Para inocentar Dilma e Temer, Tarcísio inova e culpa os partidos

Ministro Tarcisio Vieira

Tarcísio festejou a vitória antecipadamente

Deu em O Globo

Com a manifestação do ministro Admar Gonzaga, o Tribunal Superior Eleitoral tem dois votos pela absolvição da chapa Dilma-Temer e um pela cassação. Votaram pela absolvição: Napoleão Nunes Maia e Admar Gonzaga. Votou pela cassação: Herman Benjamin. O quarto ministro a se pronunciar, Tarcísio Vieira, disse na leitura de seu voto que não vai considerar as provas produzidas na chamada “fase Odebrecht” do processo.

O ministro defendeu a estranha tese de que as provas indicam propina ao PT e ao PMDB e a dirigentes, mas salientou que os partidos não são os denunciados no caso analisado pelo TSE:

— Em alguns depoimentos de testemunhas, houve expressa indicação de empreiteiras que operavam pagamentos, mas para o PT e o PMDB, ressalto, partidos que não fazem parte da ação.

VALORES ILÍCITOS – “As provas produzidas indicam que valores ilícitos eram dirigidos a partidos e eventualmente a dirigentes, não havendo indicação sobre direcionamento na delimitação, que entendo correta, da ação de propina para a campanha eleitoral. Acrescento que nenhuma testemunha pode informar que Dilma e Michel tenham qualquer conhecimento de valores ilícitos que tenha entrado em sua campanha”, disse Tarcísio Vieira.

Em relação a irregularidades na contratação de gráficas que simularam prestar serviços para a campanha, o ministro Tarcísio Vieira destacou que, em 2014, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou as contas da campanha.

Ele ainda destacou que eventuais irregularidades que pudessem configurar crimes estão sendo apuradas em outros locais, como a Justiça penal. “Ainda que constatadas irregularidades nas empresas gráficas, não vislumbro gravidade para cassar mandato eletivo” — avaliou Tarcísio.

FATOS GRAVÍSSIMOS – O ministro Tarcísio Vieira conclui seu voto julgando improcedente as ações contra a chapa Dilma-Temer. “No mérito, julgo totalmente improcedente as ações”.

No fim da leitura de seu voto, Vieira afirmou que os fatos apurados durante o processo são graves, mas a apuração compete a outras esferas do Judiciário. “Estamos sim diante de fatos gravíssimos que devem ser apurados pelas instâncias competentes.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Os três Ministros que votaram pela absolvição – Napoleão Maia, Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira – utilizaram o estilo imortal do ator Rogério Cardoso, ao interpretar o personagem “Rolando Lero”. Mas é claro que essa performance final está reservada para o ministro Gilmar Mendes, que nesta especialidade é imbatível. (C.N.)

5 thoughts on “Para inocentar Dilma e Temer, Tarcísio inova e culpa os partidos

  1. Temer prepara ofensiva contra JBS, Edson Fachin e Rodrigo Janot

    Presidente quer falência e prisão de donos da JBS.

    Planalto já elabora dossiê contra ministro do STF

    “atacar e tentar dizimar a JBS em todas as frentes: na Receita Federal, na CVM, no INSS e na Justiça”

    https://goo.gl/uhXiH4

  2. Boa noite ,ilustres leitores(as).

    Resumindo ,caso a absolvição da chapa Dilma, Michel se concretize ,digo se efetive , como ficara a situação do vice-presidente Michel Temer (temerário) que assumiu ,uma vez que a titular foi cassada e depois inocentada pelo TSE.
    Conclusão , assim que for divulgado o ACORDÃO ,o TSE terá a obrigação de REINTEGRAR a presidente destituída ,pois os MINISTROS do TSE pura e simplesmente ,por má fé e limpar a barra do amigo do ministro Gilmar Mendes e seus comparsas do TSE , revogaram a LEGITIMIDADE da cassação da ex-presidente ,só que se esqueceram do reverso da moeda .

  3. Agradecer ao relator, rechaçar a indecência desse ministreco napoleão, impedir que o bagre alemão mendes cause mais estragos…

    Prender o Lula, prender a Dilma e prender o Temer.

    Essa a única lição desse episódio macabro da justiça brasileira…
    Quanto custa para o Brasil manter esses elementos nefastos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *