OAB nacional julga amanhã o caso Wadih Damous

Carlos Newton

O ex-presidente da OAB-RJ Wadih Damous, atual Conselheiro Federal pela seccional carioca, será julgado, amanhã, na sede da OAB Nacional. Em representação apresentada à OAB nacional pelo penalista carioca Rafael da Silva Faria, o advogado alega que Wadih Damous está impedido de manter o cargo de Conselheiro Federal enquanto, concomitantemente, detém cargo comissionado junto à Comissão da Verdade, por força de nomeação realizada através de decreto expedido pelo desgovernador Sérgio Cabral.

A própria Lei nº 8.906/94 (Estatuto da Advocacia), em seu art. 28, inciso III, declara que o exercício da advocacia é incompatível com a ocupação de cargo ou de direção em órgãos da administração pública direta ou indireta, em suas fundações e em suas empresas controladas ou concessionárias de serviço público, como é hoje o caso de Wadih.

Ora,  quem não pode exercer a advocacia por incompatibilidade, também não pode exercer o cargo de conselheiro federal, privativo de advogado. Pura lógica aristotélica!

Na sua desesperada corrida para uma cadeira na Câmara Federal, Wadih Damous tudo pode e tudo quer.  Ao mesmo tempo que vai às passeatas, apoiar o movimento #vemprarua, Wadih promove jantar em homenagem ao ex-deputado José Dirceu, condenado criminalmente pelo STF, logrando obter apoio do PT para a sua candidatura.

Resta saber se a OAB nacional vai, amanhã, manter sua tradição de defensora da lei e do Estado Democrático de Direito,  determinando o licenciamento de  Damous, ou se vai  macular sua história, por excepcionalíssima deferência a interesses políticos menores e individuais, fazendo tremer no túmulo o gigantesco Ruy Barbosa.

APOIO A CABRAL

Em tempo: quando Wadih Damous levou Felipe Santa Cruz ao Palácio Guanabara, durante as eleições da OAB-RJ 2012 (fotos foram postadas no próprio site da OAB), nem precisava pedir o apoio do desgovernador Sergio Cabral.

Era do conhecimento de Cabral  que, se qualquer outro candidato vencesse as eleições para a OAB RJ, ao invés de manter as mãos atadas, como as mantém Felipe Santa Cruz,  fazendo ouvidos moucos para as vozes vindas da rua, a entidade cumpriria seu papel democrático e pediria o impeachment do governador, como de fato cumpriu na época de Fernando Collor de Mello, em parceria com a ABI.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “OAB nacional julga amanhã o caso Wadih Damous

  1. Não é aquele que disse que os setores da ditadura ainda o perseguiam e tinham jogado uma bomba na OAB? E que depois foi revelado que era cabeção de nego? e que tinha alguns advogados como suspeitos? Cadê os setores da direita?

  2. Esse Wadih é mais um à procura de holofotes, e que se utiliza da OAB para se promover. Repetindo o bordão das ruas: ele não me representa como advogado. N~]ao fala em meu nome, e a maior parte da classe sente vergonha das ações desse senhor, que mais parece papagaio de pirata e vassalo dos governantes de plantão e aliados do PT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *