Para aprovar reforma da Previdência, Temer quer suspender recesso do Congresso

Resultado de imagem para recesso charges

Charge do Casso, reproduzida do UOL

José Carlos Werneck

Embora o nome de nenhum aposentado pela Previdência Social tenha aparecido na lista do ministro Edson Fachin como beneficiário das propinas pagas pela Odebrecht, o atual governo, assim como seus antecessores Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio “Lula” da Silva e Dilma Rousseff, insiste que a ruína econômica do País é culpa dos segurados do INSS. Assim sendo, o presidente Michel Temer, em sua sanha de perseguir os trabalhadores vai tentar um novo estratagema, concentrando esforços para suspender o recesso de julho do Congresso Nacional para garantir a aprovação da reforma da Previdência antes da interrupção dos trabalhos parlamentares.

Ele acredita que há grandes dificuldades no diálogo com os parlamentares governistas e o pânico gerado após as delações dos altos executivos da Odebrecht certamente será um óbice à tramitação da matéria, tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado Federal.

ATRASO – O governo contava com a aprovação da reforma da Previdência nas duas Casas até o último dia de votações anteriores ao recesso, marcado para 17 de julho. O receio que o pacote de maldades previstas no projeto não passe pelas duas Casas antes dessa data é evidente e fez com que o presidente pensasse no acordo com líderes das bancadas aliadas para que os congressistas não tirem férias e aprovem o texto.

A suspensão do recesso, que terminaria no último dia de julho, daria fôlego extra ao Governo para obter êxito, contando com a aprovação no Senado só no fim de julho.

A maquiavélica idéia tem total apoio da equipe econômica, que prevê uma votação apertada de votações por causa das dificuldades de deputados em apoiar a infeliz propositura.

INQUÉRITOS – A preocupação ficou maior com a abertura dos inquéritos contra 24 senadores e 39 deputados, fruto das delações da Odebrecht, já que é grande o medo de que as acusações desmobilizem os parlamentares e percam a atenção que o presidente queria na votação do projeto.

O grande negociador da manutenção dos trabalhos é Romero Jucá, líder do governo no Senado. Ele declara que a suspensão do recesso é “muito provável” e conta com o apoio dos presidentes do Senado e da Câmara.

Conseguindo a suspensão do recesso, os parlamentares governistas jogarão para a frente a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2018, que normatiza as contas do Governo em 2018, já que a Constituição veda a interrupção dos trabalhos sem a sua apreciação.

RECESSO BRANCO – Geralmente, os parlamentares conseguem sair de férias em julho, sem a apreciação da LDO, por meio do “recesso branco”, quando os trabalhos são formalmente mantidos, sem que nenhuma votação seja marcada.

Assim, haverá um prazo maior para aprovar o projeto de Reforma da Previdência e usar a suspensão do recesso para afastar a idéia de o País ter parado após as delações da Odebrecht.

 

11 thoughts on “Para aprovar reforma da Previdência, Temer quer suspender recesso do Congresso

  1. Os parlamentares seguem roubando descaradamente o povo e país!

    Desta vez porque se negam a cumprir suas jornadas de “trabalho”.

    Vagabundos, ladrões, corruptos, desonestos, recebem milhões de reais a cada legislatura para se tornarem criminosos de alta periculosidade, e comprovam o que afirmo sugando do erário recursos indevidos porque sequer se fazem presente no congresso.

    Portanto, seus proventos são ilegais, e este comportamento ilícito, condenável e digno de perda de mandato, tem sido a tônica nas últimas décadas do Legislativo, um poder falido ética e moralmente, corroborado pela incompetência e vadiagem explícitas!

  2. Prá tudo que é lado só tem rombo. O déficit primário previsto para o ano que vem é de 129 bilhões. O da previdência social é de 202 bilhões. Isso sem contar os juros de mais de 500 bilhões que são acrescentados todos os anos à dívida pública porque não são pagos, de acordo com o governo, não há superávit primário. O problema não são as greves, os protestos que virão. O problema é saber que de uma forma ou de outra quem vai pagar por tudo isso somos nós, que constituimos os 99% da população. É melhor ficar rico ganhando na loteria e fazendo parte do 1% da população que é imune à crise. Podem falar, podem reclamar, mas quem vai pagar é a maioria esmagadora do povo brasileiro. Simples assim.

  3. Meus caros Temer está transformando o Brasil em grande Senzala, com 22o milhões de desempregados, nossa Soberania, como Nação, está sendo perdida, os cretinos roubam, e culpam o povo trabalhador, até certo ponto, eles estão certos, os eleitores que não honram à consciência e o voto, elegendo e reelegendo patifes, permitiu a formação dessas quadrilhas hediondas, instaladas em Braília. Os 3 poderes estão podres, seus membros, já tem garantido o Ranger de dentes, no além túmulo, para suas almas trevosas.
    Que Deus nos ajude, o Pântanal, a cada dia cresce mais.

  4. Essa cambada de politicos é uma lástima. Falo desses que querem aprovar a reforma da previdência na “marra”, mesmo depois das mudanças. Mudanças essas que apenas mascaram o pacote de msldafes, pois para quem se aposentar esse ano, será duplamente punido. No mais, tudo ficou pior. Não passa de jeito nenhum. E mesmo aqueles que votarem a favor, não passaram das urnas.

  5. Falta uma liderança popular! A gente sabe que a população não quer a reforma. Os pralamentares ainda dizem que a reforma é benefica para trabalhadores com salário menor.

  6. Temer nao passa de um laranja do Henrique Meirelles que é o verdadeiro governante deste pais e servil aos interesse de Bancos e banqueiros .

  7. Antes da reforma da Previdência é preciso acabar, ou se preocupar em punir os corruptos, ou como diz Boris Casoy, é preciso passar o país à limpo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *