O vazio das eleições municipais

http://2.bp.blogspot.com/_obS0fEZAONc/SQx9_424-rI/AAAAAAAABu4/-JSku6VrN7U/s400/charge+elei%C3%A7%C3%B5es.jpg

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Carlos Chagas

Pesquisas costumam ganhar eleições majoritárias, ainda que surpresas possam acontecer. Em São Paulo, Rio e Belo Horizonte parecem vitoriosos João Dória, Marcelo Crivella e João Leite, ainda que nessas três capitais paire a sombra do segundo turno.

O denominador comum das eleições de domingo é a falta da ideologia há anos verificada ao redor dos vencedores. Deles e da maioria dos candidatos favoritos nas capitais dos demais estados, agora. O fracasso dos indicados pelo PT abre um vazio de razoáveis proporções na ortodoxia política. Ainda que a Direita continue indo muito bem, por conta do imobilismo, a Esquerda escafedeu-se, mais do que se dividir.

A projeção desse fenômeno para as eleições gerais de 2018 está em aberto. Não dá para supor que daqui a dois anos, ao votar para o novo Congresso, os governos  estaduais e  a presidência da República, o eleitor venha a seguir as tendências do próximo domingo, que, aliás, não significam nada. O que representam João Dória, Marcelo Crivella e João Leite, em termos ideológicos? No máximo, identificam-se com o mais do mesmo. Deverão ser eleitos por conta da ausência de programas e de doutrinas.

Essa a lição das eleições municipais imediatamente seguintes à implosão do PT: o vazio. A falta de uma estrutura capaz de substituir aquilo que os companheiros não conseguiram emplacar.

2 thoughts on “O vazio das eleições municipais

  1. Sinceramente não entendi. Quer o sr. Dr. Carlos Chagas afirmar que a tentativa, graças a Deus frustrada, de implantação de uma ideologia totalitária é o que de melhor os pretensos “políticos” podem oferecer a um povo de uma grande nação como a brasileira? Será que, por exemplo, figuras como a de um Barão de Mauá, de um Antônio Ermirio de Morais, de um Abrãao Lincon, Martin Luther King, até mesmo Mahatma Ghandi, não teriam muito mais a oferecer? Será que um simples cidadão de caráter e com vergonha na cara como Pedro Simon, que mesmo participando de um partido como o PMDB, não se permitiu corromper pela sede de poder não seriam muito melhor exemplo do que os ofertados, até então pelo PT e outros mais da esquerda “ideológica” que só fizeram dilapidar a nação coisa que nem mesmo os generais da dita ditadura fizeram, na minha época de antigo ginásio as crianças aprendiam Técnicas comerciais e industriais já na própria escola, pois as mesmas tinham estrutura para tal, e hoje nossas crianças tem a obrigação de aprender sobre identidade de gêneros, será isso q prioridade para nossas crianças?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *