Painel e panetone

No primeiro escândalo, Arruda se salvou, por causa do discurso e de ter chorado, mas também por outro fator importantíssimo: o senado tinha medo de ACM-Corleone. Roberto Arruda era quase 10 anos mais moço, fez campanha de recuperação a partir das cidades satélites e da promessa de concessão de terras.

Arruda-Roriz-Paulo Otávio

Teve tanto “sucesso na campanha”, que Paulo Otávio, que já era candidato muito antes, mandou fazer pesquisa, viu que não ganhava de Arruda, concordou em ser vice dele, com a “promessa” de sucedê-lo.

O filósofo multibilionário

Riquíssimo, dono de tudo em Brasília, Paulo Otávio seguiu o conselho recomendação do filósofo: “Se não puder vencer o adversário, junte-se a ele”. Só que nas irregularidades, Paulo Otávio não deveria seguir Arruda.

Haraquiri imprudente

Não disputar com Arruda, foi medida prudente. Mas segui-lo na profusão de dinheiro “captado e capturado” de todas as formas, total imprudência e imprevisão. Se tivesse ficado de longe (não precisa de dinheiro para nada) seria governador certo.

O tamanho da corrupção

Os que sabem das coisas, têm certeza: os números da “arrudice” são tão pequenos (os publicados), que provocam gargalhadas. Só que todos se assustam com a palavra que Arruda manejou com sabedoria: r-a-d-i-c-a-l-i-z-a-ç-ã-o. O ainda governador é um arquivo de tamanho grande que impõe silêncio e impede qualquer ousadia.

Quem tem medo de Romeu Tuma?

O nome dele foi jogado na “fogueira”, deliberadamente. Primeiro trouxeram Temer, Eduardo Cunha, Henrique Eduardo Alves, e mais alguns do PMDB, com passado abaixo de qualquer suspeita. E não apenas pela corrupção do dinheiro. Existem outras formas de comprometer as Instituições, sem envolvimento de dinheiro. E esses são mestres, nisso, não sei porque “protegeram” Quércia.

Medo e não repercussão

Tuma é um vespeiro vivo, por causa disso colocar o seu nome em acusações, foi uma tentativa de tumultuar as coisas. Só que perto de Tuma (e do seu fabuloso arquivo), Arruda é um ingênuo, sem lenço nem documento.

Até a mídia se apavorou

Não tenho a menor idéia de quem se lembrou do ex-diretor do Dops de SP, de tantos serviços à ditadura. Mas como a mídia, (jornais, revistas, rádios e televisões) também serviu abertamente ao regime autoritário, mercenário e truculento, silenciaram.

Arruda mais “desafogado”

Desde sexta-feira, a situação do governador melhorou dentro do partido. Não será mais expulso. A melhor prova disso: foram buscar para “denunciar” Arruda, um ex-deputado que é EX, não por vontade própria mas por execução eleitoral.

Mas não se reabilitará como
aconteceu na violação do painel

Não sendo expulso, Arruda pode até continuar no governo. Mas será um velório a longo prazo, (nem tão longo, apenas 1 ano) a ressurreição não acontecerá. A primeira vez, digamos “infelicidade”. Agora, com a corrupção aberta e escancarada, Arruda é um painel aberto.

Ninguém se jogará contra Tuma, mas não darão outra oportunidade a Arruda. Este, saído da cumplicidade Roriz, não poderá voltar. Até porque, Roriz, que renunciou ao mandato inteiro no senado, quer a segunda chance. Roriz pretende dizer a Arruda, “eu sou você, amanhã”.

A salvação (?) do DEM

A cúpula do partido considera que a grande aposta é manter Paulo Otávio no jogo. Com ele assumindo, ganharia a reeeleição de 2010, quando tudo acontecerá. Mas para se salvar, salvando Paulo Otávio, o DEM precisa mudar de estratégia, expulsando Arruda. O melhor mesmo seria o impeachment. Mas como conseguir isso com deputados que têm medo de votar a PRÓPRIA CASSAÇÃO?

O segundo tempo começa hoje

Haja o que houver, os sinos estão dobrando, Arruda não sabe, mas os sinos dobram por ele. Agora, Arruda não pode nem chorar. Na vida pública e para salvação da imagem, só se pode chorar uma vez.

A primeira, até emociona, a segunda provoca ridículo e compaixão. E estas palavras soterram (como dizem os empreiteiros que têm negócios com governos) qualquer reputação. E a de Arruda já está derrubada há muito tempo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *