Oposição e aliados de Cunha defendem manutenção do recesso

Deu no Correio Braziliense

Defensores do impeachment e aliados do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pretendem usar a votação das contas da presidente Dilma Rousseff de 2014 no Congresso Nacional para pressionar o governo a desistir da ideia de suspender o recesso parlamentar. Se o Palácio do Planalto insistir em manter o Senado e a Câmara funcionando em dezembro e janeiro, a estratégia é acelerar a análise do balanço da União, que contém irregularidades reprovadas em relatório do Tribunal de Contas da União (TCU).

Um eventual revés para o governo na Comissão Mista de Orçamento (CMO), responsável por emitir o parecer sobre as contas, reforçaria o discurso pró-impeachment da oposição. O pedido de afastamento de Dilma, acolhido na última semana pelo presidente da Câmara, se baseia justamente em falhas apontadas pelo TCU no balanço de 2014, que teriam se repetido em 2015.

“Vamos utilizar o julgamento das contas da presidente para colocar o governo contra a parede nessa história de suspender o recesso. A votação das contas é tudo que eles menos querem, porque pode ser mais um argumento para o impeachment”, disse o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SP), presidente nacional do Solidariedade.

Inicialmente a favor da suspensão do recesso, o parlamentar defende agora que os parlamentares não trabalhem em dezembro e janeiro. “Precisamos fazer negociações durante esse período. Precisamos de mobilização, mas, no final do ano, o povo não quer saber disso, vai é passear, para a praia”, afirmou Paulinho, um dos maiores defensores de Eduardo Cunha na Câmara.

ESTRATÉGIA

A mudança de posição também ocorreu com outros parlamentares da oposição na Câmara. Para eles, o Executivo está querendo acelerar a análise do impeachment para evitar que mais adiante, num eventual cenário de maior insatisfação popular, cresça a pressão das ruas pelo afastamento de Dilma.

O plano dos aliados de Cunha, contudo, deve esbarrar em uma questão regimental, uma vez que o processo que avalia as contas da petista deve demorar a ter um desfecho na Comissão Mista de Orçamento. Na avaliação da senadora Rose Freitas (PMDB-ES), que preside o colegiado, a estratégia não dará certo porque a comissão tem até 77 dias para dar parecer e deliberar sobre as contas de Dilma, prazo que se encerraria em 20 de janeiro. “O prazo é obrigatório. Não há como negociar para adiantar a avaliação das contas de Dilma”, explica Rose.

O colegiado tem se mostrado favorável à aprovação de matérias do interesse do governo, como a revisão da meta fiscal de 2015 e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU).

CELERIDADE

O governo tem defendido suspender o recesso parlamentar para terminar de votar as matérias orçamentárias e, principalmente, dar celeridade na análise do processo de impeachment. A leitura do Planalto é de que a votação mais rápida do pedido de afastamento da petista favoreceria a presidente.

A pressão dos aliados de Eduardo Cunha para que o governo desista de suspender o recesso parlamentar e o processo de impeachment seja votado o mais breve possível vai além da intenção de estender o calvário da presidente Dilma. A interrupção dos trabalhos na Câmara dá mais tempo para o peemedebista trabalhar para arregimentar os votos necessários para livrá-lo do processo do qual é alvo no Conselho de Ética da Casa.

A intenção de Cunha de ganhar tempo, no entanto, esbarra no presidente do conselho, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), que é a favor da continuação dos trabalhos. “Se for convocada a comissão, o Conselho de Ética tem que ser convocado também”, disse.

Araújo pretende pôr em votação ainda nesta semana o parecer preliminar pela admissibilidade do processo contra o peemedebista. “Minha intenção é limpar a pauta e encerrar a votação na quarta-feira”, disse ele, minimizando a possibilidade de medidas protelatória de Cunha e seus aliados no colegiado. (da Agência Estado)

3 thoughts on “Oposição e aliados de Cunha defendem manutenção do recesso

  1. Por falar em recesso, o Vaixxxxxxxxxxxxxco caiu de novo para Segundona do Futebol Brasileirinho dos Filhos do Marinho & JHawilla , Saad & CBF & Corrupções Afins.
    Será que o famoso Corruptola Ladrão eu-rico sacripanta vai cumprir a promessa de morar na Sibéria.;???
    Em 8 nos caiu 3 vezes para Série B do brasileirinho da groblo..
    Não consegue pagar 3 contas de água e luz seguidas, muito menos jogadores, que estão sempre sem receber os salários a meses, ás vezes segundo os jornalistas esportivos, 6 7 8 meses sem pingo de dindin na conta.
    Mas seu ilustre Corruptola ladrão do clube esse sim, tem dinheirão ao montão, ainda deu para dar uma passadinha por Brasília, mas, como queria roubar demais dos pares, deram um chute no traseiro, voltando aos quadros do clube.,
    Clube aliás falidos como a grande maioria deles, mas seus Corruptolas que ficam 20,30,.40 anos seguindos sempre com os bolsos cheios.
    Aliás, até hoje ainda fico a pensar com meu botões porque o eu-rico sacripanta está solto.?????
    eh!eh!eh
    VIVE LA FRANCE>!!!

  2. E a Sibéria?

    “Se o Vasco caísse eu ia morar na Sibéria para ficar longe. Isso não é frase de efeito. Iria para lá se eu não tivesse minha justificativa. Aí eu não ficava aqui um minuto. Não precisava ser a Sibéria. Mas alguns devem estar tristes. Tem gente que tem problema freudiano comigo e gostaria de me acompanhar na Sibéria. Mas eu podia falar Groenlândia ou qualquer lugar mais distante. Mas isso só iria acontecer se eu não tivesse as razões. Se eu não tivesse feito o máximo. A responsabilidade é minha. Mas não a culpa. A culpa já foi suficientemente explicada”, disse, voltando a falar de Roberto Dinamite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *