Para agradar Bolsonaro, o ministro da Saúde já quer encerrar o uso da Coronavac no país

Renato Souza Correio Braziliense  /   Charge do Sponholz

Está em andamento no Ministério da Saúde a criação de um plano de ação para vetar o uso da CoronaVac no Brasil. O ministro Marcelo Queiroga acredita que o imunizante tem eficácia baixa e alega a interlocutores que existem muitos casos de pessoas que tomaram o imunizante e foram infectados mesmo após as duas doses.

De acordo com fontes no governo, Queiroga pretende encerrar contratos de compra da vacina produzida pelo Butantan em parceria com a chinesa Sinovac. ~

HÁ DIFICULDADES – A intenção seria adquirir apenas as doses que já foram contratadas, e reforçar aquisições das vacinas da Astrazeneca e da Pfizer. No entanto, o governo esbarra na dificuldade em adquirir mais doses. Uma outra solução pode ser a ButanVac, imunizante brasileiro que está sendo testado e pode ser aprovada no segundo semestre.

Os estudos durante a fase de testes da CoronaVac apontaram eficácia global de 50,38%, que pode chegar a 100% para evitar internações e mortes. O que incomoda Queiroga seria    a baixa proteção em idosos. Um estudo denominado Vaccine Effectiveness in Brazil Against Covid-19 apontou que a eficácia geral para quem tem mais de 80 anos está em torno de 28%.

Durante a semana, o ministro colocou em dúvida a segurança das vacinas para agradar o presidente Jair Bolsonaro. Ele disse que o presidente tem razão quando fala que “não se tem ainda todas as evidências científicas” dos imunizantes. No entanto, todos os imunizantes em aplicação no Brasil passaram por testes e foram aprovados.

DISPUTA POLÍTICA – A CoronaVac também está no centro de uma disputa política entre Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria.

O chefe do executivo paulista é o responsável por apoiar o desenvolvimento da vacina, as pesquisas e pela comunicação com a China para o fornecimento de insumos, o que desagrada os planos eleitorais do presidente Jair Bolsonaro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Esse ministro é igual ao outro, o tal especialista em Logistica. Justamente por isso, já esta sendo chamado de Quedroga! (C.N.)

19 thoughts on “Para agradar Bolsonaro, o ministro da Saúde já quer encerrar o uso da Coronavac no país

  1. Sempre afirmei que nosso atual presidente não consegue viver sem um bom barraco.
    Seria cômico se não fosse trágico. Mas não há nada que se possa fazer.

    • Mais um veemente indício de que Bolsonaro é compelido por uma gana sádica, para deixar a população desprovida de todas as medidas e contramedidas que possam defendê-la duma investida lúgubre da Covid-19.

  2. A imprensa prostituída é incorrigível: continua mentindo e deturpando fatos para agradar aos cafetões tucano-petistas.

    Quem diz que a vaChina Conronavac tem baixa eficiência não é o ministro Queiroga, são os resultados dos testes científicos do fabricante e do referido estudo.

    Lembro ao jornalismo prostituído que a própria bula da vaChina não informa a eficácia da droga para idosos. E, mesmo, diante desse fato, fato, fato, os velhinhos foram os primeiros a tomar a porcaria chinesa, como cobaias de um grande experimento. O estudo Vacine Effectiveness, referido no texto, sumariza os dados dessa experiência e não é uma invenção do Bolsonaro ou do ministro Queiroga.

    Se a imprensa fizesse o seu trabalho que é informar honestamente à população com certeza os efeitos daninhos da peste chinesa seriam menores.

  3. Bom dia , leitores (as):

    Senhor Carlos Newton , acontece que o ministro da saúde Marcelo Queiroga e alguns membros da família dele são donos de hospital , e pelo que se sabe estão envolvidos em falcatrua .

  4. Agora fiquei com muitas dúvidas.
    Minha mãe tomou a Cornovac, e agora!
    É aconselhável tomar outra vacina?
    Como resolver este problema?

    Apelo aos especialistas, que nos tirem desta encrenca….

  5. Se o “tosco” encabeça mais este destempero, tenham certeza que a vacina é boa.
    PS: Tomei as duas doses e mais a contra influenza e tomaria outra vez se preciso for.
    É ridículo o circo que este “tosco” nos reserva dia sim dia também.

  6. Um general lambe-botas a gente lamenta mas entende – eles são ensinados a obedecer; um médico puxa-saco é vergonhoso e compromete até a sua alma mater.

      • Nenhuma vacina promete a cura, com antídoto. Mesmo vacinadas as pessoas poderão contrair e desenvolver sintomas leves, poucos graves, e menos ainda que leve alguma necessidade de internação, e muito menos ainda casos de morte.

        Inglaterra não vacinou de Coronavac (e sim de Astrazeneca) e está com surto da variante Indiana…

        E daí?
        Isso mostra que a vacinação alguma tem eficácia absoluta.

        O vírus age e se desenvolve em cada organismo. Mas esse com potencialidade de rápida de evoluir. Acelerada mutabilidade (pelas leis de Darwin).

        O ideal é a combinação de vacinas.
        E não parar no desenvolvimento de novas vacinas… precisará permanentemente. Como da gripe se vacina todo ano.

    • Não tome a vacina, não use máscara, não use gel, reze muito e conte com o seu lider eterno. Garanto que terá ticket garantido para o inferno. E leve o Idiota do Planalto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *