Os caças AMX, os Sukhoi e os EUA

 Mauro Santayana
(HD) – Os pilotos da FAB, que majoritariamente prefeririam a compra de jatos russos Sukhoi-35, no lugar de caças norte-americanos F/A 18E, devem estar com suas esperanças renovadas, em razão da espionagem direta da NSA (agência nacional de segurança) norte-americana sobre a Presidente Dilma Roussef e outros membros do governo brasileiro. As denúncias praticamente sepultam as chances da Boeing vencer a licitação do Programa F-X2.
O Brasil não foi apenas mais um país entre os muitos espionados pelos EUA, mas o país estrangeiro mais espionado pelos EUA.
Os norte-americanos nos consideram não apenas um adversário potencial, mas – como criador dos BRICS e terceiro credor dos EUA – o seu pior inimigo, a nação mais perigosa do mundo, no contexto geopolítico.
Se os Estados Unidos são capazes, do ponto de vista moral, de espionar até o email dos outros, como o mais vulgar fofoqueiro de escritório ou hacker ladrão de senha de banco e de cartão de crédito, imagine-se o que não fariam com os códigos-fonte  dos novos caças brasileiros, e o que não fazem, por meio das empresas (próprias e originárias de outros países da OTAN), que trabalham na indústria de  “brasileira” de defesa.
OS NOVOS AMX
A nova motorização e aviônica dos caças AMX – os primeiros exemplares modernizados foram entregues pela Embraer à FAB esta semana – mostram que, se quisermos, poderemos fabricar aqui mesmo, a partir desse vetor subsônico, aviões intermediários para cuidar da defesa de nossas fronteiras.
Quanto à compra de caças-bombardeios de primeira linha, a aproximação com os russos, com a aquisição dos Sukhoi-35 como fator de dissuasão, nos permitiria entrar de pleno como sócios em bases iguais – com garantia de desenvolvimento e transferência de tecnologia – no Projeto do PAK FA T50, o caça multipropósito de quinta geração que está sendo construído em conjunto por russos e indianos no âmbito dos BRICS.
O PAK-FA está sendo desenvolvido justamente para substituir o Sukhoi SU-35 (sua tecnologia os russos já asseguraram ao Brasil em caso de compra), como o principal caça russo para a primeira metade do século XXI. É um caça-bombardeio polivalente de incrível manobrabilidade (ver vídeo), com um alcance de 5.000 quilômetros, e carga de 10 toneladas de armas.
EMBRAER
Enquanto os EUA fazem o que querem com as nossas telecomunicações – criminosamente desnacionalizadas no Governo Fernando Henrique, a ponto de entregar até os BrasilSATs para os mexicanos – a Embraer se aproxima perigosamente da Boeing, em projetos como o do novo transporte militar KC-390, originalmente projetado no Brasil, e concebido inicialmente como um avião regional, sem participação norte-americana.

Considerações de mercado não podem sobrepor-se a interesses estratégicos nacionais, principalmente quando se trata de “sócios” com a credibilidade e caráter de nossos vizinhos do norte.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “Os caças AMX, os Sukhoi e os EUA

  1. Tem que ser Verde Amarelo

    Certos sistemas e tecnologias, dentre alguns, educação, saúde, telecomunicação, energia, minérios estratégicos, jamais poderiam ficar em mãos dos gringos. Com toda a certeza desse mundo, que alguns dispositivos eletrônicos e software, fabricados pelos gringos, contêm todo tipo de facilidades para espionagens e sabotagens, as mais diversas. Só um desavisado ou vendido ainda não se deu conta desse Cavalo de Tróia.

    Não fosse a grande coragem do ex técnico da CIA, Edward Snowden, atualmente vivendo tranquilamente na Rússia, quem sabe, só daqui a alguns anos o mundo tomaria conhecimento oficial das criminosas espionagens dos EUA, visando roubo de informações confidencias, tecnologias, informações bancárias e financeiras, militares, industriais, agrícolas, dentre tantas. Como também, possíveis ações à longa distância de todo tipo de sabotagens. É o silencioso terror cibernético dos EUA correndo solto e impune.

  2. Santayana, desde a “Tribuna Impressa”, tenho escrito sobre os SUKOI-35. Com uma agilidade nunca vista antes, e ainda sem paralelo entre os modelos de combate, o SUKOI-35 rompeu todos os limites existentes até então. Armado com misseis de última geração, com um alcance absolutamente ímpar e uma nova aviônica com tecnologia de ponta, o SU-35 é ao mesmo tempo um excepcional caça de defesa aéreae um atacante poderoso e letal.
    Hoje esse poderoso jato está a serviço com seus “irmãos da série Su-30MK”, nas forças aéreas da Rússia, China e India. Três dos cinco maiores países do planeta.
    A Rússia ofereceu vender ao Brasil 36 caças transferindo tecnologia, inclusive sensível, a serem pagos com soja.Tendo sido os SUKOI-35 excluidos da licitação, voltaram os russos a fazer outra proposta: Trocariam 6 SUKOI por 20 aviões menores fabricados pela Embraer. Nada feito.
    O Coronel Aviador Professor da Escola Superior de Guerra, Manoel Cambesis Junior é um estudioso e entusiasta do SUKOI-35.

    .
    .

  3. País forte é país com povo forte. Fora isso é essa conversa mole desse ” jornalista” santayana
    Povo forte se faz com educação científica de qualidade.
    Já poderíamos ter muita tecnologia se o estado tivesse cumprido sua obrigação de fornecer educação ao povo há 50 anos. Estaríamos exportando e seríamos ricos. Como a Coreia do Sul.
    Comprar Sucói? Uma meia dúzia? Isso não resolve nada. Além de tudo, custa uma fortuna que deveria ser empregada em educação.
    Ademais os nossos inimigos são a Bolívia, Venezuela e Cuba. Os EUA não se interessam por nada aqui.Não temos nem petróleo direito como a Venezuela tem a meio metro do chão.

  4. Senhores,

    Por vários motivos o avião russo é o melhor de todos os pretendidos. Mas, como o assunto é longo e eu não tenho tempo para discorrer aqui, darei apenas um motivo:

    -Ele foi o avião preferido dos pilotos da FAB, no início do Programa FX. Se os pilotos, que arriscarão a vida neles, acham que ele é o melhor, não se precisa de melhor argumento… E a compra ainda ficaria dentro do BRIC.

    Agora, melhor mesmo seria o Brasil desenvolver o Programa VLS, sabotado no governo Lula. Afinal, ter MISSEIS de longo alcance é bem melhor do que ter um punhado de aviões!

  5. Agora, senhores,

    -Seriam os militares da Marinha da Brasil COMUNISTAS, ao negarem o franco acesso dos inspetores da ONU/ESTADOS UNIDOS aos novos reatores nucleares/centrifugadoras desenvolvidos pela marinha?

    -Seriam os militares do Exército Brasileiro COMUNISTAS quando romperam o acordo militar com os Estados Unidos?

    -Os militares da Força Aérea Brasileira, agora, serão considerados COMUNISTAS se optarem pelo avião russo?

    -As Forças Armadas brasileiras estarão cheias de COMUNISTAS quando denunciam que as ONGs ligadas aos Estados Unidos, Inglaterra e a outros países da Europa continental estão atrasando, propositadamente, o nosso desenvolvimento??

    Abraços.

  6. …“Agora, melhor mesmo seria o Brasil desenvolver o Programa VLS, sabotado no governo Lula. Afinal, ter MISSEIS de longo alcance é bem melhor do que ter um punhado de aviões!”…

    Prezado Francisco Vieira Brasilia-DF

    Permita-me acrescentar: mísseis de longo alcance dotados de bomba atômica. Infelizmente, a única arma que o grande predador respeita. A insuperável arma de defesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *