Ou Temer demite Padilha, Grace e Rocha, ou ficará inteiramente desmoralizado

Resultado de imagem para padilha e grace mendonça

Padilha e Grace mentiram e colocaram Temer numa furada

Carlos Newton

Não dá mais para segurar. Logo após assumir, o presidente Michel Temer reuniu o ministério, deu um soco na mesa, disse que não admitiria irregularidades em seu governo, e até agora… nada. Os escândalos se sucedem, parece uma reprise da gestão do PT, e já caíram quatro ministros acusados de corrupção – Romero Jucá (Planejamento), Fabiano Silveira (Transparência), Henrique Eduardo Alves (Turismo) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo).

RASTRO DE SUSPEIÇÃO – O último a sair deixou um rastro de suspeição, que agora atinge mais dois ministros – Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Grace Mendonça, da Advocacia-Geral da União, ambos diretamente envolvidos na manobra promovida por Geddel para liberar o polêmico espigão em área nobre de Salvador, e o lobby também teve participação ostensiva do secretário de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Gustavo do Vale Rocha.

Oportuna reportagem de Mariana Schreiber, da BBC Brasil, publicada nesta quarta-feira, mostrou que o esquema montado por Geddel era muito mais audacioso e ardiloso do que se pensava.

ELISEU E GRACE – Agora, ficou comprovado que Padilha e Grace estavam acumpliciados com Geddel e levaram o presidente Temer a se envolver no assunto e sugerir ao então ministro da Cultura, Marcelo Calero, que deixassse a AGU cuidar da questão. Geddel, Padilha, Grace e Rocha esqueceram de informar ao presidente que uma semana antes a AGU já havia se manifestado oficialmente, ao apresentar parecer definitivo contra a execução da obra em Salvador.

Geddel, Padilha, Grace e Rocha esconderam do presidente da República esse fato, fazendo com que ele se portasse de forma “inconveniente”, como o próprio Temer admitiu em seu diálogo com Calero, que está gravado e não pode ser desmentido.

TIMBRE DA AGU – A reportagem de Mariana Schreiber mostra que o parecer da procuradoria do Iphan, instância que representa a AGU no órgão, está datado de 9 de novembro, e o diálogo de Temer e Calero ocorreu no dia 16, uma semana depois. A BBC Brasil teve acesso ao documento, que inclusive tem o timbre da Advocacia-Geral da União.

Ficou comprovado, portanto, que Grace Mendonça jamais poderia afirmar que tomou conhecimento do assunto pelos jornais, que até então desconheciam a disputa envolvendo o prédio. A chefe da AGU também não podia ter alegado que a AGU ainda ia examinar a questão, pois o parecer já existia no processo, era fato consumado. Quatro funcionários de carreira da Advocacia-Geral da União, ouvidos pela BBC Brasil, disseram que uma revisão desse parecer nas atuais condições do processo fugiria totalmente aos trâmites normais do AGU.

SEM ALTERNATIVA – A existência dessa rede de intrigas, dentro do Palácio do Planalto, é inaceitável e coloca em risco a estabilidade do governo, em meio à mais grave crise econômico-social jamais vista.

O presidente Temer não tem mais alternativa. Ou demite Eliseu Padilha, Grace Mendonça e Gustavo Rocha, que o colocaram nessa situação indigna, ou estará completamente desmoralizado, mediante a confirmação de que também participou do conluio palaciano para favorecer os interesses pessoais do então ministro Geddel Vieira Lima. É pegar ou largar, como se dizia antigamente.

Temer precisa aparecer de nova na televisão, desta vez sozinho, e anunciar que o país tem um presidente da República e não está sendo governado por uma corja de picaretas.

9 thoughts on “Ou Temer demite Padilha, Grace e Rocha, ou ficará inteiramente desmoralizado

  1. Caro Newton, assino em baixo de teu artigo, e dos comentaristas que honram sua consciência, para um Brasil decente e justo.
    Que Deus nos ajude a sair dessa podridão.
    87 anos, nunca vi tanta falta de caráter e podridão nos poderes da Republica, que a corja pública e privada, transformaram em republiqueta democradura.

  2. Estão desmoralizados há muito tempo.
    A única solução é o fechamento imediatamente de todo o Congresso levando junto do Presidente do Porto de Santos.
    Não sobra um Corruplítico, ops, Político.
    E tem um Filho de uma Pátria que tem a desfaçatez, deboche, cara-de-pau de “ministrar” aulas de ÈTICA……..

  3. Nesse drama palaciano não há nenhum herói; todos são vilões, inclusive Calero. Todavia, esse tem o mérito de ter sido o desencadeador de toda a sujeira pois, se não fosse o abre-te sésamo, ninguém saberia da tramóia e o “núcleo duro” continuaria urdindo suas elucubrações. Fora os ainda pendurados…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *