Para cada Brasil, um discurso diferente

Carlos Chagas

Eduardo Campos, Aécio Neves e Dilma Rousseff mais pareciam a encarnação das famílias  Ford, Rockefeller, Tyssen e quantos outros potentados industriais que tentaram amoldar o planeta a seus interesses e concepções, mesmo os mais mesquinhos do começo do século passado. E os atuais. Também, não tinham alternativa os três presidenciáveis que enfrentaram, em separado, 700 dos mais importantes industriais brasileiros ou estabelecidos no Brasil.

Foi ontem, na Confederação Nacional da Indústria, em Brasília. Intimidados ou espertos, os candidatos  apresentaram  promessas que as elites industriais queriam ouvir: redução de impostos, isenção de encargos, diminuição de juros, facilidades de crédito, extinção de deveres sociais, diminuição das prerrogativas do  poder público e estado mínimo.  Foram aplaudidos, é claro. Serviram os pratos que os comensais  esperavam. Caso diferentes suas mensagens,  sentiriam o  rumor surdo da discordância do auditório de que necessitam para reforçar suas candidaturas e financiar suas campanhas.

A gente fica pensando como se comportarão Aécio, Eduardo e Dilma se atenderem convite da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria, das Centrais Sindicais, do MST e congêneres. Certamente defenderão o aumento do salário mínimo, a preservação e até a ampliação dos direitos trabalhistas, mais investimentos sociais, diminuição da jornada de trabalho, participação dos empregados no lucro das empresas  e outras  reivindicações dos assalariados.

Para cada Brasil, um discurso diferente.  Como disse dias atrás a presidente da República, dois pesos e dezenove medidas, tudo para agradar as diferentes plateias e conquistar seus votos. Depois, o eleito comemorará a vitória sem poder atender um mínimo de suas promessas, mas também, para quê? Conquistado o poder, haverá que gozar de suas vantagens…

Podem parecer um tanto amargas essas conclusões, mas a  verdade é que o jogo político continua presidido pela máxima do “me engana que eu gosto”, válida para todos os contendores. Candidatos e categorias diversas, pensam apenas na concretização de seus interesses.  Um dia, tomara que bem para o futuro, a corda vai arrebentar.

O GRANDE CONFRONTO

Em São Paulo, o verdadeiro embate político não se dará, salvo inusitado, entre Geraldo Alckmin e Alexandre Padilha. Talvez nem entre o atual governador e Paulo Skaf. O divisor de águas será entre José Serra e Eduardo Suplicy, candidatos ao Senado. Isso na hipótese de o PT acordar e apostar seus cacifes no atual senador, visto com certa distância por seus próprios companheiros.  Lula e companhia tiveram que engoli-lo, na falta de outro. Agora, será apoiá-lo com todas as forças para que o PT não fique completamente desmoralizado em sua maior base política.  Espera-se que a presidente Dilma venha em seu socorro.

14 thoughts on “Para cada Brasil, um discurso diferente

  1. Os industriais deveriam dizer a que segmento industrial pertencem. Seria bom para o povo indentificar o produto do industral questionador dos candidatos. Têxtil, alimentos, energia, mecânica pesada, naval, automotiva……………………………………. Assim é fácil questionar mas não diz o que produz para o povo ver se tem razão em reclamar.

  2. Caros CN e CC … Tenho alguma experiência como candidato … Foram lá nos longínquos 1974 e 1978 em que ajudei o MDB e a Sociedade Civil a domar a Revolução Brasileira de 30 de março de 1964 … Esta, entre outras coisas que construíram nosso Brasil pós moderno, nos legou os ainda vigentes CPF, ESTATUTO DA TERRA E CÓDIGO ELEITORAL.

  3. “Me engana que eu gosto”

    Ressalvada as exceções, o dito ser humano (capaz de impensáveis crueldades) tem boa dose de aversão ao raciocínio lógico. Parece que é de nossa genética emocional. Pouco de racional. E, como o sistema capitalista tem tudo a ver com o emocional, quase nada do racional, vai daí, a nossa grande afinidade com o sistema capitalista, isento de racionalidades, de prioridades, de planejamento global detalhado, de curto, médio e longo prazo, e outras mais, tornando o Planeta um lugar cruel, sujo, perigoso e explosivo.

    Pela nossa grande natural afinidade com o sistema capitalista – nossa alma gêmea – aceitamos muitas irracionalidades, responsáveis pelas grandes concentrações de riquezas em mãos de poucos produzindo misérias e pobrezas, pai e mãe das revoltas, dos distúrbios, de todas as guerras, inclusive, da última a ser eclodida a qualquer hora dessas.

    Assim sendo, o “engana que eu gosto” – nada de racional – é muito adequado à democracia capitalista. Fosse de natureza racional, tudo seria muito diferente, inclusive, com as promessas dos candidatos registradas em cartório para serem cumpridas a riscas. Lógico, com sérias penalidades para os mentirosos e ou incompetentes. E, durma com um barulho desses.

  4. Em 1974 os candidatos, após passarem pelo crivo da Justiça Militar (não obtinham candidatura os chamados subversivos), podiam acessar rádio e TV como é até hoje … podíamos falar, gesticular e vestir o que queríamos … Eram só dois partidos, com suas possíveis divergências internas formando sublegendas na ARENA governamental e no meu MDB de Oposição aos desviar de rumo da Revolução.

  5. Quem faz esse jogo de querer agradar a todos, é sem dúvida alguma, a atual presidente para a qual dois pesos e 39 ministérios está ótimo!

    Mesmo sabendo que, para isso, fatias cada vez maiores de recursos do orçamento da União vão sendo despejados de maneira imbecil na sustentação dessa máquina obesa, em despesas correntes, quando o país inteiro pede gastos em infraestrutura, em bens públicos, em aparelhos estatais, em despesas de capital.

    Em matéria de imbecilidade e irresponsabilidade no trato da despesa pública o PT é imbatível.

    Tudo isso fruto da hierarquização ideológica. Isto é, a prioridade dessa grei é o seu projeto ideológico de dominação do perpétuo do poder.

    Depois o país, o resto.

    Vão todos desta grei à puta que pariu!

    Perdão, vamos todos cuidar de nossas vidas.

  6. Esses debates, se faz por imposição de uma elite, que sempre com medo de perder suas benesses, levam os candidatos a debaterem em seus “searas”, para que vomitem promessas, depois a midia faz o resto e cobram as promessas. O debate deveria sim ocorrer no seio do povo e não no seio dos banqueiros, dos industriais, dos latifundiarios, dos baroes das comunicações.
    Alguem conhece algum resultado pratico desses debates? O que veremos será uma cobrança para que se baixe os impostos, que bem ou mal retorna a população, e nunca em debate algum irão cobrar dos candidatos a redução dos juros, essa cobrança seria uma “heresia” nas casas dos debates.

  7. O horário eleitoral gratuito pertence aos partidos … Cabe a cada Executiva de cada partido determinar o uso do horário … No meu caso, no MDB de Amaral Peixoto do antigo RJ, tive o mesmo tempo que cada candidato a deputado federal teve, inclusive Moreira Franco se lançando na Política não teve nenhuma vantagem sobre nós, mesmo então sendo casado com filha do grande Amaral Peixoto.

  8. Vejam o que a nossa “Proust de Porto Alegre” disse na sabatina da CNI de ontem …(…)…”Dilma se atrapalhou toda: subtraiu 4 de 13 e encontrou 7. Corrigiu-se em seguida e chegou a 9. Tentou falar do furacão Katrina, mas se atrapalhou e se referiu “àquilo” — cujo nome não se lembrava (era o tsunami) — que aconteceu, segundo ela, em Fugujima, seja lá onde fique essa cidade. Ninguém entendeu nada. Mas, creiam, não foi o momento mais confuso de sua exposição. Foi apenas o mais engraçado.

    Dilma participava da sabatina no dia em que veio a público a informação de que a economia americana cresceu acima da expectativa. No horizonte de curto prazo, estão a elevação dos juros americanos e a possível fuga do Brasil de investimentos de curto e de médio prazo. Nesta terça, o FMI anteviu que essa é uma das precondições que podem jogar a economia brasileira numa nova crise. Guido Mantega tentou desancar o FMI. Os fatos pendem para o lado do Fundo. O que Dilma tem a dizer a respeito?

    Na década de 70, Caetano lançou a música “Qualquer Coisa”, em que se ouve: “Você tá pra lá de Teerã”… Dilma está pra lá de “Fugujima”!!!

  9. Verdade

    Nesses últimos tempos, as eventuais notícias sobre o restabelecimento do capitalismo mundial têm sido contraditórios e temporários, cheios de incertezas. Ou seja, bom mesmo, só para a China que tem parte de sua economia operando em rígido capitalismo, racionalmente controlado pelo poderoso Partido Comunista Chinês, resultando em permanente e estável crescimento econômico, de há muitas décadas. Até que se prove em contrário, o capitalismo mundial continua na CTI, aguardando recuperação.

  10. Apesar dos comentário aqui expostos, diga-se de passagem muitos esclarecedores, ainda fico com uma interrogação danada.

    Convivendo no meio do povo, percebo uma situação que me deixa realmente deprimido, para não dizer apavorado.

    SE PORVENTURA QUALQUER CANDIDATO APARECER PROMETENDO FAZER OS AJUSTES REALMENTE NECESSÁRIOS NESSE PAÍS, COM CERTEZA SERÁ ESCANTEADO PELO ELEITOR, QUE JÁ NÃO ACREDITA EM PORCARIA NENHUMA.

    Vejo muitos dizerem que ao invés de colocar alguém pior dos que ai estão, é melhor ficar como está.

    RESUMINDO, NOSSO ELEITORADO TEM MUITO MEDO DE APOSTAR EM UMA MUDANÇA, NEM QUE SEJA PARA VER NO QUE VAI DAR.

    • Pois se o eleitorado por medo votar na reeleição do que está aí, principalmente na PRESIDANTA. pode ter certeza que o facão vai comer solto. SERÃO MILHARES DE DEMISSÕES, pois o empresariado terá certeza absoluta que não valerá a pena investir um tostão furado.NÃO É TERRORISMO, É REALIDADE. DEFINITIVAMENTE O PT TIROU A MASCARA, NÃO EXISTE MAIS O LULINHA PAZ E AMOR, O QUE VALE MESMO É A DILMONA VAI DESCER A PORRADA!!
      PLEBISCITOS PARA INSTALAÇÃO DOS COMITES BOLIVARIANOS POPULARES E IMPLANTAÇAO DA POUPANÇA FRATERNA INSTITUINDO UMA POUPANÇA COMPULSÓRIA PARA QUEM TIVER RENDA ACIMA DE DETERMINADO
      NIVEL, ESSAS SÃO APENAS UMA DAS MEDIDAS PREVISTAS PARA IMPLANTAR O COMUNISMO/SOCIALISMO NA MARRA E NA PORRADA!! Meu voto não terão e se a reeleição acontecer é bom ter dinheiro no colchão e/ou no exterior,como aliás confessou a própria PRESIDANTA que reconheceu ter guardados pelo menso uns R$ 150.000. E é bom também ter um passaporte em dia.

  11. Muito bom artigo jornalista Carlos Chagas.
    Contendo muitas observações valiosas sobre a atualidade política brasileira, com candidatos em palpos de aranha para”vender” o seu trololó e manter olho no olho com eleitor … mesmo na tela da TV, pois no corpo a corpo não existe nem mais o olho no olho quando se pedia voto , como na época do senhor Lionço, nos anos 70.
    É onde entra, hoje, para os endinheirados, os marqueteiros que os ensaiam como se atores fossem. Os demais, escutam palpites de amigos e parentes e tentam de tudo, até bizarras apresentações, tentando marcar ponto em rápido um segundo…
    Mas, é aí que entra a nossa lupa procurando um candidato “virgem” como denominou o senhor Bandl, embora seja mesmo quase como procurar uma agulha no palheiro…
    Tente encontrar um olhar sério e responsável. Os olhos são o espelho da alma…
    Talvez você não encontre o melhor candidato, mas pelo menos você tentou…
    Contudo, NÃO ANULE O SEU VOTO !… é o que “eles” querem…
    Atente para o mais importante: NÃO REELEJA NENHUM DESSES PULHAS!
    Alternância já!

  12. PRESIDANTA DILMANDONA VIRÁ A SÃO PAULO PARA ACUDIR O COMPANHEIRO SUPLICY NA BATALHA CONTRA JOSÉ SERRA! COM CERTEZA VAI SER O ABRAÇO DE AFOGADO!!

  13. Pingback: Para cada Brasil, um discurso diferente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *