Pacheco sonha em ser um novo JK, mas não consegue se impor nem mesmo diante de Alcolumbre

Câmara aprova incentivo fiscal a empresas que contratarem leitos para  pacientes do SUS com Covid-19 - O Documento

Rodrigo Pacheco precisa provar se tem mesmo liderança

Vicente Limongi Netto

O senador Rodrigo Pacheco sonha em ser “o novo JK”, na disputa pela Presidência da República. O desejo do grandalhão com voz de trovão, nascido em Porto Velho, Rondônia, mas mineiro por adoção, pretende encher os corações dos brasileiros de ternura e emoção. Mas o esforçado presidente do Senado já foi advertido para não exagerar na dose.

Como presidente do PSD, Gilberto Kassab, mentor e criador da candidatura de Rodrigo Pacheco, lembrou-lhe que, nesse caso, é mais fácil o pretendente sonhador ganhar sozinho na Mega-Sena do que subir em palanque como Juscelino Kubitschek.   Outros tentaram e deram com os burros n’água.

UM TESTE – Pacheco não deu trela a Kassab e já ensaia encarnar os traços marcantes e pitorescos de uma personalidade tipo Juscelino. Acredita que até as eleições de 2022 já estará incorporado e tinindo, como clone do inigualável JK junto ao eleitorado.

Por ora, Rodrigo Pacheco tem bom teste pela frente. Precisa desencalhar um assunto que Juscelino resolveria num piscar de olhos: convencer o pretencioso senador Davi Alcolumbre a liberar a data da sabatina de André Mendonça, indicado por Bolsonaro para o Supremo Tribunal Federal (STF), na vaga do ministro Marco Aurélio de Mello. Força, Rodrigo Pacheco! Vamos ver se você consegue. 

LIRA, UM SERVIÇAL – É estarrecedor:  o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, mostra colossal, inacreditável e absoluta dificuldade para admitir que Jair Bolsonaro precisa ser energicamente punido por propagar mentiras contra as vacinas que combatem a Covid 19. Lira comporta-se como um reles serviçal do Planalto, que não consegue entender a importância de ser presidente da Câmara.

Deve-se destacar também que os bolorentos e inúteis relatórios paralelos de senadores governistas, lidos na CPI da Covid, são monumentos ao negacionismo e candentes peças de sabujismo a Bolsonaro.

O que fica para a legítima História Republicana são as duras conclusões do relatório do senador Renan Calheiros, enfatizando e escancarando aos brasileiros os crimes que os 80 indiciados cometeram contra a saúde pública e contra a própria nação

CUMPRIR OS DEVERES – É preciso agora que o Ministério Público Federal, representado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, cumpra seus deveres de ofício. Por força do cargo, Aras não pode fazer corpo mole diante das colossais evidências de irregularidades e sabotagens contra a importância das vacinas.

Encabeçando a lista dos 80 indiciados, o chefe da nação foi definido pelo relator como “despreparado”, “desonesto”, “caviloso”, “arrogante” e “homicida”. Ninguém de bom senso pode dizer que Renan Calheiros mentiu ou exagerou nas tintas.

Aliás, o Supremo já está de olho na omissão de Aras, e a ministra Cármen Lúcia acaba de lhe dar prazo de 15 dias para afirmar se vai processar Bolsonaro ou continuar embromando o inquérito aberto contra o presidente em razão de ameaças feitas em seus discursos golpistas durante atos no dia 7 de Setembro.

3 thoughts on “Pacheco sonha em ser um novo JK, mas não consegue se impor nem mesmo diante de Alcolumbre

  1. É… Alcolumbre está queimando a administração dele, por nada, coisa pouca mesmo. E que também dá em nada, pois Bolsonaro está surfando em cima dessa situação vexatória que enche o saco, também, do STF. Pois ficam lá numa paridade que só atrapalha um tribunal repleto de confusões de todo tamanho. E aumentando o serviço para os que estão lá. Coitados dos estagiários, meu Deus!

    • Alcolumbre cumpre uma missão, diante dos parlamentares que são contrários a Lava Jato, operação a qual, André Mendonça tem simpatias. Quando essa simpatia de André veio a tona, Bolsonaro deu uma marcha ré e deixou seu indicado fritar.
      Ele só não retira a indicação para não perder o apoio da bancada evangélica.
      Bolsonaro,no PT e o Centrão, querem ardentemente a substituição de Mendonça por Augusto Aras.
      O PGR sonha com isso toda noite, lembrando da peça de Shakespeare, Sonhos de uma Noite de Verão.
      Mas, viver nessa alta ansiedade pela vaga de Ministro do STF, geta stress destruidor.

  2. Exato Lossian; nos parece mais o ‘alcolumbre’ como um guri mimado e fazedor de ‘birra’.
    O que não pode é o ‘tosco’ apresentar outro candidato.
    Mas, dele se espera tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *