OAS assina acordo de leniência e pagará R$ 1,9 bilhão até dezembro de 2047

Depoimento de Léo Pinheiro foi chave para a condenação de Lula

Mônica Bergamo
Estadão

O grupo OAS assinou um acordo de leniência nesta quinta-feira, dia 14, com a  Corregedoria Geral da União (CGU) e Advocacia Geral da União (AGU). Pelo acordo, ela terá de pagar R$ 1,9 bilhão até dezembro de 2047. Os recursos serão destinados à União e às empresas lesadas pela atuação da companhia. Os desembolsos começam em 2020.

Nos primeiros quatro anos serão pagos apenas R$ 2 milhões por ano, num total de R$ 8 milhões. Do quinto ao 10º ano serão desembolsados R$ 15 milhões anuais. Apenas a partir do 11º ano do acordo serão pagos R$ 100 milhões por ano, totalizando enfim os R$ 1,9 bi.

CAPITALIZAÇÃO – O acordo, segundo pessoas envolvidas nas tratativas, visou respeitar a capacidade de pagamento da empresa para que ela possa se capitalizar e atuar com saúde no mercado.

A OAS foi uma das principais empreiteiras investigadas pela Operação Lava-Jato. Alguns de seus executivos foram presos pela Polícia Federal, como o ex-presidente da companhia, Léo Pinheiro.

Foi ele quem disse que um apartamento tríplex no Guarujá construído pela companhia pertencia ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso que apurava o pagamento de vantagens indevidas ao petista que levou à sua prisão. 

HOMOLOGAÇÃO – Em setembro deste ano, o ministro do  Supremo Tribunal Federal, Luiz Edson Fachin, homologou o acordo de colaboração premiada de Pinheiro. Pelo acordo, ele teve o direito de passar a cumprir sua pena em casa com o uso de tornozeleira eletrônica. Além disso, ele terá de pagar R$ 45 milhões em multas e reparação de danos.

Junto com Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camarco Corrêa, a OAS fazia parte do grupo de grandes empreiteiras que, segundo as investigações da Lava Jato, se organizaram para direcionar contratos com a Petrobras e outros ramos do governo. Em troca, elas pagaram propina a políticos e partidos.

IMPACTOS – A OAS foi uma das primeiras a sentir os impactos financeiros da operação. Em 2014, ano da deflagração da Operação Lava Jato, a empresa declarou uma receita bruta de R$ 7,7 bilhões. Em 2015, quando entrou com um pedido de recuperação judicial, a empresa acumulava uma dívida de R$ 8 bilhões. Em julho deste ano, estimava-se que sua dívida era de R$ 2,8 bilhões.

 

5 thoughts on “OAS assina acordo de leniência e pagará R$ 1,9 bilhão até dezembro de 2047

  1. Toffoli intima BC, obtém dados sigilosos de 600 mil pessoas e gera apreensão no governo Bolsonaro
    Posted on 14 de novembro de 2019, 10:00 by Tribuna da Internet

    O cara já tá se assegurando e guardando munição, e até agora só uma postagem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *