Os 125 anos de Villa-Lobos e a juventude de seus sonhos

Pedro Ricardo Maximino

Há exatos 125 anos, em 5 de março de 1887, nascia no Rio de Janeiro Heitor Villa-Lobos, filho de Raul Villa-Lobos, funcionário da Biblioteca Nacional e músico amador.

Ao buscar na música indígena e no folclore nacional os elementos para as suas maduramente modernas composições, Villa-Lobos tentava no alvorecer do século XX, com grande ímpeto estilístico e elaborada composição artística, derrubar os obstáculos linguísticos e técnicos que separavam, e ainda dificultam, o conhecimento e o apreço da cultura popular pelo sofisticado e perene estilo clássico.

A coletânea de canções folclóricas destinadas à educação musical nas escolas, denominada de “O Guia Pático”, resultou de ampla pesquisa e valorosa construção experimental pelo vasto território do inigualável e ainda desconhecido Brasil.

A preocupação do maestro com a difusão artística e com a educação musical como caráter indispensável para a formação humanística das gerações vindouras merece ser louvada em sua polissêmica “Exortação Cívica”. Ainda que com o “Cair da Tarde” em nossa tortuosa história se tenha perdido a “Evocação” e tão “Miudinho” ainda reste dessa valorosa ferramenta na escola brasileira de grandes projetos e tímidas realizações políticas de nossos dias.

Nada contra as demais manifestações que compuseram o nosso modernismo e inseminaram as bases para a nossa modernização enquanto país, mas o que recebeu o bom trabalho e superou o experimentalismo e a mera ruptura, respeitando a tradição e difundindo uma versão verdadeiramente criativa na junção de elementos e respeitável por suas bases acadêmicas e a solidez de sua construção, sempre será preservado enquanto projeto de transformação nacional e de promoção da sofisticação cultural sem preconceitos e baseada unicamente na disponibilização indiscriminada de todo o conhecimento que é indispensável para o desenvolvimento e para o bom gosto.

Villa-Lobos vive em cada um de nós.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *