Os 30 mandamentos da Justiça Trabalhista

Roberto Monteiro Pinho

Aqui estão algumas das agruras sofridas pelos que demandam no judiciário trabalhista. Essa matéria só foi possível graças à coleta dos itens sugeridos por renomados advogados militantes neste judiciário. Entre os Mandamentos você vai encontrar o de n° 9, “O juiz do trabalho é um ser superior, intocável e magnânimo”.

1 – Não encontrar juízes de 2ª a 6ª feiras, após as 15 horas e nas segundas e sextas-feiras; 

2 – Atender com desdém os advogados e partes que comparecem nos guichês das Varas; 

3 – Os serventuários não devem permitir que advogados tenham acesso aos juízes; 

4 – Quando abrir exceção e tiver que atender o advogado, não o convide para sentar, devendo permanecer sentado e o advogado em pé; 

5 – Colocar o mínimo de informação nos textos de consultas no Push Processual; 

6 – Instruir os serventuários para que não prestem informações aos advogados dificultando seu acesso ao processo, mantendo-o constantemente concluso; 

7 – Os juízes devem ser grosseiros com as partes, como forma de inibir a atuação dos patronos, para com isso mostrar a supremacia dos magistrados; 

8 – Usar toga na primeira instância e exigir ser tratado de juiz-desembargador; 

9 – O juiz do trabalho é um ser superior, intocável e magnânimo; 

10 – Mostrar postura austera e quando cumprimentado pelo advogado fora da VT ou Gabinete, fingir que não escutou, para não retribuir; 

11 – Não dar a menor importância às determinações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); 

12 – Não validar acordos com facilidade a fim de supervalorizar a atividade do magistrado; 

13 – Não ter receio de correcional eis que as mesmas são fadadas ao esquecimento; 

14 – Alertar testemunhas de forma austera a fim de inibi-las a depoimento, ameaçar de prendê-las é uma forma de constrangê-las em público e diminuir sua importância no processo; 

15 – Como forma de mostrar ao advogado a importância do juiz, demorar o máximo para assinar alvará; 

16 – Durante a audiência, dar passa-fora nos advogados, como forma de demonstrar a supremacia  do juiz;

17 – Organizar sua pauta de audiências sem levar em conta as partes e patronos, de forma atender apenas as suas necessidades sociais e de convívio familiar; 

}18 – Marcar a primeira audiência em data o mais distante possível para desestimular o ingresso de ações; 

19 – Remarcar audiências o mais distante possível a fim de proporcionar ao juiz e servidores melhor conforto e qualidade de vida profissional; 

20 – Procurar extinguir a ação, sempre existe algum ponto na petição que vai permitir o ato; 

21 – Na execução peça para o serventuário preferido fazer o edital, notificações e escolher os CPFs constantes no contrato social, ignorando o fato se a pessoa tem a responsabilidade com o período relacionado. Uma vez citado, ele vai tomar providencias e indicar o sócio responsável; 

22 – Quando atacado pela parte por erro de edital, notificação e escolha do executado (s) na  Bacen Jud, e bens, ignorem-o, deixe a questão para ser decidida pelos tribunais superiores, afinal o erro não foi seu, e sim do serventuário, Quem quiser que se defenda, nego na petição, ela se agravada vai para o tribunal e lá eles decidem;

23 – Se possível peça licença para participar de Cursos, Seminários e Congressos fora do País; 

24 – Publique um livro, mesmo que seja com poucas páginas e de fraco conteúdo programático, ele lhe será útil no futuro no caso de promoção por merecimento; 

25 – Serventuários e juízes, reclamem sempre do seu baixo salário; 

26 – A Ordem dos Advogados é entidade privada e deve ser reconhecida dentro da sua limitada importância; 

27 – Sempre que possível aplique a multa por litigância de má-fé; 

28 – Para obter melhor qualidade técnica, nunca propale sentenças ou tome decisões interlocutórias com celeridade. Lembre-se: a indenização laboral é uma poupança para o trabalhador, enquanto não decide vai rendendo dividendos; 

29 – Para driblar o nepotismo, peça para colegas nomearem seus parentes em troca de nomeações dos seus em sua Vara ou Gabinete; 

30 – Nas audiências, aproveitando a presença de público, externar sempre que puder suas posições políticas, mostrando sua tendência partidária. 
 
Se você concorda ou não com esses 30 Mandamentos da JT, dê sua nota de 1 a 10, avaliando. 
 
Veja como ficou a pontuação da sua resposta: 
 
Se concordou com 10% das questões (é um cínico e bajulador); 
Se concordou com 30% das questões (está sendo cauteloso); 
Se concordou com 50% das questões (é uma pessoa criteriosa); 
Se concordou com 70% (concorre ao cargo de critico da JT); 
Se concordou com 100% (parabéns, você é um advogado trabalhista militante e sofre as agruras da JT).

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *