Os mercenários que guerreiam na Síria

Altamiro Borges

O Conselho Nacional da Síria (CNS), instituição que reúne os grupos contrários ao presidente Bashar Al-Assad, confirmou que os militares e insurretos que se rebelarem no país serão pagos com ajuda financeira de “nações ocidentais”. A decisão, tomada numa conferência realizada na Turquia no final de semana, comprova o que todos já sabiam: a interferência estrangeira neste conflito interno.

“O CNS vai se encarregar dos pagamentos dos salários fixos de todos os oficiais, soldados e outros que são membros do Exército Livre Sírio”, disse o presidente do Conselho, Burhan Ghalioun, na conferência. Segundo relato da BBC, “delegados da conferência afirmaram que os países árabes ricos do Golfo contribuiriam com milhões de dólares a cada mês para o fundo do CNS”.

###
BRASIL É “OBSERVADOR”

Para o governo de Bashar Al-Assad, a conferência de Istambul reuniu os “inimigos da Síria”. Damasco garante que o levante está prestes a ser derrotado e que a ajuda externa visa dar sobrevida ao grupo rebelde. O governo sírio também criticou a ingerência dos EUA, e a secretária de Estado Hillary Clinton confirmou pela primeira vez que o governo ianque enviou equipamentos militares para os mercenários.

A conferência reuniu 83 países. Rússia, China e Irã, entre outros, não compareceram e criticaram suas decisões. Já o Brasil esteve presente como “observador”. Segundo a ONU, mais de 9 mil pessoas já morreram desde o início do conflito. As decisões da reunião na Turquia tendem a agravar ainda mais o conflito interno, elevando o número de mortos na Síria.

Para Elliott Abrams, ex-conselheiro de segurança da Casa Branca, “não há saída diplomática para a queda de Assad” e os EUA devem financiar os mercenários. Para ele, “armar os rebeldes terá também impacto político e psicológico, ajudando o moral dos rebeldes e ajudando a convencer muitos que estão em cima do muro de que realmente queremos derrubar Assad”.

(Transcrito do site Pátria Latina)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *