Odebrecht revela ter dado R$ 500 mil ao marido de Marta, no caixa 2, em 2010

Márcio Toledo é acusado de ter negociado a doação ilegal

Bela Megale
Folha

A senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) recebeu doação de R$ 500 mil via caixa dois da Odebrecht na campanha de 2010, segundo informação prestada durante processo de delação premiada de executivos da empresa. Corrigido pela inflação do período, o valor seria hoje de R$ 757 mil. Na época, Marta concorreu ao cargo pelo PT, partido que deixou em 2015 para se filiar ao PMDB, legenda pela qual disputa este ano a Prefeitura de São Paulo.

A senadora nega a acusação e diz não ter recebido doações da Odebrecht na eleição de 2010. Não constam registros de contribuição da empreiteira à campanha dela na Justiça Eleitoral naquele ano.

A informação foi prestada há cerca de duas semanas aos procuradores da República em Curitiba, que conduzem o processo de delação. A negociação com os executivos ocorre paralelamente às conversas sobre a leniência com a Odebrecht, espécie de delação para pessoas jurídicas.

DELAÇÃO PREMIADA – A citação a Marta integra um dos volumes preliminares da negociação com os procuradores. Caso o acordo de delação seja fechado, essas informações poderão ou não entrar na versão final.

Segundo depoimento prestado aos procuradores, a negociação sobre os R$ 500 mil foi feita com o empresário Márcio Toledo, hoje marido de Marta e namorado da senadora em 2010. Toledo atuou nos bastidores da coordenação daquela campanha, inclusive na articulação para buscar potenciais doadores.

É a primeira vez que Marta Suplicy aparece como suposta beneficiária de caixa dois na investigação da Lava Jato. Em junho do ano passado, o nome da senadora apareceu em laudo da Polícia Federal mostrando que sua campanha para o Senado recebeu R$ 100 mil em doações oficiais de duas empresas do lobista Julio Camargo, outro delator da Lava Jato. Essas empresas se tornaram alvo de investigação por receber dinheiro da empreiteira Camargo Corrêa sem ter prestado serviço.

APOIO A SERRA – A Folha revelou, no dia 7 de agosto, que executivos da Odebrecht afirmaram aos investigadores da Lava Jato que a campanha do hoje ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB-SP), à Presidência, em 2010, recebeu R$ 23 milhões da empreiteira via caixa dois. Corrigido pela inflação do período, o valor atualmente equivale a R$ 34,5 milhões.

Marta Suplicy se elegeu senadora em 2010 por São Paulo com 22% dos votos, atrás de Aloysio Nunes (PSDB), que teve 30%. Em abril de 2015, após ser ministra de Dilma Rousseff, ela entregou carta de desfiliação acusando o PT de limitar sua atuação. Cinco meses depois, se filiou ao PMDB com o objetivo de concorrer à prefeitura. Em pesquisa Datafolha em julho, ela apareceu em segundo lugar, com 16%.

OUTRO LADO – Procurada pela reportagem, a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) afirmou, por meio de sua assessoria, que “não houve nenhuma doação da Odebrecht” à sua campanha nas eleições de 2010. “Os responsáveis pela arrecadação e prestação de contas foram o tesoureiro da campanha e o Comitê Financeiro Único do PT”, afirmou. “Todas as doações da campanha foram contabilizadas oficialmente e declaradas à Justiça Eleitoral”, completou.

Apontado pela empreiteira investigada na Lava Jato como intermediário da negociação para o suposto repasse, o marido dela, Márcio Toledo, declarou ser “leviana e mentirosa a afirmação de que negociei com a Odebrecht doação de recursos para a campanha de Marta Suplicy ao Senado em 2010”.

18 thoughts on “Odebrecht revela ter dado R$ 500 mil ao marido de Marta, no caixa 2, em 2010

  1. Marta cometeu o mesmo erro do PT, juntou-se ao PMDB e Cia. E o Aloysio Nunes, não garfou nada da empreiteirada mafiosa ? A sua campanha milionária para o senado foi custeada por quem mesmo ? Tem mais jeito não. Paremos com ilson, chega dilson, ninguém aguenta mais ilson. O problema do partidarismo-eleitoral e do golpismo-ditatorial é mesmo de junta: juntar tudo e jogar no lixão da história do Brasil.

  2. ” Moralidade ” é isso aí…kkkaas..

    Condenado na ‘máfia dos fiscais’ apoia João Doria na corrida pela prefeitura de São Paulo
    HuffPost Brasil .

    Publicado: 16/08/2016 18:04 BRT Atualizado: 16/08/2016 18:04 BRT .

    Ex-vereador de São Paulo e deputado estadual cassado após envolvido no esquema conhecido como “máfia dos fiscais”, Hanna Garib mostrou apoio ao candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, João Doria.
    Garib publicou nesta segunda-feira (15) uma foto ao lado de Doria com a frase “Estamos comprometidos com São Paulo, juntos por uma cidade melhor” e fazendo o gesto de “V” de vitória.
    O ex-vereador foi condenado a 20 anos de prisão sob a acusação de ter liderado um esquema de arrecadação de propinas entre 1993 e 1999 na Administração Regional da Sé.
    Garib é candidato a vereador pelo PHS, partido que integra a coligação do PSDB, Acelera SP.

    http://www.brasilpost.com.br/2016/08/16/hanna-garib-joao-doria_n_11551284.html?utm_hp_ref=brazil

  3. Meu Deus!

    Quantas vezes já escrevemos para este blog incomparável que NÃO SOBRA NINGUÉM neste mar de m… que se transformou a política brasileira?!

    EIS O MOMENTO DE FECHAR O CONGRESSO NACIONAL!!!

    BASTA DE TANTA LADROAGEM, CORRUPÇÃO, DESONESTIDADE, IMORALIDADE E TOTAL FALTA DE ÉTICA DOS NOSSOS PARLAMENTARES!!!

    O que está havendo?

    A Lava-Jato não dá conta de investigar e mandar para o Supremo os políticos acusados de roubos, e mesmo que Moro fosse mais ágil do que está sendo, Barroso já disse que o STF não tem como julgar a quantidade de processos que chegam às mãos dos ministros!!!

    Os ladrões petistas, peemedebistas, pepistas, peessedebistas … ficarão impunes pela burocracia e letargia de nossos tribunais superiores!!!

    Pô, quero ver se algum juiz terá moral para condenar um ladrão de banco, quero ver, pois se os maiores assaltantes deste país contra o povo são deixados de lado, como que um reles assaltante pode ir preso?!

    Que b… de Justiça é esta?!

    TEMOS DE FECHAR O CONGRESSO, fazer as reformas políticas, tributárias e no âmbito do Judiciário, e depois de meio ano convocar o cidadão para novas eleições, PORÉM NÃO MAIS OBRIGADO A VOTAR, MAS LIVRE, tendo sido abolido nessas reformas o voto obrigatório, ABSOLUTAMENTE ANTIDEMOCRÁTICO!!!

    Ou isso ou um Estado porcamente tendencioso, manipulador, onde as leis existem somente para a população, enquanto os três poderes ficam imunes, isentos criminosamente de obedecer a Constituição Federal!

    • Inegavelmente, dr.Ednei Freitas!

      Marta não abandonou a tradição e costume dos petistas em roubar os cofres públicos!

      Aliás, os maridos das parlamentares estão se revelando um perigo iminente ao povo brasileiro!

      Senadoras, deputadas, casaram-se com perigosos ladrões, E NÃO PERCEBERAM QUE SE DEITAVAM COM FACÍNORAS, surpreendentemente!

      Ou isso ou, então, são cúmplices mesmo de seus cônjuges!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *