Oposição pede que a “compra” da inocência de Temer na CCJ seja investigada

Resultado de imagem para condenação de lula charges

Charge do Miguel (Jornal do Comércio/PE)

Bernardo Caram
G1, Brasília

Parlamentares da Rede vão acionar a Procuradoria Geral da República (PGR) para que seja apurado o aumento da liberação de emendas parlamentares pelo governo em meio à análise da denúncia contra o presidente Michel Temer, informou neste domingo (dia 16) a assessoria de imprensa do deputado Alessandro Molon (Rede-RJ).

Na representação, os parlamentares oposicionistas vão apresentar à PGR um levantamento que apontou um “aumento significativo” da liberação de emendas para deputados da base governista nos dias que antecederam a votação da denúncia contra Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

Levantamento da ONG Contas abertas mostra que o governo federal liberou em junho R$ 134 milhões em emendas a 36 dos 40 deputados que votaram a favor do presidente Michel Temer na CCJ. A Comissão aprovou parecer que recomenda a rejeição da denúncia da PGR contra o presidente. A denúncia ainda precisa passar por votação no plenário principal da Casa.

O levantamento da ONG também mostrou que o valor liberado em emendas, que não passou de R$ 6 milhões ao mês entre janeiro e abril, chegou a R$ 89,2 milhões em maio e saltou para pouco mais de R$ 2 bilhões em junho.

“Queremos impedir que Temer continue usando dinheiro público para obstruir a Justiça e permanecer impune com a ajuda do Congresso. Além disso, queremos impedir que serviços essenciais sejam prejudicados por causa dessas manobras ilegais e irresponsáveis do governo”, afirmou Alessandro Molon.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Na verdade, a farra do boi foi muito maior. A manchete de O Globo neste domingo revela que “Temer usou R$ 15 bilhões para obter vitória”, acentuando que “verbas para obras nos Estados se somaram ao reforço na liberação das chamadas emendas parlamentares”. A denúncia é válida, mas não vai acontecer nada. Essa liberação de dinheiro público para comprar a inocência de Temer é imoral, mas não é ilegal. (C.N.)

7 thoughts on “Oposição pede que a “compra” da inocência de Temer na CCJ seja investigada

  1. Na prática o que a oposição tem conseguido mesmo, é que o Temer gaste mais um dinheiro que já é escasso e por consequência fique mais firme no cargo.
    Cada vez que a oposição faz carga, o governo descarrega um caminhão de dinheiro, para as emendas dos deputados.
    É legal, embora muitos achem que é imoral, porém se pergunta aos reclamantes, por que nos 13 anos que estiveram a frente do governo, não acabaram com estas hoje taxadas de imoralidades? E se a memória não falha, também usaram do expediente.
    Foi por estas e por outras incoerências, que o petismo foi parar onde esta hoje, na lona.

    • Maia deve aceitar o pedido de impeachment feito pela OAB quando do regresso do recesso parlamentar.

      Rodrigo Maia percebeu que assim vestirá a faixa de presidente da república !

  2. memória fraca> quem bradou contra a reeleição? disse que no congresso havia 300 picaretas…(?)> quando assumiram, impediram a reeleição? indicaram os picaretas…tudo farinha do mesmo saco e com rapadura, aqui no NE/CE…

  3. Engraçado, este crime monumental foi ignorado pelo legislativo e judiciário, era para o MPF abrir uma investigação, mas tudo passa em branco como se fosse normal, o país envidado e Michel Temer distribuindo dinheiro público para se manter no poder, que país surreal é este, o que o cidadão de bem está pensando sobre isto, fico pasmo, tudo declarado pela imprensa.

  4. Corruptores e corrompidos , ratos e ratazanas de forma explícita e descarada , continuam a dilapídar os cofres públicos e dividirem os frutos de suas falcatruas , tudo aos olhos de um STF omisso e conivente . Que país é este , que nação é esta , que judiciário é este ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *