Outra grande bobagem

Carlos Chagas 

Anuncia-se para amanhã a divulgação, pela presidente Dilma, de cinco sugestões para constarem do plebiscito a ser realizado sobre a reforma política. Serão perguntas simples que o Congresso endossará ou não no decreto legislativo  de convocação dessa nova consulta popular. Algo como “deve haver financiamento público das campanhas e proibição de doações empresariais?” Ou “aceita a votação em listas partidárias para deputado?” E outras.

A grande questão está em  que o plebiscito é uma bobagem, se proposto como resposta do governo e do Congresso para a rebelião verificada  nas ruas. Não há um jovem, sequer, preocupado com a reforma política ou que tenha feito dela motivo para suas reivindicações. Os manifestantes querem passagens mais baratas nos transportes coletivos, melhor educação e saúde públicas, fim da corrupção, cadeia para os corruptos, emprego para todos e coisas  correlatas.

Com todo o respeito, a presidente Dilma vem se conduzindo bem diante dos protestos populares, conversa como jamais conversou com políticos e segmentos sociais, mas pisou no tomate ao propor, primeiro, uma Assembléia Constituinte exclusiva, e, como meia-sola ou remendo, o plebiscito. Para não ser derrotada duas vezes, já que a nação inteira rejeitou a idéia inicial,  ela agora bate o pé na segunda.

Seria um risco dos diabos a convocação da Constituinte exclusiva para a  reforma política, porque ninguém garante que seus integrantes não viessem a reduzir o mandato presidencial,  estabelecer o parlamentarismo ou até o Império. O plebiscito também constitui um perigo, pois se um parlamentar conseguir incluir nas perguntas o fim da reeleição, para vigência imediata, e se os eleitores  concordarem, como ficará o segundo mandato de Dilma?

Há quem suponha nessa operação artificial em curso manobra pueril para a presidente reforçar o PT.  Como ela e o partido não andam propriamente bem de relacionamento, parece difícil, a menos que por trás das cortinas se encontre o dedo do Lula. O ex-presidente, agora, classifica como “barbeiragem” a proposta da Constituinte exclusiva, esquecido de ter sido ele a levantá-la, conseguindo convencer Dilma Rousseff em seus tempos de chefe da Casa Civil.

Em suma, encontram-se o governo e o Congresso praticando a arte de enxugar  gelo e ensacar fumaça. No fundo, o plebiscito é uma grande bobagem.

CANDIDATURA AVULSA?

Com plebiscito ou sem plebiscito,  parece que desta vez determinados aspectos da reforma política serão votados e aprovados. Será ocasião para um teste a respeito da força dos desmoralizados partidos. Não faltarão propostas para que cidadãos possam concorrer de forma avulsa às eleições municipais, estaduais e federais. Quer dizer, sem pertencer a nenhum partido. Se isso acontecer, estaremos descobrindo monumental azeitona na empada eleitoral.

A razão é simples: quem aventou a possibilidade das candidaturas avulsas foi…  Ele mesmo: Joaquim Barbosa, numa de suas últimas e freqüentes entrevistas. Depois de haver rotulado de mentirinha a ação dos partidos políticos, ele ficaria em dificuldades caso aceitasse ingressar num deles, mesmo se apenas para disputar a presidência da República. Avulso, porém, seria sopa no mel.

A propósito, indagado sobre a hipótese da candidatura do presidente do Supremo Tribunal Federal, uma raposa felpuda respondeu com  a comparação: “o que é, o que é? Mia feito gato, anda feito gato, tem bigodes e  orelhas de gato?”  Ora, um gato…

OPORTUNIDADE ÍMPAR

Na semana que passou parece que acordaram as polícias militares de quase todos os estados. Estão prendendo vândalos e baderneiros quando flagrados depredando, invadindo e assaltando o comércio e as propriedades públicas, durante as manifestações de protesto.  Claro que não todos, boa parte deles aguarda a próxima passeata para  dar vazão a seus instintos criminosos. Mas muitos já se encontram na cadeia, de onde não deveriam sair pelos próximos anos. 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “Outra grande bobagem

  1. O Povo Brasileiro está protestando porque sente que não tem Poder nenhum para transmitir e fazer EFETIVA sua VONTADE aos seus Representantes Políticos. Os Representantes se denominam “Excelências”, e o POVO, que é o Patrão deles e que paga a conta, é tratado com desprezo quase absoluto. É o único caso em que: Quem paga o gaiteiro, não tem nem o direito de escolher a música. O Povo quer melhor: Saúde, Educação, Segurança, Transporte Público e Redução drástica da Corrupção da Administração Pública. FIM DA IMPUNIDADE. Para conseguir isso, necessita-se: REFORMA POLÍTICA. Que essa venha sob a forma de Constituinte Exclusiva, Plebiscito ou Projetos de Emendas Constitucionais/Leis Ordinárias referendadas por Referendum, é secundário. O importante são as REFORMAS POLÍTICAS. Seria muito bom se o POVO exigisse: Voto Facultativo; Voto Distrital Puro; Bi-Partidarismo; Possibilidade dentro da Lei de Candidaturas Independentes; Recall de maus Representantes, Voto Direto para os Fiscais dos 3 Poderes (Tribunais de Contas, Procuradores, etc)… Certas Reformas Políticas teriam que ser para já, mas para não se fazer uma transição total muito abrupta, poderíamos implantar a REFORMA POLÍTICA na próxima Eleição nos Municípios, na outra nos Estados, e por último na Federação. Acredito que depois que o POVO experimentasse nos Municípios a REFORMA, quereria estendê-la aos Estados e Federação. Abrs.

  2. Na época da COMUNIDADE PRIMITIVA (2 milhões de anos?),
    os humanos(coletores) inicialmente nada sabiam fabricar.
    Saíam para coletar alimentos vegetais e animais, portando
    pau ou osso grande.
    Os LÍDERES, ‘naturais’, eram os que melhor indicavam o rumo
    e os mais dispostos no enfrentamento das feras.

    NÃO HAVIA partido político, vereador, prefeito, juiz, promotor, pregador religioso, nem delegado de polícia.
    ERA UMA BELEZA!

    Na GRÉCIA ANTIGA (em Atenas, a PÓLIS), os habitantes (POLÍTICOS) reuniam-se de 9 em 9 dias (exercício POLÍTICO, =>a POLÍTICA, =>a ‘cidadania’) para debater os problemas e nomear Comissões para a EXECUÇÃO.

    NÃO HAVIA partido político, vereador, prefeito, juiz, promotor, pregador religioso, nem delegado de polícia.
    ERA UMA BELEZA!

    Na 2ª metade do Séc. XVIII (1701/1800), vários acontecimentos configuraram o atual
    ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: os livros ‘O Espírito das Leis’ e ‘A Riqueza das Nações’; a Revolução Americana (independência das 13 colônias e a Revolução Francesa, ambas com nova Constituição e Declaração de Direitos; o motor elétrico e os PARTIDOS POLÍTICOS.

    Derrotada a MONARQUIA ABSOLUTA, o REI ABSOLUTO(opinião somente a dele), os partidos políticos passaram a ser o meio, mediante um programa, de aglutinar e politizar contingentes de cidadãos, selecionando os mais adequados para representar os demais e administrar a
    ‘res pública’, a REPÚBLICA, PROVÍNCIAS e CIDADES.

    Portanto, partido político só o é se dispuser de programa de governo nos 3 NÍVEIS, o que ocorre com mais freqüência em sistema PARLAMENTARISTA DE GOVERNO com VOTO DISTRITAL MAJORITÁRIO, sem coligação partidária.

    LISTA DE PROMESSAS DE CANDIDATO NÃO É PROGRAMA.

    No Brasil, ‘programa’ de governo somente aquele obrigatório, para o registro do partido, redigido ‘nas coxas’, para o CONTINENTE BRASIL.

    Falta programa (sempre atualizado) para as CINCO REGIÕES (que são 5 GRANDES PAÍSES), para as 27 PROVÍNCIAS e para os 1.568 MUNICÍPIOS.

    Há INEXISTÊNCIA DE PROGRAMA de governo e de plataforma dos
    representantes no Legislativo e EXCESSO DE MERCANTILIZAÇÃO: do voto dos cidadãos e do voto dos legisladores nos parlamentos; dos cargos nos Diretórios; dos mandatos eletivos; do horário eleitoral, do …, do …; do …

    DIRETÓRIOS PARTIDÁRIOS ESTADUAIS E MUNICIPAIS SÃO LEILOADOS.

    Lá por 1980 ou 1981, no surgimento dos novos partidos, disse Millôr Fernandes: “TODO PARTIDO POLÍTICO É UMA MÁFIA”.

    Terá dito, nos seus últimos tempos: “ESCAPEI DAS DITADURAS IDEOLÓGICAS, RELIGIOSAS E PARTIDÁRIAS ”.

    No Brasil — sempre louvando-se as honrosas exceções, QUE COMPÕEM A REGRA –, não há partidos políticos. Há SIGLAS ELEITORAIS DE ALUGUEL.

    Idem, idem, não há líderes, estadistas – há mafiosos políticos, empresariais e religiosos. ARRE, É-GUÁ!

  3. Espedito Figueiredo, saudações
    Congratulações!!! Muito bom, ler o que você escreveu. Ficou faltando uma alusão ao funcionamento das ágoras, as praças que serviam para os encontros e discussões sobre tudo. A principal foi a de Atenas, na qual Sócrates discursava e fez todo um povo (principalmente os jovens) despertar. Fez o mundo despertar. Por isso … foi condenado à morte. Tempos depois, para não ser igualmente condenado, Aristóteles foi obrigado a sair da cidade: “Não permitirei que Atenas peque pela segunda vez contra a Filosofia”, disse o mestre de Stagira. O juri que iria julgá-lo estava ainda mais hostil do que o que condenou Sócrates. Aristóteles morreu longe, pobre, doente e abandonado. Sócrates, Platão e Aristóteles nos deixaram um legado formidável, que serviria de base para o Cristianismo que viria depois. Platão em sua obra “República” (Coisa Pública) nos apresentou a construção de um mundo justo, bem planejado e bem organizado. Pronto para ser posto em prática. Aristóteles nos trouxe a Ética. No extraordinário quadro de Rafael, vemos Platão apontando para cima (Deus) enquanto seu discípulo Aristóteles apontava para baixo. Pareciam dizer:
    ” Observe! O Demiurgo (o que viria para nos salvar do Caos; o desenhista, o artesão do mundo) lá está! ELE é o TODO, nos trará a Sua Mensagem! ELE virá!” … disse Platão.
    “Sim”, responde Aristóteles. “Mas do nosso comportamento pessoal e da nossa integração social, com Ética … é que conheceremos os resultados do Demiurgo”.
    Mas … caro Espedito … nós, nós “humanos”, à medida em que fomos nos “desenvolvendo” … nos transformamos “nisto”.
    Um abraço forte!!!

  4. CARO JORNALISTA DO JEITO QUE ESTÁ É QUE NÃO DEVE CONTINUAR.PRESIDENTES AMARRADOS PELOS OPORTUNISTAS PARTIDÁRIOS DE SEUS INTERESSES PARTICULARES NUNCA PELOS ANSEIOS DA POPULAÇÃO,SÓ PENSAM EM SI,TIRAR VANTAGEM PARA NÃO DIZER ROUBAREM. DESEJO DO POVO EDUCAÇÃO,SAÚDE,TRANSPORTE,SEGURANÇA PÚBLICA P/ TODOS.NO CAMPO POLÍTICO NÃO AS COLIGAÇÕES,REELEIÇÃO,PRISÃO PARA TODOS OS CONDENADOS,JUÍZES CONDENADOS DEVEM SER PUNIDOS E NÃO SE APOSENTAR LEVANDO A GRANA DA POPULAÇÃO APOSENTANDO-SE SEM SER PUNIDO PARECE ATÉ UM PREMIO P/OS MAGISTRADOS CORRUPTOS OU SEJA O PAU QUE DÁ EM CHICO DÁ EM FRANCISCO,O FIM DESSAS PODRES PRIVATIZAÇÕES POR FIM PUNIR ESSES EMPRESÁRIOS QUE TIVERAM LUCROS COM CPMF E QUANDO ELA CAI NADA BAIXOU BEM COMO AGORA RECENTE A DESONERAÇÃO DA CESTA BÁSICA O QUE SE VIU FOI OS PREÇOS SUBIRAM COMO SE NOTA NÃO SÓ OS POLÍTICOS QUE SÃO DESONESTOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *