Objetivo de Dilma e Mercadante é jogar a culpa no Congresso

DILMA

Mercadante e Dilma, uma espécie de Casal 20 da incompetência

Carlos Newton

Uma coisa é apoiar a criação de um imposto provisório para tirar o país do abismo, tendo plena confiança de que a arrecadação será utilizada com esta finalidade, porque o governo já fez a sua parte, ao diminuir drasticamente o número de ministérios, cortando milhares de cargos em comissão, extinguindo mordomias e o cartão corporativo, reduzindo os repasses às ONGs e revendo os programas sociais, para evitar que pessoas de classe média, vereadores e até animais domésticos recebam o Bolsa Família, como já foi denunciado e comprovado.

Outra coisa, muito diferente, é apoiar a CPMF e demais medidas de arrocho sem que o governo tenha feito o esforço necessário para reduzir a máquina administrativa e esteja usando todos os truques e artimanhas para manter o aparelhamento do Estado e preservar os currais eleitoreiros que têm garantido a eternização do PT no poder.

Esta é a questão que agora se apresenta àqueles que se dizem representantes do povo e vivem na ilha da fantasia em que se transformou o Congresso Nacional.

NÃO HÁ COINCIDÊNCIA

Certamente não é por mera coincidência que quase todas as medidas anunciadas no novo pacotão terão de ser aprovadas pelos parlamentares federais. A presidente Dilma Rousseff e o núcleo palaciano chefiado pelo ministro Aloizio Mercadante estão cansados de saber disso.

Na verdade, o festival de maldades é proposital e tem objetivo duplo. Se os deputados e senadores aprovarem as excrescências do pacotão, o governo se sai bem, porque poderá alegar que ficou comprovado não haver alternativa. Mas se os parlamentares rejeitarem as propostas, a presidente e sua entourage então irão apontar o Congresso como único responsável pela falência nacional, o que decididamente não é verdade, pois o culpado de tudo é o próprio governo, tangido pela incompetência e arrogância de dona Dilma e do serviçal Mercadante.

DOIS BANANAS  

Como os ministros Joaquim Levy e Nelson Barbosa, que se dizem responsáveis pela equipe econômica, são dois bananas, estão apenas engordando os respectivos currículos e não têm o menor comprometimento com os interesses nacionais, Dilma e o núcleo palaciano estão manobrando à vontade, sem rígida oposição interna.

O único objetivo do núcleo palaciano é evitar o impeachment e continuar no poder, porque nenhum de seus integrantes teve coragem de disputar a última eleição. Aloizio Mercadante, Miguel Rossetto, José Eduardo Cardozo, Edinho Silva, Gilles Azevedo e Ricardo Berzoini, todos eles estão sem mandato e precisam desesperadamente que Dilma continue no poder. Por isso, aceitam tudo o que a presidente determina, mesmo que ela os faça atuar como se fossem inimigos da nação.

É claro que um roteiro desses não se sustenta indefinidamente. Um dia a casa cai. Mas até lá o país já estará economicamente arrasado. O Almirante Barroso disse que o Brasil espera que cada um cumpra o seu dever. Mas no caso do governo atual, podemos esperar sentados.

6 thoughts on “Objetivo de Dilma e Mercadante é jogar a culpa no Congresso

  1. Este país parece tubo de ensaio de laboratório, depois de Getúlio, Juscelino e João Goulart, todos fazem a mesma merda, com prejuízos incalculáveis para o país e para o povo, quando o povo terá a esperança de ver alguém que realmente tenha preocupação com seu povo, ministros da fazenda, tem doutorado, mestrado,mas continuam fazendo merda, este mesmo agora Joaquim Levy, foi secretário de Antônio Pallocci, outro metido a sabedor de tudo, fizeram e continuam fazendo merda, comandados pela incompetente Dilma Rousseff, ‘CHEGA DE FAZER O BRASIL DE LABORATÓRIO DE INCOMPETENTES”.

  2. Carlos Newton, você acertou na mosca, mas jamais a Presidente cortará na carne, haja vista que é o empreguismos e as medidas populistas que mantém o PT no governo. Pode até cortar 10 Ministério inócuos, que não servem para nada, apenas como propaganda para dizer que está enxugando a máquina administrativa.
    Se a Presidente Dilma cortasse todos os gastos desnecessário do governo, a fúria dos petistas e da base aliada se voltaria contra ela. A Presidente está numa sinuca de bico.

  3. Parecem duas crianças que aprontaram e colocam a culpa nos outros.

    “Errar é humano, pode até se confundir, mas não pode mentir. Um presidente não pode mentir. Isso é desvio de caráter”
    Dilma Rousseff, presidenta
    Fonte: Folha de São Paulo
    30/10/2014

  4. Certíssimo, CN. Mas, se me permite, cabe acrescentar que mandando as propostas para o Congresso, além dos efeitos que você menciona, sinaliza a abertura de portas para “negociações” – leia-se negociatas. Como enxugar de verdade, se a presidenta é refém do Congresso? Se com os milhares de cargos de que ela dispõe para distribuir não consegue governar, imagine se vai cortar na própria carne!

    O Congresso, ou melhor, os nobres congressistas, por sua vez, vivem de portas abertas para receber “propostas”. E, sem querer defender a terrorista de antanho e Terror da Atualidade, o padrão moral dos senhores presidentes das casas legislativas consegue ser inferior ao da sucessora do Sapo Barbudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *