Para o juiz Sérgio Moro, vai ser difícil condenar a mulher de Eduardo Cunha

http://i0.statig.com.br/bancodeimagens/dz/qv/ov/dzqvov9osbfxyqudb1psbixbr.jpg

Ao ser fotografada, Cláudia gosta de exibir os olhos azuis

Carlos Newton

Os jornais noticiam que os advogados de Cláudia Cruz, mulher do deputado Eduardo Cunha, arrolaram seis parlamentares federais e dois ministros para testemunhar em seu favor, dizendo que ela jamais participou dos negócios do marido. A estratégia de defesa é muito inteligente, porque Cláudia Cruz tinha dinheiro pessoal, fruto de seu trabalho na TV Globo e da indenização milionária recebida na Justiça.

O processo está correndo em separado na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, sob responsabilidade do juiz Sérgio Moro. Em depoimento, a mulher de Cunha disse que a TV Globo teve de lhe pagar R$ 5 milhões. Se for verdade, e isso é fácil de o juiz Moro comprovar, ela poderia ter contas no exterior e movimentá-las à vontade, desde que obedecesse à lei.

Além disso, se Cláudia Cruz estivesse acusada apenas de gastar dinheiro sujo de Cunha, seria facilmente inocentada. Na Justiça mundial, não existe caso de mulher ser condenada pelos crimes do marido, se não tiver sido cúmplice. Gastar dinheiro sujo não é crime, caso contrário a mulher de Al Capone também teria sido encarcerada. Ou seja, para condenar a mulher de Cunha, é necessário que existam acusações consistentes.

CONTA NA SUÍÇA – A principal denúncia do Ministério Público Federal diz que Cláudia Cruz é a única controladora da conta em nome da offshore Köpek, na Suíça, por meio da qual pagou despesas de cartão de crédito no exterior em um montante superior a US$ 1 milhão num prazo de sete anos, entre 2008 e 2014.  E as investigações apontam que o valor é totalmente incompatível com os salários e o patrimônio declarado de seu marido.

Quase a totalidade do dinheiro depositado na Köpek (99,7%) teve origem nas contas Triumph SP (US$ 1.050.000,00), Netherton (US$ 165 mil) e Orion SP (US$ 60 mil), todas pertencentes a Eduardo Cunha“, afirma a Procuradoria. E isso é uma prova contra Cláudia Cruz, mostrando que ela não estava gastando o dinheiro que ganhara da Globo.

DINHEIRO DE PROPINAS – Diz a denúncia que as contas de Cunha no exterior eram utilizadas para receber e movimentar propinas oriundas de crimes contra a administração pública, praticados por ele, que depois repassava dinheiro da corrupção para a conta da mulher

Por meio da mesma conta Köpek a acusada também se favoreceu de parte de valores de uma propina de cerca de US$ 1,5 milhão que seu marido recebeu para ‘viabilizar’ a aquisição, pela Petrobras, de 50% do bloco 4 de um campo de exploração de petróleo na costa do Benin, na África, em 2011“, assinala o Ministério Público Federal.

CEGUEIRA DELIBERADA – No despacho em que aceitou a denúncia, o juiz Moro afirma que Cláudia Cruz pode ter agido com dolo ou cegueira deliberada. “(…) a própria ocultação desses valores em conta secreta no exterior, por ela também não declarada, a aparente inconsistência dos gastos efetuados a partir da conta com os rendimentos lícitos do casal, aliada ao afirmado desinteresse dela em indagar a origem dos recursos, autorizam, pelo menos nessa fase preliminar de recebimento da denúncia, o reconhecimento de possível agir com dolo eventual ou com cegueira deliberada (…)“, afirma Moro.

BATALHA JUDICIAL – Como se vê, essa batalha judicial vai se travar em torno da seguinte questão: Cláudia Cruz sabia ou não sabia que usava recursos ilícitos? Bem, é claro que ela vai dizer que não. Portanto, é preciso que o Ministério Público prove o contrário. Mas como conseguir? Vai ser difícil.

Juridicamente, não adianta o juiz Moro sustentar que houve “cegueira deliberada”, na teoria da Suprema Corte dos EUA, um tipo de dolo eventual que é dificílimo de ser provado. E também não adianta alegar que Cláudia Cruz é uma jornalista que tem noção das coisas, porque ela nunca foi jornalista de verdade, era uma simples apresentadora de telejornal, do tipo que apenas lê o que se aparece diante dela, esta é a realidade. É claro que há muitos apresentadores-jornalistas, mas não é o caso de Cláudia Cruz, uma deslumbrada, que nas últimas décadas se tornou uma dondoca que só se preocupa com futilidades. Classificá-la de jornalista significa uma desonra à profissão.

É justamente por Cláudia Cruz ser uma idiota completa que o o juiz Moro terá uma enorme dificuldade para justificar a condenação dela. E assim la nave va, cada vez mais fellinianamente.

19 thoughts on “Para o juiz Sérgio Moro, vai ser difícil condenar a mulher de Eduardo Cunha

  1. CN, nao adianta defender a Claudia Cruz se não conhecemos os termos do processo. Provavelmente ela vai ser inocentada por falta de provas, mas o Moro foi experto pois em nenhum momento ele afirma que ela roubou mas, que usou dinheiro sujo,sabendo ou não da origem. O indiciamento dela foi importante para prensar o Cunha e isto, antigamente se chamava de passar o cachorro. Mas, chamar meia dúzia de bandidos como testemunha não parece ser a melhor opção.

  2. Moro joga xadrez desde o início!
    Assim como Paulo2, não tenho certeza de que o objetivo seja indiciar Cláudia!
    Admiro a capacidade de reflexão e de ser estrategista de Moro!
    Quanto mais o tempo passa, mais certeza tenho que a extensão do crime organizado de colarinho é muito maior do que imaginamos. Isso requer maior cuidado daqueles que compõem a Lava Jato!
    Moro sabe que não está brincando de gato e rato. O que está em jogo é muito mais do que a população imagina!
    Por isso peço muita luz para promotores, policiais e juízes que atuam na Lava jato. Não podemos nos esquecer daqueles que tentam ajudar moro, como Azevedo, que, com certeza, também será perseguido!
    Basta observar que quanto mais a polícia comprova, com dados empíricos os crimes, mais a justiça superior ampara os criminosos!
    Isso é muito sério. Deixa no ar uma sensação de desamparo das leis em relação aos direitos do cidadão.
    Há uma junção de forças envolvendo os três poderes no sentido de cristalizar de vez a corrupção! Os protestos populares são a nossa única chance!

  3. A justiça brasileira faz o povo de palhaço, ninguém em sã consciência achará que ela não sabia de nada, gozou das propinas que o marido amealhou das empreiteiras e agora quer se desvincular das atuações do marido, aliás, todos sabem que as empreiteiras são obrigadas a aceitar pressões para poder realizar tais obras e há os aditamento aumentando consideravelmente o preço das obras, isto acontece a séculos, agora que veio a tona, este país nunca terá jeito, metem a mão no erário público na cara de pau e depois divulgam nota dizendo que todos os delatores que já estão cansados de serem achacados de mentirosos, até quando esta justiça fará vista grossa, quem roubou tem que responder pelos seus atos, seja quem for.

  4. Outra coisa,
    a julgar pelo comportamento de Cunha e Renan nos últimos dias está muito claro que o clima é de chantagem de um parlamentar em relação ao outro (vide a peleja entre Renan e Cristovan e o discurso de autodefesa de Cunha, ambos no dia de ontem).
    É momento crucial para que separemos o joio do trigo. A população só não vai distinguir um do outro se não quiser. Está tudo às claras!
    Ao menos isso!

  5. Então o competentíssimo e valoroso Dr. Moro, herói nacional da vez, temidíssimo (pelos bandidos, é claro), agora deu pra indiciar idiotas completas, dondocas deslumbradas que só se preocupam com futilidades?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *