Para agradar a Dilma, 36 senadores decidem desrespeitar a Constituição

Resultado de imagem para lewandowski no senado

Lewandowski assistiu ao golpe contra a Constituição

Carlos Newton

Uma sessão chatíssima, que deveria ser rápida e objetiva, mas se prolongou indevidamente devido a um destaque apresentado pela bancada do PT, para que Dilma não fosse condenada à inabilitação do exercício de função pública, em flagrante desrespeito à Constituição Federal. Devido a esse requerimento petista, houve debates que não estava previstos e a sessão foi se estendendo, com intermináveis perorações do presidente Ricardo Lewandowski. Até que, esgotados os pronunciamentos de acusação e defesa, que repetiam as mesmas argumentações assacadas há meses, enfim foi colocado em votação o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

Não houve a menor novidade, com 61 votos favoráveis à cassação do mandato da petista e apenas 20 votos contrários, exatamente o resultado que havia sido previsto pela cúpula do governo de Michel Temer. Com isso, está encerrada a era do PT  e a política brasileira começa a viver uma nova realidade etc. e tal.

CONSTITUIÇÃO EM RISCO – Mas a grande novidade veio logo a seguir, quando o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) pediu a palavra inoportunamente e o presidente Lewandowski inadvertidamente a concedeu.

O parlamentar fez então um breve e inflamado pronunciamento, exibindo um exemplar da Constituição, para alegar que a democracia é mutante e defender justamente que os senadores aceitassem o destaque do PT e desrespeitassem o artigo que previa a inabilitação de Dilma Vana Rousseff para o exercício de função pública por oito anos, como acontecera com o então presidente Fernando Collor em 1992.

GOLPE PARLAMENTAR – Com isso, enfim houve um golpe no impeachment de Dilma, exatamente um “golpe parlamentar” como ela tanto denunciou. Só que não foi ela a atingida. O Senado preferiu golpear diretamente a Constituição, pelo voto de apenas 36 parlamentares, que sequer significam a maioria absoluta do plenário.

É por essas e outras que os jornalistas estrangeiros não conseguem entender a política brasileira, sempre escrevem muitas bobagens a nosso respeito. Realmente fica difícil acreditar que apenas 36 senadores, de uma hora para a outra, consigam alterar a Constituição de um país importante como o Brasil – quinto maior em extensão territorial e população, oitava economia mundial. Mas foi o exatamente o que aconteceu e ficará registrado nos documentários sobre o impeachment.

E agora todos podemos imitar Francelino Pereira e Renato Russo, para indagar: “Que país é esse?”

70 thoughts on “Para agradar a Dilma, 36 senadores decidem desrespeitar a Constituição

    • INOCEEEENTEEEE, TADINHA…..KKKKK

      Até o Reinaldo Azevedo, depois do fiasco de 31.07, já falou que não é mais caso de se fazer manifestação…. Agora o termo é “comemoração” …..kkkkkkk
      Cadê MBL, Vem pra Rua e o pato da Fiesp agora pra protestar contra o acordão depois da recuada de PMDB e PSDB????……kkkkkkk

    • Se sair pelo Rio Grande do Sul, a deputada se elege fácil .

      ‘ A primeira pesquisa Ibope de intenção de voto para a prefeitura de Porto Alegre apresenta equilíbrio entre os candidatos Luciana Genro e Raul Pont. A candidata do PSOL tem 23% das menções estimuladas pelo Ibope, enquanto o petista aparece com 18%. Como a diferença está dentro da margem de erro da pesquisa (de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos), os dois candidatos estão tecnicamente empatados.

      Na terceira posição está Nelson Marchezan Junior, do PSDB, com 12%, seguido por Sebastião Melo (PMDB), 10%. Em outro patamar estão João Carlos Rodrigues (PMN), Júlio Flores (PSTU) e Maurício Dziedricki (PTB), com 3% cada, Marcello Chiodo, do PV, com 2% das citações, e Fábio Ostermann (PSL), com 1%.Eleitores que declaram a intenção de votar em branco ou de anular o voto são 15%, e os que não sabem ou não respondem, 10%.

  1. Foi uma vitória de PIRRO (vitória inútil) para os que defendem a democracia, para os que queriam Fora Dilma. Ela pode exercer qualquer função pública , inclusive, penso eu, se candidatar em 2018! O desmembramento do processo já tinha esta direção.
    Para que tantas sessões invadindo às madrugadas? Para os senhores senadores ganharem horas extras?

  2. No exterior não tem Datafolha…

    31/08/2016 08h54 – Atualizado em 31/08/2016 09h40
    Impeachment de Dilma não irá salvar Brasil, diz imprensa estrangeira
    Ausência de medidas econômicas efetivas sob Temer e desencanto da população com política mantêm incertezas sobre país, destacam publicações

    No dia em que o Senado deverá aprovar o impeachment de Dilma Rousseff, jornais no exterior destacam que o afastamento definitivo da presidente está longe de resolver os problemas do país.
    Para o jornal americano The Washington Post, o longo processo de impeachment, que se estende por nove meses, pode servir apenas para “alienar mais ainda eleitores desencantados com o sistema político”.
    A publicação afirma que o processo desorganizou a esquerda no país – como exemplo disso, cita a baixa adesão aos protestos pró-Dilma em Brasília nesta semana e a postura “desapaixonada” de congressistas do PT em defesa da presidente afastada.
    O jornal aponta que o presidente interino, Michel Temer, se revelou tão impopular quanto Dilma – segundo pesquisa Ibope de julho, apenas 13% dos brasileiros consideravam o governo bom ou ótimo.
    Diz ainda que o atual processo expôs fraquezas no sistema político do país, em que o presidente depende de acordos com “inúmeros partidos sem ideologia clara”, em arranjos que “incentivam a corrupção”.
    Para a publicação americana, um “vácuo de poder” está se abrindo na política nacional – e sendo preenchido por siglas menores de esquerda e candidatos evangélicos.
    Incerteza na economia
    Em texto sobre as perspectivas econômicas do país, o Wall Street Journal afirma que “investidores podem estar dando muito crédito a políticos do país e desconsiderando os problemas”.
    O diário lembra que o real se apreciou mais de 8% ante o dólar – é a moeda que mais se valorizou no mundo neste ano – e o Ibovespa avançou 9,9% desde o afastamento provisório de Dilma em maio, mas desde então Temer “fez muito pouco” para enfrentar o rombo nas contas públicas do país.
    (…)…
    http://g1.globo.com/politica/processo-de-impeachment-de-dilma/noticia/2016/08/impeachment-de-dilma-nao-ira-salvar-brasil-diz-imprensa-estrangeira.html

  3. Semelhante ao STF, que interpretou um par de pessoas de mesmo sexo como casal, em uma analogia imunda ao que diz a CF. Sim, eu sei que meu pensamento não é politicamente correto.

    • O Renan é um profissional, começou o seu discurso com : Se nós erramos ‘ a democracia ‘ nos corrigirá …. Falou uns 10 minutos e nada disse.

  4. Não digo que ele assistiu, Carlos Newton. Ele bolou este golpe! Tantas madrugadas só teve lucro para os senadores que embolsaram horas extras.

  5. A condenação é ÚNICA, conforme determinado pelo parágrafo único do art. 52 da Constituição: “perda do cargo COM inabilitação por oito anos para o exercício de função pública.”
    Inexiste possibilidade de se perder o cargo “SEM” a inabilitação para o exercício de função pública”.
    A Constituição não permite isso, essa separação, do tipo perda do cargo SEM inabilitação para o exercício de função pública.
    A Resolução do Senado é apenas para formalizar a comunicação do resultado referente ao impeachment, e não a de alteração do que está taxativamente expresso na Constituição.

    Constituição Federal
    Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal:
    I – processar e julgar o Presidente e o Vice-Presidente da República nos crimes de responsabilidade, bem como os Ministros de Estado e os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica nos crimes da mesma natureza conexos com aqueles; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 02/09/99)
    (…)
    Parágrafo único. Nos casos previstos nos incisos I e II, funcionará como Presidente o do Supremo Tribunal Federal, limitando-se a condenação, que somente será proferida por dois terços dos votos do Senado Federal, à perda do cargo, com inabilitação, por oito anos, para o exercício de função pública, sem prejuízo das demais sanções judiciais cabíveis.

  6. Só quero ver se vão respeitar a Constituição no concernente as contas da CHAPA Dilma / Temer, ou vão criar uma ‘nova jurisprudência’ já que a defesa da CHAPA foi conjunta…

  7. Tanta palhaçada; tanto blá blá blá entrando pelas madrugadas! Não sei de haverá tempo de ela se candidatar à Prefeituras de aluma cidade! Tudo lhe é permitido. Queria saber os nomes desses 36 safados!

    • Carmen, acho que todo esse processo pavimentou o caminho da oposição ao Temer para 2018.
      Ele vai ter de tomar medidas muito impopulares para pagar o que prometeu ao sistema financeiro e ao famigerado Comando Delta, que tem como papagaio o Skaf… Vai ser um desgaste enorme, sem contar que a sua aceitação já é pífia como mostram as pesquisas.

    • Fique descansada, Carmen Lins, Dilma só poderia ser candidata em 2018, e isso só aconteceria se o Supremo acatar a decisão da Câmara, que constitucionalmente é difícil de digerir.

      Abs.

      CN

        • Num olhar mais acurado, talvez se possa chegar à conclusão de que ela não está inabilitada para exercer cargos públicos (em geral, por exemplo, merendeira de uma escola no agreste do Piauí), mas, pela Lei da Ficha Limpa, automaticamente, está inelegível por oito anos, por ter praticado crimes de responsabilidade fiscal.

          Vejamos o comando do art. 1º da Lei Complementar n.º 64/1990, com a redação dada pela Lei Complementar nº 135, de 2010, conhecida como Lei da Ficha Limpa).

          Art. 1º São inelegíveis:

          I – para qualquer cargo:
          (…)
          g) os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário, para as eleições que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71 da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que houverem agido nessa condição.

          Creio que a pátria está salva!

  8. Pensamento de alguém: “Caraca! Se o Cunha for cassado e perder o direito a cargos públicos já disse que vai abrir o bico e detonar todo mundo. Eu estou no meio desse bolo e estarei frito. Assim, a Constituição que vá para o saco. Vou cuidar da minha pele. Voto sim na cassação da presidenta mas voto a favor da manutenção dos direitos políticos, quebrando o galho dela e ficando numa boa com o PT que inventou essa maracutaia. Assim, quebro o galho dela e favoreço o Cunha que, quando for cassado, por equidade, não perderá o direito de assumir cargos públicos. Depois, ainda fico numa boa com o meu partido e com o novo presidente Pronto! Resolvida a parada! Sou esperto pacas!!! Vou sair bem na fita! Viva eu, né?

  9. O PT no apaga das luzes conseguiu por uma casca de banana no caminho do Temer, com a cumplicidade do PMDB.
    Vejam que a criação de 2 sentenças onde deveria haver só uma, vai deixar o Temer acuado por todo o seu curto mandato.
    O PT vai contestar a primeira votação, vai alegar que a segunda absolveu a Dilma e o supremo tem tudo para acatar.
    O PMDB tinha que fazer uma cagada num assunto que já estava resolvido.

  10. E uma grande estupidez acreditar em político. Em qualquer um. As mentes mais sórdidas e cafajestes têm na política a oportunidade que não teriam num emprego decente. Basta enganar uns trouxas e se eleger para virar o senhor do destino de toda uma comunidade. Na maioria das vezes conduzindo mal, e para mal. A jogada engendrada hoje, encaminhada pelo senador da Marina e menino de recado do PT, só surpreende quem ainda acredita em Fadas, Papai Noel e Saci. Até a história do “Neguinho do Pastoreio”, na mão dos políticos, vira “O Negão do Pastoreio”, a nos penetrar nas nossas casas, logo após o almoço, com suas indignidades.
    Agora, é bom não dormir, pois, com essa classe política, “Bobeatus sunt enrabatus est”.

  11. Newton, jogaram a isca e o PT mordeu. O destaque foi feito à revelia de Dilma. Essa “jogada” partiu de Temer, e Katia Abreu foi o veículo dessa “jogada” que tem por desiderato beneficiar Eduardo Cunha, Jucá, Renan e tantos outros mais. Mais inteligente seria uma lei pedindo a “anistia política” de Dilma. seria a segunda iniciativa, a primeira seria questionar a legalidade do “impeachment”. Não creio mesmo, que Dilma tenha concordado com essa iniciativa. Seria concordar que não foi golpe.

  12. Isto é inadmissível. Este sim é um golpe vergonhoso que só poderia vir de onde veio: do patife Renan Calheiros em conluio com o execrável e também patife Lula, um desavergonhado. Não se pode admitir isto. E o que falar de Lewandowski que permitiu tamanha aberração jurídica. Este é o nosso STF? Continuamos vergonhosamente muito, muito mal.

  13. 4 presidentes desde o fim da ditadura, a metade teve o mandato caçado…

    12 votos no destaque de senadores do PMDB, a favor de dilma…

    Pra que? Concorrer 2018?
    Com que dinheiro? O roubado da União?

    E afinal, o Temer está ou não inelegível pelos próximos oito anos, contados a partir de Maio 2016, condenado que é pela Lei da ficha Limpa ?
    Pode tomar posse?

    A fala do Calheiros antes da votação do destaque, é obra da influência do lula???

    A PIOR CLASSE POLÍTICA DA HISTÓRIA DO BRASIL.

    E todos assistindo…
    Do jeito que vai-se imbecilizando o nosso tempo, talvez em 2018 tenhamos que ouvir asneiras do tipo: Reinaldo Azedo predidente, Serra vice, partido MBL …

    Política na Patria Amada Brasil??
    Não, essa é a política da Macacada Brasil…

  14. “DILMA PERDE O MANDATO MAS MANTÉM DIREITO DE OCUPAR CARGO PÚBLICO”

    E RENAN TAMBÉM. E JUCÁ TAMBÉM. E CUNHA TAMBÉM. E TEMER TAMBÉM ….

    Entenderam, “eleitores” ?

  15. Texto corrigido e meu nome corrigido:

    4 presidentes desde o fim da ditadura, a metade teve o mandato caçado…

    12 votos no destaque de senadores do PMDB, a favor de dilma…

    Pra que? Concorrer 2018?
    Com que dinheiro? O roubado da União?

    E afinal, o Temer está ou não inelegível pelos próximos oito anos, contados a partir de Maio 2016, condenado que é pela Lei da ficha Limpa ?
    Pode tomar posse?

    A fala do Calheiros antes da votação do destaque, é obra da influência do lula???

    A PIOR CLASSE POLÍTICA DA HISTÓRIA DO BRASIL.

    E todos assistindo…
    Do jeito que vai-se imbecilizando o nosso tempo, talvez em 2018 tenhamos que ouvir asneiras do tipo: Reinaldo Azevedo predidente, Serra vice, partido MBL …

    Política na Patria Amada Brasil??
    Não, essa é a política da Macacada Brasil…

  16. Rasgaram nossa constituição, isso sim. é golpe.
    Dependendo de quem ganhar as eleições de 2018, a Dilma pode ser nomeada chefe da Casa Civil e de lambuja ser nomeada a presidente do Conselho Administrativo da Petrobrás.
    Os políticos que estão envolvidos em corrupção, pensando em seu futuro, gostaram da Dilma ter o direito a habilitação a cargos públicos.

  17. Aliados do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) comemoraram a sessão de votação do impeachment de Dilma Rousseff por entenderem que o entendimento adotado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, abre precedente favorável ao ex-presidente da Câmara.
    “Ao dizer que o plenário delibera sobre proposições que podem ser destacadas, Lewandowski abre precedente para que a Câmara vote um projeto de resolução e não o parecer pela cassação de Eduardo”, avaliou um aliado reservadamente.
    Se o plenário da Câmara analisar um projeto de resolução, é possível apresentar emenda que proponha pena mais branda, como uma suspensão temporária, livrando Cunha da cassação.
    Aliados de Cunha já pretendiam levar o projeto de resolução a votação, como mostrou a Coluna do Estadão, mas, inicialmente, precisavam que o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumisse o desgaste para preterir o parecer do Conselho de Ética. Agora, com o precedente, esse desgaste fica minimizado.
    A votação está marcada para o próximo dia 12.

  18. Não só pelos boletins de imprensa do ITV e do PSDB, dá para ver que a guerra já começou com o PMDB …kkkkaaass

    Quarta-feira, 31/08/2016, às 16:01, por Gerson Camarotti
    Aloysio entrega liderança do governo, mas Temer não aceita

    Surpreso com o resultado da votação que manteve a habilitação política de Dilma Rousseff para funções na administração pública, o líder do governo do Senado, Aloysio Nunes (PSDB-SP), entregou o cargo por telefone para o presidente Michel Temer. O peemedebista, entretanto, não aceitou.

    Segundo relatos, Temer disse que conversaria com o tucano sobre o assunto quando retornasse de sua viagem para a China. O novo presidente deve embarcar no fim do dia para o país asiático para participar do encontro de cúpula do G20.

    Procurado pelo Blog, Aloyisio negou que tivesse colocado o cargo à disposição, mas ressaltou que é preciso colocar um freio de arrumação a tudo isso, em uma referência à divisão da base aliada na segunda votação, com oito peemedebistas votando a favor de Dilma.

  19. mais uma vez pisotearam a constituição,depois descem a borduna no ministro Gilmar mendes.o ministro Ricardo lewandovsky superou o colega.

  20. Esperar o que de Renan, corrupto até a medula,, 36 canalhas, estupram a Constituição, na frente ao presidente do stf, que fica caladinho, sem protestar. Quem irá denunciar no stf, o estupro ???, Color por muito menos, levou 8 anos, inelegível, 2 pesos e 2 medidas.
    Como acreditar nas supremas, no stf, a esperança, de voltar a ser STF confiável, está depositada na futura presidente.
    Até no fechamento do processo, a corrupção age descaradamente!!!! POBRE BRASIL.

  21. Complementando minha mensagem anterior às 2:52PM(14:52), acrescento que o próprio Regimento Interno do Senado também não permite o que fizeram nessa 2ª votação.

    É nula a 2ª votação no Senado em que se tenta separar da perda do cargo a parte de inabilitação, por oito anos, para exercício de função pública.

    A “perda do cargo” vem “junto” com a “inabilitação por oito anos para o exercício de função pública”.

    Essa 2ª votação viola tanto o art. 52 da Constituição quanto o art. 378 do Regimento Interno do Senado.

    A condenação é ÚNICA, conforme determinado pelo parágrafo único do art. 52 da Constituição: “perda do cargo COM inabilitação por oito anos para o exercício de função pública.”

    Inexiste possibilidade de se perder o cargo “SEM” a inabilitação para o exercício de função pública”. A Constituição não permite isso, essa separação, do tipo perda do cargo SEM inabilitação para o exercício de função pública.

    A Resolução do Senado é apenas para formalizar a comunicação do resultado, da sentença condenatória referente ao impeachment, e não a de alteração do que está taxativamente expresso na Constituição.

    Constituição Federal
    Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal:
    I – processar e julgar o Presidente e o Vice-Presidente da República nos crimes de responsabilidade, bem como os Ministros de Estado e os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica nos crimes da mesma natureza conexos com aqueles; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 02/09/99)
    (…)
    Parágrafo único. Nos casos previstos nos incisos I e II, funcionará como Presidente o do Supremo Tribunal Federal, limitando-se a condenação, que somente será proferida por dois terços dos votos do Senado Federal, à perda do cargo, com inabilitação, por oito anos, para o exercício de função pública, sem prejuízo das demais sanções judiciais cabíveis.

    Regimento Interno do Senado Federal
    Art. 378. Em qualquer hipótese, a sentença condenatória só poderá ser proferida pelo voto de dois terços dos membros do Senado, e a condenação limitar-se-á à perda do cargo, com inabilitação, por oito anos, para o exercício de função pública, sem prejuízo das sanções judiciais cabíveis (Const., art. 52, parágrafo único).

  22. OLIMPÍADAS

    ACONTECEU uma das mais lindas festas em grande estilo de poder de EROS e outros DEUSES, bem como as HEROÍNAS lançando pelo ar ou água, a olfação, aquele odor efêmero do helenismo que brilhou nas lembranças do passado olímpico
    UMA OLIMPÍADA GRANDIOSA e uma PIRA OLIMPÍCA inusitada pelo seu engenhoso aconchego de um brilho incandescente de um quase legitimo sol.
    É POR AÍ, é por aí que vocês começam a descobrir, refletir os seus valores éticos e morais, em um grande espelho a imagem límpida de como educar.
    OS OLIMPÍCOS BRASILEIROS aqueles que a miséria sempre esteve em seu caminho, por falta de incentivo ao esporte, foram eles os que mais brilharam. BRILHARAM tanto que se quebrou as cordas, as laminas, da guilhotina que lhe diz incentivar. Esses que lhes oferecem a terra mais não lhes proporciona a semente, lhes oferece o médico mais não o remédio, e a educação eles vão buscar na raça e na coragem de vencer, após 2016 tem bolsa atleta e pódio
    ABERTURA DA OLIMPÍADA 2016 foi em defesa do MEIO AMBIENTE, os dirigentes deste PAÍS estão irredutíveis em não fazer nada pelo clima.
    UNIDO PELO CLIMA, é se unir por sobrevivência, o mar já começou a mostrar o seu poder, só eles é que não entendeu, o avanço do mar, é aumento de assoreamento marinho, salubridade da água é perca de terras férteis em toda área costeira, o sol, o vento, a chuva e o mar, está destruindo lavouras em todo País, e o solo incapacitado de produzir alimento.
    ESPERAMOS que a sociedade em geral, e os medalhista de 2016 vejam este verdadeiro meio ambiente que querem para vocês, aquele que vai produzir fome, desemprego, sequestro, assalto, e muita dor ao ser humano, caso não faça nada por meio ambiente, vocês vão perder tudo que conquistaram, até o seu bem mais precioso, a vida.
    CAFÉ DE MONTANHA: TERRACEAMENTO é um novo método que a EMBRAPA, e seus idealizadores criaram para vender MAQUINAS E MUITO VENENO, ampliando assim os seus projetos de maldade a esse PAÍS chamado BRASIL, existe outros meios para assegurar os insumos ou drogas próximo a raiz, seguro de águas é um dos mais antigos projetos de JD assegura água em rios e igarapés, em café de montanhas impedindo que o enxurro leve o seu veneno, e digo mais, fica a mais 30% de água que no seu projeto, querem pagar pra ver, e diminuindo assim assoreamento, câncer, abortos e outras doenças há esta região.
    EPIDEMIA DE CÂNCER em alto índice de agricultores e consumidores Gaúchos doentes por agrotóxicos no Rio Grande do Sul.
    POLÍTICO que não faz Meio Ambiente, ele não mim representa em lugar nem um.
    OS TRÊS PODERES têm o dever de rever o mal que está fazendo a esta NAÇÃO, que é refém de meia dúzias de dirigentes cegos, e fracos, em economia e bem-estar social, DUZENTOS E SEIS MILHÕES DE BRASILEIROS a caminho do fundo do poço por falta de MEIO AMBIENTE, que o esgoto e a seca estão destruindo rios e igarapés, que é o SUPER MERCADO do pobre. O PIB está recuando pela sesta vez, e os dirigentes relutam em não criar empregos pelo caminho de maior necessidade que é o Meio Ambiente.
    STF tem a única oportunidade de mostrar para o Mundo, que o melhor, o verdadeiro MEIO AMBIENTE, para o BRASIL e o MUNDO está aqui no nosso País. O STF tem a oportunidade em uma grande ocasião para produzir um efeito legal nesta fábrica de vida que é a BIOTA. ESPERO que o STF encontre neste contexto um apoio que dê ênfase a assimilação Ambiental. O conjunto das circunstâncias nas quais se produz um acontecimento, uma ação está nas mãos dos MINISTROS DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.
    TEMER é verdade que o MEIO AMBIENTE está levantando os impactos marinho para produzir verduras no fundo do mar, cuidado lá tem muito lixo e bactéria perigosos vocês vão se contaminar por falta de conhecimento nesta matéria.
    JOÃO DE DEUSFERREIRA O HOMEM.

  23. Pingback: Para agradar Dilma, 36 senadores decidem desrespeitar a Constituição – Debates Culturais

  24. Os nomes dos senadores que aprovaram essa aberração precisam ser espalhados pelos 4 cantos deste Brasil.

    Uma insanidade no apagar das luzes!

  25. Os eminentes Senadores “juristas” engoliram embasbacados um golpe que poderia ser defenestrado com um argumento pueril: o Senado estava reunido para “julgar a aplicação de uma lei” específica a um caso específico, o impedimento da presidente, e por isso deviam se comportar como juízes. Não estavam deliberando sobre a propositura de Projeto de Lei, em singela atividade parlamentar! Portanto, incabível a aplicação do regimento do senado ao caso para admitir destaques propondo o fatiamento.
    Aliás, gabarito de prova da OAB de 2009 considerou “errado” separar impeachment e inabilitação, vide (http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/cultura/gabarito-de-prova-da-oab-de-2009-considerou-errado-separar-impeachment-e-inabilitacao/).
    Se o douto Presidente do STF, do topo da sagrada pirâmide jurídica, permitiu uma aberração dessa, o que esperar dos Bacharéis que digladiam contra a provinha da OAB?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *