Para generais, Pazuello precisa definir logo se fica na Saúde ou retorna para o Exército

Pazuello não ficará no cargo de ministro da Saúde, declara Bolsonaro

Indefinição de Pazzuelo causa desconforto e desgaste ao Exército

Gerson Camarotti
G1 Política

Generais da ativa e da reserva ouvidos pelo blog nesta terça-feira (14) avaliam que o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, precisa definir rapidamente o seu futuro. Pazuello, que é general da ativa do Exército, deve escolher: ou pede transferência imediata para a reserva ou deixa o Ministério da Saúde.

“Enquanto se tratava de uma ‘missão’ de caráter transitório, era uma situação; com a permanência no posto, as coisas mudam. O lógico é que ele peça transferência para a reserva. Ou, então, que cesse a ‘missão'”, disse ao Blog um general da ativa.

DESCONFORTO E DESGASTE – A situação de Pazuello tem causado desconforto para o Exército. Internamente, há o temor com o desgaste com o prolongamento dessa situação do militar.

No sábado, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), chegou a afirmar que o Exército se associou a um “genocídio”, em alusão à condução do governo no enfrentamento da pandemia de coronavírus. Houve forte reação do Ministério da Defesa.

Há um cuidado nas Forças Armadas em deixar claro que o Exército não participou da escolha de Pazuello para o posto. Um influente general da reserva ressaltou ao blog que Pazuello “foi uma escolha” do presidente Jair Bolsonaro, ou, “no máximo, uma indicação de alguém próximo, do entorno imediato”. E que, portanto, “não foi uma indicação do Exército Brasileiro”.

INDICAÇÃO – Esse mesmo general ressaltou que a uma situação é diferente do que aconteceu no governo passado, quando o então presidente Michel Temer “pediu um general para a Secretaria Nacional de Segurança Pública”. Segundo o militar, o então comandante do Exército, general Villas Bôas, foi quem “indicou o general Santos Cruz para o cargo”.

“Isso faz toda a diferença, isenta o Exército Brasileiro de qualquer compromisso com o Pazuello. Ele responde ao presidente, de quem tem aval. Associar o Exército ao ministro que ele não escolheu é injusto. Não se trata de virar as costas ao Pazuello, certamente se torce muito por ele, mas sim de não pagar o ônus de uma escolha que não passou pelo comandante.”

O general completou: “Acho que se ele aceitar prosseguir além da interinidade, terá feito uma escolha pessoal que, espero, o faça pedir transferência para a reserva”.

SEM QUATRO ESTRELAS –  Em tempo: caso Pazuello volte para o Exército, não há possibilidade de ele alcançar o posto de general de quatro estrelas. Isso, porque ele é formado na Academia Militar das Agulhas Negras como Oficial de Intendência. Essa carreira termina como 3 estrelas, assim como a dos médicos e a dos engenheiros militares.

 

4 thoughts on “Para generais, Pazuello precisa definir logo se fica na Saúde ou retorna para o Exército

  1. Embora General signifique Geral (reduzido pelo metaplasmo síncope, em ‘ne’). Mas ele não é onipresente ou ubíquo. Como pode voltar pro exército; se pela competência que exibe na Saúde, ele nunca saiu da caverna, ou aliás, caserna?

    • HIDROXICLOROQUINA FOI UM PRESENTE DE GREGO?

      Essa obsessão desvairada, traduzida pela imposição de Bolsonaro, ao uso de Hidroxicloroquina, para tratar doentes de Covid-19, está cheirando muito mau e mal.
      Aquela volumosa importação de matéria-prima, com a finalidade de produzir o medicamento aqui, depois de conversa entre o presidente brasileiro e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.
      ESTRANHÍSSIMO: Até hoje, nas fontes noticiosas e portais ministeriais, nunca encontrei o quantitativo de insumos e nem o valor pago. Também não se tem notícia se foi uma “cortesia”.
      Logo, essa pressa de enfiar a Hidroxicloroquina no fiofó da população, seria uma tentativa de fazer consumir o estoque inteiro, antes de a reprovação ao uso da droga torne-se uma unanimidade mundial?
      Se foi comprado e sobrar o remédio, notável pelo seu efeito colateral, quem vai arcar com o prejuízo? Nosso mandatário não que aparecer como um idiota que teria lançado milhões ao lixo, na compra de um medicamento baseado em seu achismo lunático.
      -Donald Trump, mui amigo, percebendo que a Cloroquina vem sendo demonizada, rapidamente, em todo o planeta, para preservar a saúde dos seus compatrícios, vai empurrando o excedentee do medicamento para o Brasil: lixeiro radiotivo e biotério dos ianques, onde vivem as cobaias para experimentos de novas drogas.

  2. Boa noite , leitores (as):

    Senhores Gerson Camarotti ( G1 Política ) , Carlos Newton e Marcelo Copelli , poxa os membros das ” FORÇAS ARMADAS DO BRASILEIRAS ” , fizeram das tripas / corações para se reconciliar e recuperar o respeito , consideração e admiração do ” BRASIL E SEU POVO ” , e literalmente do nada o Presidente eleito Jair Messias Bolsonaro , está colocando ” DESTRUINDO E COLOCANDO TUDO Á PERDER ‘” , em tão pouco tempo de mandato , mas isso só esta acontecendo porque alguns militares da ” RESERVA OU DA ATIVA ” o estão apoiando em troca de migalhas que lhes caem ao chão , assim como ele fez com os demais orgãos de controle , fiscalização e proteção do ” Estado Nacional ” , como apoio de seus comparsas dentro do ” STF , Câmara Federal , Senado Federal , MPF , TCU e etc…
    Isso é público e notório .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *