O tsunami chegou (e de proporções inéditas)

Resultado de imagem para tsunami politico charge

Charge do Bonifácio (bonifaciocartunista.wordpress.com)

Bernardo Mello Franco
Folha

Os vazamentos de sexta à noite (9) começaram a confirmar as previsões mais apocalípticas sobre a delação da Odebrecht. Estamos diante de um tsunami de proporções inéditas, com potencial para varrer os principais partidos e pré-candidatos à Presidência em 2018. A primeira onda quebrou com força sobre o atual inquilino do Planalto. O delator Cláudio Melo Filho afirma que Michel Temer pediu “direta e pessoalmente”, em jantar no Palácio do Jaburu, que Marcelo Odebrecht repassasse R$ 10 milhões para as campanhas do PMDB em 2014.

Ex-diretor da empreiteira, ele diz que a distribuição dos recursos foi organizada pelo ministro Eliseu Padilha, a quem chama de “preposto” do presidente. Segundo o relato, parte da bolada foi entregue em dinheiro vivo no escritório de José Yunes, amigo e assessor de Temer.

O delator também cita repasses e apelidos de outros caciques do PMDB, como Moreira Franco (o “Angorá”), Romero Jucá (“Caju”), Renan Calheiros (“Justiça”) e Eunício Oliveira (“Índio”). O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (“Botafogo”), é a velha novidade do pacote.

EMPAREDADO – Ao atingir o Planalto, o tsunami encontra um presidente impopular e emparedado pela própria base, incapaz até de nomear um ministro que escolheu. Para seu consolo, tucanos e petistas também estão com água no pescoço — vide as novas acusações a Alckmin e Serra e a abertura da quarta ação contra Lula.

O executivo da Odebrecht é apenas o primeiro dos 77 que fecharam acordo de delação. Diante do cenário de devastação na política e da ameaça de naufrágio do governo, a economia voltará a ser usada como pretexto para a costura de um “grande acordo nacional”. Quem está prestes a se afogar fará de tudo para tentar melar o que vem por aí.

Até a semana passada, a hipótese de acordão parecia remota, já que exigiria a participação do Supremo. Depois do que a corte fez para salvar Renan, nada mais é impossível.

10 thoughts on “O tsunami chegou (e de proporções inéditas)

  1. OU HOJE OU NADA !!!

    O Ministro do STF Edson Fachin tem que aceitar o novo pedido de liminar da PGR, que diz que réu não pode ser representante de nenhum poder da república (presidente do Senado), ou seja, outra matéria, outro mérito que depois pode ser levado pra discussão com os outros Ministros dos STF.

    ACEITA FACHIN !!!

  2. A desculpa vai ser o vazamento para não aceitar a delação pelo STF, como já aconteceu anteriormente. Como disse CN, nos dias de hoje (era da internet) é impossível ter sigilo em algum documento. Aproveitando disso vão melar (STF) a Lava Jato. A solução é o povo nas ruas para tomar os poderes e expulsar os agentes públicos, visto que o poder que pode dar ultima palavra (STF) estão com os corruptos.

  3. O pretenso escândalo que a delação dos executivos da Odebrecht poderia causar no povo, lamento, mas não vai dar em nada, como de resto todas as demais delações premiadas, que não tiveram qualquer resultado prático com relação à conduta do Congresso e Governo!

    Os criminosos são tão cínicos e hipócritas, que continuam no poder para roubar e contabilizar salários polpudos, pagos por uma população omissa e irresponsável tanto consigo mesma quanto pelo país!

    Este “tsunami” é uma “marolinha”, legitimamente, pois sabemos que não há parlamentar que não esteja envolvido em falcatruas, corrupção, roubos, portanto, trata-se apenas de confirmação do que temos de certeza há tempos.

    Se esta relação de nomes causasse a queda deste governo e de parlamentares presos, vá lá, mas não acontece absolutamente nada com essa gentalha, então porque a falsa expectativa?

    Quantos ministros de Temes são notoriamente criminosos?

    Todos, pois não?

    Tem algum detido?

    Algum desses ladrões devolveu o dinheiro roubado?

    Temer, que está nesta lista, se manifestou em renunciar?

    O Brasil esta sendo comandado por criminosos, ladrões, corruptos e desonestos, e com a chancela do STF, que lhes dá garantia na função.

    Desta forma, listas a mais ou a menos não influenciarão qualquer modificação no comportamento deletério e nefasto desses políticos vagabundos e canalhas, assim como no comportamento nocivo e pernicioso desse governo pífio, omisso, inacreditavelmente incompetente e, claro, ladrão como os congressistas!

    Agora, se o povo quer mesmo mudar, que se prepare para fechar o Legislativo, câncer deste País, e que nos coloca como paciente terminal dessa doença maligna!

  4. “Estamos diante de um tsunami de proporções inéditas, com potencial para varrer os principais partidos e pré-candidatos à Presidência em 2018”.
    Na verdade, apenas “um potencial”. No meio do caminho existe um tal de STF que, pelo andar da carruagem, já tem até os tornozelos enlameados. E não vejo uma magna corte com culhões para enfrentar a pútrida classe política. As últimas decisões do plenário confirma isto. Se estão se unhando publicamente, imagina nos bastidores.

  5. Reitero o que venho dizendo, não há nenhum partido, que não tenha recebido dinheiro de campanha, talvez 2 ou 3 partidos pequenos sem expressão. Se a indecente lei permitia doações de campanha, nada mais que normal os partidos solicitarem dinheiro para suas campanhas.
    O problema é saber se esse dinheiro recebido pelos partidos está incluído nas contas para aprovação do TSE, se não estiver, é roubo e ainda, quem recebeu a doação, sabia ou não se o dinheiro era de corrupção?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *