Odebrecht quer Lula em 2014

Dora Kramer (Estadão)
Se o governo pensa que seus problemas de erosão de apoio se restringem ao Congresso e a movimentos liderados pelo PMDB, deveria ouvir o que dizia Emílio Odebrecht em recepção na Bahia no último fim de semana. Na roda, um ex-ministro e um ex-governador. O empresário defendia de maneira contundente a candidatura de Lula em 2014. Com o governador Eduardo Campos de vice.
Sobre Dilma Rousseff, a quem o empresariado conferia atributos de grande gestora antes da queda nas pesquisas, a avaliação seguia o mesmo diapasão do “senso de oportunidade” dos ditos aliados: sem chance de reeleição.
(nota enviada por Mário Assis)
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

13 thoughts on “Odebrecht quer Lula em 2014

  1. UTILIDADE PÚBLICA.

    COM MUITA ALEGRIA TENHO A GRATA SATISFAÇÃO DE REPASSAR
    À PRESIDENTE E A TODOS OS BRASILEIROS, ESSE ESCLARECIMENTO
    QUE FOGE AO ALCANCE DE CERTAS PESSOAS LIMITADAS.

    ATÉ QUE ENFIM ALGUÉM CORRIGIU ISSO
    (aula de português)

    Uma belíssima aula de português!
    Foi elaborado para acabar de vez com toda e qualquer dúvida se tem presidente ou presidenta.
    A presidenta foi estudanta? Existe a palavra: PRESIDENTA?
    Que tal colocarmos um “BASTA” no assunto?

    Miriam Rita Moro Mine – Universidade Federal do Paraná.
    No português existem os particípios ativos como derivativos verbais.
    Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante…
    Qual é o particípio ativo do verbo ser?
    O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.

    Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte.
    Portanto, a pessoa que preside é PRESIDENTE, e não “presidenta”, independentemente do sexo que tenha.
    Diz-se: capela ardente, e não capela “ardenta”; se diz estudante, e não “estudanta”; se diz adolescente, e não “adolescenta”; se diz paciente, e não “pacienta”.

    Um bom exemplo do erro grosseiro seria:
    “A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta”.

    Por favor, pelo amor à língua portuguesa, repasse essa informação.
    DE HOJE EM DIANTE SÓ PUXA SACO IGNORANTE DIRÁ: PRESIDENTA

  2. O modello político-partidário-eleitoral,mercenário e esquemoso,com a reeleição e eleições de 2 em 2 anos,revelou-se um lixão a céu aberto.Aflorou-se todos os seus defeitos e o tamanho do vencimento do seu prazo de validade.E quem está dentro do lixão e se alimenta do dito cujo não sente o seu fedor.E a vontade do povo-patrãos expressa nas ruas parece diametralmente oposta às vontades dos”seus representantes”,aliás, uma distância abissal,um nó górdio que faz do voto uma emboscada contra o eleitor,que,além de tudo,depois de usado,é tachado pelos mesmos de“a besta do apocalipse eleitoral”,gozação embutida na frase:”cada povo tem o gov. que merece”,em que pese as candidaturas serem todas impostas pelos partidos.O relacionamento entre povo,partidos e seus”representantes” é tão grave,que até já obrigou o povo ir às ruas emitir um enorme S.O.S,talvez para Deus,porque o resto é ainda pior,lembrando que a famigerada ditadura militar é a puta que pariu a imundícíe, e que, de quebra, nos legou um inexpugnável rastro de merda, sangue e indenizações. Portanto,agora, meus caros, sem essa que querer andar de lado igual caranguejo, ou voltar para a caverna escura, chegou a hora da verdade verdadeira: é a Meritocracia Eleitoral, ou a Meritocracia Eleitoral. E se optarem pelo continuismo da mesmice, adeus, o Leão entra em ibernação para o resto de sua vida.

  3. Prezado Paulo. Não sou puxa saco nem ignorante, sou um revolucionário das linguagens e a favor da criatividade. A Mandatária gosta de ser chamada assim, revolucionariamente, respeito e gosto de sua(dela) vontade; quando me refiro à nossa autoridade maior utilizo Presidenta. As manifestações/revoluções acontecem tb nas Lógicas, nas Gramáticas, nas Línguas etc. Veja a beleza, a licença poética do parágrafo que vc colocou entre aspas, o romper das estruturas seculares que tanto precisamos. Neste ponto: viva a nossa Presidenta que abriu caminho para as manifestações ardentas, com adolescentes e adolescentas. Veja a poesia em grafarmos: o dentisto – a dentista! Veja mais adiante (olhar de águia) as revoluções implícitas nas mudanças gramaticaes… tem uma linda poesia do Manuel Bandeira que diz assim: “A língua certa do povo… a língua errada do povo” Na pós-modernidade se desconstrói tudo… viva a arte, viva e poesia. Meu pto de vista é a Sociolinguística Revolucionária de Esquerda.

    • Quem elege um analfabeto como presidente tem todo o direito de dizer presidenta. Mas o correto seria presidanta, porque isto e coisa de anta. Sinto dizer, mas teu ponto de vista Sociolinguistica Revoulucionaria de Esquerda, e a coisa mais retrograda que existe. O que tu propoes e a quebra de todos os paradigmas tais como: Cultura, honestidade e tudo o mais. Viva o analfabestismo, viva o mensalao, viva a corrupçao. Entao, podes pensar como queiras, mas a tua presidANTA, continua uma ANTA.O Lulla nao e analfabeto e e o maior leitor de litueratura do Brasil e o o mensalao e apenas uma ilusao.

  4. …”mudanças gramaticaes”, rsrsrs. O dito cujo é neologista arcaico ? Tem, contudo, a coragem de proclamar disparates sem anonimato. Abraços fraternos

  5. Embora não seja o tema específico aqui, que é o relacionamento da empreiteira Odebrecht com o Lula, o link postado pelo primeiro comentarista é de grande contribuição para que todos possam aprender de forma didática e defender os interesses nacionais e do nosso povo.

  6. É muito sintomático um cara do ramo da construção civil se declarando e querendo o Lula de volta. Esses se deram bem e querem mais… Construtoras e banqueiros adoram o lula, será por quê? Seria bom que o Congresso abrisse uma CPMI para apurar os motivos de tanto amor, desses “patriotas” pelo ex-presidente. Com certeza, se levantarem o tapete, vão encontrar um mau-cheiro insuportável, pura podridão.

  7. Sejamos justos. As empreiteiras e banqueiros nossos, assim como as corporações multinacionais tipo montadoras, principalmente, nada têm a reclamar dos presidentes brasileiros, exceto por uma propina pontual excessiva. Todos lhes serviram e servem com devoção. Possivelmente recordam melhor do Lula pelo período de céu de brigadeiro na economia que lhes permitiram lucros altos e dólar barato para remessas. Também, por sua capacidade e talento para enganar mais brasileiros que os outros, incluindo essa “gestora” que abandonou na burocracia para morrer sem benefício da anistia até quem foi preso por causa dela naquela passagem dos anos 60 para 70.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *