“Operador” do PP se entrega. Agora só falta Vaccari, do PT.

Adarico Negromonte se entrega na Policia Federal em Curitiba

Adarico Negromonte chega à sede da PF em Curitiba

Estelita Hass Carazzai
Folha

O último foragido da sétima fase da Operação Lava Jato, Adarico Negromonte Filho, se entregou à polícia na manhã desta segunda-feira (24).

Ele se apresentou na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba por volta das 11 horas, acompanhado por duas advogadas.

Cercado por jornalistas, Negromonte se manteve em silêncio e não fez declarações. Ele chegou de táxi e se dirigiu a pé até a sede da polícia.

Negromonte é irmão do ex-ministro das Cidades, Mário Negromonte (PP). Segundo as investigações da PF, Adarico era subordinado ao doleiro Alberto Youssef e era responsável pelo transporte de valores em espécie.

PRISÃO DECRETADA

O investigado teve a prisão temporária, válida por cinco dias, decretada no último dia 14, mas estava foragido desde então.

A defesa de Negromonte já pediu a revogação da prisão. As advogadas argumentam que ele colaborou com a polícia, se apresentou espontaneamente, tem idade avançada (68 anos) e um estado de saúde “delicado”.

Sobre as acusações que pesam contra seu cliente, a advogada Joyce Roysen afirmou apenas que ele “já prestou os esclarecimentos à Justiça”, mas não detalhou o que foi dito. Roysen declarou que Negromonte está aposentado, mas não disse em que área ou atividade ele atuava. Era o único dos 25 alvos da operação que tiveram prisão decretada e ainda não havia sido preso.

A sétima fase da Operação Lava Jato, chamada de “Juízo Final”, investiga um esquema de fraude em licitações na Petrobras. Dos 25 alvos da operação que tiveram a prisão decretada, 11 foram liberados após prestar depoimentos.

One thought on ““Operador” do PP se entrega. Agora só falta Vaccari, do PT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *