôs do CARTELÃO do PSDB, que envolve quase toda a cúpula do partido.

(Um fato que não tem nada a ver com Roberto Gurgel e seus pedidos de cassação retardados: o julgamento da chacina do Carandiru. Já se passaram 21 anos. Morreram 111 cidadãos, presidiários ou não. Alguns dos assassinos foram condenados a 654 anos de prisão, continuam em liberdade. E como ainda faltam muito recursos, viverão para sempre em liberdade).

(Outros nem foram julgados. O primeiro a ser condenado, a 600 anos, foi o comandante, morreu logo. O então governador de São Paulo, Luiz Antonio Fleury, certo de que não seria condenado por ninguém, estarreceu a todos no depoimento: “Eu não estava na sala no momento, se estivesse, teria dado ordem para atirar”. E matar 11 pessoas).

Quer dizer que o âmbito de ação do governador era a sua sala? Não estava na sala, não estava no governo? E se estivesse no banheiro, não estava no governo? Não esclareceu. Quem atrasa a tramitação da Justiça devia ser administrativa, financeira e funcionalmente “justiçado”.

DE NOVO NAS RUAS

Estão preparando grandes manifestações para Sete de Setembro, supostamente a data da Independência. Os mais diversos grupos já concordaram em se encontrar, inicialmente em frente à Câmara Municipal do Rio.

Aliás, anteontem deram demonstração de espírito público aqui mesmo. Os vereadores constituíram “CPI para investigar os ônibus”. Como sabem que a maioria desses vereadores é ligada à Fetranspor, que controla todo o transporte do Rio, não aceitaram essa CPI. Muito justo (O ministério público quer saber: por que vereadores comprometidos estão na CPI?).

Querem outra CPI, com outros vereadores. O dinheiro que trafega nesses onibus, explorando o cidadão-contribuinte-eleitor, colossal. Os vereadores resistem, mas estão se enganando, se iludindo, se apropriando e exagerando na corrupção, mas não participarão de nenhuma CPI.

Só participarão os que forem aprovadas na devassa feita pelo povo. Aguardem só para constatar. Ficou combinado que nesse Sete de Setembro, na medida do possível, o povo esteja nas ruas do Brasil inteiro. Puxa, são protestos e participações em 26 estados e um Distrito Federal, que maravilha viver.

(Os manifestantes passaram o sábado todo conversando com o presidente da Câmara e 5 vereadores. Não chegaram a acordo, marcaram reunião para hoje, com todos os vereadores. Por precaução, dormiram no plenário da Câmara Municipal.

###
PS – João, teu relato sobre o encontro entre Truman e MacArthur, é excelente. E seria até, quem sabe, magistral, se você acrescentasse um dado, importantíssimo, e excluísse outro, que contamina a narrativa.

PS2 – O que deveria ser expurgado, conto com a tua compreensão histórica: deixar de fora toda a parte opinativa, nada a ver com a narrativa.

PS3 – Para contar é preciso ser repórter. Para interpretar, tem que ser analista. E pelo que está publicado, você não tem os dois requisitos.

PS4 – Se tivesse, não precisaria de toda essa artimanha tão bem recebida neste tipo de comunicação, que é o esquecimento do nome próprio e a predileção pela fantasia do pseudônimo. Usado como refugio para não preencher nenhum espaço.

PS5 – O dado que deveria acrescentar, e que, pelo relato, você conhece: foram dois os encontros. Esse que você contou, foi o primeiro, uma batalha monumental de egos. O de MacArthur, verdadeiro. O do “homenzinho corajoso”, uma farsa.

PS6 – Agora, um fato que você não sabe, está visível na sua narrativa: MacArthur era e sempre foi candidato a presidente. Só deixou de ser, depois de conversar com Eisenhower e este lhe dizer: “Sou candidato e já tenho até a legenda do Partido Republicano”.

PS7 – Nesse primeiro encontro, MacArthur pareceu tão subserviente e serviçal, porque ainda se julgava candidato imbatível e inarredável. Quando Eisenhower lhe disse que estava garantido pelo Partido Republicano, MacArthur desistiu.

PS8 – Por que a desistência? Elementar, meu caro Watson. Se o Partido Republicano já tinha candidato (era o próprio que lhe revelava o fato), e o Partido Democrata, também, o que restava para MacARthur? Só o prazer de humilhar o “homenzinho corajoso”.

PS9 – Por isso, MacArthur foi ao segundo encontro, na Casa Branca. E não só o prazer de ser arrogante com Truman, lhe dizendo: “Quem vai derrotar o senhor é o general Eisenhower”. É um dos grandes prazeres esse de revelar informação de primeira mão.

PS10 – E só naquele momento, humilhado pelo general-imperador, em pé, Truman soube que Eisenhower já estava escolhido pelo Partido Republicano.

PS11 – Esqueceu da humilhação imposta pelo general, se fixou no que diziam e ele acreditava: “Eisenhower vai derrotá-lo”. Todos acertaram.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

20 thoughts on “O STF condena o senador Ivo Cassol, por corrupção. Exercerá o mandato da prisão? Roberto Gurgel, Procurador Geral, morosidade da Justiça, que pode ser cumplicidade. O povo nas ruas em Sete de Setembro e contra corruptos na CPI dos Ônibus. O MENSALÃO e o CARTELÃO podem incendiar as ruas.

  1. Perdão, Helio, mas vou abusar do espaço:
    .
    Pai, respeito, obediência e futuro.
    .
    Folheando Rousseau em “Origem da desigualdade entre os homens” reencontro uma intrigante discussão proposta a respeito da relação pai e filho; da autoridade paternal como uma possível origem do governo absoluto de onde, logo discordando, Rousseau observa a doçura da autoridade paterna que “mais (considera) a vantagem daquele que obedece do que a utilidade daquele que comanda”. Diz em seguida:
    .
    “pela lei natural, o pai não é senhor do filho senão enquanto seu auxílio lhe é necessário; que, passando esse tempo, tornam-se iguais e então o filho, perfeitamente independente do pai, só lhe deve respeito e não obediência porque o reconhecimento é realmente um dever que deve ser prestado, mas não um direito que se possa exigir”.
    O campo do “dever ser” moral é indeterminado e interminável. Entretanto, é difícil imaginar e aquiescer que um dever a ser prestado a outrem não derive num concomitante direito que não possa ser exigido.
    .
    Respeito não pode ser tido por dever vez que o que pode ser exigido é tudo aquilo que se erige em direito. Respeito não é um direito natural; é, distintamente, uma aquisição civilizada que nasce e se impõe pela autoridade reconhecida legítima e realiza na “obediência voluntária” entre as partes. O outro, o próximo é sempre uma autoridade real ou imaginária. Disso o mistério do amor que debilita a razão com desmedido respeito e obediência cega.

    Autoridade surge da suposição de atributos diferenciados, fascinantes, milagrosos, desconhecidos; envoltos em mistério. “Mais nos interessa o que obscuramente vislumbramos do que aquilo que meridianamente enxergamos” na exata formulação contemporânea de Huberto Rohden. Portanto, o mistério e a consequente aura de autoridade se desfazem sempre que deixa de existir respeito.
    .
    Não se obedece a quem não se respeita, salvo por prudência. Respeito, por sua vez, sem obediência é relação falsa. Gratidão não é sinônimo de respeito; gratidão tem mão única. Respeito é uma atitude relacional que não requer cobranças; é plural, no mínimo, biunívoca.
    Respeito e obediência são irmãos siameses muito além da relação paterna. Jaz na conservação de um mundo anterior a ser entregue aos que nele ingressam por decisão voluntária de pares antepassados que assim se tornam co-responsáveis pela chegada e permanência. A obediência necessariamente implica respeito e vice-versa. Sem um, não existe o outro.
    .
    Pai é mistério, mãe é divindade.
    .
    Nas experientes palavras – mais do que religiosas – do papa Francisco um inexorável vaticínio para um promissor futuro de ordem e de paz que reside na relação jovem/idoso que surge na contramão do tempo presente edificado com o pilar do desrespeito para com o passado:
    .
    “…eu peço de coração aos idosos, não vacilem em ser a reserva cultural de nosso povo que transmite a justiça, que transmite a história, que transmite os valores, que transmite a memória do povo. E vocês, jovens, não se coloquem contra os idosos; deixem que eles possam falar; escutem e procurem seguir seus conselhos”

  2. Caro Helio, como sempre, análise magistral, a cada dia que passa, o Brasil mergulha mais nesse “oceano de lama” da corrupção total e irrestrita.
    Que DEUS te abençoe e te de longa vida, para iluminar a saída desse túnel em que o Brasil está.
    De Gaulle, infelizmente, tem razão, o Brasil não é sério, enquanto não houver Escola que ensine, seremos uma Nação de analfabetos funcionais, a serviço dos politiqueiros, que dão “Pão e circo”, e faz o povo a praticar: “me engana que eu gosto”, ou pior, mulher de malandro, quanto mais porrada leva, mais pede!!!
    Caro Helio,a cada dia, as trevas aumentam seu poder!!.

  3. A Siemens não tem apenas histórico de corrupção, mas também de interferência nos assuntos internos do Brasil nos ÚLTIMOS 70 ANOS. O Helio deve se lembrar daquele episódio de espionagem que ela participou no período de substituição do Felinto Müller pelo Coronel Alcides Etchegoyen durante a ditadura Vargas, naquele caso do agente nazista brasileiro chamado Francisco Nilo de Alvarenga descoberto dentro do Palácio do Catete, que fornecia dados sigilosos do governo ao Albrecht Gustav Engels, chefão da espionagem nazista e da Siemens em 1941. A Siemens pode hoje estar trabalhando para outro governo e o interesse pode ir além da corrupção pura e simples para explicar a autoconfissão.

  4. Caro Jornalista,

    O Supremo Tribunal Federal só será, realmente, uma instituição INDEPENDENTE e IMPARCIAL quando os seus ministros deixarem de ser APADRINHADOS POLÍTICOS e não precisarem BEIJAR A MÃO DE BANDIDOS travestidos de políticos no Senado Federal antes de assumirem o cargo!

    Por enquanto, não passa de APÊNDICE DOS PODEROSOS e corruptos… o que explica a inexistência de justiça neste país.

    Abraços.

    PS: Na verdade, TODOS os cargos importantes do PODER JUDICIÁRIO estão contaminados por esse tipo de promoção, que dependem apenas de CONHECIMENTO POLÍTICO e relegam ao último plano o JURÍDICO.
    Será que nos PAÍSES SÉRIOS os seus magistrados também são escolhidos e/ou promovidos assim? Deve haver outra maneira!

  5. Se o povo tomasse conhecimento do que acontece em matéria de polica externa,como por exemplo a cessão da base de Alcântara para uso dos EUA ,ENTENDERIA que protestar contra CPI dos ônibus é tudo que desejam que ele (povo) continue fazendo.

  6. Hélio, reflita sobre o que já escrevi: Escreva um livro ou faça o que fez Lacerda: Passou dias e dias dando uma entrevista a reporteres amigos , que depois de vários anos fizeram um livro muito bom.

  7. Hélio.
    Cassol é bandido diplomado. Para enquadrá-lo teria que ser escríto um novo código penal. Os 27 garimpeiros que foram massacrado pelos índios cinta-larga na Reserva Rooselvet em Rondônia estavam “biscateando” para Cassol; roubavam diamantes. Até hoje não foi feita uma investigação rigorosa sobre o assassinato de Apoena Meireles sertanista como pai e criado na aldeia dos cinta-lagas de quem era amigo. Apoena foi chamado para acalmar os índios, que começaram a explicar tudo o que estava acontecendo. No primeiro dia à tarde, Apoena foi ao banco e na saida foi assassinado, dizem por um menor. Ivo Cassol governador tratou de abafar tudo. Na verdade seus “garimpeiros” invadiam a reserva, estupravam índias, transmitiam-lhes HIV, roubavam diamantes, matavam, davam cachaça para os índios. Faziam todo tipo de barbaridades a serviço de Cassol. Os índios então fizeram uma emboscada e mataram 27 bandidos transvestidos de garimpeiros a serviço de Cassol. Depois da morte dos garimpeiros, os índios foram confinados em uma parte da Reserva, deixando as minas de diamantes livres para serem saqueadas. Beneficiário principal: Cassol.

  8. Hélio, é covardia comparar De Gaulle e Rooselvet com essa camarilha gigantesca formada por senadores, deputados, ministros e mais e mais a serviço de qualquer governo. Os dois ministros por último escolhidos para o STF, são na verdade engraçados. Deviamos perguntar se a licitação combinada poderia ser feita TIRANDO O CASSOL DA “PARADA”.Lógico que não, mesmo assim Cassol não foi enquadrado no crime de quadrilha.

  9. Hélio, você escreve como se tivesse pintando um quadro. Só não fica uma perfeição total quando falas em “volta da ditadura”. As Forças Armadas não vão entrar em uma nova aventura. Podem como manda a Constituição usarem tropas na rua para inibir os afoitos, nada mais. As Forças Armadas já devem saber quem está por trás dessa agitação-terrorismo. Três partidos são os principais responsáveis e um quarto age subsidiariamente visando mas eleições de 2014. Eu deitado em uma cama sei porque eles não sabem? Sabem sim, mas não querem botar mais gazolina no fogo.(Tudo isso porque Lula antecipou a eleição lançando Dilma um ano antes das eleições).

  10. Cínico bom senso na inevitável tragédia

    …“Roberto Gurgel, Procurador Geral, morosidade da Justiça, que pode ser cumplicidade. O povo nas ruas em Sete de Setembro e contra corruptos na CPI dos Ônibus. O MENSALÃO e o CARTELÃO podem incendiar as ruas.”…
    …”E por que ninguém, nenhum jornal, rádio, televisão aberta ou paga, faz as contas de quantos BILHÕES custou esse CARTELÃO, denunciado pela própria Siemens?
    Nada nesse CARTELÃO pode ser varrido dos gabinetes, corre o risco de ser devolvido pelo povo nas ruas.”…
    …“PROCURADOR GERAL ROBERTO GURGEL:
    MOROSIDADE, SINÔNIMO DE CUMPLICIDADE?”…

    Dada à inevitável cultura do roubo, pertinentes à natureza da sociedade capitalista, principalmente, das fortunas de dinheiro público, frequentemente surrupiadas pelas elites, na maioria das vezes, livres e impunes, leva-nos a adotar um mínimo de bom senso no combate a essa tragédia.

    A roubalheira do dinheiro público, provavelmente, mais intensa em países pobres e nos emergentes, frequentemente no varejo, se comparado ao sideral montante proveniente da rapinagem praticada pelos países do primeiro mundo, valendo-se de vários recursos e artifícios, inclusive, participando de corrompidas gigantescas vendas para governos, manipulações de mercados, de moedas, privatizações, invasões militares, guardando siderais fortunas sujas em seus bancos, montando perversos modelos econômicos, etc.

    Nessa trágica realidade mundial, dado a inevitabilidade da rapinagem, só nos resta, não gastar energias e perdas de tempo correndo atrás de ladrão pequeno, mas ao menos, tentar punir os maiores ladrões (missão quase impossível), focando nos maiores roubos e prejuízos causados ao Brasil. É um mínimo de bom senso, apesar de ser mais perigoso.

    Nessa linha, seremos forçados a deixar de lado o “mensalão”, merreca de roubalheira que não passou de meio milhão de reais. Também, o “cachoeira”, que só foi a alguns milhões, bem menor do que o “cartelão”, que por sua vez, foi muito menor dos prejuízos e roubalheiras causadas pela privatizações FHC/PSDB, que a dinheiro de hoje, provavelmente, passam de R$ 10 trilhões.

    Portanto, não há razão alguma para os coordenadores das grandes e lamentáveis badernas, assaltos a lojas e diversos atos de vandalismos contra estabelecimentos públicos e privados, pensarem em novos tumultos, por conta de merrecas, “mensalão” e “cartelão”. Podemos até chegar em “mensalão”, “cachoeira” e “cartelão”, dentre incontáveis outros, mas primeiro, temos que iniciar pelas trágicas doações-privatizações FHC/PSDB. Só precisamos de coragem. Muita coragem e patriotismo.

  11. E bom ler os comentarios, agradeço ao Iago por essa parte da historia que nao conhecia, e concordo com Aquino, recordar e viver e certamente as memorias de Helio fernandes seriam fantasticas.

  12. Tem um problemão nesta história da batalha de egos entre MacArthur e Truman: a narrativa tem um furo. O general Eisenhower foi eleito presidente dos EUA em 1952, vencendo o democrata Adlai Stevenson. Harry Truman, que assumiu em abril de 1945 com a morte de Roosevelt, foi reeleito em 1948 e não poderia mais concorrer em 52.

  13. SE O CARTELÃO FOSSE DO PT,O MUNDO JÁ TERIA ACABADO MAS COMO É DO PARTIDO QUE “NÃO ROUBA E NÃO DEIXA ROUBAR”A MÍDIA COMO SEMPRE JOGA PARA DEBAIXO DO TAPETE.ENQUANTO MINISTROS DO STF FOREM NOMEADOS DE FORMA POLÍTICA SÓ AGIRÁ COM TODO RIGOR DA LEI PARA OS POBRES TANTO FINANCEIRAMENTE COMO POLITICAMENTE.QUANTO A DITADURA JAMAIS EM TEMPO ALGUM ESSA DESGRAÇA NÓS NÃO MERECEMOS E VIVA LIBERDADE!

  14. QUAL PARTIDO ROUBOU MAIS PSDB, PT, DEM OU PMDB?

    ESSA É A QUESTÃO?

    Patética discussão entre senador Álvaro Dias-PSDB X Humberto Costa-PT

    Nenhum dos 2 senadores negaram os roubos. Porem, os dois estão apenas discutindo os números diante das acusações tanto contra o governo petistas tanto contra o governador de SP do PSDB. Diante da perplexidade do povo Brasileiro nas Ruas eles com a cara envernizada de peroba consomem nosso tempo e energia para decidirmos ir novamente para as Ruas das cidades Brasileiras pedindo mais respeito com todos os eleitores. A TV justiça devia ser usada apenas por parlamentar honesto.

  15. Não consigo entender como uma pessoa chega a ser Procurador Geral da República e é, desculpe o termo, esculachado pelo Color, que lhe chamou de chantagista, improbo e prevaricador, e não reage. Vai pra casa e no apagar das luzes faz denúncias que comprometem a sua credibilidade, como foi a do Garotinho, depois de 10 anos, e as vésperas de uma eleição, somente porque este assinou um documento de investigação contra ele, sobre a compra de l.226 tablets, que o Color diz que foi de maneira irregular.
    Como diz o HF : “Que República!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *