A verdadeira representatividade

Neusa Maria Bragança de Mello:
“Helio, por que o deputado Chico Alencar não se candidata nem é relacionado como candidato a governador? Tem grande votação para deputado (eu e minhas amigas sempre votamos nele), não sai desse circulo? Por que não tenta ser governador, não rouba, seria otimo para ele, para nós e para o Estado do Rio. Meus parabéns e que Chico aceite a sugestão.”

Comentário de Helio Fernandes:
Corretissima sua observação. Chico Alencar não rouba, isso é fundamental para um governador fazer grande administração. A dignidade no trato dos dinheiros publicos, alem de ser um problema ETICO, é também reprodutor de investimento. Uma obra que poder feita, digamos, com 500 mil reais, esgota 1 milhão, portanto, podiam ser feitas duas obras. (O forte do governo Carlos Lacerda foi esse: ninguém conjugava o verbo roubar).

Chico Alencar não pode ser candidato por causa da nefasta COINCIDENCIA de mandatos, que só existe no Brasil. Digamos que Chico Alencar (ou outro deputado) se candidatasse a governador em 2010. Se perder, fica sem mandato por 4 anos. As eleições deveriam ser realizadas em 3 datas diferentes: 1) Para presidente da Republica e senadores. 2) Para governador e deputado federal e estadual. 3) Para prefeito e vereadores.

Muitos dizem, acreditando que estão certos: “Assim se gastará muito dinheiro”.

Dinheiro empregado em eleição não é gasto, é investimento (Idem para a Educação). Mas as cupulas sabidas e não sábias, não querem modificação num sistema que está funcionando (para eles) e destruição (para a coletividade) da verdadeira REPRESENTATIVIDADE.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *